terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Nós Vimos... - A Menina que Roubava Livros



Antes de falar qualquer coisa preciso assumir: nunca li o livro, fui assistir ao filme no papel de espectador desavisado. Então o que está escrito aqui é uma analise a partir do que foi visto em tela em si, sem avaliar a questão de fidelidade da adaptação. Então, vamos ao que interessa:

Baseado no livro best-seller, A Menina Que Roubava Livros conta a história de Liesel, uma garotinha extraordinária e corajosa, que foi viver com uma família adotiva durante a Segunda Guerra, na Alemanha. Ela aprende a ler, encorajada por sua nova família, e Max, um refugiado judeu, que elas escondem embaixo da escada. Para Liesel e Max, o poder das palavras e da imaginação se tornam a única escapatória do caos que está acontecendo em volta deles. A Menina Que Roubava Livros é uma história sobre a capacidade de sobrevivência e resistência do espírito humano.

Continuando com os meus crimes literários tenho que dizer que nem a sinopse do livro ou uma resenha sequer havia lido antes de ir ao cinema. Fui como um cálice vazio a espera de conteúdo e desde a primeira frase dita pelo narrador senti que algo muito interessante me aguardava. E já posso dizer que a minha opinião é diferente do que alguns portais de cinema disseram por aí. A Menina que Roubava Livros não é um filme mediano. A ausência de grandes nomes e grandes atuações teatrais não o torna menor do que ele é: um ótimo filme, bem dirigido, com uma arte excelente, um bom roteiro, caracterização e trilha. Pode não ser um filme digno de um Oscar, mas tocante a ponto de fazer um homem barbado chorar em público (sim, chorei e assumo, o que tem de errado nisso?).
Para mim foi tão importante quanto para o personagem narrador conhecer a história da pequena Liesel, suas dores, seus dramas, alegrias e sua conexão com os livros que surge da maneira mais improvável possível. A relação entre os Hubermann, um casal tão diferente e que com mínimas demostrações mostram um forte amor. O companheirismo do menino Rudy, que mesmo em uma realidade massacrante não enxergava problemas nas diferenças entre as pessoas. Max, que mesmo na dificuldade arrumou forças para ser uma influência positiva para uma mente em desenvolvimento. Personagens e histórias que me fizeram gostar muito do filme.


A respeito da parte técnica não tenho razão para reclamar, o trabalho foi muito bem feito. O momento histórico foi retratado muito bem e a fotografia caiu como uma luva para acentuar o trabalho da arte.  
Como dito lá no início, como não li a obra original só coube a mim acreditar em Neyla que me pareceu muito contente com a fidelidade da adaptação, tirando um ou dois pontos. Mas, ainda segundo ela, essas pequenas mudanças não tiraram nada do brilho do filme.
A Menina que Roubava Livros é um filme que recomendo sem pensar duas vezes. É uma daquelas obras que nos faz observar o valor que tem a vida.

                                                                       TRAILER                                                               



ELENCO: Sophie Nélisse, Roger Allam, Heike Makatsch, Julian Lehmann, Gotthard Lange, Rainer Reiners, Kirsten Block, Geoffrey Rush, Emily Watson
PRODUÇÃO EXECUTIVA: Redmond Morris
PRODUÇÃO: Ken Blancato, Karen Rosenfelt
DIREÇÃO: Brian Percival

13 comentários:

  1. Como assim você não leu este livro?? Na minha opinião este livro tem a melhor narrativa de todos os tempos. A Neyla deve ter te dito, ele é narrado pela morte. Acho isso o máximo!!
    Ainda não vi o filme :(
    Mas quero muito. E como a Neyla disse que está fiel a obra, fiquei com mais vontade ainda!!

    Adorei o post!!

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas eu percebi que era morte eu só não quis dar Spoiler XD (se é que é possível). Vá conferir, vale apena.

      Excluir
  2. Oi Ace!
    Quero muito ver esse filme, pelo que você disse a parte técnica está muito bem feita e o conteúdo é emocionante, então assistirei com o lencinho de papel preparado!!
    Beijo pros dois... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  3. Ah eu amei essa adaptação, ficou perfeita, e tão emocionante.
    Com certeza superou minhas expectativas.
    E se eu fosse você não perdia mais tempo e corria pra fazer essa leitura.

    Até mais.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  4. Acho que vou ver esse filme amanhã com meu filho, ele deve ser maravilhoso mesmo.
    Esse é o meu canal do YT caso você queia me fazer uma visitinha tá: http://zip.net/bcmtJ1

    ResponderExcluir
  5. Adorei esse filme e confesso que não esperava gostar tanto.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. ainda não vi esse filme, decepção total comigo mesma
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. O filme é muito bonito, mas se você chorou com ele prepare-se para ler o livro..
    O filme foi bem fiel a história, apenas as partes mais pesadas eles modificaram o triste é que, para mim, eram as partes mais emocionantes do filme, enfim.

    Achei as atuações ótimas! Esses críticos de cinema não sabem de nada hahah

    Beeijos, Dreeh.
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  8. Nossa eu quero tanto ver o filme, mas não sem antes ler o livro. Já que vi muita gente falando que o filme é bem fiel ao livro.

    Lucas - Carpe Liber
    livrosecontos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Ace, que bom que gostou! É realmente um filme incrível! Se você gostou do longa, imagine quando ler o livro? Vai adorar! Ele vai lhe possibilitar entender mais uma infinidade de coisas. ^^

    Beijos,
    biblioteca-de-resenhas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Excelente sua opinião, Ace, especialmente por não ter lido o livro. Acho que, indo assim, 'cru', ao cinema, foi sem expectativas. Nós, que lemos a obra, já vamos tentando encontrar nas telas a fidelidade ao livro e isso pode decepcionar. É claro que uma história de mais de 400 páginas não poderia ser comprimida em 2 horinhas de exibição. Além do cinema estimular e priorizar outros sentidos, trazer um tanto de realidade, que nos livros é mais livre e fica a cargo do leitor e sua imaginação.
    Adorei. Louca pra ver.
    E vc, creio, está louco pra ler.

    ResponderExcluir
  12. Nuss, ainda não vi o filme. Comecei a ler e desanimei, mas o filme deve ser bem diferente. ;) vou assistir.

    ResponderExcluir