quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Literaturando: Entrevista com o autor Eduardo Spohr


Entrevista com o autor Eduardo Spohr

Crédito: Paula Johas / Divulgação

Filho de um piloto de aviões e de uma comissária de bordo, Eduardo Spohr teve a oportunidade de viajar pelo mundo, conhecendo culturas e povos diferentes, ajudando a ampliar sua visão de mundo e não se restringir. Embora seja um cético e não tenha religião, esse contato com diversas culturas e a iminência de conflitos na Guerra Fria, durante sua juventude, o motivaram a escrever sobre o fim do mundo e religião em seu livro, situando a trama em várias civilizações. Aproveitou um período ruim na sua vida profissional para escrever seu primeiro livro a ser lançado e correu atrás de publicá-lo, e sem duvidas deu a volta por cima. O sucesso do livro nasceu na internet com o apoio dos amigos do Jovem Nerd, se espalhou e depois ganhou o mundo hoje publicado em alguns países da Europa.

Escritor, jornalista, blogueiro e participante do NerdCast, o podcast do site Jovem Nerd. É autor dos livros “A Batalha do Apocalipse”, “Filhos do Éden” e “Protocolo Bluehand: Alienígenas”, atualmente escreve seu terceiro romance, “Anjos da Morte”. Eduardo Spohr ainda é professor da faculdade Hélio Alonso, no Rio de Janeiro, onde ministra o curso “Estrutura Literária – A Jornada do Herói no Cinema e na Literatura”. Hoje ele é um dos escritores mais aclamados e badalados da atualidade brasileira.

Ace: Primeiramente, gostaria de agradecer em nome do blog Coisas de Meninas a sua disponibilidade e a boa vontade de ceder essa entrevista. Sou um grande fã do seu trabalho, apesar de não ser um daqueles que acham-no um autor perfeito. Meus parabéns pelo sucesso, pois é merecido. Acho fantásticos os conceitos por trás do seu primeiro livro, até mais do que a trama, as ideias foram muito bem trabalhadas. Já em Filhos do Éden a evolução da sua escrita foi notável e por não ser um livro de apresentação como foi A Batalha do Apocalipse, senti que teve mais liberdade na narrativa. Aproveite para me corrigir se falei algo errado.

Eduardo: Eu é que queria agradecer a oportunidade. Obrigado por enviar as perguntas :)
Quanto à evolução da escrita de um livro para o outro, é difícil eu julgar. Prefiro que os leitores o façam. Mas fico feliz em saber que gostou deste ponto.

Ace: Agora vamos às perguntas. Todo autor deve estar calejado de responder essa, mas o que te levou a escrever? Era algo que sempre almejou ou a ideia surgiu com o amadurecimento?

Eduardo: Não sei se houve um fato em especial. Desde criança eu gostava de escrever e desenhar histórias. Depois parti para o RPG. Era algo que sempre me divertia. No fundo acho que foi o conjunto de muitas coisas.

Ace: Todo autor tem suas fontes de inspiração, quais foram as suas?

Eduardo: Rapaz, um milhão de fontes de inspiração, desde os quadrinhos da Vertigo à série de filmes Anjos Rebeldes e os desenhos animados dos Cavaleiros do Zodíaco. Não dá pra falar todas hehehe. Mas eu recomendo aos leitores do blog que escutem um podcast que gravamos sobre isso. São mais ou menos duas horas só de papo nesse assunto. Espero que curtam >> CLIQUE AQUI

Ace: A sua participação no Nerdcast e o apoio dos seus amigos foi fundamental para o crescimento do seu público em um tempo considerado curto. A internet foi uma ferramenta fundamental nesse processo, você acredita que sem ela você poderia conseguir o mesmo destaque que tem hoje? (Desculpe a indiscrição, é o que a faculdade de jornalismo acaba fazendo conosco, você entende.)

Eduardo: Olha, é difícil dizer. No meu caso a internet ajudou muito porque era o meio onde eu estava inserido, mas muitos autores foram bem sucedidos (mesmo no Brasil) sem a internet. Um exemplo disso é o André Vianco, que teve uma trajetória completamente diferente da minha.
No fundo, acho que cada escritor tem seu próprio caminho. Mas com ou sem a internet, aqueles que são persistentes e desenvolvem um trabalho bacana acabam conseguindo alcançar seus objetivos. Pelo menos eu acredito nisso. É 90% de trabalho duro mesmo.
Só um comentário. Nem acho que o tempo foi curto não hehhe. Da primeira versão de “A Batalha do Apocalipse” até a sua publicação pela Record foram seis anos hhehe. Uma trilha bem longa, na minha opinião ;-)

Ace: Você hoje faz parte de um grupo editorial maior e mais visível, tanto que seus livros estão à venda até em catálogos da Avon. Esse sucesso ainda o assusta? Pode falar um pouco da experiência que foi essa mudança de uma editora menor para a Record?

Eduardo: Não me assusta não. O segredo é tentar lidar com as coisas com naturalidade. Não vejo problema. O barato de estar numa editora maior é isso o que você falou, de o livro estar em lugares como catálogos da Avon e postos de gasolina. Tem cidade nos Brasil que não tem nenhuma livraria. E é bacana ver a sua obra chegar a mais pessoas.

Ace: Por falar nesse assunto. O que podemos esperar do seu novo projeto? Pode nos contar algo?

Eduardo:: O novo livro se chama “Anjos da Morte”. É o segundo da série “Filhos do Éden”, e deverá sair depois do carnaval 2013, lá por abril mais ou menos.
Será um livro bem mais adulto e sombrio do que os outros, porque se passará durante as guerras do século XX. Contará a história de um dos personagens (Denyel) junto ao esquadrão aos anjos da morte. Demorou um bocado para eu fazer, pesquisei pra caramba. Espero que tenha ficado legal.

Ace: Como dá para perceber pelo nome do nosso blog, a maioria do nosso público é feminino. Seria capaz de apontar dentro de sua obra o que seria atrativo ao público feminino?

Eduardo: Eu tento sempre escrever meus livros pensando num público bem amplo. Geralmente (acredite) os personagens femininos são bem importantes. Em “A Batalha” temos Shamira, em “Filhos do Éden” temos Kaira, que é a figura central, e em “Anjos da Morte” teremos outra, bastante legal também.

Ace: Falando ainda do seu trabalho muitas pessoas costumam confundir o fato de escrever sobre anjos com o fato de crer totalmente na existência deles. Assim como confundem o fato de você ser assumidamente Cético com Ateísmo. Queria deixar esse espaço para falar sobre essa confusão.

Eduardo: Bom o que eu posso dizer é que acredito nos anjos sim. Mas calma heheh. Eu acredito neles como metáforas narrativas. Para tal, eles são bem úteis e interessantes. Veja, no caso dos meus livros cada casta represente um sentimento, que todos nós temos. Às vezes sentimos agressividade (querubins), amor (ofanins), raiva (hashmalins) e por aí vai.
Os personagens literários, sejam anjos, robôs, vampiros, são metáforas que nos ajudam a entender os nossos próprios sentimentos. De uma forma ou de outra todos eles vivem dentro de nós.

Ace: Fiz essa mesma pergunta para o Leonel Caldela e para a Karen Soarele, mas gostaria de saber de você também. O que você acha dessa explosão da Literatura Fantástica nos últimos tempos, principalmente com autores brasileiros? Acha que isso pode durar ou seria só uma fase?

Eduardo: Não sei predizer o futuro. Mas é natural que as boas obras e os bons autores persistirão. O publico tem e sempre teve interesse em temas fantásticos.

Ace: Essa é essencial. Para quem ainda está começando a escrever, como eu, ou ainda pensando em fazer, pode dar algumas dicas?

Eduardo: Com certeza. Escrevi este post no meu blog só para responder à galera que pede dicas sobre literatura. Fica o link CLIQUE AQUI

Ace: E dicas de leitura? Pode nos dar alguma?

Eduardo: A grande dica de leitura é que as pessoas leiam aquilo que gostam. O segredo é saber escolher.

Ace: Agradecendo novamente a oportunidade da entrevista, deixamos um espaço para você dar o seu recado. Então sinta-se a vontade para falar o que e do que quiser.

Eduardo: Imagina, eu é que agradeço. Pra galera que curtiu, fiquem sempre à vontade para entrar comigo na internet, seja pelo twitter, Facebook, etc. Estou por aí :)

É isso galera, espero que vocês tenham curtido a entrevista com o simpático Spohr. Continuem acompanhando para mais entrevistas, e se não viram as anteriores é só ir na sessão literaturando. Até a próxima!

Ace Barros

10 comentários:

  1. Adorei a entrevista!
    Muito legal!
    Não conhecia esse autor!
    Beijos
    Rizia- Livroterapias
    livroterapias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Gente que entrevista maravilhosa, eu amo o trabalho do Eduardo, se hoje leio livros nacionais a culpa é dele, A Batalha do Apocalipse é o melhor nacional que li até hoje e despertou em mim este interesse nas obras daqui. Eu conheci vários escritores amigos dele, mas ainda não tive a chance de encontrar o Eduardo. A entrevista está excelente, Ace você fez perguntas muito boas e com conteúdo. Recomendo a obra deste autor à todos os amantes de literatura.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou estudante de jornalismo Cida tem que fazer valer a faculdade de alguma forma XD. O Eduardo é um dos melhores autores nacionais na atualidade, mas quem me despertou mesmo pra literatura nacional foi o Caldela.

      Excluir
  3. Oie,
    eu conhecia o autor pelo nerdcast msm :)
    Só li o A batalha do apocalipce, mas gostei bastante.
    Boa sorte na carreira dele e que faça mto sucesso.

    ResponderExcluir
  4. Oi!!!
    Gostei da entrevista apesar de não ter lido nenhum dos livros...a batalha do apocalipse tinha me deixado intrigada mas não li..rsrs
    Beijos
    Amanda
    leiturahot.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde,

    Gostei da entrevista e de saber um pouco sobre o autor...parabéns...abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/



    ResponderExcluir
  6. Oi, Ace.
    Eu gostei muito da entrevista. Li um só livro do Eduardo,que curti bastante, e foi legal ler esse papo com ele.

    Gislaine,
    atualizado, comenta?
    Jeito Inédito
    {ah, eu tô seguindo. Se quiser retribuir ficarei muito agradecida :D}

    ResponderExcluir
  7. Gente eu sou fascinada por ele. Ele é muito foda na minha opinião viu.
    Li o primeiro livro dele e é perfeito demais.Louca para ver os próximos.

    Parabéns pela entrevista.
    http://dehkretli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Tô para comprar A Batalha do Apocalipse e Filhos do Éden para ler!
    Achei incrível esse livro :D

    ResponderExcluir