sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O Hobbit - Uma Jornada Inesperada


No mês de Dezembro de 2012 uma jornada inesperada chegou aos cinemas, era a primeira parte da trilogia O Hobbit de Peter Jackson. De inesperada essa jornada não tinha nada, afinal muitos de nós já a aguardávamos ansiosos para vê-la na tela, pelo menos eu posso garantir estava. Alguns estavam com medo da divisão tão grande na adaptação de um livro tão curto em uma trilogia. Peter Jackson acertaria novamente ou cometeria um erro grave perante os fãs conquistados com O Senhor dos Anéis.
Logo no inicio do filme vemos que podemos dar crédito a Peter Jackson. O filme tem uma abertura diferente do livro, se localizando exatamente na cena inicial do filme A Sociedade do Anel com Bilbo já velho se preparando para a comemoração dos seus Onzenta e Um anos, e seu sobrinho Frodo pronto para esperar a chegada do mago Gandalf. A abertura desta forma dá mais dinâmica e um lugar no universo cinematográfico da saga servindo de ligação entre os filmes, além de dar uma explicação maior à narrativa feita pelo velho Bilbo desde o inicio.


Outro ponto muito bom em relação ao livro é a caracterização dos anões, que passam a ser diferentes entre si na aparência e personalidade, e não mais apenas por capas coloridas. Peter Jackson encontra um meio termo entre o clima adulto de seus filmes e a doce infância presente no livro o Hobbit. Essas modificações ,aliás, favorecem o filme, pois se alguns animais falassem causaria uma estranheza muito grande ao público. Mas Peter Jackson faz o melhor para respeitar a obra, inclusive incluindo personagens que fortalecem a trama como Azog, o Profano, principal inimigo de Thorin, príncipe anão da linhagem dos Durin e líder da comitiva que quer restaurar o antigo reino anão em Erebor. 
As atuações são um espetáculo a parte, Martin Freeman é um Bilbo carismático e divertido, os trejeitos e tiques fazem com que vejamos o quão pacato e caxias era o pequeno hobbit antes daquela jornada. Dois outros personagens me chamaram muito a atenção durante o filme: Radagast, o Castanho, e Gollum. Ambos muito engraçados e perfeitos em suas breves aparições, mas aquele que fez Neyla suspirar foi Thorin Escudo-de-Carvalho. O anão "gatinho" chamava atenção pela rigidez e vontade inabalável, um líder seguido por todos de boa vontade. Um homem de verdade segundo as palavras dela.


O filme é longo, mas bastante divertido e as quase 3h mal chegam a serem sentidas. Existe ação em muitas partes, comédia e até um pouco de drama envolvendo os anões e sua busca por um lar. O 3D é um elemento que torna o filme mais agradável, e como minha primeira experiência eu digo que adorei e por conta dele verei outros filmes também dessa forma. Recomendo a todos que estão querendo diversão assistir esse filme e em 3D se possível.
Peter Jackson não só conseguiu novamente como conseguiu empolgar tanto que Neyla e eu tivemos reações fortes após sair do cinema. Ela com vontade de reler o livro que ela não havia gostado tanto ao ler da primeira vez, e eu doido para comprar vários bonecos dos personagens para aumentar minha coleção. Se tinha algo a falar de ruim sobre o filme acho que sucumbiu perante a minha alegria ao fim da sessão. Mas posso falar mais uma coisa boa: Peter Jackson muito obrigado e que venham os próximos.


8 comentários:

  1. Ahhh como amei O Hobbit!! Peter Jackson realmente tem a melhor equipe do mundo para mexer nos livros do Tolkien. Ele sabe o que está fazendo.
    Adorei o filme! Os anões estão muito bem caracterizados e Martin Freeman como Bilbo está simplesmente perfeito!
    Beijos,
    Lú.

    ResponderExcluir
  2. Ace!
    Nossa! Nem acredito que ainda não assisti..ushuaushuaushua...
    Quero assistir logo, logo...

    Neyla!

    Agradeço sua visita ao blog e venho retribuir com toda atenção e carinho que tenho no coração! Obrigada, volte sempre que desejar, será um prazer!

    Desejo um final de semana abençoado e com descanso merecido!

    FELIZ 2013!!

    Luz , paz e amor no coração!
    Cheirinhos
    Rudy
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ace, oi Neyla!
    Não assisti ao filme em 3D, mas mesmo assim fiquei encantada com o resultado, sem dúvida toda equipe está de parabéns, pois percebemos que cada detalhe foi bem cuidado.
    Tinha dúvidas se Bilbo me conquistaria tanto quanto o Frodo, mas gostei muito desse hobbit, são "amores" diferentes. Por falar em amores, meu anão "gato" preferido foi o Kili rsrsrs...
    Beijos... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas os atores sem a caracterização o Thorin continua tão bonito quanto no personagem, tanto que eu mesmo homem assumo isso. Já o Kili.... XD HAHAHAH

      Excluir
    2. kkkkk Essa é a Magia do Cinema - nada que uma peruca e uma equipe de caracterização não resolvam ;) Bjs!

      Excluir
  4. Ace!!
    O texto ficou maaaassa!! Parabéns!
    Eu também estava com muitas expectativas pro filme e não me decepcionei.
    Já imagino como serão os próximos!!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá Ace,
    No momento não estou muito interessada em assistir o Hobbit, mas gostei do post super inspirado.

    Feliz 2013,pra vocês!!

    *bye*

    Louca por Romances

    ResponderExcluir
  6. Então, agora preciso encaixar O Hobbit na minha lista de próximas leituras.. É a segunda vez que leio sobre o toque infantil no livro, que é um livro que pode ser lido por qualquer idade, ai a curiosidade bateu na minha pessoa... rsrsr.
    Não sabia que seria três filmes, ainda bem que esse primeiro está superando as expectativas.
    Feliz Ano Novo Ace!!

    Bye da Pah
    www.livrosestrelas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir