segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Mestre das Chamas

Ninguém sabe exatamente como nem onde começou. Uma pandemia global de combustão espontânea está se espalhando como rastilho de pólvora, e nenhuma pessoa está a salvo. Todos os infectados apresentam marcas pretas e douradas na pele e a qualquer momento podem irromper em chamas.
 Nos Estados Unidos, uma cidade após outra cai em desgraça. O país está praticamente em ruínas, as autoridades parecem tão atônitas e confusas quanto a população e nada é capaz de controlar o surto.
O caos leva ao surgimento dos impiedosos esquadrões de cremação, patrulhas autodesignadas que saem às ruas e florestas para exterminar qualquer um que acreditem ser portador do vírus.
Em meio a esse filme de terror, a enfermeira Harper Grayson é abandonada pelo marido quando começa a apresentar os sintomas da doença e precisa fazer de tudo para proteger a si mesma e ao filho que espera.
 Agora, a única pessoa que poderá salvá-la é o Bombeiro – um misterioso estranho capaz de controlar as chamas e que caminha pelas ruas de New Hampshire como um anjo da vingança.
Título: Mestre das Chamas
Autor (a): Joe Hill
Editora: Editora Arqueiro
Número de páginas: 592

SKOOB - COMPARE E COMPRE - LOJA RECOMENDADA

Dramas, suspenses e distopias muitas vezes nos fazem pensar sobre a natureza do ser humano. Mestre das Chamas é um perfeito exemplo disso. Em meu primeiro contato com a obra do escritor Joe Hill, deparo-me com um drama em um cenário de crise mundial, quase pós-apocalíptico, onde uma doença mortal se alastra e pessoas morrem em autocombustão; a esperança é cada vez mais escassa e a ciência parece ineficaz, junto com a doença outra crise se alastra facilmente o desespero. E todos nós sabemos que são nos momentos mais difíceis que conhecemos o melhor e o pior do homem...
No meio de todo esse inferno acompanhamos Harper Grayson, uma enfermeira infantil que tem sua vida virada de cabeça pra baixo quando um fungo apelidado de Escama de Dragão surge misteriosamente se espalhando, infectando milhares de pessoas, e levando-as a casos de combustão espontânea. Por mais que a ciência investigue, nada se sabe sobre a origem do fungo e uma cura parece longe de ser encontrada; contudo algumas pessoas se esforçam para manter a normalidade e ajudar ao próximo, mesmo que ele possa virar um corpo carbonizado ao seu lado segundos depois. É assim, trabalhando para ajudar quem precisa, que Harper é infectada, e como desgraça nunca vem só, descobre que está grávida. O que fazer quando a morte parece certa pra todos infectados? Manter uma gravidez contando com a chance da criança não nascer infectada é uma possibilidade remota, mas será que não valeria a pena? Estaria ela salvando a criança ou condenando-a a ser cozida ainda no útero? Por via das dúvidas, seu marido Jakob - após abandoná-la - decide que a morte era a melhor solução. Não apenas um aborto, mas um romântico suicídio antes que a doença matasse a todos.
Pesado, não? E esse é apenas o inicio da jornada. Harper precisa lutar com unhas e dentes para sobreviver aos nove meses da gestação para dar a seu filho uma chance de viver longe da infecção e não faltarão percalços no caminho como o Homem de Malboro, as patrulhas do governo, os esquadrões de cremação e tantos outros. A enfermeira se vê sem saída, até que com a ajuda da misteriosa figura do Bombeiro - um homem capaz de controlar as chamar - descobre uma colônia, onde pessoas infectadas vivem livremente, com as escamas controladas e teoricamente, sem riscos de entrar em combustão. Mas seria essa uma chance para ter seu filho em paz ou apenas um lugar onde novos problemas irão aparecer?
Cínico, cru e direto, Joe Hill se esforça para mostrar em Mestre das Chamas uma sociedade em ruínas que mesmo com um quê de fantástica consegue ser palpável e crível, não apenas pela riqueza de detalhes e vida empregue em cada referência e citação, mas também pela assustadora verosimilhança com algumas temáticas abordadas. Questões que vão desde relacionamentos abusivos, aborto, discriminação com pessoas infectadas com algumas doenças, comportamento de manada até o discurso de ódio e ondas de violência onde "supremacistas" prazerosamente matam pessoas "pelo bem da sociedade".
O texto da obra, embora detalhado, é de simples leitura e a narrativa é fluida. A linguagem coloquial e crua auxilia a sensação de proximidade - afinal no nosso dia a dia as pessoas usam palavrões - e reforçam o peso das cenas. Hill não poupa detalhes em suas descrições e nem escolhe as palavras pomposas e floreios para contar-nos sua história. Contudo, apesar das qualidades, há momentos em que esse excesso de zelo tornam a leitura cansativa e muitas vezes me fizeram questionar se havia necessidade da história se prolongar tanto.
O já destacado ponto alto da obra - as questões humanas - fica destacado a partir dos personagens que o autor constrói com maestria e das relações entre eles. É fácil gostar e torcer pela forte e determinada enfermeira Harper,  pelo garoto mudo Nick e sua irmã adolescente rebelde Allie, e odiar o marido chauvinista Jakob e o Homem de Malboro, bem como outros personagens que aparecem no avançar da história. As situações extremas expõe a chama da esperança entre as cinzas, e também a mesquinha chama que a tudo quer destruir, presentes do ser humano; emocionando e chocando o leitor por diversas vezes.
Mestre das Chamas é um excelente drama, com ótimos personagens, embora desnecessariamente grande e por vezes cansativo. É preciso o leitor estar preparado para esse tipo de leitura, mas feito isso existem muitas boas discussões e reflexões para se absorver, e bela jornada para se acompanhar. Apesar de ter sido o primeiro contato com o autor, o balanço dos pontos positivos e negativos garantem a certeza de que não será o último.




quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Arqueiro - Agosto 2017

Hoje venho trazer para vocês os lançamentos e relançamentos da Editora Arqueiro para o mês de Agosto. Tem uns títulos chegando aí que acho que vocês irão curtir bastante. Vamos conferir?
Quando Caroline Trent é sequestrada por engano por Blake Ravenscroft, não faz o menor esforço para se libertar das garras do agente perigosamente sedutor. Afinal, está mesmo querendo escapar do casamento forçado com um homem que só se interessa pela fortuna que ela herdou.
Blake a confundiu com a famosa espiã espanhola Carlotta De Leon, e Caroline não vai se preocupar em esclarecer nada até completar 21 anos, dali a seis semanas, quando passará a controlar a própria herança milionária. Enquanto isso, é muito mais conveniente ficar escondida ao lado desse sequestrador misterioso.
A missão de Blake era levar “Carlotta” à justiça, e não se apaixonar por ela. Depois de anos de intriga e espionagem a serviço da Coroa, o coração dele ficou frio e insensível, mas essa prisioneira se prova uma verdadeira tentação que o desarma completamente.
Nan Dillon, a bad girl de Rosemary Beach, é uma garota imatura e egoísta que não tem outra preocupação na vida a não ser manter o corpinho perfeito. Só que Nan está longe de ser feliz: nunca teve o amor dos pais, o irmão adorado não tem mais tempo para ela, e Grant, o único homem de quem gostou de verdade, resolveu trocá-la pela meia-irmã dela. Então, quando Major Colt a convida para sair, ela não pensa duas vezes. Apesar de saber que esse texano charmoso e de fala mansa não quer nada sério, ficar com ele é melhor do que estar com as colegas fúteis ou passar as noites sozinha vendo televisão. Mas logo Nan fica farta do comportamento descompromissado de Major e, depois que ele a deixa plantada em casa mais uma vez, decide ir a Las Vegas para um fim de semana sem regras e sem limites. Lá, conhece Gannon, um empresário sedutor e perigoso que sempre diz exatamente o que ela quer ouvir. Quando Major vai atrás dela implorar por uma segunda chance e Gannon mostra que não é tão perfeito quanto ela pensava, Nan tem que decidir a quem entregar seu coração. O que ela não percebe é que os dois têm uma estratégia de longo prazo para ela – e já estão várias jogadas à sua frente.

Um trio de garotos esquisitos e uma nerd brilhante que esconde um grande segredo. Um inesperado romance que nasce em meio a computadores e disquetes. Um ousado e perigoso assalto para roubar a edição de maio de 1987 da revista Playboy, com imagens escandalosas de uma famosa apresentadora de TV. Todos esses elementos se unem para compor Fortaleza Impossível, um romance que fará você rir, se emocionar e recordar a maravilhosa sensação de se apaixonar por algo – ou alguém – pela primeira vez.

Antes de se tornar a Mulher-Maravilha, ela era apenas Diana. Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal. No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.
Esse mês as atenções são todas da Neyla que provavelmente ficará em dúvida sobre qual ler. E aí, qual desses despertou seu interesse? Conta pra gente!


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

F*ck Love


Helena Conway se apaixonou.
Contra sua vontade. Perdidamente. Mas não sem motivo.
Kit Isley é o oposto dela – desencanado, espontâneo, alguém diferente de todos os homens que conheceu.
Ele parece o seu complemento. Poderia ser tão perfeito… se Kit não fosse o namorado da sua melhor amiga.
Helena deve desafiar seu coração, fazer a coisa
certa e pensar nos outros. Mas ela não o faz…
“Tentar se afastar da pessoa amada é como tentar se afogar. Você decide fugir da vida, pulando na água, mas vai contra a natureza não buscar o ar. Seu corpo clama por oxigênio; sua mente insiste que você precisa de ar. Então você acaba subindo à superfície, arfando, incapaz de negar a si mesma essa necessidade básica de ar. De amor. De desejo ardente.”
Você pode pensar que já viu histórias parecidas, mas nunca tão genuínas como essa. Tarryn, a escritora apaixonada por personagens reais, heroínas imperfeitas, mais uma vez entrega algo forte, pulsante, que nos faz sofrer mas também nos vicia. Depois dela, todas as outras histórias começam a parecer como contos de fadas.
Título: F*ck Love
Autor (a): Tarryn Fisher
Editora: Faro Editorial
Número de páginas: 257

Antes de começar a falar a respeito de F*ck Love, vamos a famosa historinha inicial da tia Neyla, porque né, já virou tradição. Eu não sei quanto a vocês, mas eu sou aquele tipo de pessoa que sempre fica com o pé atrás quando a blogosfera e seus similares começam a bombar com um determinado livro e que todo mundo grita aos quatro cantos que AMOU o livro. Já me bate o desespero de "não sei não, será que esse negócio é bom mesmo?" e aquele famoso medo da decepção. Pois bem, onde é que eu quero chegar. Quando eu solicitei F*ck Love, em seu lançamento, só sabia mesmo o que sua sinopse falava, ninguém tinha feito resenha e a curiosidade a respeito dele bateu com força. Só que logo depois não se falava em mais nada pelas redes sociais que não fosse esse livro. Pronto, entrei em modo desconfiança, já não sabia se queria ler mesmo, estava já temendo o pior. Lendo isso você deve estar me achando dramática, mas minha cara leitora, é a verdade (e só pra você saber, eu sou mesmo dramática) e esse pensamento me perseguiu até pegar o livro pra ler... e me render completamente a sua história viciante.
Helena passou por uma situação estranha: sonhou com o seu futuro. Ela, que nunca teve nenhuma aptidão para artes, havia se transformado em uma desenhista conhecida, famosa por ter criado vários livros de colorir e que possui uma vida de fazer inveja a qualquer uma. Sua casa é linda, ela tem dois filhos e é casada com um homem simplesmente encantador. Só que ela conhece esse homem e ele não é o seu atual namorado e sim, o namorado de sua melhor amiga. Ela nunca antes havia prestado muita atenção em Kit. Ele sempre fora o namorado da vez de Della e suas conversas eram sempre mínimas, ela nem ao menos sabia o básico a seu respeito. 
Mas tudo muda após esse sonho. Por mais que ela tente lutar contra os sentimentos que a assolam é difícil controlar a curiosidade que se forma em seu âmago. Talvez, se o futuro que ela presenciou não fosse tão perfeito, as coisas poderiam não ter tomado a proporção que tomou. O fato é que Helena, ficou impressionada com tudo que viu e quando algumas das coisas que ela viveu no sonho começam a acontecer ela decide se aproximar dele. E é aí que as coisas começam a se desenrolar já que os sentimentos de ambos ficam cada vez mais visíveis e Della não está disposta a abrir mão de Kit tão facilmente.
Gente, que história viciante. Comecei com o pé atrás, como já admiti ali em cima, mas foi só virar as primeiras páginas para já ficar totalmente imersa na trama. Não esperava gostar tanto do livro, principalmente por conta do triângulo amoroso envolvendo amigas. Eu até gosto de triângulos amorosos e acho que, quando bem inseridos no contexto, deixam a história bem mais interessante. Mas quando há amigas apaixonadas pelo mesmo cara já me sinto um pouco desconfortável. Estava preparada pra odiar Helena e dar meus ataques de raiva enquanto lia, berrando que "essa menina é uma fura olho, observe!". Contudo, nada foi como eu esperava e simplesmente adorei Helena. Ela é autêntica e corajosa, até mesmo quando as coisas se confundem e ela fica sem saber como agir, acaba sempre ouvindo o coração e fazendo aquilo que acha certo, mesmo que para isso tenha que sacrificar sua felicidade.
Ela e Kit são aquele tipo de casal que ficam perfeitos juntos, que combinam perfeitamente e que, por mais que tenham algumas diferenças, elas só servem para complementar um ao outro. Ficarem juntos é algo que parece tão natural que a gente já torce por isso logo de cara. Eu gostei de Kit, mas em determinados momentos perdi a paciência com suas atitudes. Não gosto de gente em cima do muro, que sabe o que quer mas não tem coragem de fazer aquilo que deseja. Achei que ele foi covarde em algumas partes, esperava mais determinação e acabei ficando um pouco frustrada em relação a isso. Ele é um fofo, mas pra me conquistar por inteiro tem que ter algo mais e nesse ponto, ele deixou a desejar.
Em relação ao triângulo amoroso da trama, eu realmente acreditei que fosse ficar com raiva de Helena e me solidarizar com Della. Mas não teve como acontecer porque Della é uma criatura insuportável, daquelas que você se pergunta o porquê da protagonista e ela serem tão boas amigas. Ela é egocêntrica e mimada, o tipo de pessoa que pensa que o mundo gira em torno do seu umbigo. As coisas que ela apronta no decorrer da história são ridículas e só servem pra deixar ainda mais explícito o que ela merece receber no final.
Minha experiência de leitura foi super positiva, eu adorei demais o livro e a escrita da Terry é incrível, ela consegue prender o leitor a cada palavra. É viciante demais! O livro só não levou a nota máxima porque duas coisas me incomodaram. A primeira foi a inserção de um personagem, quase no final do livro, que não disse a que veio e, no meu ponto de vista, não acrescentou nada à trama. E o segundo ponto foi o epílogo, que começou muito bem, mostrando o que aconteceu com os personagens após o desfecho do livro, mas que acabou me deixando confusa por conta do que? Do tal personagem que citei anteriormente e que, mais uma vez, apareceu pra fazer vários nadas e me deixar com um belo ponto de interrogação na cabeça. Eu, definitivamente, bancarei a Glória Pires já que não sou capaz de opinar sobre esse final.
No mais, a leitura é super fluida e as páginas praticamente passam sozinhas. A edição está linda e nota-se todo o cuidado da editora, tanto com a capa, com os detalhes internos e as artes no início de capítulo. Foi o meu primeiro contato com um livro da Tarryn Fisher e gostei demais do que encontrei! Recomendo muito a leitura, tenho certeza que assim como eu, vocês vão adorar a história!

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Valérian e a Cidade dos Mil Planetas







Valérian é um agente viajante do tempo e do espaço que luta ao lado da parceira Laureline, por quem é apaixonado, em defesa da Terra e seus planetas aliados, continuamente atacados por bandidos intergaláticos.



Valérian e a Cidade dos Mil Planetas
Título Original: Valerian and the City of a Thousand Planets
Lançamento/Duração: 2017 - 142 minutos - Gênero: Ação, Ficção Científica, Aventura
Direção: Luc Besson
Roteiro: Luc Besson
Elenco: Dane DeHaan, Cara Delevingne, Rihanna, Ethan Hawke, Clive Owen

IMDB - FILMOW

Ninguém pode negar que o cinema é uma imensa janela para horizontes distantes. Pode até parecer baboseira começar o texto de tal forma, mas já se deu conta da quantidade de coisas que você descobriu graças ao cinema?  Atores, atrizes, diretores, roteiristas e obras originais em quais os roteiros por vezes são embasadas, são muitos mundos e tempos descobertos. E bem, Valerian tem tudo a ver com isso!
Publicado pela primeira vez em 1967, Valérian, Agente Espaço-Temporal - mais tarde republicado como Valérian e Laureline - é uma obra em quadrinhos Franco-Belga de ficção científica criado por Pierre Christin e desenhada por Jean-Claude Mézières. Mesmo com  50 anos de publicação a série Valérian e Laureline é segue como uma das obras mais influentes mundialmente, tendo mais de 2.500.000 cópias vendidas, e influenciado conceitos, histórias e design de personagens e criaturas em diversas obras como Star Wars e O Quinto Elemento, de Luc Besson, também responsável por essa adaptação que chega aos cinemas.

Na trama do longa, Valérian é um agente viajante do tempo e do espaço que luta ao lado da parceira Laureline, em defesa da Terra e seus planetas aliados. Em meio a uma dessas missões os agentes são encaminhados até a Estação Planetária Alpha, lar de dezessete milhões habitantes entre humanos e alienígenas de várias espécies. Lá estando irão se deparar e se envolver com uma questão de enorme perigo que pode destruir toda Alpha. Mas em um lugar onde tudo é estranho, nada é o que parece...
Nem mesmo o próprio projeto de Besson.
Por maior que tenha sido a paixão que o motivou a adaptar a obra em quadrinho de sua juventude, e por mais que o filme tenha uma qualidade técnica visual evidente, Valérian e a Cidade dos Mil Planetas justifica a divisão de opiniões entre a crítica internacional. O filme é divertido e possui diversos acertos, contudo esses pontos estão mesclados ao roteiro simplório e por vezes confuso da trama. A ação é bem executada, e o clima da trama é ágil, mas em diversos momentos tramas episódicas e cíclicas são inseridas na trama, desviando o foco da missão principal. Personagens são unidos e separados mais de uma vez, e a missão principal é fracionada em pequenas missões de resgate pouco relacionadas com o arco central e que poderiam ser retiradas no corte final e não alterariam o resultado final. O mais esquisito é que esses arcos trazem personagens interessantes, como Bubbles interpretado por Rihanna, e que mereciam arcos maiores do que as rápidas participações.
A dupla de protagonistas não convence fácil como os importantes agentes que representam: parte disso se deve a aparência jovem dos atores, parte a atuação ruim dos atores e outra parte a direção e roteiro. Besson não tenta fazer deste um filme de origem, trazendo aqui personagens já estabelecidos dentro daquele cenário, mas Dene Deehan e Cara Delevingne não transmitem muito bem essa experiência sensação. Além deste fato, falta química entre eles. Embora os personagens tenham lapsos de carisma por conta de sua canastrice assumida, a construção afugenta a todo momento nossa proximidade com eles.
Já o universo que compõe background do longa e a maneira como é organizado, são pontos positivos da obra. Tudo aquilo parece fantástico e cativante a ponto de você querer ver mais e mais. Ainda por cima tratando-se daquele que talvez seja o ponto mais forte de Valérian e a Cidade dos Mil Planetas. Os milhões que fazem deste o filme mais caro da história do cinema francês são muito bem empregados em uma das obras mais visualmente belas que já vi.

Ao passo em que deixa a desejar na produção do roteiro, Luc Besson mostra sua marca registrada e seu colorido da ficção científica destacados na construção de mundo da obra, com seus alienígenas, planetas, viagens dimensionais, perseguição de naves, etc. O diretor libera na narrativa visual sua inventividade com jogos de câmera e outros truques estéticos aquilo que falta de complexidade na trama.
Valerian é um espetáculo visual de primeira em meio atuações fracas e roteiro simples. É divertido, arrancou alguns risos com umas piadinhas, a ação é boa, mas o protagonista é tão fraco que Cara (Caramba Cara Caraô) Delevingne consegue ser mais carismática. Mas não no fim das contas ele não é um filme ruim, apenas não empolga tanto quando deveria. É filme bacana que poderia ser melhor! Contudo, fiquei interessado em ver os quadrinhos originais e a novelização do roteiro, para ver o que Valérian tem a oferecer.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Os Impostores - A Garota do Cemitério #1

Ela adotou o nome Calexa Rose Dunhill, inspirada numa lápide do sombrio ambiente em que acordou, ferida e apavorada, sem qualquer lembrança de sua identidade, de quem a jogou lá para morrer ou mesmo do porquê.
Fez do cemitério o seu lar, vivendo escondida numa cripta. Mas Calexa não pode se esconder dos mortos – e, quando descobre que possui a estranha capacidade de ver as almas se desprenderem de seus corpos...
Então, certa noite, Calexa presencia um grupo de jovens praticando uma sinistra magia. Horrorizada, testemunha o ato insano que eles cometem. Quando o espírito da vítima abandona o corpo, ele entra em Calexa, atormentando sua mente com visões e lembranças que parecem não ser dela.
Agora, Calexa deve tomar uma decisão: continuar escondida para se proteger – afinal, alguém acredita que ela está morta – ou sair das sombras para trazer justiça ao angustiado espírito que foi até ela em busca de ajuda
Título: Os Impostores
Série: A Garota do Cemitério #1
Autor (a): Charlaine Harris/ Christopher Golden/ Don Kramer
Editora: Valentina
Número de páginas: 128


Minhas primeiras experiências com leitura foram através das HQ's. Antes de aprender a ler eu já gostava de ler (dá pra entender isso) e quando minha mãe lia para mim, um novo mundo se abria em meus horizontes. Acredito que o primeiro contato de jovens leitores sempre se dão por meio de quadrinhos e, infelizmente, com o tempo esse apreço por eles acaba desaparecendo. Comigo foi diferente já que o amor foi se intensificando cada vez mais e todos os meses eu leio pelo menos umas duas HQ's pra satisfazer esse vício. Portanto, quando vi o primeiro volume dessa história disponível para solicitação, nem pensei: solicitei de coração aberto e com a certeza de que iria adorar.
Quando Calexa acordou em um cemitério, ela nem ao menos se lembrava de seu próprio nome. A única coisa que sabia era que, quem a abandonara ali acreditava que ela fosse morrer, portanto manter-se escondida é o melhor que pode fazer. E quer esconderijo melhor que um cemitério? Ali, em meio aos mortos, ela faz sua morada e, é em uma lápide que ela se inspira para criar um nome: Calexa Rose Dunhill. Essa será sua nova identidade até que sua memória, finalmente, retorne.
A estadia no cemitério é tranquila e muitas vezes solitária. Com o tempo, ela começa a ter algumas visões das almas dos recém falecidos se desprendendo do corpo e partindo em direção a seu destino final. Mas as coisas acabam ganhando um terreno ainda mais sombrio quando ela presencia um grupo de jovens fazendo um pseudo ritual de magia. É visível a inexperiência de todos, inclusive da que está a frente do ritual, portanto não é surpresa para ninguém quando ele não funciona. Porém, eles retornam ao cemitério para tentar mais uma vez, dessa vez com um motivo que julgam ser justo.
Óbvio que as coisas acabam saindo do controle, dessa vez de forma grave, e termina com uma jovem sendo assassinada. De onde estava escondida, Calexa pode ver toda a movimentação e ela já esperava ver o espírito da garota se desprendendo. O que ela não imaginava era que esse espírito, em vez de partir para o seu destino final, acaba entrando em seu corpo. Sua mente é então tomada por memórias que não são suas e ela se vê obrigada a ajudar essa moça a fazer justiça. Mesmo que, para isso, ela tenha que sair do seu esconderijo e correr o risco de ser encontrada por aqueles que a querem morta.
Eu adorei essa HQ! A história já começou me instigando por conta do tom de mistério que está embutido nas cenas iniciais. O porquê de Calexa ter sido deixada para morrer naquele cemitério, qual sua verdadeira identidade e quem está por trás de sua quase morte, foram os principais elementos que me deixaram curiosa com a leitura. E antes que você venha me perguntar, não é nesse volume que teremos as respostas para esses questionamentos, mas espero que eles não tardem a aparecer porque estou curiosíssima.
Calexa foi uma personagem que me intrigou do início ao fim. É difícil falar sobre ela ou defini-la já que é uma personagem muito complexa e passa pelo drama de não saber nada sobre si. Não posso dizer que ela me cativou, mas com certeza me deixou curiosa. Tenho algumas teorias a seu respeito, algumas são bem loucas, mas não posso dividir com vocês... ainda.
Fiquei apaixonada pelas ilustrações. principalmente por conta da riqueza dos detalhes e do traço marcante. Se tem algo que me chama a atenção em HQ's é a capacidade do artista colocar em seus desenhos expressões vívidas, que faça com que o leitor consiga ser capaz de sentir a vida fluindo daquelas páginas. E eu consegui sentir isso.
Gostei muito do que encontrei e esse primeiro volume já virou queridinho da estante. A ambientação mais sombria, a personagem misteriosa, a trama repleta de ação e suspense, fizeram com que a leitura se tornasse ainda mais agradável. Além do mais, é visível todo cuidado da editora com esse primeiro volume e preciso dizer que fizeram um trabalho maravilhoso. A edição ficou linda e valeu a pena todo o investimento! Estou ansiosa pelo segundo volume e espero que não demore a ser lançado.
Se você, assim como eu, também é fã de HQ's, não pode deixar de ler Os Impostores - A Garota do Cemitério. E, se ainda não leu nenhuma e deseja começar, já tem uma bela dica aqui. Tenho certeza que não irá se arrepender.