sábado, 5 de outubro de 2013

Resenha: Liberta-me









Título: Liberta-me
Editora: Novo Conceito
Autor (a): Tahereh Mafi
Número de páginas: 444 páginas






Sinopse: Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette. Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor. A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.

Falar de Liberta-me será meio difícil para mim. Esse foi, com certeza, um dos livros mais aguardados do ano. Eu adorei Estilhaça-me, os personagens, a trama, ele é um daqueles livros que quando acabados deixam um gosto enorme de quero mais. Tinha expectativas altas em relação a Liberta-me e o livro conseguiu ser ainda melhor do que eu imaginava.
Juliette está livre do Reestabelecimento, mas nem por isso sua vida é menos difícil do que antes. Escondida no quartel da Resistência (Ponto Ômega) sente-se sozinha mesmo com a companhia de Kenji, James e Adam.
Não poder tocar nas pessoas sem matá-las é um fardo enorme que Juliette precisa carregar. E isso faz com que se sinta cada dia mais distante das pessoas já que, no seu ponto de vista, todas têm medo dela e a acham perigosa. Com isso, ela mantém-se sempre distante, mal ousando olhar as pessoas nos olhos, quanto mais tentando fazer amigos.
Durante a sua estadia no Ponto Ômega, Juliette vai tendo uma noção maior de tudo que está acontecendo no mundo e, principalmente, tomando conhecimento do poder que trás consigo e do quão útil ele pode ser na guerra que está por vim. Já o relacionamento com Adam não está tão bom quanto antes. Preocupada com o ar cansado que ele vem apresentando no final de cada dia, Juliette descobre que ele está fazendo testes para saber o motivo de ser imune a seus poderes. E essa descoberta vai balançar ainda mais o relacionamento dos pombinhos.
Liberta-me é um livro intenso, com grandes segredos sendo revelados e um clima de mistério pairando no ar. Gostei da forma como a autora foi acrescentando novos personagens a trama, descrevendo o Ponto Ômega e seus habitantes, bem como seus dons. O livro é narrado por Juliette e está muito mais emocionante do que Estilhaça-me. Costumo dizer que a escrita de Tahereh é encantadora, mágica. E nesse livro ela conseguiu se superar.
As minhas emoções ficaram a flor da pele durante a leitura. Acho Juliette uma das mocinhas mais adoráveis da atualidade e o fato do livro ser narrado em primeira pessoa só faz com que me sinta ainda mais próxima a ela. Em determinados momentos tive vontade de colocá-la no colo e chorar com ela. Seus medos e frustrações ficam tão expostos que acabam sendo um pouco nossos também.
Apesar de ser um fofo, Adam não é (e acho que nunca será) meu personagem masculino preferido. É Warner o dono do meu coração e é impossível não amá-lo cada vez mais. Eu sei que ele é o vilão da história (será mesmo?), mas o que posso fazer se ele é adorável? E sua participação em Liberta-me só fez com que eu o amasse mais e mais. Nem preciso dizer para quem é a minha torcida de final feliz ao lado de Juliette, não é?
Se eu recomendo o livro? Com toda certeza! Envolvente, cheio de aventuras e segredos, é um prato cheio para todos aqueles que são fãs da série. E se você ainda não leu nenhum dos livros, leia que não vai se arrepender.

9 comentários:

  1. Nossa Neyla, quantas emoções intensas o livro te causou heim? Que delícia... É muito bom quando uma leitura supera a nossa expectativa.

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho uma boa impressão da série, principalmente por conta das resenhas que eu leio, e aqui não foi diferente. Apesar que muitos reclamaram que o padrão da capa não continuou, me parece que a história manteve o nível alto. Eu morro de curiosidade, um dia eu leio. hahah
    Abraço!
    :)
    http://clicandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. eu ainda não li apesar de ter o primeiro livro, mas ja dei uma folheada e sinto que vou gostar do Warner, é uma coisa instintiva! não sei explicar!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Warner (suspiros) como não amá-lo??

    Amei a resenha, não vejo a hora de ler este livro!! Estou com saudade da Julliete!!

    Bjkassss


    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ohhh, sua resenha me deu uma luz nova, acredite em mim. Estou enrolando para ler o livro, por mais curiosa que esteja, mas ela me deu um animo novo (só que tenho que terminar os livros que comecei, agora). Amei Estilhaça-me, foi um livro que eu me apaixonei mesmo. Te entendo bem, Adam é fofinho e tal, mas ele não é O Warner.
    Depois de ler sua resenha, vou agilizar nos livros que estou lendo, para lê-lo de uma vez. Sério.
    Beijos,
    Vitória R.
    Adeus Realidade

    ResponderExcluir
  6. Oi Neyla! Adoro quando o vilão é melhor que o mocinho, eles sempre são mais espertos e perigosos, e quem não gosta de um certo risco. Este livro tem aventura do começo ao fim, não vejo a hora de ler.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Oie Neyla
    eu AMO essa trilogia. Acabei e ler o conto do Warner, e fiquei destruída de tanto amor *_*
    Não vejo a hora de ler Liberta-me, pelo visto vai causar um turbilhão de emoções em mim.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  8. Olá Neyla,


    Li e resenhei esse livro no blog, esperava muito mais, mas vamos ver o próximo...parabéns pela resenha....abraços.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Neyla!
    Não curto muito distopias e não li o primeiro dessa saga, mas gostei da resenha.
    Muita gente já tentou me convencer a ler mas continuo com os dois pés atrás.

    Beijos,
    Letícia - Literature Diary

    ResponderExcluir