terça-feira, 20 de junho de 2017

Faro - Junho 2016


Chegou o dia de falar sobre os lançamentos dos nossos parceiros mais recentes: o pessoal da Faro Editorial! São dois títulos bem distintos, mas um deles pode acabar caindo no seu gosto. Vamos conferir?
QUANDO A MORTE É APENAS O COMEÇO PARA ALGO ASSUSTADOR
“Cada página é como um golpe cruel de chicote. E sai muito sangue!”
RAPHAEL MONTES — Autor de Dias Perfeitos e Jantar Secreto Secreto
Durante a cruel época escravocrata do Brasil Colônia, histórias aterrorizantes baseadas em crenças africanas e portuguesas deram origem a algumas das lendas mais populares de nosso folclore.
Com o passar dos séculos, o horror de mitos assustadores foi sendo substituído por versões mais brandas. Em O Escravo de Capela, uma de nossas fábulas foi recriada desde a origem. Partindo de registros históricos para reconstruir sua mitologia de forma adulta, o autor criou uma narrativa tenebrosa de vingança com elementos mais reais e perversos.
Aqui, o capuz avermelhado, sua marca mais conhecida, é deixado de lado para que o rosto de um escravo-cadáver seja encoberto pelo sudário ensanguentado de sua morte.
Uma obra para reencontrar o medo perdido da lenda original e ver ressurgir um mito nacional de forma mais assustadora, em uma trama mórbida repleta de surpresas e reviravoltas.
“A maioria dos homens não entendem as mulheres.”
Spencer Holiday sabe disso. E ele também sabe do que as mulheres gostam.
E não pense você que se trata só de mais um playboy conquistador. Tá, ok, ele é um playboy conquistador, mas ele não sacaneia as mulheres, apenas dá aquilo que elas querem, sem mentiras, sem criar falsas expectativas. “A vida é assim, sempre como uma troca, certo?”
Quer dizer, a vida ERA assim.
Agora que seu pai está envolvido na venda multimilionária dos negócios da família, ele tem de mudar. Spencer precisa largar sua vida de playboy e mulherengo e parecer um empresário de sucesso, recatado, de boa família, sem um passado – ou um presente – comprometedor… pelo menos durante esse processo.
Tentando agradar o futuro comprador da rede de joalherias da família, o antiquado sr. Offerman, ele fala demais e acaba se envolvendo numa confusão. E agora a sua sócia terá que fingir ser sua noiva, até que esse contrato seja assinado. O problema é que ele nunca olhou para Charlotte dessa maneira – e talvez por isso eles sejam os melhores amigos e sócios. Nunca tinha olhado… até agora.
Eu vou dar uma conferida nesta aterradora versão do Saci Pererê e logo volto a trazer informações para vocês. Mas, e aí, qual desses despertou seu interesse? Conta pra gente!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Dois a Dois

Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos.
Em questão de meses, Russ perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.
Lançando-se nesse universo desconhecido, Russ embarca com London numa jornada ao mesmo tempo assustadora e gratificante, que testará suas habilidades e seu equilíbrio emocional além do que ele poderia ter imaginado.Em Dois a dois, Nicholas Sparks conta a história de um homem que precisa se redescobrir e buscar qualidades que nem desconfiava possuir para lutar pelo que é mais importante na vida: aqueles que amamos.
Título: Dois a Dois
Autor (a): Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 512


Se tem um autor que eu amo demais é o Nicholas Sparks. Já sorri, chorei e passei raiva lendo seus livros. Já gritei: "Eu nunca mais leio nada desse homem", mas basta surgir uma oportunidade que estou com um livro dele embaixo do nariz, lendo avidamente. Quando Dois a Dois chegou me senti intimidada, afinal temos aqui um tijolinho de 500 páginas. Mas bastou começar a ler para me render à história e me apaixonar perdidamente.
Russ é o tipo de homem que podemos classificar como bem sucedido. Casou-se com uma bela mulher, a quem ama incondicionalmente, tem uma bela casa, é talentoso no que faz e tem um bom emprego. Sua vida é totalmente estruturada, portanto quando sua esposa engravida e decide parar de trabalhar para poder cuidar da criança, ele concorda já que com seu salário poderia manter tudo em ordem. Contudo, as coisas começam a desandar.
Primeiro é no trabalho. Ele, que sempre foi uma espécie de menino de ouro, começa a cair no conceito do chefe por motivo algum. Russ sente que a demissão é só questão de tempo e quando ela finalmente acontece, ele precisa frear um pouco os gastos até fazer sua empresa deslanchar. seria algo simples se ele tivesse uma esposa mais compreensiva e centrada, coisa que Vivian não é. E aí começa a segunda parte: a crise no casamento.
Na verdade, o casamento ali já não era algo que vinha funcionando muito bem, mas ele é aquele tipo de homem que parece não ver o que está embaixo do seu nariz.Vivian é uma mulher acostumada a ter tudo que quiser nas mãos. Quando Russ propõe que eles pisem o pé no freio e passem a gastar menos ela se ofende, como se ele estivesse pedindo a coisa mais absurda possível. Começam então as desavenças, as mudanças de humor e acusações, que fazem com que esse casamento, que já nasceu fadado pra dar errado, comece aos poucos a ruir. 
Em meio a falta de trabalho e, fatalmente, de dinheiro, Vivian decide voltar a trabalhar e Russ, que sempre teve pouco contato com a filhinha, London, se vê agora fazendo todas as atividades que nunca pensara em exercer. Ele cuida da casa, leva London para todas as suas atividades e com isso acabam ficando bem mais próximos, criando assim um laço de amor e amizade ainda mais sólido. E quando o mundo desaba em suas costas, é nesse amor que ele se apoia para seguir em frente e se reerguer.

Eu já sabia que iria encontrar uma história emocionante, afinal de contas estamos falando de Nicholas Sparks, mas logo quando comecei a ler só um sentimento tomava conta de mim: raiva! Eu queria dar na cara do Russel, essa é a verdade! Cego por essa paixão louca que tinha pela Vivian, ele não conseguia enxergar a víbora que tinha em casa, fazia vista grossa para as birras dela e sempre acabava cedendo. Ela fazia e acontecia com ele, colocava todas as suas frustrações em cima dele, o culpava de tudo e, pra piorar, fazia joguinhos usando a própria filha. 
O caso é que Russ era emocionalmente frágil e sempre quis agradar os outros. Mesmo percebendo as pisadas de bola da esposa ou sendo acusado de fazer algo que não fez, ele internalizava tudo para não entrar em conflito e acabar chateando-a. E nesse ponto eu preciso dizer: não gostei do Russ de imediato. E como é que eu iria gostar de alguém que, aparentemente, não tinha iniciativa para nada? Não conseguia ver nele nenhum tipo de simpatia, carisma ou força de vontade. Tudo que enxergava era um homem apático e submisso, disposto a ser capacho de tudo e todos só para ver a esposa feliz. E não pensem vocês que ele, cansado de ser trouxa, ergueu a cabeça e saiu por aí cantando "um belo dia resolvi mudar" e tudo se transformou. Na-na-ni-na-não! Ele continuou a ser o mesmo homem que foi, só que mais amadurecido, ciente do que queria para si e emocionalmente mais estável. Ele me ganhou por não ter mudado sua essência apesar de ter amadurecido. Em muitos dos livros que leio o mocinho (ou a mocinha) cresce, amadurece, cansa de apanhar da vida e muda, as vezes de uma forma que a gente nem mesmo entende. Já ele mudou, mas continuou a buscar meios de agradar quem amava, só que sem deixar de lado o seu bem estar e seu querer.
Muitas vezes eu me peguei pensando nos muitos relacionamentos entre os Russel e Vivian da vida. E uma das grandes sacadas do autor foi trazer uma trama real, que pode acontecer com qualquer pessoa. Não existem vilões e bonzinhos. Até mesmo Vivian, com todo seu jeito megera de ser, acabou mostrando um outro lado seu, algo mais humano e caloroso. Ela encontrou sua felicidade, seguiu o caminho que lhe convinha e foi atrás de tudo que achava merecer. Errou, tropeçou (até demais pro meu gosto), mas enxergou as besteiras que fez e conseguiu se redimir, pelo menos em partes. Não foi uma personagem que eu tenha gostado, mas com certeza ela me fez refletir muito com suas atitudes.
No decorrer da leitura somos apresentados a outros personagens que acabam tendo sua importância na história. Apesar de termos aqui um foco na vida do casal, existe uma trama paralela que vai se desenvolvendo aos poucos e que acaba por ser responsável pelas cenas mais tocantes de todo livro. Não falei nada a respeito para não estragar a surpresa, mas peço para que prepare o coração porque as emoções são bem fortes.
Dois a Dois acabou se tornando, junto com Diário de uma Paião, meu livro preferido do autor. Foram 512 páginas que me proporcionaram sensações indescritíveis. A leitura é muito rápida e a história é muito envolvente. Achava que iria demorar muito tempo, mas me surpreendi com a agilidade, as páginas praticamente voavam e a cada novo avançar da trama eu queria mais e mais. Terminei a leitura arrasada, no chão, chorando e gritando "Nunca mais eu leio nada desse homem porque ele acaba comigo!". Promessa falsa, que faço todas as vezes que leio um de seus livros maravilhosos.
Se você, assim como eu, é fã do Nicholas Sparks, não pode deixar de ler esse livro. Uma história marcante, que toca no fundo do coração e aquece a alma. Uma das histórias mais lindas que o autor já escreveu! ❤



sexta-feira, 16 de junho de 2017

Codinome Lady V


Cansada de rejeitar pretendentes interessados apenas em seu dote escandalosamente vultoso, Minerva Dodger decide que é melhor ser uma solteirona do que se tornar a esposa de alguém que só quer seu dinheiro. No entanto, ela não está disposta a morrer sem conhecer os prazeres de uma noite de núpcias e, assim, decide ir ao Clube Nightingale, um misterioso lugar que permite que as mulheres tenham um amante sem manchar sua reputação.
Protegida por uma máscara e pelo codinome Lady V, Minerva mal consegue acreditar que despertou o desejo de um dos mais cobiçados cavalheiros da sociedade londrina, o Duque de Ashebury. E acredita menos ainda quando ele começa a cortejá-la fora do clube. Por mais que ele seja tudo o que ela sempre sonhou, Minerva não pode correr o risco de ele descobrir sua identidade, e não vai tolerar outro caçador de fortunas.
Depois de uma noite de amor com Lady V, Ashe não consegue tirar da cabeça aquela mulher de máscara branca, belas pernas e língua afiada. Mesmo sem saber quem ela é, o duque nunca tinha ficado tão fascinado por nenhuma outra mulher antes.Mas agora, à beira da falência, ele precisa arranjar muito dinheiro, e rápido. Sua única saída é se casar com alguma jovem que tenha um belo dote, e sua aposta mais certeira é a Srta. Dodger, a megera solteirona que tem fama de espantar todos os seus pretendentes.
Titulo: Codinome Lady V
Autor (a): Lorraine Heath
Editora: Gutenberg
Número de páginas: 256


Desde o ano passado participo de um grupo no whatsapp com algumas meninas incríveis que conheci por conta do instagram (já me segue por lá? Se não, clica aqui e vamos mudar isso). Nesse grupo fazemos leituras temáticas e a do mês de maio teve como tema romances de época ou clássicos. A minha escolha foi Codinome Lady V, livro super bem comentado, que encantou vários leitores e do qual só li coisas boas. Como não ficar curiosa? 
Nesse livro vamos conhecer Minerva, uma dama muito distinta que já está quase ganhando o título de solteirona. Apesar de já ter recebido algumas propostas de casamento, nenhuma encheu seus olhos ou alegrou seu coração já que foram provenientes de homens que não nutriam nenhum tipo de sentimento por ela e estavam de olho apenas no gordo dote que seu pai disponibilizara. O que acontece é que, além de não ser uma beldade, ela é uma mulher de personalidade forte, inteligente e decidida, muito diferente das damas da época, o que faz com que os homens simplesmente a considerem uma péssima escolha. Todas as propostas de casamento que recebera foram por interesse e tudo que ela deseja é casar-se com alguém que a aceite e ame como é.
Cansada de esperar as coisas acontecerem e querendo viver uma aventura, Minerva decide ir a um clube secreto, onde homens e mulheres se encontram com seus amantes ou simplesmente encontram parceiros para colocar em prática seus desejos. Como as mulheres frequentadoras do clube usam máscaras, ela tem a certeza de que não será reconhecida, evitando assim um escândalo envolvendo sua família. E é lá que reencontra Ashe, o Duque de Ashebury, famoso por ser um arruaceiro e, também, por ser um dos cavalheiros mais cobiçados da sociedade. 
Quando ainda era criança, o duque perdeu os pais num acidente de trem e foi criado, juntamente com seus outros amigos que passaram pela mesma fatalidade, por um homem que estava devastado pela perda de seu grande amor. O garoto cresceu ciente de que o amor era algo que fazia sofrer e, decidido a nunca se apaixonar, ela leva a vida a seduzir as mais belas mulheres, com as quais ele se envolve apenas por uma noite. Essa é sua regra. Mas tudo cai por terra quando ele se depara com Minerva, envolta com sua máscara, no clube Nightingale. 
A atração é simultânea e Ashe fica louco pela misteriosa Lady V. Contudo, nada acontece entre eles além de um beijo e ele, que nunca antes se viu tão atraído por uma mulher, começa sua busca pela misteriosa figura que habita seus pensamentos.

Se você acompanha o blog com uma certa freqüência, sabe que sou apaixonada por romances de época e sempre estou lendo algum. E esse entrou para a galeria dos queridinhos! A história é divertida, romântica, com personagens que cativam de imediato e com uma trama que, embora seja clichê, prende o leitor do inicio ao fim. Não é o tipo de livro que te surpreende ou que traz uma proposta inovadora. É muito fácil deduzir o que vai acontecer e alguns pontos são tão explorados em tramas do tipo que não são mais novidade para ninguém. Contudo, a história me fisgou e me manteve focada do início ao fim.
A escrita da Lorraine é atual e simples, ela não perde tempo com longas descrições e é direta ao ponto. Só isso já bastou para me ganhar de imediato! E com o passar das páginas minha simpatia por ela só aumentou, já que além de uma trama gostosa, ela trouxe também personagens que me cativaram.
Minerva me agradou nas primeiras aparições. Forte e decidida,ela rouba a cena com suas frases de efeito e o jeito franco de falar e agir. O que percebemos é que tudo que ela é, foi fruto da criação dada por seus pais. Eles não cobravam casamento, a estimularam desde criança a ter suas próprias ideia s e opiniões, e aceitavam a filha do jeito que ela era, cientes que a felicidade dela vinha a frente de tudo. 
Ashe é o típico mocinho dos romances que costumamos acompanhar e amar! Apesar de sempre aparentar uma calma sem igual e um jeito descontraído de levar a vida, sempre em busca de novas aventuras, ele também carrega uma enorme culpa pela morte de seus pais. É um daqueles mocinhos que causam estragos nos corações sonhadores e apaixonados.
Foi meu primeiro contato com a escrita da Lorraine e gostei demais do que encontrei. Agora resta aguardar os próximos livros, que contam a história dos amigos de Ashe. Estou bem curiosa, já que em Codinome Lady V conhecemos os rapazes e um pouco de suas vidas. Impossível não ficar curiosa para acompanhar tudo que vem por aí. ❤


terça-feira, 13 de junho de 2017

As Tumbas de Atuan




Quando Tenar é escolhida como suma sacerdotisa, tudo lhe é tirado: casa, família e até o nome. Com apenas 6 anos, ela passa a se chamar Arha e se torna guardiã das tenebrosas Tumbas de Atuan, um lugar sagrado para a obscura seita dos Inominados.
Já adolescente, quando está aprendendo os caminhos do labirinto subterrâneo que é seu domínio, ela se depara com Ged, um mago que veio roubar um dos maiores tesouros das Tumbas: o Anel de Erreth-Akbe.
Um homem que traz a luz para aquele local de eternas trevas, ele é um herege que não tem direito a misericórdia.
Porém, sua magia e sua simplicidade começam a abrir os olhos de Arha para uma realidade que ela nunca fora levada a perceber e agora lhe resta decidir que fim terá seu prisioneiro.
Finalista da Newbery Medal, que premia os melhores livros jovens de cada ano, As Tumbas de Atuan dá continuidade ao elogiado Ciclo Terramar com uma singela história que rompeu com os paradigmas de heroína quando foi lançada.

Título: As Tumbas de Atuan
Série: Ciclo Terramar - Livro 2
Autor (a): Ursula K. Le Guin
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 160

SKOOB - COMPARE E COMPRE - LOJA RECOMENDADA

Os extras trazidos ao fim das edições de Ciclo Terramar produzidos pela Editora Arqueiro são tão importantes para leitura das obras quanto o conteúdo em si. Não por trazerem glossários e informações sobre cenário e afins, mas por trazer a visão da autora sobre a criação daquela obra. No volume anterior, Ursula K. Le Guin nos contra sobre o desafio de trazer o jovem, o heróis falho, para aquela habitual visão de magos sempre experientes e poderosos, e assim nos contou a história de Gavião. Aqui, Ursula nos conta sobre como nunca teve a intensão se escrever uma série, prática hoje muito comum, mas como sentiu necessidade de voltar a Terramar e falar sobre os tais feitos realizados por Ged, citados na última página do volume anterior. Um desses feitos é justamente a visita à As Tumbas de Atuan.
As Tumbas de Atuan narra a história de uma das aventuras do mais poderoso conjurador de todos os tempos, o homem conhecido pela alcunha de Gavião. Mas se engana se acredita que a história é protagonizada por ele. a trama pertence a Arha.
No oeste de Terramar, afastadas do Arquipélago, estão As Terras de Kargard. vive a jovem Arha, a Devorada, Rei-Deus de Awabath, Sumo Sacerdotisa dos Inominados. Todos esses títulos e importância lhes foram dados ao ser designada como reencarnação da grande Sacerdotisa: a partir dali, tudo fora tirado - casa, família, nome, futuro - em nome da devoção e da fé a seita dos Inominados. Seu dever é aprender com as mais velhas e ser a guardiã das Tumbas de Atuan.
Contudo, mesmo crescendo cercada por essa cultura e abdicando de si própria, Arha não consegue disfarçar a sensação de vazio que a preenche. A jovem é curiosa e aproveita os momentos que tem para conhecer um poucos do mundo nas conversas sonhadoras de Penthe, e sobre seu serviço e os mistérios das Tumbas de Atuan com as sacerdotisas Thar e Kossil, e o eunuco Manan. Sua vida estava destinada ao sacerdócio, os sacrifícios aos antigos, as punições aos hereges e a proteção de seu templo, e não havia nada ela pudesse fazer. E assim bem seria se não fosse a chegada de estranho visitante. Um homem de tez negra que profanou o labirinto e os salões cavernosos com sua magia e sua luz em busca dos tesouros dos Inominados.
Luz essa que aos poucos foi trazendo a verdade aos olhos de Tenar, que novamente voltou a ter nome e esperança. Mas quem ajuda quem nessa história, só tempo e a leitura dirão...
É bom voltar ao destaque dado na resenha do volume anterior da série e deixar claro que antes de qualquer crítica é preciso lembrar que este é um livro publicado pela primeira vez em 1970, e por mais que já houvessem outras obras com tendências a maior agilidade e abordagem nos diálogos, a narrativa se apoia exatamente na narração para passar ao leitor tudo aquilo que a trama tem para mostrar. Estar ciente disto antes de arremessar-se ao livro é fundamental para aproveitá-la da melhor forma possível: você não vai encontrar nestas páginas nada de parecido com as narrativas de fantasia modernas, quase sempre ágeis e enviesadamente épicas.
Mantendo o padrão utilizado em O Feiticeiro de Terramar, a autora opta por utilizar-se de uma narração em terceira para contar a história da jovem Tenar/Arha que, apesar de dar velocidade aos acontecimentos, pode acabar desagradando alguns leitores acostumados com o maior uso de diálogos complementado o texto. Como dito anteriormente, por conta dessa escolha a trama é quase toda passada através da narração, mas isso longe está de ser um demérito. Curiosamente foi esse um dos aspectos que mais me agradou durante a leitura da série.
A linguagem do livro é simples, a leitura é ágil, pouco focada em detalhar a tudo e a todos, mas mostra o que precisa ser mostrado. O cenário criado por Ursula é novamente ricamente explorado e dessa vez mais auto-contido em uma única região, visto que o foco da trama estão nas Tumbas de Atuan e em Tenar. E assim sendo, assim como a jornada de Ged/Gavião em o Feiticeiro de Terramar, essa é uma história sobre crescimento e os próprios erros e fraquezas. Só que agora protagonizada por um personagem feminino.
Como já citado, os extras publicados ao fim da história trazem muita informação importante que acabamos não nos dando conta durante a leitura e também sobre a autora e processo de escrita da obra. Pelo cuidado de incluir esse adendo, pelo trabalho gráfico e, claro, por trazer a obra, a editora já merece um parabéns. A arte das edições da Editora Arqueiro chamam logo a atenção, isso é inegável. Contudo a escolha, proposital ou não, da Ursula Dorada - artista que admiro - como ilustradora das capas da xará deram um toque especial.
Avisado sobre as expectativas, creio que todo o Ciclo Terramar tem tudo para agradar jovens e adultos, em especial aqueles que gostam de livros de fantasia e conhecer obras que inspiraram autores que tanto gostamos. Agora, aguardo ansiosamente para ver o que mais Ursula Le Guin e Terramar tem a me mostrar!



segunda-feira, 12 de junho de 2017

Promoção Anarriê dos Leitores



Oi pessoal!
Os blogs Três Leitoras, Vida & Letras, Carpe Diem Literário e Coisas de Meninas se reuniram para um bom arrasta pé nesse mês gostoso de forró, milho assado, canjica, amendoim e tantas delícias de São João...
E o melhor de tudo é que nessa festança toda, 04 leitores poderão ganhar um livro + Kit de marcadores diversos.
Curiosos para saber quais são os prêmios? Aumenta o som do forró e continue lendo... Não deixe de conferir o regulamento para poder participar!



REGULAMENTO

* As primeiras entradas do formulário são obrigatórias;
* Cumprindo as entradas obrigatórias, você libera chances extras. Quanto mais participar, mais chances terá de ganhar.
* O sorteio começa hoje 12/06/2017 e  termina no dia 12/07/2017.
* O ganhador será anunciado neste mesmo post e redes sociais dos blogs participantes até dia 16/07/2017.
*Os ganhadores terão um prazo de 48 horas para responder ao e-mail que lhe será enviado, caso não deem retorno dentro do prazo estipulado, realizaremos novo sorteio.
* Não nos responsabilizamos por extravios, nem por dados informados erroneamente pelo destinatário.
*Os livros serão enviados por cada um dos blogs para os ganhadores em um prazo de até 60 dias.
* Sorteio válido somente em território nacional.

Boa Sorte!!!