terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Um Toque Masculino: O Dom



Informações Técnicas

Titulo Nacional: O Dom - Skoob
Titulo Original: The Gift - Goodreads
Autor(es): James Patterson e Gabrielle Charbonnet
Tradução: Ana Paula Corradini
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
ISBN: 978-85-8163-281-0
Série: Bruxos e Bruxas
Volume: 02
Número de páginas: 285



-
James Patterson e seu novo parceiro Ned Rust dão continuação aos acontecimentos da série Bruxos e Bruxas e segui na leitura mesmo não tendo gostado muito do primeiro livro. Minhas esperanças eram simples: encontrar respostas para toda confusão criada "propositalmente" no primeiro livro da série. E não foi bem respostas o que encontrei. Mas vamos ao livro...

Sinopse: Os irmãos Allgood nunca desistem de lutar contra os poderes autoritários e desumanos d'O Único Que é o Único, mas, agora, eles estão sem Margô - a jovem e atrevida revolucionária; sem Célia - o grande amor de Whit; e sem seus pais - que provavelmente estão mortos... Então, em uma tentativa de esquecer suas tristes lembranças e, ao mesmo tempo, continuar seu trabalho revolucionário, os irmãos vão parar em um concerto de rock organizado pela Resistência onde os caminhos de Wisty e de um jovem roqueiro vão se cruzar.
Afinal, Wisty poderá encontrar algo que lhe ofereça alguma alegria em meio a tanta aflição, quem sabe o seu verdadeiro amor... Mas, quando se trata destes irmãos, nada costuma ser muito simples e tudo pode sofrer uma reviravolta grave, do tipo que pode comprometer suas vidas. Enquanto passam por perdas e ganhos, O Único Que é o Único continua fazendo uso de todos os seus poderes, inclusive do poder do gelo e da neve, para conquistar o dom de Wisty... Ou para, finalmente, matá-la.

James Patterson é um autor que eu passei a admirar com o tempo. Não por possuir uma escrita magnifica ou algo do tipo, mas por trazer boas histórias e dar oportunidade a seus parceiros, apesar de muita gente não reconhecer a participação desses parceiros no trabalho. Seus livros geralmente são de leitura fácil e agradável, mas tenho que dizer que minha experiência com O Dom não foi bem assim.
Os irmãos Allgood seguem em busca da sobrevivência em meio a um louco turbilhão de acontecimentos. Pouco é contado do que aconteceu entre um livro e outro, e novamente somos jogados de supetão na trama. Esse recurso um tanto duvidoso funcionou bem no primeiro livro para que o mergulho na leitura fosse mais profundo, mas a medida que você avança na leitura continuar sem informação como os próprios personagens pode ser confuso.  A narrativa ágil, com capítulos curtos é mantida e a linguagem jovial também. A troca de parceiro favoreceu ação, mas trouxe alguns problemas.
Os personagens ficaram ainda mais rasos do que no livro anterior e a trama não evolui. Whit e Wisty apenas fogem, são pegos, fogem e são pegos, e durante todo esse período pouco desenvolvem suas habilidades ou descobrem informações que ajudem o leitor a formar uma linha lógica. Esperava ao menos um detalhamento maior da resistência dos jovens, mas os coadjuvantes pouco aparecem e o que mais tem destaque é Byron, que muda tanto durante o livro que você não entende o que está acontecendo. Dos pais e Célia mal temos notícias e os vilões são tratados apenas como perseguidores e não recebem a devida atenção.
Pode me chamar de "escolha sua ofensa favorita" ou só de maluco mesmo, mas eu ainda estou disposto a continuar com a série para entender como tudo ocorreu. Sou um chato e me importo com o cenário e gostaria de entender como um mundo "normal" se tornou o mundo dominado pelo Único Que é o Único e como ele se tornou tão poderoso. Acredito - não sei porque - no potencial da série, e espero que haja uma evolução. Vai que acontece uma mágica...

Ace Barros

9 comentários:

  1. gente esse foi sem dúvida um dos piores livros que eu já li no ano passado!

    ResponderExcluir
  2. Já vi muitos comentários bem negativos sobre essa série, e cada vez mais me desanimo para lê-la. No entanto, como tem capitulos curtos, imagino que seja algo rápido de se ler, e talvez valha a pena para eu poder tirar minhas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre vale a pena tirar as proprias conclusões. Se possível leia alguns capítulos na livraria ou na internet ;)

      Excluir
  3. Oi Ace,
    tb senti a mesma coisa com este livro, ele não evolui e nao sai do lugar, mas quem sabe eu dê uma chance para a sequencia rsrsrs

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  4. Não sei se quero ler essa serie. Eu li a resenha pensando que você ia dizer que o segundo vale a pena, que o primeiro foi um equivoco, mas pelo jeito vai ser a serie toda assim.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Ace.
    Eu já li tantas resenhas negativas sobre essa série que não tenho mais vontade de tentar a leitura.
    Se no segundo livro da série não houve mudanças significativas, acredito que não há salvação, nem mágica que dê jeito rsrsrs.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  6. Sabe, eu leio esses livros depois de ler um bem pesado, aí uso para aliviar a tensão.
    Rsrsrs
    Só achei esse mais corrido, mais bombas e tal, e menos humor que no primeiro.
    Vamos ver o que vem por aí em Fogo.

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. esse livro é tenso... eu não leria!
    é muita antipatia de cara
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá Ace,

    Vejo o pessoal criticando essa série, mas eu gostei do primeiro, apesar de esperar mais, mas é um livro juvenil e acho que vou gostar do Dom, assim espero...kk..parabéns pela resenha....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir