quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Achados e Perdidos


Millie Bird é uma garotinha de apenas 7 anos que já sabe muita coisa. Ela já descobriu que todos nós um dia vamos morrer. Em seu Livro das Coisas Mortas, ela registra tudo o que não existe mais. No número 28 ela escreveu “Meu Pai". Millie descobriu também, da pior forma possível, que um dia as pessoas simplesmente vão embora, pois a mãe dela, abalada com a morte do marido, a abandona numa grande loja de departamentos. Ela só não está triste porque conheceu Karl, o Digitador, um senhor de 87 anos que costumava digitar com os próprios dedos frases românticas na pele macia de sua mulher. Mas, agora que ela se foi, ele digita as palavras no ar enquanto fala. Ele foi colocado pelo filho em uma casa de repouso, porém, em um momento de clareza e êxtase, ele escapa, tornando-se então um fugitivo. Agatha Pantha é uma senhora de 82 anos que mora na casa em frente à de Millie e que não sai mais, nem conversa com ninguém, há sete anos. Desde que o marido morreu, ela passou a viver num mundinho só dela. Agatha preenche o silêncio gritando, pela janela, com as pessoas que passam na rua, assistindo à estática na televisão e anotando em seu diário tudo o que faz. Mas, quando descobre que a mãe de Millie desapareceu, ela decide que vai ajudar a menina a encontrá-la. Então, a adorável garotinha, o velhinho aventureiro e a senhorinha rabugenta partem em uma busca repleta de confusões e ensinamentos, que vai revelar muito mais do que eles imaginam encontrar.
Título:  Achados e Perdidos
Autor (a): Brooke Davis
Editora: Record
Número de páginas: 252



Esse foi um livro que eu me iludi com a capa. Quando vi o desenho todo fofo, logo imaginei que fosse um infanto juvenil bem gracinha. E dei com a cara na porta assim que li a sinopse, já que o livro trás uma proposta bem diferente e nada bobinha.
Em Achados e Perdidos conhecemos Millie Bird, uma garotinha adorável de 7 anos que sabe que, um dia, todas as pessoas irão morrer. Tudo que morre ao seu redor ela registra "Livro das Coisas Mortas", seja uma mosca, uma aranha ou seu pai. Millie vive com a mãe, que ainda não se recuperou da morte precoce do marido, o que a leva a abandonar a filha dentro de uma loja de departamentos com a promessa de que logo voltaria.
Claro que Millie, por ser excessivamente ingênua, nada percebe e fica esperando pela mãe. Gente, ela passa uns dois dias na loja sem que ninguém se dê conta de sua presença ali. E é nessa loja que ela conhece Karl, o digitador. Ele, um simpático velhinho, que foi colocado em uma casa de repouso pelo filho por insistência da nora, fugiu de seu novo lar em busca de aventura. Sua esposa faleceu já tem alguns anos e ela era tudo pra ele.
Em paralelo, conhecemos a azedíssima Agatha, uma senhora que mora em frente à casa de Millie e que, apesar do mal humor diário, é hilária! Ela mora sozinha e desde a morte do marido nunca mais saiu de casa. As compras são entregues em sua casa, as contas são pagas por outras pessoas e ela vive em seu mundo cheio de regras solitária e... feliz? Talvez! Contudo, sua rotina se vê abalada por conta de Millie e ela, junto com Karl e Manny (o manequim de plástico da loja de departamentos) irá partir para Melbourne numa incrível jornada para encontrar a mãe de Millie.
Gostei da história logo de início. A história, que eu imaginava ser bem boba, acabou se mostrando diferente de tudo que eu esperava. A temática é forte e, infelizmente, real. Não são poucos os casos de abandono de crianças ou de idosos deixados em casas de repousos por diversos motivos. Contudo, apesar de em algumas passagens a emoção tomar conta, ele não é um livro que te deixa tenso. A história é, de certa forma, leve e a autora escreve tudo de uma forma muito singela, com uma suavidade que há muito não encontrava em alguns livros.
O livro é dividido em capítulos curtos, narrados pelo ponto de vista de cada um dos três personagens centrais da trama. Achei os personagens um show a parte e, apesar da história ter um foco maior no drama de Millie, tanto Agatha quanto Karl também tem um lugar de destaque. E eu, confesso, caí de amores por Karl. De imediato meu coração apertou e meus olhos ficaram marejados enquanto lia sua história. Não estava preparada para aquilo, sabe? Achei tão delicada a forma como a autora abordou a decisão de colocá-lo em uma casa de repouso, a forma como ele aceitou... só de lembrar meus olhos já enchem de lágrimas. Queria dar "de pau e cacetada" naquela nora dele, juro! 
Agatha, por sua vez, me fez rir em diversos momentos por conta do seu jeito ranzinza. Aqueles gritos dela, as observações e críticas me fizeram gargalhar. Ela também tem seus dramas pessoais, mas não tão forte quanto o de Karl ou Millie. Juntos, eles formam um grupo bem peculiar, que vão nos levar a momentos divertidos e de grande reflexão.
A história é boa, tem uma boa dose de drama e passagens bem engraçadas. Contudo, a narrativa, que inicialmente se mostrou ágil e dinâmica, foi ficando um pouco mais arrastada com o decorrer da leitura. Quando cheguei a metade do livro ele começou a fluir pouco por conta de descrições excessivas e uma história que se amarrou demais em um único ponto. Achei que a autora usou de muitas novas situações, por vezes inusitadas, e isso acabou interferindo um pouco no dinamismo dos capítulos. Não é que a história se torne chata, vejam bem, mas acaba perdendo ritmo e ficando lenta. Gosto de deixar isso bem claro porque, muitas vezes, quem está lendo pode achar que o livro se torna ruim e esse não é o caso. 
Achados e Perdidos foi uma grata surpresa. Uma história fofa e delicada que mexeu comigo e com meu coração de manteiga. Os leitores que apreciam tramas mais sensíveis, com certeza vão gostar muito desse livro!


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Tony Moon: A Vida Acontece!

Neste livro, você vai encontrar um grupo de amigos parecido com o seu! Tem o sujeito controlador, outro tranquilo demais, um que se acha o melhor em tudo, uma garota romântica incurável e outra que sabe bem o que quer da vida! E Tony tem sorte de fazer parte dessa galera, porque afinal, não importa o quanto você planeje, a vida acontece!
Título: Tony Moon - A Vida Acontece!
Editora: Bacanudo Livros
Autor (a): Pedro Duarte
Número de Páginas: 66


No ano de 2015 tive o prazer de falar sobre um projeto bacanudo a qual tive o prazer de, como apoiador, ajudar a tornar realidade: o livro infanto-juvenil Tony Moon - Está Tudo Fora de Controle, Cara!, escrito por Pedro Duarde e ilustrado por Brão Barbosa.  Desde o financiamento coletivo Tony Moon cresceu e mudou de casa, hoje sendo publicado pela Editora Leya com direito a repaginada no visual, ilustrações inéditas e um novo trabalho gráfico. Contudo - apesar de estar orgulhoso de vê-los dando passos largos - não é sobre essa aventura que falaremos hoje, mas de um outro projeto tão bacanudo quanto envolvendo Tony Moon e sua turma: as tirinhas!
Tony Moon: A Vida Acontece! é um livro de tirinhas criado para mostrar mais do universo que envolve o jovem e metódico garoto de 12 e sua turma, e aprofundar as características dos personagens (e apresentar novos). Contudo, mais do que isso, o álbum serve de uma excelente porta de entrada para o trabalho de Pedro e Brão. Pois é, não é preciso ter lido o livro - Tony Moon - Está Tudo Fora de Controle, Cara! - para poder aproveitar e se apaixonar pelos personagens. E acredite quando eu digo: isso vai acontecer!
A medida que você lê as aventuras e desventuras da turma começa a identificar as caraterísticas dos personagens e reconhecer um pouco - ou muito - de si ou de pessoas próximas neles. A sagacidade, a preocupação excessiva e metódica de Tony, a liberdade e força de Manu totalmente #GirlPower, a meiguice da apaixonada Anna, a despreocupação quase #deboista de Cabelo e até mesmo a prepotência e chatice do Mais Melhor. São tantas situações diferentes e acontecimentos que é difícil que ao fim, você se identifique com apenas um deles.
Os autores trabalham em perfeita harmonia e os elementos das histórias se encaixam perfeitamente para criar uma unidade bacana. A arte dos personagens foi alterada e os personagens aparecem em uma versão um pouco diferente do livro lançado no Catarse. O novo visual, um pouco mais arredondado, conferiu a obra um visual mais inocente e o resultado final dotado de leveza e simpatia.
Pedro Duarte e Brão Barbosa mostram mais uma vez como formam uma fantástica equipe e o resultado do livro de tirinhas não poderia ser melhor. Tal qual em Calvin & Haroldo e Fala Menino!, as histórias de Tony Moon são leves e divertidas, com críticas na medida certa, perfeitas para atingir diferentes públicos e níveis de compreensão.


Alguns exemplares dessa edição ainda se encontram disponíveis em diversas livrarias online por um preço módico, mas recomendo a vocês esperarem um pouco (ou não, caso queiram garantir um item de colecionador). Como o Tony Moon - Esta Tudo Fora de Controle, Cara! agora é lançado pela Editora Leya, é muito provável que o mesmo aconteça com o livro de tirinhas Tony Moon - A Vida Acontece!. Então, se você aguardar um pouco irá se deparar com uma nova edição que, assim como no  volume recém lançado pela editora, deverá contar com diversos extras.
Quem busca uma leitura rápida e agradáveis, com boas  doses de reflexões, já sabe onde encontrar. Leitura mais que recomendada! 


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Top 5: Livros para ler na Primavera



Eu não sei vocês, mas eu sou aquele tipo de pessoa que associa Primavera com romance. Não me perguntem o porquê, já que eu não saberei explicar, mas sempre que a Primavera chega eu já começo a pensar em ler um romance pra entrar no clima. E, pensando nisso, vim contar para vocês quais são os livros que eu acho tudo a ver com essa estação.


1- Primavera de Cores
Escolhi esse por que tem o nome da estação, confesso! Hahahaha Mas na verdade, quero recomendar é a série completa. Foi Assim Que Eu Te Amei é uma série linda, uma das minhas preferidas. Tem romance, drama e corações flutuantes saindo de cada página. É uma história de amor e superação que combina super com essa estação que nos remete à renovação.


2- Volta Para Mim
Ai geeeente, esse livro é tão amorzinho. *-* É um romance fofo, mas ao mesmo tempo intenso, que despertou em mim uma série de emoções. A história é linda e não tem como não se apaixonar pelos personagens. Não estava esperando muito dele e fui surpreendida de forma super positiva. Apaixonante, tudo a ver com a primavera! 


3- Um Amor Para Recordar
Amo, amo, amo! Meu primeiro contato com essa história foi através do filme, que é perfeito! <3 Logo depois eu li o livro e caí de amores por ele de tal forma que só de lembrar já sinto aquela coisinha boa no coração. Assim como os livros acima, esse também conta uma história de amor e superação, com personagens que são intensos e encantadores. Não tem uma vez que eu leia o livro ou veja o filme que os olhos não marejem. Quem não leu, precisa fazer isso com urgência!

4- Mar de Rosas
Meu livro preferido da série Quarteto de Noivas não poderia ficar de fora, né verdade? Ainda mais porque a Emma, personagem principal, é uma florista. <3 Na minha opinião, essa foi a mais romântica das quatro histórias e a que me arrancou mais suspiros. É um romance bem romântico, daquele feito sob medida para as sonhadoras (que nem eu) e com flores por todos os lados. Mais primavera do que isso não existe!



5- Entre o Amor e o Silêncio
Outro queridinho do meu coração, livro que me arrebatou e me fez virar fã da Babi. Quando li já havia aquele burburinho todo a respeito dele, estava preparada para encontrar uma história forte, recheada de boas doses de romantismo e drama. E não foi diferente! A história me arrebatou e eu me vi imersa na história de Francesca. Ma-ra-vi-lho-so demais!

Conta agora pra gente: quais livros você acha tudo a ver com a primavera? Já leu algum dos meus escolhidos?
Beijos


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Diga Sim ao Marquês

Vossa Excelência está convidada a comparecer ao romântico castelo Twill para celebrar o casamento da senhorita Clio Whitmore e… e…?
Aos 17 anos, Clio Whitmore tornou-se noiva de Piers Brandon, o elegante e refinado Marquês de Granville e um dos mais promissores diplomatas da Inglaterra. Era um sonho se tornando realidade! Ou melhor, um sonho que algum dia talvez se tornasse realidade…
Oito anos depois, ainda esperando o noivo marcar a data do casamento, Clio já tinha herdado um castelo, tinha amadurecido e não estava mais disposta a ser a piada da cidade. Basta! Ela estava decidida a romper o noivado.
Bom… Isso se Rafe Brandon, um lutador implacável e irmão mais novo de Piers, não conseguir impedi-la. Rafe, apesar de ser um dos canalhas mais notórios de Londres, prometeu ao irmão que cuidaria de tudo enquanto ele estivesse viajando a trabalho. Isso incluía não permitir que o Marquês perdesse a noiva. Por isso, está determinado a levar adiante os preparativos para o casamento, nem que ele mesmo tenha que planejar e organizar tudo.
Mas como um calejado lutador poderia convencer uma noiva desiludida a se casar? Simples: mostrando-lhe como pode ser apaixonante e divertido organizar um casamento. Assim, Rafe e Clio fazem um acordo: ele terá uma semana para convencê-la a dizer “sim” ao Marquês. Caso contrário, terá que assinar a dissolução do noivado em nome do irmão.Agora, Rafe precisa concentrar seus punhos e sua força em flores, bolos, música, vestidos e decorações para convencer Clio de que um casamento sem amor é a escolha certa a se fazer. Mas, acima de tudo, ele precisa convencer a si mesmo de que não é ele que vai beijar aquela noiva.
Título: Diga Sim ao Marquês
Autor (a): Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Número de páginas: 288


Clio Whitmore é conhecida como a Srta. Espera-Mais. Isso é uma espécie de piada por ela estar há 8 anos noiva de Piers Brandon, um renomado diplomata, que nunca marca a data do tão aguardado casamento. Cansada de esperar e decidida a levar sua vida da forma que bem entender, Clio vai atrás do irmão de Piers, Rafe Brandon, para fazer com que ele assine os papéis que anulam esse noivado. O fato é que Clio está cheia das fofoquinhas a seu respeito e, agora que herdou um castelo de seu tio, tem planos altos para sua vida. Rafe é a sua única esperança de conseguir a tão esperada "liberdade". Mas, se depender dele, ela não virá assim tão fácil.
Rafe é um lutador de boxe, conhecido como Filho do Diabo, que carrega consigo uma grande culpa pela morte do pai. Ele sempre foi aquele filho que estava abaixo das expectativas, que não era tão inteligente ou brilhante quanto Piers era. Cansado de tantas comparações, decidiu deixar tudo para trás e se tornar um lutador. Com isso deu também as costas ao pai e a família, se dedicando inteiramente ao boxe. 
Quando Clio chega a sua casa querendo desfazer o noivado com Piers ele percebe que precisa fazer com que ela desista dessa ideia. Ele se sentiria falhando com o irmão se permitisse que ele perdesse a noiva por sua culpa. Com isso decide que irá fazer Clio, em uma semana, mudar de ideia. A tática é simples: ele se muda para o castelo, com seu treinador fingindo ser um renomado cerimonialista, e vai, junto com ela e suas irmãs, começar os preparativos para o casamento. Afinal, qual é a mulher que não sonha com um casório grandioso, todo cheio das pompas? Ela com certeza mudaria de ideia e acabaria desistindo de uma vez dessa loucura de desfazer o noivado.
O que ele não contava é que ficar assim tão próximo a ela iria reacender sentimentos que, há muito tempo, ele achava já ter superado. Mas como se manter impassível perto de alguém como Clio? E não pensem vocês que esse sentimento é unilateral não. Ela também sente algo por ele que, claro, vai se intensificar ainda mais com a proximidade de ambos. O que vai acontecer você já imagina, mas precisa conferir e se deliciar com essa história.
Esse foi um livro que dividiu minha opinião. Gostei bastante dos personagens, tanto os protagonistas como os secundário. Achei que Tessa acertou em cheio na construção de Clio (que é uma fofa) e de Rafe. Ambos possuem química forte e são donos de personalidades marcantes. Não sei dizer de qual dos dois gostei mais, já que cada um me conquistou por motivos diferentes. Ela é fofa, uma criatura meiga, que foi criada para ser a dama perfeita e que sempre viveu sob fortes comparações. Apesar de todos os motivos que teve para ser uma moça mimada e fútil, ela se mostrou decidida a ser mais e isso foi algo que achei marcante. Ela não queria ser aquilo que lhe era imposto. E o mesmo aconteceu com Rafe. Ele é muito mais impulsivo e impetuoso do que Clio, mas a história de vida dos dois é muito parecida. Achei que eles formaram um casal perfeito, diferentes em algumas coisas, parecidos em outras, um completando o outro sempre.
A história é boa, divertida em alguns pontos e quente em diversas passagens. Gostei de como a autora desenvolveu o romance, reacendendo aos poucos a chama do desejo entre os dois. Contudo, senti falta de algo mais. Achei que houve um foco muito grande no romance e não teve uma história paralela para empolgar mais a leitura. No geral eu achei tudo satisfatório, mas pela minha experiência com os outros livros da Tessa, achei que ela poderia ter ido além nesse e explorado possíveis subtramas e personagens. 
Esse é o segundo livro da série Castles Ever After e pode ser lido tranquilamente antes do primeiro, já que as histórias, aparentemente, não possuem nenhum tipo de ligação (eu não li o primeiro e não senti nenhuma dificuldade com esse). Gostei muito da leitura, apesar da minha ressalva ali em cima, e estou louca para ler o primeiro e, claro, para que lancem logo o terceiro.
Os fãs de romances de época com certeza irão se encantar com essa história de amor.


terça-feira, 20 de setembro de 2016

Top 5: Parece mas não é

Oi geeeente!
Não sei quanto a vocês, mas eu sou o tipo de pessoa que acha que a capa tem que combinar com a história do livro. Várias vezes comecei a ler um livro onde a capa sugeria uma história e no final ela se mostrou totalmente diferente do que eu imaginava. Pensando nisso, resolvi fazer esse top mostrando 5 livros que pareciam ser algo e acabaram mostrando que não eram nada do que eu estava pensando.

1- Uma Questão de Confiança
A primeira vez que vi essa capa achei que se tratasse de um drama familiar. Me diz se não tem tudo a ver? Pois bem, foi só lendo que descobri que, na verdade, ele é um thriller psicológico. Geeeente, minha cara foi no chão!
A história é daquela cheias de segredos, com personagens bem construídos e um mistério que paira no ar o tempo todo. Fiquei super empolgada enquanto lia, teci mil teorias da conspiração e, no final, não era nada do que eu estava pensando. O livro me arrebatou e recomendo demais!
2- Achados e Perdidos
Esse a ilusão fica apenas na capa, já que sinopse já entrega que o livro é um drama. Logo que recebi achei a capa mega fofa e imaginei que se tratasse de um infanto juvenil bem fofo. Ledo engano. O livro vai contar a história de uma menininha que foi deixada em uma loja pela mãe, com a promessa de que ela "já volta". Só em ler a sinopse meu coração ficou apertadinho. E no decorrer da leitura foram se formando vários nós em meu peito. Muitas vezes eu ria, em outras parava de ler com os olhos marejados. Enfim, não era nada do que eu imaginava...
3- Tudo Que Ela Sempre Quis
Esse foi aquele livro que todo mundo imaginou que fosse um romance e acabou se revelando um thriller. Eu jurava que iria encontrar aí um romance recheado de drama, mas encontrei segredos e mistério. Adooooro!
A história me prendeu do início ao fim e lembro que li ele em menos de dois dias. Foi uma surpresa maravilhosa já que não estava esperando muita coisa dele. Tem sensação melhor do que ser surpreendida, de forma positiva, por uma trama?

4- Do Seu Lado
Essa capa é outra que me lembrava romance mais dramático, ainda mais com essa sinopse falando que a protagonista está sofrendo pelo término do namoro e blablabla. Eu já estava esperando muitas lágrimas, muita lamúria, muita reflexão... Mas imagine você que o livro é um chick-lit!!!!
A história é muito divertida, a protagonista é ótima e eu ri muito enquanto lia. Mais uma vez fiquei surpresa pelos caminhos que o livro me levou e grata por ter sido uma leitura tão bacana.


5- Boa Noite, Estranho
Ok, em minha defesa venho dizer que se não tivesse essa frase aí embaixo (Detetive por Acidente) esse livro passaria como um romance. Tem ou não tem cara daqueles romances bem novela mexicana? Hahahaha
Mas ele é um thriller também e, embora eu ainda não tenha lido, soube que é bem bacana. Pretendo ler ano que vem pra saber se é tudo isso que falam ou não.

Agora é a sua vez: conta aí pra gente quais são os livros que quando você viu a capa achou que era algo e depois descobriu que não era nada daquilo que estava pensando?
Beijos!