terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Um Toque Masculino: Viagem ao Centro da Terra


Uma volta aos clássicos: Viagem ao Centro da Terra



"Após decifrarem um código oculto em misteriosas inscrições rúnicas, o professor Lidenbrock e seu sobrinho Axel embarcam numa jornada que homem algum ousaria trilhar. Em meio a sua descida rumo ao centro da Terra, os dois aventureiros enfrentam a fúria de rios subterrâneos, deparam-se com insetos e cogumelos gigantes e com estranhos fenômenos físicos, além de encontrarem resquícios de um mundo pré-histórico e desconhecido que sobreviveu ao tempo."

Em tempos de clássicos no cinema e jornadas inesperadas a torto e a direito resolvi visitar uma das viagens mais importantes da literatura mundial: Viagem ao Centro da Terra. Escrito pelo autor francês considerado um dos pais da ficção cientifica, Júlio Verne, o livro se tornou uma obra indispensável para quem gosta de ler independente do gênero favorito.
A trama é narrada em primeira pessoa, quase como um diário, por Axel, um adolescente que vive com seu tio, o cientista Otto Lidenbrock. Um belo dia o Professor Lindebrock encontrou uma achado num sebo judeu, um livro sobre príncipes noruegueses que reinaram na Islândia que continha um código rúnico que tinham o segredo do caminho para o centro da terra. Conhecendo o gênio do tio, Axel ao desvendar o código fica temeroso e pensa em destruí-lo, mas para a frustração de Axel, seu tio resolve embarcar nesta viagem a Islândia, levando obviamente ele o sobrinho e também aprendiz.
A entrada para o centro da Terra se encontra em um vulcão inativo, na Islândia, e acompanhados de Hans, o guia, eles começam a expedição. Verne narra a jornada aos mínimos detalhes fazendo Axel registrar todos os momentos da aventura, com caminhada, túneis e perdas, os três descobrem uma câmara descomunal muito abaixo da superfície, onde existem plantas e animais pré-históricos.
Verne mostra por que é considerado um dos pais da ficção, em uma época onde a tecnologia ainda era restrita ele consegue com uma enorme criatividade, criar as coisas mais impossíveis e inesperadas possíveis. Mesclando a ficção com o mundo da ciência, se utilizando de termos que eu não fazia ideia da existência e criando conceitos de coisas antes impensáveis. Um verdadeiro mestre da literatura.
Recomendo a leitura deste clássico principalmente para aquelas pessoas mais jovens como eu estão cercados por livros da moda, mas que apreciam uma boa leitura. Este pode ser um ótimo presente para aquela pessoa que acha que ficção é coisa de criança, e para qualquer um que queira uma leitura prazerosa para um fim de semana.

Ace Barros 

Ps. Para quem entendeu a ligação logo no inicio já sabe qual será o meu próximo post, uma tal Jornada Inesperada de um pequenino.

5 comentários:

  1. Oie flor,
    li esse livro faz basante tempo e sinceramente não gostei mto, o filme é bem mais divertido rsrsrs

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ahn não adianta, filmes nunca são iguais aos livros!
    Pra mim, todo mundo precisa ler os clássicos, principalmente os jovens.

    Bye da Pah
    www.livrosestrelas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li o livro, mas já assisti ao filme faz alguns anos e gostei bastante.
    Ótima dica!!!

    *bye*

    Louca por Romances

    ResponderExcluir
  4. Oi, estava passando em um blog vi o seu resolvi olhar, gostei, e já estou seguindo. Ainda não li o livro, mas já assisti um filme com esse nome, não sei se é baseado no livro, mas eu gostei do filme, é com aquele ator que faz jogos vorazes o Josh.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite,

    Esse livro é simplemente demais...parabéns pelo post....abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir