terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Um Toque Masculino: Sangue Quente

Sangue Quente de Isaac Marion


"Oi, eu sou um zumbi e isso não é tão ruim. Me desculpe por não me apresentar direito, mas não me lembro do meu nome, nenhum de nós se lembra. Também esquecemos de nossos aniversários e das senhas do banco. Acho que meu nome começava com R. É engraçado, porque, quando eu era vivo vivia esquecendo do nome dos outros. Estou descobrindo que esse tipo de ironia está muito presente na vida dos zumbis, mas é difícil rir quando mal consigo falar"

Sim, senhoras e senhores eu li este livro e não se espante com o que está por vir. Continuando como o zumbi sem palavras, faço minhas as palavras da sinopse do livro. "R é um jovem vivendo uma crise existencial – ele é um zumbi. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a “vida” de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos- vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa."
Parece que agi por preguiça, mas não é este o caso: A capa do livro é auto-explicativa e preferi usá-la a criar palavras confusas para falar da trama. Portanto, usarei todas as palavras que guardei no paragrafo anterior comentando a obra. E começo criticando o bendito comentário da capa. Ter o nome da Stephanie Meyer estampado na capa deste livro fez com certeza muitas pessoas compararem Sangue Quente com os livros da Saga Crepúsculo. E pelo que conheço da obra da autora não achei relação além da obvia, embora o foco de Sangue Quente não seja o romance.
Como a sociedade atual encontrou seu fim e entrou em colapso ninguém sabe, assim como ninguém sabe como a praga zumbi começou. O que restou da humanidade leva uma vida medíocre nos poucos lugares seguros do Mortos, e o diferencial começa a partir do detalhe a seguir: os Mortos vivem em sua própria sociedade organizada, com regras e costumes próprios, com direito a constituir família e frequentar cultos, mesmo que não haja mais sentido para esse tipo de coisa. Uma sociedade morta e programada, sempre mecânica  onde ninguém se importa com o próximo. Te lembra algo?
R é um zumbi diferente, o mais bem conservado entre os defuntos e inconformado com tudo aquilo que era a sua vida de Morto. A relação dele com Julie não nasce de uma amor bobo ou uma simples atração, a garota é a chave para a mudança em sua vida. Mas o livro não foca em romance, a verdadeira mensagem  está na crítica social e essa pegada me conquistou. 
A narrativa é envolvente e te insere no clima da história que é narrada totalmente por R, o que as vezes é um pouco lenta. Mas o que esperar da narração de um zumbi? Apesar disso a trama sai do padrão clichê e faz com que o romance entre os protagonistas seja muito interessante. Sem falar na cura para a praga que na verdade é uma lição para nós.
O livro me surpreendeu bastante, não sei se devo ter muitas expectativas em relação ao filme (que por sinal falarei dele ainda essa semana), mas posso garantir que a leitura do livro irá surpreendera a todos. Despertem da sua vida morta e nos encontraremos em um mundo mais vivo.

Ace Barros 

6 comentários:

  1. Ficou ótima a resenha, foi mostrou bem os pontos favoráveis do livro, no entanto não é exatamente meu tipo de leitura. Mas gostei de conhecer Sangue Quente.

    Bjs

    daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ace!
    Gostei muito da resenha. Uma hora dessas eu vou dar uma espiada nesse livro numa livraria, e quem sabe eu dê uma chance a ele... Porque o filme foi de amargar, hahaha..
    Aliás, no filme eu gostei muito de uma piada bem no começo, que mostra os "vivos" mexendo em celulares e afins, alheios às pessoas ao redor. Pelo que você falou, o livro foca mais nesse tipo de ironia, então deve ser bacana.

    Abraços!
    Karen Soarele

    ResponderExcluir
  3. Estou ansiosa para ler este livro, será uma das minhas próximas leituras!
    http://leituramagnifica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Resenha linda, impecável, perfeita, maravilhosa... Enfim, eu comprei esse livro para o meu noivo assim que lançou, ou seja, faz tempo. Ele é apaixonado por zumbis. Dei o livro pra ele e ele leu. Um dia ele chegou pra mim com o livro na mão e me entregou, dizendo que esse eu iria gostar(Ah! Esqueci de mencionar que zumbis me agradam tanto qto 50 Tons, rs).
    Enrolei um pouco, mas quando li me apaixonei por R e por sua história. Seu romance e sua cura!!!

    Parabéns pela resenha!!

    Bjkas

    ResponderExcluir
  5. Depois que vi o trailer do filme, fiquei com muita vontade de assistir/ler
    A estoria parece ser bem interessante
    Só os nomes que ficaram diferentes

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oiee =)
    confesso que não gostei dessa capa, pelo menos dessa parte vermelha.
    mas, gostei bastante da resenha e sinceramente até então não tinha parado para ler algum resenha desse livro e agora que li quero está lendo o livro e sendo surpreendida.
    Beliscões carinhosos da Máh-
    Felicidades nos Livros

    ResponderExcluir