segunda-feira, 21 de abril de 2014

Resenha: Colin Fischer

















Título: Colin Fischer
Editora: Novo Conceito
Autor (a): Ashley Edward Miller e Zack Stentz
Número de páginas: 176 páginas





Sinopse: Resolvendo o crime. Uma expressão facial por vez. O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Ele tem cartões de memorização com expressões faciais legendadas, um desconcertante conhecimento sobre genética e cinema clássico e um caderno surrado e cheio de orelhas, que usa para registrar suas experiências com a MUITO INTERESSANTE população local. Quando um revólver dispara na cantina, interrompendo a festinha de aniversário de uma das garotas, Colin é o único que pode investigar o caso. Está em suas mãos provar que não foi Wayne Connelly, justamente aquele que mais o atormenta, que trouxe a arma para a escola. Afinal de contas, a arma estava suja de glacê, e Wayne não estava com os dedos sujos de glacê…

Quando comecei a ler Colin Fischer não estava esperando muita coisa dele. A capa e a sinopse me levaram a crer que esse seria só mais um livro engraçadinho, com uma história infanto juvenil boa para passar o tempo. Não imaginava que a história fosse me surpreender e cativar tanto como aconteceu.
Colin é um garoto diferente dos demais de sua idade. Ele tem 14 anos, mora com os pais e um irmão mais novo. Porém, ele tem a síndrome de Asperger o que dificulta um pouco sua vida social. Colin não gosta quando o tocam, nem de barulho em excesso e acaba, muitas vezes, por se isolar. Seus pais conseguem lidar bem com seu comportamento e crises que por ventura possam acontecer. Mas ele não é bem aceito por Danni, seu irmão caçula, que muitas vezes acaba por ficar irritado pelas atitudes de Colin ou pela atenção desmedida que o mesmo recebe dos pais.
Na escola as coisas também não são das melhores. Com exceção de Melissa Greer, os outros alunos mantém uma certa distância de Colin por o considerar estranho. Ele também é atormentado por alguns garotos, principalmente por Wayne Connelly. Esse é um daqueles típicos bad boy da escola, que está sempre pronto a arrumar confusão.
Colin é muito observador, tanto que chega ao ponto de incomodar. Mas é justamente essa habilidade sua que será úitil quando uma arma é disparada na escola. No meio da festinha de aniversário de Melissa, uma confusão acontece. Óbvio que Wayne está metido no meio. Em meio a essa confusão, ouve-se um tiro. Todos correm, menos Colin. O acusado? Wayne, claro. Porém, observando a arma, repleta de glacê e lembrando de suas observações a respeito do comportamento de cada aluno na festa, Colin tem certeza de que Wayne não é o verdadeiro culpado. Mas, quem será então? E como ele poderá provar a todos que suas observações estão corretas?
Esse é um daqueles livros rápidos, de leitura ágil e com uma história que, pode não ser magnífica, mas que é sem sombra de dúvidas, surpreendente. Gostei muito do personagem principal, que a todo momento me lembrava Sherlock Holmes em miniatura. Ao mesmo tempo que vamos conhecendo um pouco sobre Colin e sua sagacidade, vamos percebendo o quanto as pessoas ainda tratam de forma primitiva aqueles que são "diferentes". Colin é metódico e cheio de manias, mas também tem um coração puro e generoso, que perdoa facilmente e que está sempre disposto a ajudar mesmo quando a pessoa não é muito simpática com ele. Me apaixonei pelo personagem e espero poder ler mais aventuras dele.
Outro personagem que gostei muito foi o Sr. Turrentine, professor de Educação Física. A forma como ele tratava Colin me ganhou. Todos na escola sempre lidaram com Colin como se ele fosse de porcelana, devido a seus problemas. O Sr. Turrentine fez diferente, dando a ele o tratamento dado a qualquer aluno, fazendo com que ele se arriscasse mais, saísse do comodismo e pudesse experimentar coisas novas. Nota dez para ele!
A história é muito bem escrita e a narração, com introdução dos capítulos em primeira pessoas e o restante em terceira, é muito bacana. É um livro fino, ótimo para ler em um dia (ou em uma tarde, dependendo do seu ritmo de leitura), com uma história divertida e cativante. Com certeza, recomendado!


5 comentários:

  1. Oi Neyla!
    Adorei a resenha, estou cada vez mais interessada em conhecer o Colin. Bem que poderiam existir mais pessoas (e professores) como o Sr. Turrentine no mundo, não é?
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  2. Oi Neyla,
    nossa eu imaginava outra coisa quando vi o livro rs Tb não estava esperando muito dele, mas com a sua resenha já deu uma melhorada e fiquei curiosa para lê-lo, coisa que não estava antes.

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. É uma das minhas próximas leituras, e pelo que vi aqui, já sei que vou gostar.
    Não tinha lido a sinopse, adorei saber que é mais um livro com um personagem que tem Asperger. Acho bacana isso.

    Adorei a resenha, muito fofa!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Adorei! Ultimamente tenho me interessado muito por leitura obre conflitos adolescentes. Li Extraordinário, Perdão Leonard Peacock, Fale!, Todo Dia... todos com protagonista adolescentes e suas dores. Este Colin não é diferente, despertou minha simpatia e interesse!
    Gosto especialmente quando aborda uma característica que desconheço, no caso a síndrome de Asperger - fui ali ler quais as características da síndrome. Percebi que Colin deve ser bem esperto mesmo, vário gênios não foram diagnosticados, mas são potencialmente Asperger.
    A capa é linda.
    Quero ler!

    ResponderExcluir
  5. Olá Neyla,

    Essa é a terceira resenha que leio desse livro e a segunda positiva, a sua me animou um pouco, vamos ver o que me espera....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir