quinta-feira, 17 de julho de 2014

Um Toque Masculino: Wolverine - Saudade


















Título: Wolverine: Saudade
Autor(a): Jean-David Morvan e Phillippe Buchet
Editora:
Marvel/Editora Panini 48 Páginas
Lançamento: 2008 





O mutante mais "arretado" do universo Marvel está de férias no nordeste do Brasil e só isso já é suficiente para chamar a atenção para o quadrinho. Se tratando de uma revista única, uma One-Shot, facilita para que a curiosidade seja sanada. Assim parti junto com o baixinho canadense em sua aventura por Fortaleza no Ceará... E meu deus, que Brasil é esse que os gringos enxergam?

Aventura inédita do herói mutante no Nordeste brasileiro! Logan está visitando o Brasil de férias, mais precisamente em Fortaleza. Mas seu passeio de lazer chega ao fim quando Charles Xavier solicita que ele investigue o surgimento de um novo mutante. Agora a dura realidade das favelas brasileiras arrasta o mais popular dos X-Men a um turbilhão selvagem do qual ele não sairá ileso. Entre crianças de rua, muito jovens para serem penalizadas pela lei, esquadrões da morte, um terrível curandeiro e uma estranha divindade local, Logan terá de se render a evidência: no país do samba a vida humana vale pouco e a paixão permanece a flor da pele.



Tudo começa quando o recém chegado Logan de férias no Brasil é contatado pelo Professor Xavier para avisar que Cérebro detectou um mutante poderoso na cidade e que isso deveria ser investigado. Ainda no porto a espera de sua motocicleta, o baixinho tem o veiculo roubado por "trombadinhas" que acabam humilhando o canadense que não esperava encontrar seu alvo mutante tão cedo. Enfurecido Logan se põe em uma perseguição e se envolve em confronto com um grupo de homens conhecidos como Esquadrão da Morte. E lá se vão as férias do Wolverine!
A partir desse ponto as coisas se invertem. Wolverine ajuda os garotos que roubaram sua motocicleta, incluindo o jovem mutante Xexéu, a fugir e é levado por eles para a favela. Lá o mutante canadense conhece a dura realidade brasileira e como o povo consegue ser feliz mesmo assim. Até o vemos dançar forró (ou algo do tipo) em uma festa aparentemente dedicada a Iemanjá. Mas alegria de pobre dura pouco.
Somos apresentados ao verdadeiro mutante poderoso sobre quem o Professor X alertou. Um homem que usa seus poderes abusando da crendice e da fé popular, um curandeiro rico que atrai multidões de desesperados aos seu palacete: o intitulado Pai Kuhrra. E o suposto Pai de Santo não está nada contente com a intromissão de Logan em seus planos.










Apesar do clichê que sempre estamos acostumados a ver quando escrevem algo sobre o Brasil, várias aspectos citados na história foram bem inseridos, mas não há como negar que não houve uma pesquisa mais aprofundada por parte dos franceses Jean-David Morvan e Phillippe Buchet para a parte visual do Brasil. 
Enquanto se atentaram ao fato de turista estrangeiro sempre ser alvo de bandidos, o brasileiro é visualmente retratado como o esteriótipo tipico latino, desde as roupas ao visual dos personagens. Uma mistura de méxicano, cubano e do povo andino. Tiveram a preocupação com o lado cultural religioso tão forte no nordeste cuidadosamente brincando com a questão mutante da divindade, incluindo a misteriosa sereia que aparece sem uma explicação maior na história (seria apenas uma mutante ou a deusa das águas em pessoa? Iemanjá?). Por outro lado as construções e os veículos em nada lembram o Brasil, mas sim se parecem como Cuba é retratada nos filmes americanos: Veículos ultrapassados, mal cuidados e alguns que nunca existiram em solo brasileiro. Apesar da falta de conhecimento geográfico, principalmente o relevo, a parte de Pirambu, a favela, foi bem retratada. É só procurar fotos após a leitura que fica perceptível. 
Ainda temos outros pontos que para os estrangeiros que leram e/ou lerão a HQ não fará a menor diferença, mas para alguns de nós, principalmente os mais próximos dessa realidade, causará o certo incomodo: como o grupo de extermínio varrendo a cidade armado na cara dura.   



A HQ vale ser conferida no minimo pelo bizarro, e ver mais um pouco de como somos imaginados pelos estrangeiros. Mesmo não sendo uma história de grande destaque para o personagem ainda tem todos os elementos que tornaram-no famoso no mundo todo: a ação, a violência, seu gênio forte, o lado sedutor e o senso de justiça. Um passatempo recomendado para aquela leitura rápida, e é bacana perceber o esforço do estranheiro entender e passar adiante um sentimento tão tipico do brasileiro e que apenas na última página nos faz entender o título da história. Segundo Logan, "um sentimento que não dá pra traduzir, tipo uma sensação nostálgica, de coisas legais vividas no passado. Os brasileiros chamam de saudade".

3 comentários:

  1. Oie!
    Dificilmente eu leio HQ, acho que só falta de costume mesmo, mas leria essa. Gosto do Wolverine rsrs. As HQ, são divertidas, leitura rápida realmente, uma boa pedida!

    Abçs!
    :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Ace,
    curto mais os mangá de como diz meu noivo 'de menininha' rsrsrsrs
    bjo

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. As ilustrações estão incríveis. Acho que vou comprar.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de julho

    ResponderExcluir