terça-feira, 26 de junho de 2012

Um toque masculino: O Dia da Caça




O Dia da Caça

Não sei se vocês lembram, mas antes do dia do dos namorados Neyla veio aqui postar os lançamentos da nossa parceira, a editora Arqueiro, e pediu ajuda para escolher um titulo para me presentear. O nosso amigo Phillip do blog Entrando numa fria, deu a dica do livro O dia da caça de James Patterson, pois tinha ele a certeza de que eu iria gostar. Hoje eu faço aqui dois agradecimentos, obrigado Phillip pela dica, e obrigado amor pelo presente. Porque a leitura desse livro valeu muito a pena.

“Aquela seria uma noite comum em Washington, se não fosse a presença daquele grupo estranho invadindo a casa da família Cox. Um crime brutal é executado, uma família inteira é assassinada, nada de grande valor é roubado, a causa é oculta, e os executores são crianças lideradas por um gigante negro.
Quando o detetive Alex Cross é chamado para investigar um caso de assassinato, depara-se com a cena de crime mais terrível que já viu em toda a sua carreira. Tudo fica ainda mais chocante quando ele descobre que uma das vítimas é Ellie Cox, sua ex-namorada dos tempos de faculdade.
Abalado, o detetive Cross não consegue tirar da cabeça a cena da família morta, e sua ligação com uma das vitimas o faz sentir-se responsável e impotente. Como quando perdeu sua esposa.
Com a ajuda de sua atual namorada, a detetive Bree Stone, ele começa as investigações e é levado ao submundo de Washington. O que descobre é pior do que imaginava: os responsáveis por tamanha atrocidade são adolescentes – meninos, na verdade.
Quando outro crime com os mesmos traços de barbárie vitima mais uma família inteira, dando indícios de que o assassino viajou para a África, Cross não hesita nem por um instante. Apesar dos protestos de Bree e da avó, Nana Mama, ele parte para a Nigéria em busca de justiça. Mal sabia ele que aquela viagem mudaria totalmente a sua vida.”

O livro O dia da caça é um livro muito fluido e frenético, acho pouco provável que consiga parar de lê-lo antes do final. O clima de tensão impera durante toda a trama, e instiga você a prosseguir para saber o que vem a seguir. Descobrir um mundo novo e perigoso se torna fascinante e angustiante, tamanho é o sofrimento do herói e do povo africano. O continente africano é o personagem mais assustador da trama, tão chocante é a realidade naquela terra, que eu confesso ficar com o coração na mão ao ver tanta dor e miséria. E tem um ditado (que talvez só exista na minha cabeça) que diz: Lugares duros criam homens duros.
Tiger, o assassino impiedoso, não é um personagem profundo, e nem mesmo ficará marcado em sua memória. Mas funciona como uma ponte para a situação terrível, real, passada no antigo continente. Ele é fruto de uma realidade cruel.
Cross não é um personagem aprofundado no livro, fatos do seu passado são ditos, mas essas coisas não são exploradas a fundo, creio eu por já se tratar do 14º livro sobre o personagem. Que por falar nele pode ser visto nos filmes Beijos que matam (1997) e Na teia da aranha (2001), ambos imterpretados por Morgan Freeman, e ainda este ano, aprovavelmente em Novembro, no filme Eu, Alex Cross.
Eu particularmente achei o livro sensacional, já dei minhas 4 estrelas para ele lá no Skoob, e recomendo mesmo para quem não gosta do gênero. Pois a experiência é muito boa e não deve ser desperdiçada de forma alguma.
Vejo vocês por aí! Talvez mais cedo do que esperam, numa sombra qualquer pelas ruas.
Ace Barros

4 comentários:

  1. Oi florzinha, tudo bem?
    Obrigada pela visitinha lá no Balaio, vc é muito querida, também ja estou seguindo seu bloguito fofo.
    Sobre este livro, eu li ele há um tempinho atrás e gostei também apesar de achar que pinga sangue, hehe, é muito forte e tem que estar muito bem preparado para uma leitura como esta. Mas vale a pena sim.

    Vanessa - Balaio

    ResponderExcluir
  2. Oi flor, nunca li nenhum livro deste autor e nem vi os filmes, achei sua resenha muito legal, vc explica muitos pontos do livro, fiquei interessada em ler..

    beijoss
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Este é um livro que provavelmente estaria em minha lista de desejados, se não fosse o fato de ser uma série e este ser o "14º livro". O "mundo-cão" é algo que me chama a atenção e este parece ser um livro que explora bem o tema. Poxa, confesso que estou ficando um pouco chateado com sagas, principalmente as intermináveis rs. Tenho saudades dos livros que tinham início, meio e fim, tudo num só volume. Vou anotar a dica sim, nunca li nada de Patterson, mesmo acompanhando de longe outra série dele (humpf) Maximum Ride. Valeu a dica.

    ResponderExcluir
  4. Olá esse livro me assustou um pouco achei violento, mas gostei p caramba. E me tornei fã incondicional do Alex Cross e do James Patterson. Bjs

    ResponderExcluir