terça-feira, 15 de outubro de 2013

Resenha: Corações feridos











Título: Corações Feridos
Editora: Novo Conceito
Autor (a): Louisa Reid
Número de páginas: 255 páginas


Sinopse: Hephzibah e Rebecca são irmãs gêmeas, mas muito diferentes. Enquanto Hephzi é linda e voluntariosa, Reb sofre da Síndrome de Treacher Collins — que deformou enormemente seu rosto — e é mais cuidadosa. Apesar de suas diferenças, as garotas são como quaisquer irmãs: implicam uma com a outra, mas se amam e se defendem. E também guardam um segredo terrível como só irmãos conseguem guardar. Um segredo que esconde o que acontece quando seu pai, um religioso fanático, tranca a porta de casa. No entanto, quando a ousada Hephzibah começa a vislumbrar a possibilidade de escapar da opressão em que vive, os segredos que rondam sua família cobram-lhe um preço alto: seu trágico fim. E só Rebecca, que esteve o tempo todo ao lado da irmã, sabe a verdadeira causa de sua morte... Hephzi sonhara escapar, mas falhara. Será que Rebecca poderia encontrar, finalmente, a liberdade?

Uma história forte e impactante, assim eu descreveria Corações Feridos. Comecei a leitura sem esperar muito da história, mas logo nos primeiros capítulos o livro me ganhou e se tornou um dos melhores do ano. Sem brincadeira, foi a história mais forte que li esse ano e nem sei como descrever para vocês um pouquinho daquilo que senti enquanto lia.
Hephzibah e Rebeca são gêmeas, filhas de um pai fanático pela religião e uma mãe omissa. Apesar de serem gêmeas, são bastante diferentes, tanto fisicamente como no jeito. Hephzibah é bonita, vistosa e emana simpatia. Rebeca é introspectiva, sozinha e sofre da síndrome de Treacher Collins, que é uma doença genética caracterizada por deformidades crânio-faciais. Não é fácil para ela se aproximar das pessoas, já que atrai muitos olhares e risinhos por a acharem uma aberração.
A história já começa com Hephzibah morta, mas a causa de sua morte só vamos descobrir quase no final do livro. A cada virada de página vamos conhecendo um pouco mais sobre o mundo dessas duas meninas, seus sonhos de liberdade, suas frustrações e os maus tratos sofridos dentro de casa.
As meninas foram criadas em um regime de extrema rigidez, sem poder ir à escola e apanhando duramente por conta de qualquer comportamento tido com inapropriado pelo pai. Não possuem amigos, não saem de casa, nem sequer possuem roupas novas. Tudo o que possuem vem das doações feitas à igreja de seus pais. É somente quando ambas são matriculadas numa escola regular, para dar continuidade aos estudos (antes estudavam em casa, com a mãe) que elas começam a experimentar um pouco mais de liberdade, principalmente Hephzibah que é a mais "rebelde" das duas.
Com amigos na escola e até um namoradinho, Hephz está sempre se arriscando, saindo de casa escondida, batendo de frente com a mãe e contando com a ajuda de Rebeca para lhe dar cobertura. Ela só precisa ter muito cuidado, pois se o pai descobrir coisas muito ruins podem acontecer.
A história é narrada pelas duas meninas, o que torna a leitura bem mais interessante. Nos capítulos narrados por Hephzibah conhecemos os fatos do passado e nos de Rebeca o que aconteceu após a morte da irmã. É difícil não se envolver com a história, não sentir raiva pelos pais das meninas e compaixão pela forma como elas vivem. Eu me emocionei em várias passagens e em outras fiquei simplesmente abismada. 
Corações Feridos é um livro dramático e repleto de emoções fortes. A narrativa te prende do inicio ao fim, é intensa e sensível. Ao conhecer mais a fundo a história, você se sente próximo aos personagens, quase como um amigo íntimo que está ouvindo suas confissões. 
Os capítulos finais não poderiam ser mais envolventes, com segredos sendo descobertos e com a torcida para que aja, finalmente, um final feliz. É tocante!
Sem sombra de dúvidas, uma leitura que recomendo muito.

Neyla Suzart

7 comentários:

  1. Oi Neyla,
    sério que só eu não gostei muito do livro? rsrsrs
    Achei tão triste... Mas que bom que você gostou :)

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ando correndo de livros tristes, mesmo que 70% da blogosfera esteja falando bem dele. Não tenho estômago para isso de jeito nenhum no momento.
    Mas adoro a proposta dele, e sua resenha está impecável, como sempre.

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Estou louca para ler esse livro. Por todos os comentários que li sobre ele tenho certeza que vou amar.

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  4. Tenho visto muitas resenhas desse livro, mas ainda não pude ler, espero que em breve faça isso logo, logo :)
    Beijinhos :)
    http://clicandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Neyla,

    Li e resenhei esse livro no blog, aliás, devorei o livro...leitura fácil, apesar de tensa..também recomendo...abraços.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Que livro triste, só pela sua resenha já da para perceber isso nitidamente. Fiquei triste por Hephzibah ter morrido, acho que ela merecia ter vivido sua tão sonhada liberdade junto com Rebecca...
    Mas eu espero que no final os pais delas paguem pelo que fizeram e que Rebecca possa ser feliz novamente e superar todos os seus traumas.

    ResponderExcluir
  7. Amei este livro. É muito triste, mas profundo e mexe com várias outras emoções. Muito bom mesmo!

    ResponderExcluir