quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

A Torre do Amor

Quando Gowan, o magnífico duque de Kinross, decide se casar, seu plano é escolher uma jovem adequada e negociar o noivado com o pai dela. Ao conhecer Edie no baile de apresentação dela à sociedade, ele acredita que, além de linda, ela também seja a dama serena que ele procura e imediatamente pede sua mão.
Na verdade, o temperamento de Edie é o oposto da serenidade. No baile, ela estava com uma febre tão alta que mal falou e não conseguiu prestar atenção em nada, nem mesmo no famoso duque de Kinross. Ao saber que seu pai aceitou o pedido do duque, ela entra em pânico. E quando a noite de núpcias não é tudo o que podia ser...
Mas a incapacidade de Edie de continuar escondendo seus sentimentos faz com que o casamento deles se desintegre e com que ela se recolha à torre do castelo, trancando Gowan do lado de fora.
Agora o poderoso duque está diante do maior desafio de sua vida. Nem a ordem nem a razão funcionam com sua geniosa esposa. Como ele conseguirá convencê-la a lhe entregar as chaves não só da torre, mas também do próprio coração?
Título: A Torre do Amor
Série: Contos de Fada #4
Autor (a): Eloisa James
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 352


E lá vamos nós nos aventurar novamente em mais um livro da Eloisa James. O último que li não foi lá essas coisas todas e fiquei bem decepcionada por ser um livro que tinha um potencial enorme e acabou seguindo por uma linha que foi um completo fiasco. Comecei a ler A Torre do Amor com um pouco de pé atrás, não vou mentir. Apesar dos muitos comentários positivos, ainda não estava muito convicta de que ele iria me agradar (principalmente porque eu sou daquelas que sempre fica com pé atrás diante de comentários positivos demais). Mas me joguei na leitura e o que eu achei você confere logo abaixo.
Quando Gowan conheceu Edie, teve certeza de que ela era a personificação de tudo aquilo que desejava em uma esposa. Linda, dona de um corpo curvilíneo, lábios cheios e de uma personalidade muito tranquila, ela seria perfeita para ser uma duquesa. Não que ele desejasse alguém que acatasse todas as suas ordens, porém, esperava que sua futura esposa fosse alguém de fácil trato e que se adequasse bem à sua extensa rotina diária. O que ele não sabia era que, no dia em questão, Eddie estava com febre, o que a deixou um pouco "devagar".
Vejam bem, não é que Eddie seja uma pessoa difícil, longe disso. Ela é amável, falante e muito embora não seja uma mulher mais "afrontosa", não é uma pessoa com um temperamento tão dócil quanto o imaginado. A música é sua paixão e quando está tocando o seu violoncelo se entrega de corpo e alma. Em seu primeiro contato com Gowan, embora adoentada, também se sentiu atraída pela beleza do duque, afinal ele é um homem marcante e é difícil não se sentir magnetizada quando se está diante dessa beldade.
O casamento é marcado, porém incapazes de controlar a forte atração que existe entre eles, acabam casando-se mais cedo do que o esperado. E já durante a lua de mel as coisas começam a se mostrar não muito agradáveis para Eddie. Pois é, minhas amigas, já ouviram falar que a expectativa é que acaba com tudo? Então, tudo acabou sendo totalmente diferente do que Eddie imaginava, o que acabou deixando-a frustrada. Pra completar esse kit  de decepções, temos também o fato de que por mais que Gowan seja uma pessoa incrível e muito metódico, sua rotina é cansativa e muito do que acontece ao seu redor acaba por se mostrar desnecessário.
Será que o sentimento que nasceu anteriormente será capaz de resistir a todas as adversidades que o casamento vai trazer para a vida de ambos? Isso aí, minhas amigas, só lendo para descobrir.
Esse livro foi um verdadeiro divisor de opiniões na minha nada mole vida de leitora. Vocês vejam bem, a decepção de A Duquesa Feia ainda estava bem fresca em minha memória, portanto comecei a leitura num misto de empolgação e cautela muito grande. E, logo de cara, já comecei a gostar da história. O envolvimento dos personagens foi muito gostoso, eles possuem uma química forte e já me preparei pra amar o livro. Porém, contudo, todavia, eu travei bonito enquanto a trama se desenrolava.
O que aconteceu aqui foi que a história começou a ficar arrastada. Sabe quando você começa a ler, ler e parece que não sai do mesmo lugar? Todo capítulo era sempre a mesma enxurrada de pensamentos, de diálogos enfadonhos, de uma falta de ação...ficava me perguntando que horas que as coisas iriam começar, quando que aquilo ali iria deslanchar e mostrar a que veio. E, para mim, isso só aconteceu na metade do livro. Ali sim a história começou de verdade e me prendeu até o final. Só que eu já estava cansada, empurrando o livro por uma semana e pensando em abandonar (podem me julgar, gente, mas a realidade é essa). E essa "amarração" comprometeu minha nota final sim. Dei 3,5 (que é uma nota boa), mas se o livro tivesse mantido uma agilidade constante certamente teria levado uma nota mais alta.
Mas vamos falar da história. Depois que ela finalmente deslanchou e mostrou a que veio, eu adorei! Eloisa trouxe um tema muito inusitado e que eu achei maravilhoso porque nunca havia lido um livro antes que abordasse isso. Não vou aqui entregar o assunto a vocês porque vai acabar perdendo a graça de descobrir enquanto lê, mas tenho certeza que algumas pessoas vão se identificar com o que Eddie passa já que, infelizmente, é algo que acontece muito!
Além disso, Eloisa trouxe personagens da Julia Quinn pra trama.Sim, isso mesmo que você leu. Durante a leitura nós vamos reencontrar Honoria, Marcus e Daniel, da série do Quarteto Smythe-Smith. Eu me diverti horrores lendo, achei o crossover genial e foi maravilhoso reencontrar alguns personagens que são queridinhos do coração (menos o Daniel, esse eu prefiro nem comentar a respeito). Sempre quis ver um livro onde personagens de diferentes autoras se encontrassem, sabe? Fiquei muito feliz em ter encontrado isso em A Torre do Amor.
Em relação aos personagens, eu adorei os dois. Eddie e Gowan são duas pessoas extremamente diferentes, mas logo de cara a gente já percebe que ambos foram feitos um para o outro. Não é só a questão da química forte, mas sim aquele ponto já meio batido de que eles são como um encaixe perfeito. O que falta em um, encontramos no outro e ambos se respeitam por isso, sem tentar mudar para agradar. Acho que isso foi o que mais gostei nos dois. Mas, o personagem que mais me chamou atenção foi Laila, a madrasta de Eddie. Gente do céu, pra mim ela foi a melhor pessoa desse livro! Bem humorada, meio louca, ela sempre estava disposta a dar seus sábios conselhos a Eddie. Seus embates com o marido eram divertidíssimos e eu ria sem parar a cada nova aparição dela. Por mais que os personagens principais sejam carismáticos, Laila foi a minha preferida e roubou a cena diversas  vezes. Como dizem por aí, é rainha que chama, né mores? (desculpa, não resisti)
A Torre do Amor foi uma leitura divertida e leve, que poderia ter sido melhor se a autora tivesse feito na primeira metade do livro o que fez no segundo: dado agilidade à trama. No mais, achei que a autora foi muito feliz na escolha do tema, na criação dos personagens, sejam eles os principais ou secundários. Leiam e depois me contem o que acharam!

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

O Fogo Invisível









Qual é a verdadeira origem da arte?
O jovem e promissor linguista David Salas não esperava tirar férias de um dia para o outro e ir à Madri – menos ainda encontrar-se lá com Lady Victoria Goodman, uma velha amiga de seus avós que não via havia mais de vinte anos. De repente, os planos para suas férias mudam de maneira drástica e ele se vê em uma corrida surpreendente para desvendar o que aconteceu com um aluno de Lady Goodman, que ela diz ter sido assassinado.
Para sua surpresa, a resposta parece estar escondida no mito do Graal e sua ligação com a Espanha. Entre igrejas romanas remotas nos Pirineus, coleções de arte em Barcelona, livros antigos e códigos estranhos, David e seus companheiros nos levam a um enredo cheio de intrigas e mistérios, que nos fazem questionar sobre a origem da inspiração, da literatura e da verdadeira arte.
Título: O Fogo Invisível
Autor (a): Javier Sierra
Editora: Planeta
Número de páginas: 320


Hello pessoas! Hoje estou trazendo o livro O Fogo Invisível de Javier Sierra.
Tudo começa com o nosso protagonista, David Salas, formado em filologia (que confesso nunca tinha ouvido falar, resumindo é a pessoas que faz um estudo rigoroso de documentos antigos) e filosofia. David trabalha como professor de linguística na Trinity College, em Dublin. Sua chefe, cansada de ver ele só com livros e mais livros,sem nunca tirar férias, resolveu se juntar com a mãe de David e lhe mandar para Madrid sua terra natal. E é lá que nossa história tem o primeiro pontapé.
O primeiro contato que David tem em Madrid é com Paula Esteve, que aparece cheia de mistério a mando de Lady Victoria, uma antiga amiga da família. A conversa dos dois é bem misteriosa ,sobre palavras e escritas, teorias e Parmênides (para quem não conhece, é considerado o fundador da escola de pensamento de Eleia).
No reencontro entre David e Lady Victoria, ela lhe convida a fazer parte de um grupo, digamos, de gênios formado por quatro pessoas: Paula, Luís, Johnny e Ches. Cada um tem uma especialização ,mais todos muito inteligentes! Esse grupo chama-se Montanha Artificial e nele ocorrem vários debates de como a literatura pode ser mágica. David e o grupo passam a saber mais sobre o Santo Graal e Guillermo, que morreu investigando sobre o artefato. A questão é que eles têm inimigos para impedir essa descoberta. Mas Victória está fascinada pelo Graal há muito tempo e faz com que nosso grupo entre em uma busca por mais informações sobre o objeto e onde ele se encontra nos dias atuais. O que posso dizer é que nossos protagonistas passam por poucas e boas nessa investigação, fazendo com que nós, leitores, fiquemos mais curiosos do que o normal.
O livro me lembrou muito os livros de Dan Brown, inclusive um de seus livros é citados por nossos personagens em um caloroso encontro para discutir literatura. Apesar da comparação o autor soube colocar sua identidade na escrita, inclusive em um momento ele fala que livro pra ser bom tem que inspirar os outros e acredito que tenha sido isso que aconteceu.
A escrita de Javier é bem clara e muito, muito mesmo inteligente. Gente,, sério eu fiquei abismada com as teorias sobre o Graal, dá pra perceber que o autor estudou muito sobre o assunto. Não procurei saber se realmente ele fez pesquisa de campo, mas a riqueza de detalhes que ele nos traz mostra que sim. Nunca na vida ia pensar qualquer coisa relacionada ao assunto do Graal e aqui estou bestificada com suas teorias. 
Gostei do livro, das suposições e como a história é apresentada para que possamos nos envolver nela. Como eu disse, ele detalha muito bem as cenas e lhe dá uma riqueza de informações tão grande sobre os assuntos tratados que as ideias do personagem acabam se tornando suas. Cada coisinha e informações das investigações foram colocados de forma correta para que nós leitores consigamos entender o rumo que a história nos leva sem atrapalhações. E, por ser um livro com muitas informações, isso ajudou muito.
Os personagens são muito bem caracterizados e cada um tem sua importância e diferencial para compor o enredo. A história é totalmente voltada para o David, inclusive é ele que narra tudo o que acontece. Posso dizer que nesse livro vocês vão encontrar drama, romance, loucura e muito mistério.
Não é um dos meus gêneros favoritos, mas o livro me conquistou. Parte legal do livro são as imagens, como os personagens conversam e detalham sobre elas, não precisa parar para pesquisar no Google do que eles estão falando. Sim galera, tem imagem no livro, o que ajudou muito. Quando um personagem fala de algum detalhe da imagem tal é só vocês virararem a página e olhar também. Ajudou bastante na minha investigação (kkkkkkk), fora que aprendi muito olhando cada detalhezinho de obras que já conhecia e outras não. Fiquei totalmente vidrada nos acontecimentos e nas descobertas apresentadas pelo autor, me deixando cada vez mais curiosa em saber o final e quais perigos e mistérios nosso grupo iria ter que passar.
Beeeijos!!!

Mayana Dórea

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Pacote Completo


Chase levava uma vida tranquila como médico na movimentada Nova York, sucesso entre as mulheres, parecia que não faltava nada... até que descobre que seu contrato de aluguel está para vencer e se vê entre duas opções: morar na rua e dividir apartamento com a deslumbrante irmã do seu melhor amigo. O problema é que conseguir um bom apartamento em Nova York é mais difícil do que encontrar o amor verdadeiro.
E se eu tiver que dividir um espaço com alguém, que seja com uma garota tão maravilhosa como a irmãzinha do meu amigo. Só peço que os céus me ajudem. Eu posso resistir à Josie. Sou disciplinado, e, se me esforçar, consigo manter meus pensamentos sob controle, mesmo no minúsculo apartamento que dividimos. Mas, certa noite, bem atordoada com um dia difícil, ela insistiu para deitar-se ao meu lado, sob as mesmas cobertas. Isso a ajudaria a dormir, foi o que ela disse...
MAS COMO UM HOMEM COMUM PODE RESISTIR A UMA SITUAÇÃO COMO ESSA? O difícil vai ser segurar a tentação diante da tensão sexual que desperta toda vez que os dois dividem bons momentos. Entre conversas, pizzas e risadas, o clima esquenta e Chase percebe que aquela que em pouco tempo já se tornou uma amiga, pode ser algo mais... talvez um pacote completo.
Título: Pacoote Completo
Série: Big Rock #4
Autor (a): Lauren Blakely
Editora: Faro
Número de páginas: 240


Definitivamente o melhor foi deixado para o final.
Em Pacote Completo, temos um romance recheado de receitas e muita safadeza. Um livro que cura a ressaca de qualquer leitor.
Chase, médico (Dr. Gostosão) residente em NY, está desesperado a procura de um apartamento. E achar um bom apartamento em sua cidade é quase impossível, os melhores bairros já estão todos esgotados ou com aluguéis exorbitantes.
Numa conversa descontraída com sua melhor amiga Josie, eles encontram a solução de seus problemas. Por que não há nada melhor do que morar com seu melhor amigo, uma pessoa em quem você confia e que conhece todos os seus hábitos.
Josie, é uma mulher incrível, confeiteira de mão cheia e com certeza o pacote completo de qualquer homem. Mas nada é mais importante do que a amizade para esse casal de amigos. Ainda que um ache o outro atraente e não suportaria ouvir gemidos do quarto ao lado. É ótimo ver como eles se desenvolvem morando juntos.
Sem falar que no livro temos deliciosas receitas do Livro de culinária da Josie. O que deu um toque feminino na leitura ao decorrer dos capítulos.
O livro é todo narrado pelo ponto de vista masculino, o que não o deixa machista, muito pelo contrário. Chase se importa verdadeiramente com Josie. Em nenhum momento ele nos faz pensar que só está pensando em sexo. Eles são essenciais na vida um do outro.
Parece que a própria Lauren que está contando a história de um amigo próximo ao leitor.
Uma história, leve, divertida e picante onde nos deliciamos com a amizade e química explosiva do casal.
Sou fã do clichê; onde melhores amigos se apaixonam, é um verdadeiro deleite, pois os melhores casais são aqueles que já se conhecem a muito tempo. É possível ver como a escrita da Lauren evoluiu, desde o primeiro livro Big Rock ao último. Com certeza ela entrou no meu hall de autoras queridinhas.
O trabalho de edição da Faro é sempre impecável. Eles arrasam nas edições de seus livros. 

Juliana Santos

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

A Garota Perfeita



Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida.
Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à família da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso.
Quando a encontra, porém, a professora está em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdadeiro vilão desta história?
Título: A Garota Perfeita
Autor (a): Mary Kubica
Editora: Planeta
Número de páginas: 336


Definitivamente, 2018 foi o ano dos thrillers aqui nesse blog, tanto os policiais como os psicológicos. É um gênero que eu gosto bastante, que me instiga e sempre acabo conhecendo um novo autor. E foi o que aconteceu com a Mary Kubica. Já havia lido resenhas de seus livros e percebi que eles não são o tipo que agradam a todos, o que é algo super normal. Fiquei instigada por conta dos comentários e decidi dar minha cara a tapa e conhecer essas histórias que dividiam tanto opiniões. E cá estou eu, pronta para ler o que mais for lançado dela por aqui (alô Editora Planeta, tragam mais livros da Mary, por favor!).
Mia é filha de um juiz super conhecido e sempre teve uma vida regada a luxo. Porém, abriu mão de tudo e foi ser professora de Artes, vivendo  com seu dinheiro em um local mais modesto. O relacionamento com os pais, em especial com o pai, é bem conturbado e o fato dela não querer seguir seus passos acabou sendo a gota d'água para ele. Eles mal se falam e, quando a família recebe um telefonema de uma colega de trabalho dizendo que ela não havia desaparecido, sua mãe começa a achar tudo muito estranho. Mia nunca faltou a uma aula, sempre foi uma pessoa compromissada com seus afazeres e muito responsável, o tipo de garota perfeita. Muito embora seu pai acredite que ela deve estar bem, sua mãe tem certeza de que algo de muito ruim aconteceu.
O que vamos descobrir é que Mia foi sequestrada por um homem chamado Colin Thatcher e é levada para uma cabana no meio de uma floresta. O local não está habitado há anos e, por estarem quase no inverno, as condições de vida ali são precárias. Quando é, finalmente, resgatada a polícia terá ainda um problema maior em suas mãos: Mia não se lembra de nada do que aconteceu. O detetive Gabe Hofman começa então uma busca pelo que parece ser algo impossível de descobrir. É perceptível que algo muito sério aconteceu, mas como fazer isso vir a tona quando a vítima se encontra visivelmente abalada?
Não me atreverei a falar mais do que isso para não deixar passar algo que possa vim a ser considerado spoiler. Na verdade, quando falamos de thrillers, sejam eles policiais ou psicológicos, qualquer descuido pode sim se tornar um spoiler e meio que "estragar" a experiência de leitura da outra pessoa. Portanto, vamos às minhas considerações a respeito do livro.
A Garota Perfeita é o livro mais elogiado da autora, portanto as minhas expectativas não poderiam estar mais elevadas em relação a ele. E realmente gostei do que encontrei. A história me prendeu e, mesmo não tendo sido a mais rápida das leituras, foi uma história que conseguiu me cativar. Nesse ponto preciso dizer que a narrativa da autora é muito lenta e a trama demora um pouco a engatar, mas isso é algo já característico dos livros da autora. Ela vai trazendo a tona os fatos de forma bem gradativa, fazendo com que possamos ir assimilando a trama aos poucos. Não vou mentir que isso me incomoda um pouco, mas a história compensa muito essa lentidão.
Uma das coisas que eu mais gosto nos livros da Mary é o fato de não termos apenas um narrador. Nesse livro conhecemos a história pela ótica do detetive Gabe, da mãe de Mia e de Colin, mantendo aquela já conhecida tática de mescla entre presente e passado. Cada um trouxe novas situações em seus relatos que vão nos ajudando a solucionar esse grande emaranhado de linhas que essa história se tornou.
Não vou dizer a vocês que fui totalmente surpreendida pela trama porque a autora vai nos deixando pistas no decorrer de toda a leitura. É fácil deduzir determinadas coisas, tão fácil que eu cheguei a pensar que algo ali não estava muito certo e que, de certa forma, a autora estava apenas brincando com o leitor. Mas quando cheguei no epílogo, nossa, minha cabeça deu um giro! Eu não imaginava o que estava por vir e meu queixo foi no chão com as novas revelações.
Até hoje não consegui me sentir cativada por nenhum dos personagens dos livros de Mary, porém sempre fico cheia de curiosidade pra saber mais sobre eles, principalmente porque trazem uma bagagem forte e intensa. Todos sempre tem algo de interessante a acrescentar à trama e quando percebo já estou querendo descobrir mais sobre eles, doida para que tenham seus segredos revelados.
Gostei bastante de A Garota Perfeita! Teve uma boa dose de suspense, trouxe uma trama interessante e que me deixou curiosa do início ao fim. Não se tornou o meu preferido da autora (esse posto ainda é de A Desconhecida), mas é um livro que me surpreendeu demais no final. Contudo preciso ser sincera: apesar de gostar muito das histórias criadas pela autora, elas não são do tipo que agradam a todos, principalmente por conta da lentidão de suas tramas. Na minha opinião, vale a pena conhecer pelo menos uma de suas obras porque essa mulher escreve bem demais!

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Amigos Para a Vida

Francis não tem amigos. Ele sofre bullying porque é diferente. Em casa, vive trancado no sótão, onde tem uma fabulosa coleção de bonecas vestidas com roupas que ele mesmo cria. Adora moda e pediu de aniversário uma máquina de costura.
Um certo dia na escola, na hora do intervalo, Francis vai se sentar num banco, no lado mais afastado do pátio, porque prefere a solidão a ser zoado.
Mas nesse dia, sentindo-se triste, ele vê alguém atravessar o gramado na sua direção. É uma menina de mais ou menos a sua idade, embora não a reconheça como aluna da escola. Ela se senta na outra ponta do banco, em silêncio.
Francis fica curioso. E então lhe estende a sua caneca de chá. A menina olha para ele, surpresa e chocada. Afinal, ela é um fantasma, chama-se Jessica, e Francis é a primeira pessoa que consegue vê-la desde que ela morreu.
Entre os dois surgirá uma amizade extraordinária e transformadora.
Amigos Para a Vida é uma delicada história de amizade – e seu poder transformador – entre quatro adolescentes fora dos padrões dominantes, celebra o direito de ser diferente e é leitura obrigatória para todos que combatem o bullying. Um livro divertido, corajoso e genuinamente emocionante.
Título: Amigos Para a Vida
Autor (a): Andrew Norriss
Editora: Valentina
Número de páginas: 208

Hoje vamos falar de um dos livros mais fofos que li em 2019 e que entrou para a lista dos melhores do ano. Eu já imaginava que iria gostar do livro, mas não passou pela minha cabeça que a história iria me conquistar tanto. Sabe quando você está numa vibe não muito legal da sua vida e o livro cai no seu colo pra trazer a leveza que tanto precisava. Foi o que aconteceu comigo.
Francis é um garoto de 11 anos que sofre bullying na escola pelo fato de ser diferente dos demais. Ele, que é sempre muito gentil e prestativo, se vê sendo motivo de piadinhas e deboches pelo fato de gostar de costurar (e fazer isso com uma maestria incrível) e ter uma coleção de bonecas no sótão. Ele já está acostumado a passar os dias sempre sozinho e fica surpreso quando, na hora do intervalo, uma garota se aproxima dele, sentando-se no mesmo banco. A garota também parecia estar sozinha e, quando Francis puxa um assunto, acaba causando um espanto na mesma já que ninguém na escola consegue vê-la porque ela está morta.
Jessica, a nossa fantasminha, morreu há um tempinho e desde então passou a vagar pelos corredores da escola. Nunca ninguém a viu, Francis é a primeira pessoa com quem ela fez contato durante todo esse tempo e logo os dois criam uma conexão forte. Ambos são solitários, Francis sempre quis um amigo e Jessica prova ser uma companhia adorável e torna seus dias mais agradáveis. 
A mudança em seu jeito é logo percebida por sua mãe, que nunca viu o filho tão feliz em sua vida. E quando uma vizinha nova lhe pede ajuda com sua filha, que vem tendo problemas na escola, ela logo pensa no filho e no quanto ele pode vim a ajudar essa garota já que ele mesmo tem apresentado uma mudança tão positiva. De imediato a ideia não é bem aceita por Francis e, quando conhece Andi, ele tem certeza de que nada poderá fazer pela garota já que ambos parecem não ter nada em comum. Contudo, eles acabam se aproximando já que ela também pode ver Jessica.
E é a partir daí que vai começar uma grande mudança na vida, não só de Francis, mas também de Andi. Juntos, eles tentarão descobrir o motivo de Jessica ainda não ter conseguido fazer sua passagem para o "outro lado" e irão fazer descobertas incríveis, além de estreitar cada vez mais os laços de amizade.
Que história linda, gente! Eu terminei a leitura com um sorriso bobo no rosto e um calorzinho de ternura no peito. Amigos Para a Vida foi um livro que me prendeu, que trouxe em suas páginas assuntos sérios e que precisam ser discutidos, mas com uma leveza enorme. É uma história delicada, porém escrita de uma forma que não se tornou pesada ou triste.
Eu amei Francis antes mesmo de conhecê-lo melhor. Ele é um garoto gentil, dono de um coração puro e que, embora já tenha passado por muitas situações ruins, não se tornou amargo ou grosseiro. A amizade que ele constrói com as meninas é sólido e verdadeiro, algo bonito de se ver. Francis é um garoto de ouro e, infelizmente, os outros não conseguem enxergar porque tudo que veem é o fato dele ter uma coleção de bonecas e costurar. O mesmo acontece com Andi e Roland (outro garoto que vem somar mais experiências a essa história), que são julgados pelos demais por conta de sua aparência, algo que acontece tão intensamente na vida de tantas e tantas crianças e adolescentes.
Não sei bem dizer a vocês o que eu mais amei em Amigos Para a Vida. Comecei a ler imaginando que não fosse me envolver tanto com a história, mas acabei me vendo totalmente imersa nela, me emocionando e me apegando por cada um dos personagens. Uma coisa que é importante ressaltar é que, apesar da trama trazer o bullying e as consequências dele naqueles que passam por isso, o foco maior é em como a amizade criada pelos garotos os ajuda a superar tudo isso.
Cheio de reflexões e mostrando o valor de uma amizade verdadeira, esse livro entrou para a lista dos favoritos do ano. Foi uma leitura rápida, porém intensa e emocionante, que me fez sorrir e derramar algumas lágrimas (vocês sabem que sou chorona). É interessante perceber o quanto cada um deles amadurece no decorrer da trama e como Jessica conseguiu mudar suas vidas sem ao menos se dar conta disso.
Muito embora seja um livro mais juvenil, eu recomendo a leitura dele para pessoas de qualquer idade. Esse é aquele tipo de livro obrigatório,tanto para filhos, como para os pais. Uma história cativante, que diverte, emociona e nos faz refletir. Leiam, tenho certeza que será uma experiência maravilhosa. <3