sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Antes de Tudo Acabar

Rafael nunca foi de se encaixar em padrões. Deslocado e sem muita perspectiva de vida, ele cuida da mãe alcoólatra
enquanto precisa lidar com a paixão platônica pela melhor amiga, Anne, e com os percalços causados por um pai ausente.
Acostumado desde sempre a fazer tudo com Anne, ele agora tem de aceitar que ela arrumou um namorado... e justo uma
das últimas pessoas que ele gostaria de ver com a amiga. Como se não bastasse, ele também precisa se entender com o
pai, que resolveu voltar a procurá-lo com uma surpresa: a filha que teve com a amante.
E, em meio a esse turbilhão de acontecimentos, chega Kaori, a nova aluna da turma. Com ela, as coisas começam a mudar
na vida de Rafael, e o que era só amizade pode acabar se tornando algo mais.
Antes de tudo acabar é a história de um garoto que precisa se encontrar e compreender um mundo que se move mais
rápido do que ele consegue acompanhar. Um mundo onde amizades são construídas e desfeitas, amores morrem e
nascem e caminhos sofrem desvios inesperados.
Título: Antes de Tudo Acabar
Autor (a): Mary C. Muller
Editora: Planeta
Número de páginas: 256



Janeiro foi o mês dos romances fofos e mais teens. E, minha gente, eu estava bem necessitada de uns livros mais leves pra poder começar bem o mês de Janeiro. Vou ser sincera a vocês: não estava esperando muito de Antes de Tudo Acabar. Para mim ele seria apenas um livro fofo, com história bem adolescente e com aqueles já famosos clichês que a gente já conhece. E ele realmente foi tudo isso, contudo acabou sendo muito melhor do que eu imaginava.
As coisas não andam muito fáceis para Rafael. Desde que o pai foi embora sua vida virou de pernas para o ar. Sua mãe, que antes era tão cheia de vida, agora está entregue às bebidas, mal tendo condições de cuidar de si, quanto mais do filho adolescente. Na escola as coisas também não andam tão bem e o bullying é uma constante em sua vida. E, como se não bastasse, sua melhor amiga, Anne, acabou de arrumar um namorado.
Sabe aquela velha história de quando sua amiga arruma um namorado e simplesmente acabo te deixando de mão? É o que acontece entre Rafa e Anne. Ela começa a ficar cada vez mais distante, o namorado, um cara mais velho, parece não simpatizar muito com Rafael (e vice versa) e a amizade de ambos, que era tão sólida, começa a rachar.
E é no meio dessa bagunça que chega Kaori, aluna nova na escola, que logo vai se aproximar de Rafael. Com o afastamento de Anne acaba sendo natural que a proximidade entre ele e Kaori aumente e, o que começa como uma amizade, acaba se transformando em algo muito mais forte. Esse relacionamento vai trazer um novo ânimo para esse rapaz e mudar a sua vida para sempre.
Eu não sei vocês, mas eu adoro pegar um livro e começar a recordar algum período da minha vida. E, assim que iniciei a leitura de Antes de Tudo Acabar, comecei a lembrar, com aquele saudosismo saudável, da minha adolescência e de tudo que vivi nessa fase tão gostosa. A descoberta do primeiro amor, as dúvidas, os dramas... tudo é tão intenso nessa fase, tão gostoso, impossível não sentir uma pontada de saudade.
A história é muito gostosa de acompanhar e os personagens são puro amor. Eu gostei demais de Rafael, que é um garoto que já passou por muita coisa na vida, cuida de uma mãe alcoólatra, sofre bullying na escola e ainda precisa lidar com o afastamento da melhor amiga. E aí chegamos em uma parte bem delicada da história. A história de Anne é difícil e, muito embora não haja um aprofundamento nela, já percebemos que assim como Rafa ela também passou poucas e boas na vida. A convivência com o pai é péssima e desde cedo ela sofre com os abusos em casa, sendo espancada por mínimas coisas. A história dela me sensibilizou demais e, por mais que eu tenha ficado com uma certa raivinha de suas atitudes, acabei compreendendo melhor depois que a trama se desenrolou.
O livro realmente me surpreendeu. Estava esperando uma trama mais juvenil, com o foco no romance entre os personagens e um pseudo triângulo amoroso. Pois bem, vi tudo cair por terra a partir do momento que se desenrolou uma trama que aborda relacionamento abusivo, automutilação, alcoolismo, homossexualidade e conflitos familiares. A autora abordou cada um desses temas com muita sensibilidade, mas sem tirar a leveza da trama, que mescla momentos divertidos e emocionantes.
Foi uma leitura rápida e que me prendeu do início ao fim. É muito fácil ser cativada pela trama que traz situações que, infelizmente, tem se mostrado cada vez mais rotineiras. É uma boa leitura, que vai agradar em cheio não somente o público jovem, mas também todos aqueles que gostam de livros que abordam em suas páginas assuntos mais atuais.  Leiam e depois venham me contar o que acharam.




quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Ilustraverso: Caio Yo

Todo mundo ama uma boa capa, um mapa bem feito e ilustrações apaixonantes, sejam elas em livros, grafic novels, guias ilustrados, para usar de papel de parede ou pelo simples prazer de admirar. Porém nem todo mundo costuma dar a valor a pessoa por trás da arte, mas por sorte aqui é diferente. Quem sabe você não descobre aqui a pessoa que vai ser responsável por aquele presente diferenciado ou para concluir/iniciar aquele projeto que está engavetado: uma HQ ou a capa e ilustrações de um bom livro.
Por essa razão criei no meu blog, o Multiverso X, a sessão Ilustraverso para o artista e sua arte terem vez e reconhecimento. Como o blog é pequeno e os artistas merecem sempre mais visibilidade resolvi trazer a sessão para cá e ver se funciona.
Na sessão Ilustraverso o artista e sua arte tem vez e reconhecimento. O artista da vez é um ilustrador a quem tive o prazer de conhecer  durante a CCXP: conheçam o trabalho de Caio Yo!
Caio Souza "Yo", nascido em 1986, reside na cidade de Campinas. Trabalha como professor de desenho; ilustrador de peças publicitárias e editoriais, livros didáticos e infantis e infográficos, e também como colorista de histórias em quadrinhos e storyboards. Já trabalhou com clientes como a Editora Abril, Editora Moderna, Banco Itaú, Editora Positivo, Editora Educar/DPaschoal, Catterpillar, Editora Ática, 3M/Nexcare, entre outros, como freelancer ou para agências de publicidade de São Paulo e do Rio de Janeiro.
Participa de exposições, coletivos de ilustração e histórias em quadrinhos, além de Salões de Humor e Exposições nacionais e internacionais, já tendo trabalhos expostos no Irã, Noruega, Japão e Estados Unidos. Além de tudo isso, organiza workshops, concursos e exposições e produz peças e matérias para sites relacionados ao universo da ilustração gráfica.
Você pode conferir uma amostra de sua arte aí embaixo e nas galerias do artista no Behance, Site do Autor, DeviantArt e/ou segui-lo no Twitter e/ou no Instagram. Aos interessados em um contato profissional para alguma encomenda, pode entrar em contato através do email: caio.yo@gmail.com.


segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Leituras do Mês - Janeiro


E aí, gente! Vamos falar de coisa boa? Vamos falar de leituras!!!
O mês de Janeiro é sempre muito generoso pra mim já que estou de férias e consigo aproveitar o tempinho livre pra colocar as leituras em dia. Li 9 livros e poderia ter lido mais se tivesse abandonado um deles em vez de ficar insistindo nessa barca furada. Mas enfim, acho nove uma boa marca e gostei bastante do resultado.
Então, sem mais delongas, vamos conhecer minhas leituras?

O último livro de 2017 foi A Herdeira e quando ele acabou só pensei em emendar A Coroa. Eu, que estava tão relutante em começar ambos os livros, me vi vidrada na história e A Coroa acabou entrando para a galeria dos favoritos. Eu amei o rumo que a história tomou, amei o romance, amei a escolha da Eadlyn... só não amei a Eadlyn porque aí já é pedir demais. Não é fácil gostar dela, principalmente por conta de suas atitudes infantis e o jeito arrogante com que trata as pessoas. Contudo, no decorrer da história, fui notando um amadurecimento no seu comportamento e passei a entendê-la melhor. O livro me surpreendeu e fiquei mega feliz por ter começado minhas leituras de 2018 com o pé direito.


Tinha que ter um romance de época no meio, não é mesmo? E, depois de ler Quando a Bela Domou a Fera, livro que me fez apaixonar pela escrita da Eloisa James, foi impossível não ficar ansiosa para começar Um Beijo à Meia-Noite. Ainda mais por se tratar de uma releitura da Cinderela, tinha certeza que o livro me agradaria em cheio porque sempre me emociono com releituras desse clássico (mesmo não sendo meu preferido).
Ele é um amorzinho, leitura rápida, personagens divertidos, história bem clichê, mas super apaixonante. Adorei demais e estou muito ansiosa pelo próximo livro da autora. Já tem resenha dele aqui no blog, clica aqui pra ler.


Melhor livro do ano até agora! Esse livro acabou comigo, me destruiu, tirou minha dignidade, me deixou em prantos, chorando que nem criança. QUE LIVRO! Poderia passar o post inteiro exaltando a qualidade da escrita da Dani e da beleza da história. Mas a verdade é que tudo que eu falar não fará jus ao que é esse livro e tudo que ele significou pra mim.
A leitura é rápida (li em um dia) e foi emocionante acompanhar a trajetória dos personagens e conhecer um pouco do passado de cada um deles. Também tem resenha dele no blog e você pode conferir clicando aqui.


Ano passado eu tive uma péssima experiência com um livro da Aprilynne Pike e preciso confessar: por mais que estivesse ansiosa pra ler Vida Após o Roubo, ficava também com medo de não gostar. Mas o medo foi em vão já que o livro me pegou já no primeiro capítulo e eu adorei o que encontrei.
A história tem um tom leve e me lembrou aqueles filmes colegiais que passavam muito na sessão da Tarde (saudades). É divertido na medida e traz reflexões bem bacanas sobre o valor da amizade e do perdão. Eu, que estava esperando uma leitura apenas divertida, fiquei surpresa pelo rumo que ela tomou e gostei muito! Valeu a pena dar mais uma chance a autora. ;)



Essa foi mais um livro fofo que passou por minhas mãos e que li em um dia. O livro tem uma proposta bem diferente, onde você escolhe o rumo da personagem principal. "Como assim, Neyla?". Muito simples, minha gente. Na história a personagem tem que escolher entre ir em dois lugares e, a partir do momento que você escolhe o destino dela, a trama vai se desenrolando e novas decisões precisam ser tomadas pelo leitor. Ou seja: é você quem cria a aventura.
Achei super gostosinho, li em um dia e acabei voltando para ver o que aconteceria se eu tomasse decisões diferentes. É um livro teen e cheio de clichês, mas gostei. Em breve teremos resenha dele por aqui.


A decepção do mês! Peguei esse livro da estante porque já fazia mil anos que ele estava aqui e não aguentava mais olhar pra cara do pobre coitado tomando chá de poeira. Passei uma semana e meia com ele e tive vontade de tacar pela janela. A história chata não dizia a que veio, a personagem igualmente chata, um mix de thriller com chick-lit que deu super errado. Fiquei esperando a hora que ele ficaria divertido, mas não aconteceu. E quando finalmente o mistério da história foi revelado, eu já estava tão de saco cheio que nem, consegui aproveitar.
Me arrependo de não ter abandonado a leitura, insistir só me fez ficar mal humorada. Não recomendo e não terá resenha dele (não vou gastar meus dedos escrevendo resenha pra livro que não gostei, né?).


Amorzinho define! Postei resenha dele semana passada, se quiser saber um pouco mais é o post que está abaixo desse. Gostei da história, achei leve e bem delicada, mas não curti os protagonistas. Foram os personagens secundários que me encantaram e deram aquele up na leitura. A trama é bem fofa, clichê, mas gostosa de acompanhar. A escrita da autora também é muito boa e estou ansiosa para ler outro livro dela.


Outro livro fofo, que me deixou um tantinho dividida. Já havia lido um conto do Vinicius e me encantado pela escrita dele. E não foi diferente aqui. Vinicius escreve com o coração e coloca todo o sentimento na história, é quase palpável. 
O livro me ganhou já nas primeiras páginas, mas tive problemas sérios com um determinado personagem e isso afetou muito a minha nota final. Sabe quando tudo praticamente gira em torno de uma pessoa e ela acaba não te agradando? Pois bem, foi justamente isso que aconteceu comigo. A leitura foi boa, a história também, mas as escolhas dessa personagem não me agradaram em nada. Em breve conto mais sobre isso aqui, aguardem.


Mais um livro com uma pegada teen, porém com personagens que eu amei! A leitura foi rápida, a trama é bem gracinha, mas também foca em pontos bem delicados. Não vou entregar muito porque essa semana vai sair resenha dele e quero que vocês leiam pra poder opinar. 
No geral, eu gostei muito do que encontrei, achei uma excelente pedida para um público mais jovem que, com toda certeza, vão se identificar com os dramas dos personagens e se enxergarem neles. Inclusive isso aconteceu comigo, já que recordei de vários pontos da minha adolescência. 
Agora é a vez de vocês. O que leram no mês de Janeiro? Já leram alguns dos meus lidos?
Beijos




sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Pensei Que Fosse Verdade

Um passado a ser esquecido. Um presente nada promissor. Um futuro a ser conquistado.
“O PARAÍSO À BEIRA-MAR.”
“O SEGREDO MAIS BEM GUARDADO DA NOVA INGLATERRA.”
A ilha de Seashell, onde passei minha vida inteira, é tudo isso e muito mais. No entanto, a única coisa que eu quero é ir embora daqui.
Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também venha a ser o seu destino, mas, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu – ou da ilha –, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade – sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma – com o que de fato é.
Título: Pensei Que Fosse Verdade
Autor (a): Huntley Fitzpatrick
Editora: Valentina
Número de páginas: 336


Sempre tive uma vontade louca de ler Pensei Que Fosse Verdade. Sabia que iria encontrar um romance mais juvenil, com aqueles já famosos dramas adolescentes e personagens que buscam encontrar seu lugar no mundo. Mas também tinha certeza de que a história iria me conquistar e que acabaria totalmente inserida nela do início ao fim. E não foi diferente.
A ilha de Seashell é o verdadeiro paraíso para a maioria das pessoas, menos para Gwen. Ela, que morou toda sua vida nesse lugar, não vê a hora de poder escapar dali. De família de poucos recursos, ela trabalha na lanchonete do pai para poder ajudar a custear as despesas da casa e nesse verão trabalhará como acompanhante de uma idosa. Sair de Seashell não é apenas o passaporte para uma vida melhor, mas também uma forma de deixar para trás os erros que cometeu no passado. 
E um desses erros atende pelo nome de Cassidy, o garoto que povoa sua mente e seus devaneios. Cass faz parte de uma família de veranistas e, por algum estranho motivo, arrumou um emprego de faz tudo na ilha, fazendo com que o caminho deles se cruzem muito mais do que o que ela gostaria. Ele é tudo o que uma garota sonha e Gwen sabe muito bem disso, afinal de contas ele não sai dos seus pensamentos um momento sequer. E agora, com os dois trabalhando tão próximos, será que ela conseguirá manter-se afastada dele? Isso, só mesmo o tempo será capaz de dizer.
Em paralelo, acompanhamos as histórias de Nic e Vivien, primo e melhor amiga de Gwen, conhecemos mais a respeito de seu relacionamento com a mãe, o avô, o pai e o irmãozinho, e, claro, vamos entendendo o motivo dela querer tanto esquecer o seu passado.

Que leitura gostosa! Estava com boas expectativas e a cada nova página me vi completamente envolvida pela trama que, apesar de simples e cheia de clichês, é bastante cativante. Fiquei bem apaixonadinha por todo o enredo e, muito embora tenha tido alguns problemas com os personagens principais, gostei bastante do que encontrei.
E já que toquei no assunto, vamos começar falando dos personagens. Como falei ali em cima, tive meus problemas com Gwen e Cass. Ela é uma garota forte, que já passou por muita coisa na vida e que, assim como muitas pessoas, fez escolhas das quais se arrepende profundamente. E foi justamente por conta desses pontos que achei que faltou um pouco mais de fibra e atitude. A maior parte do tempo dela era gasta pensando em Cass, suspirando por ele e pensando em formas de mantê-lo longe (mas fazendo tudo ao contrário). A outra metade era usada para se lamentar. Eu esperava uma protagonista cheia de garra, com aquele tipo de postura que a gente olha e pensa "nossa, essa daí sabe o que quer e vai atrás dos seus sonhos". E ela, infelizmente, passou bem longe disso.
Cass, por sua vez, é tão apático quanto a nossa mocinha e talvez por isso eu tenha achado que os dois formaram um par perfeito. Contudo, como eu não esperava muita coisa dele, até que não o achei tão decepcionante. Mas mesmo assim, deixou a desejar em vários pontos, principalmente na questão personalidade. Achei o garoto muito fraco, influenciável, o tipo de pessoa que a gente nunca sabe o que esperar. Não senti confiança e, mesmo ele demonstrando ter um coração bom e tendo atitudes generosas e mostrado muita humildade, não conseguiu um lugarzinho na minha tão seleta lista de queridinhos.
Para mim, foram os personagens secundários que trouxeram vida ao livro. Eu amei Nic e Vivien, achei a história de ambos muito interessante e torci imensamente por eles. Ele, que sempre teve o sonho de ir para a Academia da Guarda Costeira, é o tipo de cara que luta pelos seus sonhos e que sempre esteve ciente do que queria, correndo atrás e treinando para que pudesse conquistar aquilo que desejava. Nic é intenso e isso fica claro em tudo que ele faz, seja nos treinos puxados ou no relacionamento com Viv. Ele se doa de corpo e alma e exala paixão pelos poros. E foi justamente isso que senti falta nos protagonistas, mas que por sorte encontrei nele.
A trama é bem clichê e, embora a grande parte do livro gire em torno do pseudo romance entre Gwen e Cass, existe espaço para tramas secundárias. E nesse ponto devo salientar que a autora soube explorar muito bem cada personagem, dando o devido espaço para que mostrassem um pouco de si e colaborassem com a leitura trazendo suas histórias pessoais.
Terminei a leitura com os olhos brilhando e apaixonadinha pelo livro. Mesmo com a birra que tomei dos protagonistas, não teve como não me sentir cativada pela trama e por todas as lições que ele trouxe. É uma leitura rápida, leve e reflexiva, com uma narrativa sensível e delicada que me agradou em cheio. Foi o meu primeiro contato com a escrita da autora e adorei demais! Pensei que Fosse Verdade foi uma daquelas surpresas mais que agradáveis e espero que o outro livro da autora, o Minha Vida Mora ao Lado, me encante tanto quanto esse. Recomendo muito!

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Arqueiro - Fevereiro


Olá pessoal!
Estão preparados para as muitas compras em fevereiro? Gente do céu, a Editora Arqueiro está trazendo tanto livro bom, vai faltar dinheiro pra tanto livro desejado. Se interessou? Então vamos conferir os livros que serão lançados em fevereiro.

As criaturas da noite estão caçando a elite de Gotham. Bruce Wayne é o seu novo alvo.
Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e herdar a fortuna de sua família, além do controle das indústrias Wayne. No entanto, no dia do seu aniversário, ele faz uma escolha impulsiva e é condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, uma mescla de prisão e hospital psiquiátrico onde estão detidos os criminosos mais desequilibrados da cidade.
Lá ele conhece Madeleine, integrante das Criaturas da Noite, um grupo radical que deseja acabar com a elite de Gotham. Até então, a moça se recusava a confessar seus crimes ou informar à polícia os futuros ataques que planejavam, mas ela resolve se abrir para Bruce Wayne, dando início a um perigoso jogo de sedução e inteligência.
Será que o jovem Wayne vai conseguir convencê-la a revelar todos os seus segredos ou ela está apenas manipulando-o para arruinar Gotham? Enquanto o golpe final das Criaturas da Noite se aproxima, Bruce percebe que não é tão diferente de Madeleine. E, mesmo longe de se tornar o Cavaleiro das Trevas, precisará provar que está preparado para deter uma das maiores ameaças que Gotham já presenciou.
O general Dun-Cadal foi um dos maiores heróis do Império, mas hoje não passa de uma sombra do que foi, embriagando-se no fundo de uma taberna. Traído pelos companheiros e amargurado pelo desaparecimento de seu jovem aprendiz, Dun-Cadal não quer mais saber de política, batalhas, pessoas.
É justamente ali, na taberna escura, que a jovem historiadora Viola vai encontrá-lo. Ela procura a Espada do Imperador, uma relíquia desaparecida no caos da revolução que derrubou a monarquia, teoricamente escondida por Dun-Cadal.
Viola também espera descobrir quem é o assassino sem rosto que começou a agir na cidade, matando os antigos companheiros do general, que viraram as costas aos seus ideais para aderir à nova República.
Graças à moça, o velho guerreiro vai vasculhar as lembranças de uma vida de glória e seus mais terríveis arrependimentos. À medida que ele conta sua história, os fantasmas do passado vêm à tona, reacendendo antigos rancores e a sede de vingança de um homem que se entregou ao caminho da fúria.
Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada
do pai, seu melhor amigo.
Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins
de espionagem.
Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR. Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.
O Quase Doutor é um renomado cardiologista que passa os dias em um hospital, mas no fundo é um artista frustrado. A Quase Viúva é uma professora que está de licença do trabalho para ficar com o noivo, em coma após um grave acidente. O Quase Repórter é um jornalista decepcionado com a profissão que sofre há mais de um ano pelo suicídio da esposa. A princípio, a única coisa que essas pessoas têm em comum é a sensação de incompletude e de desilusão com a vida.
Até que, um dia, o Quase Doutor é persuadido por um velho desconhecido a embarcar com ele em um ônibus rumo a uma jornada para se reconciliar com seu passado. Logo a viagem se transforma em uma aventura extraordinária e, em meio a fenômenos como uma chuva de estrelas cadentes, ele precisa fazer escolhas que mudarão seu destino para sempre.
Enquanto isso, eventos misteriosos levam a Quase Viúva a suspeitar que alguém dentro do hospital quer matar seu noivo e uma pesquisa minuciosa do Quase Repórter revela que sua esposa pode ter sido assassinada. Quando os dois tentam descobrir a verdade sobre seus amados, tudo leva a crer que a resposta está dentro do ônibus do Quase Doutor.
Reunidos num lugar que nunca imaginaram existir, os três serão forçados a enfrentar seus maiores medos e verão que, para se tornarem completos, precisarão encarar a batalha mais difícil de todas: aquela que travamos com nós mesmos.
Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas.
A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon.
Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar.
Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu?
Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.
Traduzido para mais de 50 idiomas, os livros de Nicholas Sparks já venderam mais de 100 milhões de exemplares no mundo.
Durante uma missão no Iraque, o fuzileiro Logan Thibault encontra, enterrada no chão, uma fotografia de uma linda jovem sorridente. Logo depois, ele experimenta uma súbita onda de sorte – ganha todos os jogos de pôquer e até sobrevive a um confronto mortal. A explicação parece ser uma só: a foto que ele encontrou se transformou em seu amuleto.
Ao voltar para casa, nos Estados Unidos, Logan não consegue tirar a jovem da cabeça e empreende uma jornada ao outro lado do país para encontrá-la. Na viagem, conhece Elizabeth, uma mulher divorciada, mãe de um menino, e é pego de surpresa pela forte atração que nasce entre eles.
Enquanto ele e Elizabeth se entregam a uma enlouquecedora paixão, Logan decide não dizer nada sobre sua busca. Em pouco tempo, porém, esse segredo poderá separá-los e destruir não apenas seu amor, mas também a vida dos dois.
Repleto de romance e suspense, Um Homem de Sorte é uma história inesquecível sobre os caminhos surpreendentes que o destino nos leva a seguir.

Gostaram? Quais vocês querem ler? Contem aqui embaixo.
Um beijo