sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Um Toque Masculino: Kindle, eBooks e Amazon no Brasil



No fim do ano passado a Amazon chegou no Brasil e tem sacudido as estruturas do mercado literário brasileiro. Junto com ela veio o lançamento do seu leitor digital em território nacional, o Kindle, e a abertura da loja online de eBooks a Amazon.com.br, e varias editoras passaram a investir nesse setor.

O Kindle já virou febre entre os blogs literários e de tecnologia, e a velha discussão sobre o eBook e o livro impresso voltou a ferver na internet. O Kindle é um aparelho de bateria duradoura, leve e portátil mantendo a portabilidade de um livros, mas com um acervo de biblioteca caso o dono tenha comprado vários títulos. Mas se engana quem pensa que o Kindle Reader se limita ao seus próprio aparelho. Existem várias versões do aplicativo de leitura que podem ser instalados em outros aparelhos como Tablets, Computadores e Celulares compatíveis com sistemas operacionais variados, e gratuitamente.

Experimentei esse serviço e adquiri dois eBooks para teste a um custo de R$ 9,00. Fiz a leitura pelo meu netbook em uma tela de 7 polegadas, o que é bastante pequeno para algumas pessoas, e não tive dificuldade para ler. Bem prático e fácil de usar, o aplicativo tem diversas funções que facilitam a leitura: Ampliar fonte, tamanho da linha/página, luminosidade e cor da página, e possivelmente outras que não explorei. E não precisa se preocupar se já tiver livros em Pdf guardadinhos com você, pois é totalmente compatível. Esta é uma opção bastante usual e atrativa para quem não quer ou não pode dar R$ 299,00 em um aparelho Kindle. Além de que o acúmulo de funções pode ser vantajoso. Melhor ter um Kindle em um Tablet ou em um celular, do que andar por aí com os dois aparelhos na sua bolsa.

Um dos pontos que desagrada é a questão dos preços dos livros digitais. Existem vários com preços muito bons e com diferenças grandes da versão papel: Como é o caso do livro Branca dos Mortos e Os Sete Zumbis - E Outros Contos Macabros da Nerdbooks que tem R$ 30,00 de diferença da versão impressa. Do outro lado temos livros e best-sellers com diferenças inferiores a R$ 3,00, o que não é nenhuma vantagem. E vale lembrar que o custo na criação da versão digital é menor. Por outro lado, há uma proteção declarada ao livro físico que poderia estar ameaçado caso o desconto fosse maior.

Por fim declaro que a guerra entre o digital e o físico está longe de acabar e vai durar mais alguns anos. Mas torço muito para que no fim haja uma convivência pacífica entre ambos, onde o livro digital mais barato seja apenas a porta de entrada para a versão física e que o amante da leitura possa garantir os dois sem forçar tanto o bolso.

Ace Barros

5 comentários:

  1. Me manda o link já de Branca dos Mortos e os 7 Zumbis, só tem em kindle?? Eu leio no tablet, mas em outra versão.

    Já me acostumei com o ebook, porém ainda prefiro o físico, desde que não esteja muito caro, caso contrário, espero entrar em promoção, rs.

    Bjkas

    Alessandra Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falei lá com você pelo twitter. Não posso fazer propaganda gratuíta de loja (fiz da Amazon pelo bem do texto)e nem PDF gratuítos para não complicar pro meu lado depois. Mas mandei os links das lojas para você.

      Excluir
  2. Eu tou pensando em comprar um Kobo, que chegou aqui no Brasil pela livraria Cultura e, por enquanto, me parece uma alternativa melhor do que o Kindle. Primeiro porque esse Kindle que vende na Amazon Brasil não é touch (o Kobo é)e segundo porque o Kobo tem umas opções baratas e suporta vários formatos. O mini, que guarda até mil livros, tem 5" (cabe no bolso e realmente não é pequeno demais pra ler) e custa R$299. A vantagem de ler num e-reader é que a leitura é muito mais confortável do que num tablet ou pc, porque a tela é muito similar ao papel. E eu também não abandono de jeito nenhum os livros físicos, mas tem casos que um e-reader se torna realmente uma tentação,como, por exemplo, em viagens. Não dá pra sair por aí carregando um monte de livros, né?
    Ótimo post!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, eu não senti dificuldade em ler por conta da tela no netbook, e acho que muita gente tenha esse costume já, mas já que é mais confortável é algo a se colocar na balança também. E por falar nisso só foquei nessa opção por conta da relação custo beneficio.
      Careca, eu não sabia que o Kindle Reader disponível no Brasil era de touch e nem a opção desse Kobo, obrigado por enriquecer a discussão com seu comentário.

      Excluir
  3. Boa noite,

    É uma boa alternativa, mas prefiro o bom e velho livro...abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir