quarta-feira, 4 de junho de 2014

Resenha: Querida Sue
















Título: Querida Sue
Editora: Arqueiro
Autor (a): Jessica Brockmole
Número de Páginas: 256






Sinopse: Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante universitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor. Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas. Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário.

Sabe quando você bate o olho em um livro e acaba por se apaixonar por ele sem nem mesmo saber do que ele se trata? Foi o que aconteceu comigo e com Querida Sue. Achei a capa linda, delicada e me apaixonei platonicamente por ele, sem nem ao menos imaginar que a história seria ainda mais linda, delicada e apaixonante.
Elspeth Dunn é uma jovem poetisa, que vive na pacata ilha de Skye com sua família. Escrever sempre foi sua paixão e, para sua surpresa, recebe um dia uma carta de um fã, o jovem americano Davis Graham. Os dois passam a se corresponder assiduamente, dando início a uma grande amizade. Os dois se tornam confidentes, um sempre buscando ajudar o outro com conselhos e palavras de incentivo. Com o decorrer do tempo eles descobrem que o que sentem um pelo outro vai além de amizade e admiração. É pura e simplesmente amor! Mas as coisas não são fáceis, já que eles estão no auge da Primeira Guerra Mundial e o futuro ainda é incerto, principalmente para David, que se tornará voluntário para trabalhar no front.
Em paralelo, vamos conhecendo os fatos no tempo presente, mais precisamente no ano de 1940. Mais uma vez a guerra está em foco e as lembranças de Elspeth ficam cada vez mais fortes, principalmente após descobrir que sua filha Margaret está apaixonada por um rapaz que está servindo na guerra assim como o seu David um dia fez. Após um bombardeio, Margaret encontra algumas cartas e consegue ler uma delas. É uma carta escrita por David para alguém chamada Sue. Logo após esse acontecimento, Elspeth desaparece e Margaret começa então uma busca para encontrar sua mãe e para descobrir os segredos que ela guarda há tantos anos.
Essa foi, sem sombra de dúvidas, uma das mais gratas surpresas literárias que tive esse ano. Nunca havia lido nada da autora e fiquei em êxtase com tudo que encontrei. Querida Sue é um livro tocante, com uma história de amor profunda que nem mesmo o tempo é capaz de apagar. No decorrer da leitura eu me vi totalmente arrebatada pela trama, que é sensível e delicada, e apaixonada pelos personagens. O fato de os capítulos mesclarem passado e presente tornou a leitura ainda melhor, deixando a leitura mais ágil e emocionante.
Não tem como não se emocionar com diversas passagens, como não sentir simpatia por cada personagem ali descrito. A trama é simples e, muito embora deixe transparecer ser uma história clichê, ela não é nada previsível. Gosto de livros que me surpreendam, que me façam refletir, que me deixem sem palavras. E Querida Sue, com certeza, me conquistou.
O livro é todo escrito em forma de cartas e os textos são carregados de emoção. É lindo ver nascer a amizade de Elspeth e David, acompanhar o crescimento desses relacionamento e, por fim, a descoberta do amor. E não tem como não desejar que eles realmente fiquem juntos, que consigam superar todas as barreiras e terem seu final feliz. É um livro recheado de emoções, que faz sorrir e chorar, suspirar e sonhar. Sem dúvida, um prato cheio para todos que curtem uma história recheada de segredos e de sentimentos fortes.


6 comentários:

  1. Bom dia!!! Estou lendo este livro. Na verdade comecei ontem e estou na metade. Quero terminar hoje ainda, pois estou maravilhada com as cartas. Me sinto descobrindo cada uma delas.
    A resenha está perfeita e é tudo isso que você falou mesmo. Estou doida pra saber como termina. É clichê sim, mas é maravilhoso.
    Resenha apaixonada!!

    Bjkssss

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Concordo com tuuuudo que vc escreveu, Neylinha! Uma das melhores leituras este ano, para mim!
    A autora criou uma história linda, bem escrita, com tensão na medida, personagens apaixonantes! E conseguiu passar toda essa emoçao atraves de cartas! E o final eh uma surpresa deliciosa!
    Amei, cinco estrelinhas pra ele!
    Beijo.

    Ler para divertir

    ResponderExcluir
  3. Oie Neyla,
    O livro me lembrou @mor, mesmo sendo aqui em cartas e lá em emails.
    Gostei bastante da sua resenha, mas fiquei na dúvida se iria gostar da leitura

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  4. Gostei bastante da resenha
    Parece ser um livro emocionante
    E esse formato de carta chama muita atenção

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Neyla,

    Esse livro esta na minha lista de desejados, gostei desde a hora que vi também e essa é a primeira resenha que leio e fiquei bem curioso, gosto demais do estilo.....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi, Neyla!

    Esse livro não me interessou de primeira, mas sua resenha me fez mudar de ideia, fiquei curiosa para lê-lo. Deve ser uma ótima leitura, especialmente por ter sido escrito em forma de cartas - que coisa linda!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir