segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Um Beijo à Meia-Noite

Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo. Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível. E irritante. A atração entre eles é imediata e fulminante, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo. Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo. Um beijo à meia-noite é um conto de fadas inspirado na história de Cinderela. Com um estilo que combina graça, encanto e sedução, Eloisa James escreve uma narrativa envolvente, com direito a fada madrinha e sapatinho de cristal.
Título: Um Beijo à Meia-Noite
Série: Contos de Fada #1
Autor (a): Eloisa James
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 320


Vai ter romance de época sim, senhoritas! Se não tivesse não seria eu, não é verdade? Pois bem, assim que terminei de ler Quando a Bela Domou a Fera, iniciei quase que imediatamente a leitura de Um Beijo à Meia-Noite. Quem leu minha resenha do livro anterior viu que eu adorei demais a história, fiquei toda derretidinha, apaixonada mesmo pela trama. Portanto, minhas expectativas por esse livro estava nas alturas. E não me decepcionei.
Quando a mãe de Kate morreu, ela ainda era uma criança. Muito embora a mãe tenha sempre vivido muito adoentada, ela jamais imaginaria que algo assim pudesse acontecer. O pai, sempre muito presente em sua vida, decidiu casar-se novamente, contudo a madrasta não era bem aquele doce de candura. Bastou o marido falecer para colocar Kate em uma posição abaixo da sua e tirando dela tudo aquilo que possuía. A garota, que sempre foi muito ativa e comunicativa, acabou tornando-se uma espécie de criada, sempre buscando formas de fazer com que as coisas funcionem bem na casa e com os arrendatários que vivem em suas terras.
Para sua sorte, é somente a madrasta que é má. Sua meio irmã, Victória, é uma pessoa extremamente doce e encantadora. Conhecida por conta de seu jeito peculiar de se ornar, ela encontra-se agora numa situação bem difícil. Por estar noiva do sobrinho do príncipe, ela seria apresentada ao mesmo em seu castelo. Contudo, devido a uma circunstância que deixou sua aparência um pouco fora do comum, Victoria pede para que Kate se passe por ela. Não é algo tão difícil, afinal de contas as duas tem mais ou menos a mesma altura e, munida dos vestidos e demais acessórios, poderia muito bem enganar as pessoas que estarão presentes no palácio. Ela precisaria apenas controlar suas maneiras, já que ambas são donas de personalidades bem diferentes.
Sem muita alternativa, ela aceita passar-se pela irmã e segue para o palácio, onde será firmado  o tão aguardado noivado do príncipe Gabriel com a princesa Tatiana, da Rússia. Kate sabe que lá encontrará muitas ladys e lordes e que precisa se comportar de forma adequada, assim como faria sua irmã. O que ela não esperava mesmo era que fosse se encantar pelo príncipe.
Gabriel precisa se casar se quiser manter o castelo, a família, os empregados e seus animais bem. Seus bens não são muitos e um casamento com uma mulher rica é tudo que ele precisa para manter as coisas em ordem. A escolhida para ser sua noiva é a princesa Tatiana, da Rússia. Os dois ainda não se conhecem, mas ele sabe que precisa fazer de tudo para firmar esse compromisso, visando o melhor para aqueles que o cercam. Ele deseja que Tatiana seja uma mulher atraente, óbvio, bela, de temperamento calmo e que não lhe traga mais dores de cabeça além das que já tem. Mas vê seus esforços caírem por terra ao conhecer Kate, que é até bela e atraente, mas que parece sempre está pronta para o embate. Será que ele conseguirá resistir a força dessa atração que vai brotar entre eles? Isso, só lendo pra saber.
Eu sempre gostei da história da Cinderela. Não é a minha preferida, mas sempre gostei daquele drama que rondava a pobre menina órfã, privada de tudo por sua madrasta malvada, tendo que aguentar todas as humilhações provocadas por ela e suas filhas. Até que um dia o jogo vira, a fada madrinha entra em cena pra dar um tapa no visual da mocinha e ela arrebata o coração do belo príncipe. Fofa, né? E triste também, portanto eu estava preparada pra chorar muito, pra abrir o berreiro e ficar toda melecada no final (eca). Mas a única vez que eu chorei, não foi de tristeza: foi de tanto rir. O que encontrei nesse livro foi uma história super leve e divertida, romântica sob medida e do tipo que faz a gente ficar rindo a toa.
Pra início de conversa, vou logo mandar a real: é uma história clichê, portanto não esperem uma trama inovadora porque não vão encontrar isso. Contudo, isso não quer dizer que é uma história ruim, muito pelo contrário! É uma das história mais legais que eu já li e me diverti horrores enquanto conhecia mais sobre os protagonistas e seus dramas pessoais.
Kate e Gabriel possuem uma química inegável e as cenas entre os dois são perfeitas. Muito embora eu tenha achado Gabriel um pouco arrogante e presunçoso, achei que as qualidades desse rapaz acabaram por se sobressair a esses pontos que não gostei. Seu senso de responsabilidade e o bom humor foram as características que mais me chamaram atenção nele. Não foi um mocinho pelo qual me apaixonei, mas num contexto geral, achei-o digno para a Kate.
E já que estamos falando dela, gente do céu, que menina mais amada! Forte, decidida, cheia de bom humor e com um coração bondoso, ela foi muito além do que eu imaginava. Eu juro que estava esperando uma mocinha sofrida, cheia de traumas, daquelas que a gente tem vontade de colocar no colo e proteger pra sempre. Kate é dona de uma personalidade forte, que sabe bem o que quer e que faz de tudo para ver aqueles, a quem julga serem sua responsabilidade, bem. 
A trama possui personagens secundários divertidíssimos, como Henri, madrinha de Kate. Mulher a frente do seu tempo, amorosa à sua maneira e dona de uma personalidade marcante, ela roubou a cena diversas vezes e acabou se tornando uma das minhas personagens preferidas. Nesse ponto é preciso ressaltar que Eloisa James sabe muito bem aproveitar suas subtramas e seus demais personagens, não os deixando esquecidos em um canto qualquer. Todos tem espaço na trama e isso é, para mim, algo louvável.
A leitura é ágil e o livro apresenta as mesmas características de seu antecessor: capítulos curtos, narrativa em terceira pessoa e aquela sensação gostosa de que a autora está batendo um papo conosco. Gostei muito da nova roupagem que a autora deu à história da Cinderela e, apesar de já saber como ela terminaria, não deixou de ser emocionante acompanhar.
Agora estou ansiosa pelo próximo livro dessa série que é puro amor. E vocês, já leram? Contem aqui pra mim o que acharam.



sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Ilustraverso/Clari Cabral

Todo mundo ama uma boa capa, um mapa bem feito e ilustrações apaixonantes, sejam elas em livros, grafic novels, guias ilustrados, para usar de papel de parede ou pelo simples prazer de admirar. Porém nem todo mundo costuma dar a valor a pessoa por trás da arte, mas por sorte aqui é diferente. Quem sabe você não descobre aqui a pessoa que vai ser responsável por aquele presente diferenciado ou para concluir/iniciar aquele projeto que está engavetado: uma HQ ou a capa e ilustrações de um bom livro.
Por essa razão criei no meu blog, o Multiverso X, a sessão Ilustraverso para o artista e sua arte terem vez e reconhecimento. Como o blog é pequeno e os artistas merecem sempre mais visibilidade resolvi trazer a sessão para cá e ver se funciona.
Na sessão Ilustraverso o artista e sua arte tem vez e reconhecimento. A artista da vez é uma ilustradora cujo o trabalho conheci durante a CCXP e seu traço é uma fofura só: conheçam o trabalho de Clarissa Cabral!
Clarissa Cabral é uma ilustradora de 23 anos, com base em Recife, Pernambuco. Formada em design, Clari ama livros infantis, dinossauros, aliens, coisas fofas e mistérios da humanidade.
Você pode conferir uma amostra de sua arte aí embaixo e as galerias da artista no Tumblr e/ou seguí-la no Twitter, Facebook, e/ou no Instagram. Aos interessados em um contato profissional para alguma encomenda, pode entrar em contato através da sua rede de preferência.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Arqueiro - Janeiro 2018

Oi pessoal!
O ano nem bem começou e a Editora Arqueiro já liberou seus lançamentos pra gente surtar e já colocar por terra aquela velha promessa de "não vou comprar mais livros". Vamos conferir o que vem por aí?
Com mais de 400 mil livros vendidos no Brasil, Abbi Glines é autora do best-seller Paixão Sem Limites e de diversos livros da lista de mais vendidos do The New York Times, do USA Today e do The Wall Street Journal.
Sadie White acabou de se mudar com a mãe grávida para a cidade litorânea de Sea Breeze, mas seu emprego de verão não vai ser na praia. Como a mãe dela se recusa a trabalhar, Sadie vai substituí-la como empregada doméstica numa mansão na ilha vizinha.
Quando os donos da casa chegam para as férias, Sadie se depara com ninguém menos que Jax Stone, um dos roqueiros mais desejados do mundo. Se Sadie fosse uma garota normal – se ela não tivesse passado a vida cuidando da mãe e dos afazeres domésticos –, talvez estivesse impressionada com a ideia de trabalhar para um astro do rock. Mas ela não está.
Na verdade, é Jax quem fica atraído por ela. Tudo a respeito de Sadie o fascina, mas ele luta contra esse desejo: relacionamentos nunca funcionam em seu mundo e, por mais que ele queira Sadie, sabe que ela merece algo melhor. Conforme o verão passa, no entanto, essa paixão começa a deixá-lo sem fôlego – e é como se Sadie fosse a única pessoa capaz de lhe devolver o oxigênio.
Será que o amor entre os dois pode superar as diferenças em seus estilos de vida? Jax e Sadie vão precisar respirar fundo e mergulhar nessa relação para descobrir.
Considerada "a rainha dos romances de época" pela Goodreads, Júlia Quinn já atingiu a marca de 10 milhões de livros vendidos.
Mais Lindo Que a Lua, primeiro livro primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre sobre reencontro e desafios, romantismo e perseverança.
Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.
Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?
Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas?
Em A Coroa da Vingança, terceira e última aventura da série Deuses do Egito, Colleen Houck nos presenteia com um desfecho tão surpreendente e inspirador quanto o elaborado universo mitológico que criou.
Meses após sua pacata vida como herdeira milionária sofrer uma reviravolta e ela embarcar numa vertiginosa jornada pelo Egito, Liliana Young está praticamente de volta à estaca zero.
Suas lembranças das aventuras egípcias e, especialmente, de Amon, o príncipe do sol, foram apagadas, e só resta a Lily atribuir os vestígios de estranhos acontecimentos a um sonho exótico. A não ser por um detalhe: duas estranhas vozes em sua mente, que pertencem a uma leoa e uma fada, a convencem de que ela não é mais a mesma e que seu corpo está se preparando para se transformar em outro ser.
Enquanto tenta dar sentido a tudo isso, Lily descobre que as forças do mal almejam destruir muito mais que sua sanidade mental – o que está em jogo é o futuro da humanidade.
Seth, o obscuro deus do caos, está prestes a se libertar da prisão onde se encontra confinado há milhares de anos, decidido a destruir o mundo e todos os deuses. Para enfrentá-lo de uma vez por todas, Lily se une a Amon e seus dois irmãos nesta terceira e última aventura da série Deuses do Egito.
Um amor proibido, uma traição terrível, uma agressão selvagem. Um romance de força impressionante, que nos faz mergulhar nas contradições do Mississippi pós-Segunda Guerra Mundial.
Ao descobrir que o marido, Henry, acaba de comprar uma fazenda de algodão no Sul dos Estados Unidos, Laura McAllan, uma típica mulher da cidade, compreende que nunca mais será feliz. Apesar disso, ela se esforça para criar as filhas num lugar inóspito, sob os olhos vigilantes e cruéis de seu sogro.
Enquanto os McAllans lutam para fazer prosperar uma terra infértil, dois bravos e condecorados soldados retornam do front e alteram para sempre a dinâmica não só da fazenda, mas da própria cidade. Jamie, o jovem e sedutor irmão de Henry, faz Laura de repente renascer para a vida, enquanto Ronsel, filho dos arrendatários negros que trabalham para Henry, demonstra uma altivez que não será aceita facilmente pelos brancos da região.
De fato, quando os jovens ex-combatentes se tornam amigos, sua improvável relação desperta sentimentos violentos nos habitantes e uma nova e impiedosa batalha tem início na vida de todos.
Alternando a narrativa entre vários pontos de vista, este premiado romance oferece ao leitor diferentes versões dos acontecimentos. Os personagens, lutando por sentimentos de amor e honra num lugar e época brutais, se veem dentro de uma tragédia de enormes proporções e encontram redenção onde menos esperam.
Uma princesa de Marte e As crônicas marcianas, dos mestres Edgar Rice Burroughs e Ray Bradbury, foram clássicos que influenciaram a imaginação de milhões de leitores e mostraram que aventuras espaciais não precisavam se passar numa galáxia distante, a anos-luz da Terra, para serem emocionantes. Elas poderiam ser travadas logo ali, no planeta vizinho.
Antes mesmo do programa Mariner e da corrida espacial, a imaginação povoava nosso sistema solar com seres estranhos e civilizações ancestrais, nem sempre dispostos a fazer contato amigável com a Terra. E nesse período, de todos os planetas que orbitavam o nosso Sol, nenhum tinha uma aura de maior romantismo, mistério e aventura do que Marte.
Com contos escolhidos e editados por George R. R. Martin e Gardner Dozois, As crônicas de Marte retoma esse sentimento ao celebrar a Era de Ouro da ficção científica, um período recheado de histórias sobre colonizações interplanetárias e conflitos antigos.
Para essa missão, autores consagrados como Michael Moorcock, Mike Resnick, Joe R. Lansdale, S. M. Stirling, Mary Rosenblum, Ian McDonald, Liz Williams e James S. A. Corey foram convidados a regressar ao misterioso planeta vermelho, aqui representado como um destino exótico, com canais ancestrais, desertos, cidades em ruínas, civilizações impressionantes... e, é lógico, perigos inimagináveis.
Enfim, o bom e velho Marte está de volta
Apenas meia guerra é travada com espadas.
A outra metade é travada com palavras.
A princesa Skara vê todos os que ama morrerem na sua frente e o seu palácio ser consumido pelas chamas. Tudo o que lhe resta são palavras... Mas palavras podem ser tão letais quanto armas. Disposta a se vingar, ela enfrenta seus medos e aguça a inteligência, indo atrás de pai Yarvi.
O ministro de Gettland já percorreu um longo caminho desde a escravidão, fazendo aliados entre antigos rivais e estabelecendo uma paz instável. Porém, agora, a cruel avó Wexen arregimenta o maior exército desde que os elfos guerrearam contra a Divindade Única e põe Yilling, o Brilhante, como seu comandante – um homem que venera apenas a Morte.
Skara pode ser a peça que faltava para forjar de vez a aliança entre Gettland e Vansterland, alicerçada na fortaleza de seus antepassados, pronta a enfrentar a fúria do Rei Supremo. Nessa guerra, ela contará com o apoio de uma ministra inexperiente, mas leal, e de um matador imprudente que espera superar fantasmas de antigos conflitos sangrentos.
Neste último episódio da série Mar Despedaçado, finalista do British Fantasy Awards, Skara e Yarvi lideram a grande e aguardada batalha rumo a um desfecho inimaginável.
Eden Jones tem 17 anos e o futuro todo planejado. Com o apoio dos pais amorosos, do irmão gêmeo que a entende como ninguém e de Lucille, a melhor amiga de todas, sonha em estudar em Nova York e se tornar uma grande bailarina. Então seu mundinho perfeito começa a desmoronar... Além de não se sair bem no primeiro teste para um balé importante, fica sem chão quando Lucille e seu irmão escondem dela que estão namorando. Mas o destino achou que isso não era o bastante. Eden passa por uma incrível experiência de quase morte, porém volta com muitas perguntas e não consegue retomar a vida. As alucinações com flores negras e com a garota em coma na mesma ala do hospital onde esteve internada a levam a Joe, e só aí ela entende que não ter o controle das coisas pode ser libertador.




Gostaram? Eu estou empolgada pelo livro da Julia Quinn e da maravilhosa Abbi Glines! Quem acompanha esse blog ou o instagram sabe que eu amo, amo, amo infinitamente Rosemary Beach e a Abbi Glines. Estou aqui me tremendo toda de ansiedade, não vejo a hora de ter essa belezinha em mãos.
Agora conta pra gente quais vocês fazem questão de ter na estante.
    Beijos

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Quando a Bela Domou a Fera





Eleito um dos dez melhores romances de 2011 pelo Library Journal, "Quando a Bela domou a Fera" é uma releitura de um dos contos de fadas mais adorados de todos os tempos.
Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.
Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.
No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?
Título: Quando a Bela Domou a Fera
Série: Contos de Fada #1
Autor (a): Eloisa James
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 320


Se tinha um romance de época que eu estava doida pra ler desde o lançamento era Quando a Bela Domou a Fera. Muito bem comentado e com uma proposta interessante de releitura de um conto de fadas. E eis que agora tive a oportunidade de conhecer essa história e acabei me surpreendendo já que ela se mostrou ainda melhor do que eu esperava.
Quando a senhorita Linnet Berry Thrynne se rendeu aos beijos do belo príncipe Augustus, imaginou que os dois fossem firmar um compromisso. Ele, um excelente bom partido, sempre estava a lhe rodear, fazendo juras de amor e fazendo com que ela se sentisse uma privilegiada em ter toda essa atenção. Contudo, as coisas saíram bem diferentes do que imaginava. O jovem rapaz a "despachou" em um baile, frente a tantas pessoas. O motivo? Bom, por ser um príncipe, deveria se casar com alguém à sua altura e que seu pai aprovasse. E, certamente, ele não aprovava nossa mocinha, que era filha de um visconde.
Ainda com o coração partido, ela precisou lidar com os risos disfarçados e olhares de compaixão daqueles que presenciaram a cena. E, como se não bastasse, essa vergonha, ainda precisará lidar com os boatos de que está grávida do príncipe. Com a reputação na lama e temendo que a filha não consiga mais um bom partido para casar, seu pai e sua tia decidem levar adiante a farsa da gravidez e ofertar a mão de Linnet ao conde de Marchant, Piers Yelverton. O pai do conde sempre foi um aficionado pela família real e, com toda certeza, aceitaria de bom grado que sua futura nora carregasse em seu ventre o filho de um príncipe.
O nosso conde bonitão é um homem bem peculiar, que vive em um castelo e trabalha como médico. Seu jeito franco e por vezes grosseiro pode até intimidar a maioria das pessoas, mas Linnet não é qualquer pessoa e, apesar de não querer casar-se com ele, não vai deixar com que a dispense assim, do nada. Piers não é o tipo de homem fácil de lidar e, por conta de uma fratura na perna que o obriga a usar uma bengala, não se deixa mais levar pelos encantos das mulheres. Mas será que ele ficará imune ao charme de nossa mocinha?
Eu nunca ri tanto em um romance de época como nesse livro! Se tem algo que eu aprecio nessa vida é uma trama divertida, com personagens sagazes, que despertem em mim aquela vontade de os conhecer mais a fundo. E Quando a Bela Domou a Fera trouxe tudo isso e muito mais. Com uma trama que mesclou momentos divertidos, românticos e um certo drama, ela me ganhou logo de imediato e manteve minha atenção até a última frase.
Os protagonistas são um show a parte e eu não sei dizer de qual dos dois eu gostei mais. Linnet e Piers são duas criaturas fáceis de cativar e, apesar de terem personalidades bem distantes, são aquele típico caso de química perfeita. Ela é uma mocinha muito bela, capaz de deixar qualquer homem aos seus pés e de conseguir o que desejar usando apenas o sorriso, uma de suas armas mais fortes. Contudo, ela carrega dentro de si uma mágoa que só mesmo o tempo vai poder curar.
Com Piers as coisas não são muito diferentes. Embora o que fique mais evidente seja seu gênio forte e o jeito grosseiro de lidar com as pessoas ao seu redor, nosso mocinho também carrega profundas mágoas que não está disposto a deixar para trás. Sua história é forte e me tocou bastante quando fiquei conhecendo-a mais a fundo. Apesar de ter me conquistado por conta da personalidade marcante e dos embates com Linnet, Piers era na maioria do tempo uma grande incógnita. Queria saber o por quê dele estar sempre na defensiva e o que aconteceu com sua perna que o levava a andar co tanta dificuldade. E, quando tudo veio à tona, eu me vi conquistada por completo!
O livro não se prende apenas ao romance. Apesar dele ser o foco da história, existem subtramas paralelas que vão trazer momentos bem emocionantes. Foi muito bom poder acompanhar a evolução no relacionamento entre Piers e seu pai, bem como o dele com Linnet. E é ainda melhor perceber o quanto os personagens amadurecem ao longo da trama. Os diálogos entre os personagens são inteligentes e, as vezes, bem ácidos, mas sempre sem perder o bom humor.
Os capítulos curtos fazem com que a leitura se torne ainda mais ágil e a narrativa da Eloisa James é incrível. Ela escreve de forma leve, como se estivesse batendo um papo com o leitor e me senti totalmente inserida na história. Existem muitos clichês na trama e, embora eu seja uma pessoa que os aprecia, acho que em demasia eles acabam cansando. Embora a autora tenha usado bem os clichês, mesclando com situações adversas e divertidas, achei que as últimas 50 páginas foram um pouco previsíveis demais. Não tirou o brilho da trama, mas achei que ela poderia ter saído do trivial e apostado em algo diferente.
Quando a Bela Domou a Fera é um excelente início de série e estou bem ansiosa para o que está por vim. O livro traz uma mensagem muito bonita sobre perdão e superação, o que acaba sendo inspirador já que retrata de uma forma muito bonita o quanto as duas atitudes fazem bem para o ser humano e o quanto podem ser libertadoras. É, sem dúvida, uma história feita para arrebatar aqueles corações sonhadores. E, se você ainda não leu nenhum romance de época e não sabe por onde começar, eis aqui uma bela dica. Leiam e depois venham me contar o que achou.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Deixada Para Trás

Nicole Cutty e Megan McDonald são alunas do ensino médio na pequena cidade de Emerson Bay, Carolina do Norte. Quando elas desaparecem de uma festa na praia em uma noite quente de verão, a polícia inicia uma busca maciça. Nenhuma pista é encontrada e a esperança é quase perdida, até Megan milagrosamente aparecer depois de escapar de um bunker no fundo da floresta.
Um ano depois, o best-seller de sua provação transformou Megan de heróina local para celebridade nacional. É uma história triunfante e inspiradora, exceto por um detalhe inconveniente: Nicole ainda está desaparecida.
A irmã mais velha de Nicole, Livia, é uma perita forense e espera que em um breve dia o corpo de Nicole seja encontrado e entregue a alguém como ela para analisar as provas e finalmente determinar o destino que sua irmã teve. Em vez disso, a primeira pista para o desaparecimento de Nicole vem de outro corpo que aparece no necrotério, de um jovem ligado ao passado de Nicole. Livia vai até Megan para pedir ajuda, esperando descobrir mais sobre a noite em que as duas foram levadas. Outras meninas também desapareceram e Livia está cada vez mais certa de que os casos estão conectados.
Mas Megan sabe mais do que ela revelou em seu livro best-seller. Flashes de memória estão se juntando, apontando para algo mais escuro e mais monstruoso do que sua memória descreve. E quanto mais ela e Livia cavam, mais elas percebem que às vezes o verdadeiro terror está em encontrar exatamente o que você está procurando.
Título: Deixada Para Trás
Autor (a): Charles Donlea
Editora: Faro Editorial
Número de páginas: 368


Vocês já repararam que, depois dos romances de época, os thrillers tão tomando conta desse blog? Já contei uma vez por aqui que eu sou super fã desse gênero e adoro me sentir desafiada a descobrir junto com os personagens qual o grande mistério daquela trama. Claro que, na maioria das vezes, falho nas minhas investigações (ainda preciso comer muito arroz com feijão pra chegar num alto patamar na hierarquia dos detetives), mas uma coisa muito série tem acontecido com frequência e isso não é legal. gente, eu tô fazendo papel de trouxa real com esses livros! Eu miro no culpado e acerto bem longe, sabem? E com deixada para Trás, que eu jurava que sabia o que estava acontecendo, não foi diferente.
Embora estudem na mesma escola e sejam da mesma série, Megan e Nicole estão longe de ser amigas. Enquanto Megan é toda certinha, focada nos estudos, projetos e na faculdade que irá cursar no próximo semestre. Já Nicole descobriu sua sensualidade e está usando e abusando dela, o que faz com que até mesmo suas melhores amigas achem seu comportamento um pouco estranho principalmente por ela agora guardar vários segredos que não divide de jeito algum. Até mesmo o "namorado mais velho"  ela não apresentou a ninguém e sempre que tocavam no assunto, ela era rasa nas informações, demonstrando que não tinha nenhuma intenção em falar mais do que o necessário.
Um dia, em uma festa na praia, Megan e Nicole desaparecem ou, mais precisamente, são sequestradas. Não se sabe o motivo ou onde aconteceu, o fato é que ambas somem sem deixar rastros. Três dias depois, porém, Megan é encontrada. Ela conseguiu fugir do cativeiro e pediu ajuda a um motorista na estrada. Nicole, porém, não foi mais vista e seu desaparecimento continua um grande mistério.
Um ano se passa, Megan escreveu um livro a respeito de tudo que passou e é mundialmente conhecida. Contudo, ainda não conseguiu esquecer tudo que viveu e são muitas as dúvidas que permeiam sua cabeça. O sequestro de Megan não foi um fato isolado, mas ela foi a única que conseguiu sair com vida desse sequestro.
Em paralelo a história de Megan conhecemos Livia, irmã mais velha de Nicole, e perita forense, uma mulher obstinada, inteligente e que está disposta a tudo para encontrar a irmã. Com a descoberta de um corpo, e com isso vindo a tona uma nova pista, Livia se junta a Megan para que possam tentar resolver esse mistério e encontrar Nicole, seja viva ou morta.
Se tem uma coisa que me instiga em um thriller é aquela trama mais elaborada, que utiliza bem os clichês e cria uma atmosfera eletrizante. E foi justamente isso o que mais me agradou em Deixada Pra Trás. A história, dividida em presente e passado, conseguiu me deixar focada na leitura, descobrindo novas pistas e desvendando esse grande mistério junto dos personagens.
O grande mistério, que inicialmente trata-se do sumiço de Nicole, vai ganhando ares diferentes a medida que a trama avança e novos fatos vão sendo trazidos à tona. É um verdadeiro emaranhado de coisas que vão se desenrolando e eu, que sou a pessoa que adora tecer uma teoria da conspiração, me vi suspeitando até da minha sombra. E no final, óbvio, assinei meu atestado de trouxa porque as coisas que metade das coisas que eu imaginei não aconteceram. E a outra metade era tão improvável que achei melhor nem comentar.
Os personagens são bem interessantes, mas achei que faltou um pouco mais de carisma por parte das garotas, principalmente de Megan. Me envolvi no drama de ambas, fui solidária, mas não consegui sentir aquela velha e boa conexão que sempre falo com vocês nas resenhas. Faltou um algo mais, um "borogodó" nessas meninas para que pudessem me conquistar. Na minha opinião mocinha de livro policial tem que ser firme, tem que ter carisma e fazer com que o leitor sinta aquela "paixão" e isso não aconteceu comigo.
Um ponto maravilhoso que preciso ressaltar é a respeito da mescla dos capítulos. Já falei a vocês que eles são divididos em passado e presente, mas o que não contei é que os capítulos onde são narrados os fatos mais antigos possuem páginas mais escuras, uma forma muito legal de fazer a separação. Além disso, a edição está muito bonita, cheia de detalhes que com certeza vão agradar totalmente os leitores mais exigentes.
De uma maneira geral, Deixada Para Trás foi um livro que mexeu comigo, que me deixou aflita e me fez querer ler sem parar para poder descobrir o que estava por trás de tudo aquilo. É, sem dúvida alguma, um thriller eletrizante, que entrou para a galeria dos melhores de 2017. É uma leitura envolvente que vai você vibrar e só largar o livro depois de desvendar esse grande mistério.