segunda-feira, 3 de junho de 2013

Resenha: Proteja-me















Título: Proteja-me
Editora: Novo Conceito
Autor (a): Juliette Fay
Número de páginas: 435 páginas



Sinopse: Quatro meses após a morte do marido, Janie LaMarche continua tomada pela dor e pela raiva. Seu luto é interrompido, no entanto, pela chegada inesperada de um construtor com um contrato em mãos para a obra de uma varanda em sua casa. Surpresa, Janie descobre que a varanda era para ser um presente de seu marido — tornando-se, agora, seu último agrado para ela.
Conforme Janie permite, relutantemente, que a construção comece, ela se apega aos assuntos paralelos à sua tristeza: cuidando de seus dois filhos de forma violentamente protetora, ignorando amigos e família e se afundando em um sentimento de ira do qual não consegue se livrar. Mesmo assim, o isolamento autoimposto de Janie é quebrado por um grupo de intervenções inconvenientes: sua tia faladeira e possessiva, sua vizinha mandona, seu primo fofinho e até Tug, o empreiteiro.
Quando a varanda vai tomando forma, Janie descobre que o território desconhecido do futuro fica melhor com a ajuda dos outros. Até daqueles com os quais menos esperamos contar.

Quando li a sinopse de Proteja-me estava esperando uma história que me fizesse ficar grudada ao livro, do início ao fim. Eu gosto de drama, apesar de não ser meu gênero favorito. Mas, infelizmente, Proteja-me acabou não sendo tudo aquilo que eu esperava.
A sinopse já fala por si só, mas mesmo assim contarei um pouco da história. Janie ficou viúva a pouco tempo. Seu marido foi atropelado enquanto andava de bicicleta e a deixou com dois filhos: Dylan de 4 anos e Carly, que tem menos de 1 ano. Tomada pela dor da perda, Janie vive no automático, fazendo as coisas simplesmente por que tem que fazer. Sua companhia, além dos filhos, é o padre Jake, que vai vê-la toda semana, sua vizinha Shelly e sua tia Jude. Mas ela não quer ver ninguém, nem conversar e, os momentos em que passa cercada por pessoas, não são tão reconfortantes como acreditam ser.
Um belo dia, surge à sua porta Tug, empreiteiro contratado por seu esposo (antes de morrer, obviamente) para construir uma varanda. Essa varanda seria um presente de aniversário, um último presente. Com a construção e a aproximação de novas pessoas, Janie vai percebendo que não é a única a ter problemas e que, apesar de toda dor do passado, ela pode sim ter um futuro feliz.
A história basicamente, se resume a dor de Janie. No decorrer das 435 páginas vamos conhecendo um pouco mais sobre Janie, seus temores, seus pensamentos e sentimentos. Alguns personagens vão sendo acrescentados à trama, como a simpática Heidi, mãe de Keane (amiguinho de Dylan), Shelly e Tug. Todos possuem um papel de suma importância na vida de Janie e, de certa forma, vão ajudando-a a sair do luto e buscar a sua felicidade.
Esse é o primeiro livro da autora que leio e, confesso a vocês, achei extremamente cansativo. A trama é amarrada, algumas partes são repetitivas e Janie está longe de ser uma personagem carismática. Por mais que eu imaginasse o tamanho da dor dela, não conseguia ser solidária por que muitas vezes, ela era tão arrogante e irônica que beirava a chatice. A história não empolga durante a maior parte do tempo, com exceção das últimas 100 páginas (que eu devorei com uma ansiedade que não senti no decorrer de todo o livro).
Recomendo o livro para quem gosta de um drama. Não é por que não me empolgou que não pode empolgar você. Leiam e tirem suas próprias conclusões.

16 comentários:

  1. Parabéns pela resenha Neyla! Estou ansiosa para ler Proteja-me e espero não me decepcionar. Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Adoro seus vídeos é bem explicativos, nossa gostaria de poder ler pelo menos um desses livros, adoro ler, mas perdi o foco. Mas espero voltar como antes.
    Bjos flor!!!

    ResponderExcluir
  3. ixiii então não vou gostar. detesto dramas rsrsrsrsrs

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto de drama, mas não esperava que este fosse tão chato, rs. Com certeza lerei, mas vou demorar um bocado pra isso.

    Adorei a resenha flor!!

    Bjkas

    ResponderExcluir
  5. Oi Neyla!

    Quando vi o lançamento do livro, fiquei em dúvida se iria ou não solicita-lo, e acabei por não pedindo. Ao meu ver, Proteja-me chegue o mesmo padrão de Uma Questão de Confiança, a única diferença seria o suspense que o último tem. Eu até gosto de dramas também, mas acho que para o livro não ficar massante, o autor tem que saber como tornar o livro atrativo e deixar seus personagens envolventes com o leitor, sem parecerem artificiais ou arrogantes, como é o casa da Janie. Quem sabe em um futuro eu venha a ler o livro, mas no momento não senti muito envolvimento da minha parte com ele.

    Beijos

    Da Imaginação a Escrita

    ResponderExcluir
  6. OI quero muito ler esse livro! Vou ter que catar ele de qualquer jeito!
    bjs, www.resenhasteen.blogspot.com (me segue por favor?)

    ResponderExcluir
  7. Oi Neyla!

    Tenho certo receio em ler drama, faço isso apenas quando a história chama muito a minha atenção. Que pena o livro não superar suas expectativas, é tão ruim quando isso acontece.
    Bom, pela sinopse e a sua resenha, parece que a história é extremamente cansativa e sem um algo a mais. =/
    Adorei sua resenha, flor!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Flor!

    Adoro livros nesse estilo!
    Esse já entrou na minha listinha e pretendo ler em breve!
    Beijos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  9. Todos os ingredientes que me fariam não ler um livro estão na sua resenha, Neyla. Até gosto de drama, mas se for algo cansativo e sem nada a acrescentar, estou fora. A capa já não me atrai, a história muito menos rsrsrs Tomara que a NC traga melhores lançamentos viu!
    Beijos
    Descobrindolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Adorei a resenha. Principalmente porque você não foi daquelas pessoas que leem um livro, detestam, mas se rasgam em elogios só para 'não ofender' a editora parceira.
    Eu, logo que vi esse livro, já n gostei dele. E convenhamos, chega de drama na vida, né?!
    Parabéns pela resenha!

    Beijos
    Isa
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Neyla.
    Sabe, eu até comecei a ler esse livro, mas achei a narrativa muito arrastada, e muito denso no início, acabei deixando a leitura pra outro momento.

    Beijos
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Neyla,

    Esse livro esta na minha lista de espera e espero gostar dele...parabéns pela resenha...abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Eu sei bem como é isso Neylinha. A história me lembrou muito PS I love you.
    Resenha bem estruturada. Parabéns

    ResponderExcluir
  14. Ótima resenha!
    Proteja-me parece ser um livro tocante, não apenas por falar de amor, amizade e fé, mas, sobretudo, por tratar também de perdas e superações. O tema não é tratado de forma pesada, e nos leva a pensar em nossas próprias reações diante das dificuldades. Vai me trazer muitas lágrimas.
    Bjus

    ResponderExcluir
  15. Eu até gostei dessa história, de um modo geral, mas concordo que a leitura foi meio cansativa......

    ResponderExcluir