segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Resenha: A Linhagem





Sinopse: Londres do século XVIII. A capital da Inglaterra era um dos mais importantes centros do mundo. Vestidos pomposos, elegância e boas maneiras. Um tempo onde as posses e a reputação regiam a sociedade. A igreja possuía poder absoluto e condenava aqueles os quais pesava a suspeita de bruxaria – a arte oculta temida e repudiada pelo senso comum. Nesse cenário intimidador, surge uma mulher especial, com dons inimagináveis. E um destino grandioso...



Nossa história se passam em Londres, no século XVIII e é lá que conhecemos a jovem Evangeline Bennett, uma mulher incomum, dotada de grande beleza e de poderes incríveis. Órfã de mãe, que morreu quando ela era ainda muito pequena, Evangeline vive com o pai, a madrasta e a irmã, mas não os considera como sua família. Sua relação com o pai é bem tempestuosa, já que o poderoso Julian é um homem duro, agressivo e parece ter um certo desprezo pela filha.
Decidida, forte e voluntariosa, Evangeline é o tipo de mulher que atrai olhares e desperta desejos. Ela sonha em casar-se por amor, mas seu pai tem planos diferentes para ela. Seu noivado com Hector Collun, homem frio, poderoso e cheio de segredos, é um balde de água fria em seus planos. E, após conhecer o jovem Henry, ela tem ainda mais certeza de que casar-se com Hector é algo que jamais irá acontecer.
Henry trabalha na propriedade de Julian e a química entre ele e Evangeline é perfeita. Só falta sair faíscas quando estão juntos, um misto de delicadeza e paixão selvagem que é de tirar o fôlego.
Mas a história não se resume a apenas um romance entre a jovem rica e o empregado da família. Em meio ao clima de paixão, um atentado contra a vida de Evangeline acontece. Homens tentam raptá-la e, usando seus poderes, ela consegue salvar sua vida e a de Henry. Porém, ela não pode deixar de notar que esse homens não eram comuns. Olhos brancos, odor fétido e aparentando estar meio mortos, eles causam um certo pavor e curiosidade da parte de Evangeline. Quem seriam eles e por que estão atrás dela?
O livro é narrado em primeira pessoa, coisa que amo já que me faz sentir íntima do personagem. Há de tudo um pouco: ação, aventura, romance e um clima sobrenatural que consegue prender o leitor. Não sei dizer ao certo o que mais gostei, já que o livro por completo me encantou. Achei a escrita de Camila fascinante e a riqueza de detalhes faz com que você se sinta dentro do livro.
Os personagens são cativante, porém não gostei de Evangeline. Ela é o tipo de mocinha que me encanta por ter personalidade forte e ser durona. Porém, em muitas partes eu a achei imprudente, imatura e prepotente, e foram essas coisas que pesaram mais no meu julgamento. Henry, por sua vez, é doce, corajoso, viril e arrancou meus suspiros durante a leitura. Creio que toda mulher deseja um Henry para si, para se sentir segura em seus braços.
A história é excelente e, confesso, eu iria amar se houvesse uma continuação (já fica a dica, heim Camila?). O ritmo é constante e não há uma horinha sequer de monotonia. Alguns fatos não são muito surpreendentes, mas outros me deixaram boquiaberta. Recomendo a todos, com certeza não irão se arrepender.

10 comentários:

  1. Oi
    Acho a capa desse livro bem legal, mas ainda não tenho esse livro. Já vi várias resenhas positivas sobre ele, mas ainda não tive oportunidade de ler.
    Parabéns pela resenha
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  2. Nossa, já eu não gostei do livro. Nem um pouquinho! Não me desceu, achei a protagonista forçada e tal. MAs fui a única que não gostou, isso tem que significar alguma coisa! Mas o pessoal adorou o livro.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oie Neyla,
    tb gostei bastante do livro e Evangeline é um pouco chatinha, mas não é tão ruim rsrsrs

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Neyla!

    Acredita que estou com Linhagem e ainda não o li! Mas depois da sua resenha, acho que vou adiantar algumas leituras para poder lê-lo, pois o enredo me parece ser ótimo, gosto também de livros em primeira pessoa, pois a gente tende a se aproximar do personagem que narra, rsrs. Beijos

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Neylinha, td bem?

    Menina não curto esse estilo, mas já li muitos elogios, bjokas!

    http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Gostei do que você escreveu do livro, parece ser muito legal, vou até adicionar na minha lista de leitura do Skoob.

    Blog:http://momentocrivelli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Acabei de ganhar esse livro e estou com medo de ler e me decepcionar. Quando leio muitas resenha positivas sobre algum livro fico com a expectativa muito alta e quando não corresponde é horrível.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Que bacana, fiquei com vontade de ler... pena que minha mesada é curta.. Ma quem sabe um dia eu compro...

    Kisses >----<
    Blog - Delicada e Abusada

    ResponderExcluir
  9. Olá Neyla,

    Li boas resenha desse livro e a sua não foi diferente, tenho muita curiosidade....dica anotada.....abraços.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi menina arteira... também achei a Evangeline muito imprudente, muito segura de si, diante dos problemas que lhe surgiram. Gostei muito desse livro também. Pensei que Eva fosse pedir ajuda a família da casa próxima da sua.. :D Ah, e aquele personagem que aparece do nada? Humm, que me diz? Eu gostei, apesar do que ele fez.
    Beijos minha linda!

    Bye da Pah
    Livros Estrelas

    ResponderExcluir