terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Um Toque Masculino: 8ª Confissão


Encarregada de investigar as mortes na alta sociedade, a tenente Lindsay Boxer também precisa ajudar sua amiga Cindy Thomas no caso de um morador de rua que foi brutalmente executado. Ao conhecer mais a história daquele homem, Cindy percebe que tem uma preciosidade nas mãos e faz de tudo para levá-la a público, descobrindo, a conexão com uma rede criminosa. 
O Clube das Mulheres contra o Crime precisa desvendar esses dois mistérios e tem ainda o desafio de se manter unido. Lindsay nota que seu parceiro, Richard Conklin, e Cindy estão cada vez mais próximos e o ciúme estremece a relação dos três, podendo comprometer as investigações. No fim, o Clube pagará um alto preço por se envolver nessas duas caçadas. 



A máquina de fazer livros do James Patterson não para e a cada um mês ou dois vemos algum titulo do autor chegar em nosso território. Apesar de já ter dito aqui algumas vezes que nem todos os livros são escritos por ele e sim por alguém de sua equipe, é impossível negar que até para escolher seus parceiros o homem tem talento. Maxine Paetro é uma das provas disso.
O 8º livro da série protagonizada pelo Clube das Mulheres contra o Crime trás de volta a ação a Detetive Lindsay Boxer e suas amigas, Cindy, Yuke e Claire, em dois casos de extrema dificuldade. De um lado alta cobrança das autoridades por respostas. Do outro uma repórter indignada com o desrespeito com uma vida tirada nas ruas. Mesmo afastadas por um abismo social, e não possuindo nenhuma ligação entre si, a morte de pessoas de alta classe e a de um simples morador de rua tem algo em comum: a falta de pistas que levem os responsáveis.
Como se isso não fosse o bastante, conflitos pessoais acrescentam um tempero mais forte a trama. Lindsay vive seu relacionamento com Joe, o homem que ama, mas não consegue negar a forte atração por seu parceiro Rich Conklin. Por conta da investigação conjunta com a policia, a repórter Cindy Thomas fica cada vez mais próxima de Conklin, e Lindsay não consegue esconder o ciúme. Longe dali a assistente de promotoria Yuki Castellano conhece um médico bonitão que abala suas estruturas, mas ninguém é totalmente perfeito.
A narrativa veloz característica da série é mantida e permeia toda a trama intercalando primeira e terceira pessoa, fácil de assimilar e extremamente dinâmica. Reitero o que disse na resenha do livro anterior da série: tudo isso tornou-se tão familiar que o leitor já não percebe o quanto isso o agrada, mas faço questão de frisar esse ponto positivo.
Não desista de dar uma chance ao livro por ele fazer parte de uma série. Os livros do Clube das Mulheres contra o Crime, assim como os da série Alex Cross podem ser lidos fora de ordem sem problema e são uma ótima pedida para uma tarde ociosa se transformar em uma tarde divertida. Vale a pena conferir!

Ace Barros

5 comentários:

  1. Não curto muito este estilo de livro, realmente não gosto, por isso não leria. Mas concordo contigo, todo santo mês tem um lançamento desse autor, ele realmente não para.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oie Ace,
    confesso que não curti muito essa série. Li uns dois livros e realmente não gostei.

    Mas gostei bastante da sua resenha.

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. ok sou traumatizada com esse autor kkk
    por isso dispenso o livro
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  4. Eu até queria ler essa serie, mas é enorme para comprar. E mesmo você falando que dá para ler sem ser na sequencia, eu sou meio esquisita e gosto de ler assim.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Ace!Oi Neyla! Eu tenho vontade de ler esta série, que bom saber que dá para ler fora de ordem. Falando nas parcerias do autor, pelo visto nesta série foi mais bem sucedida, algo que não posso dizer em relação a série Bruxos e Bruxas.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir