terça-feira, 4 de novembro de 2014

A Culpa é das Estrelas - O Filme

Diagnosticada com câncer, a adolescente Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley) se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença, ela é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio cristão. Lá, conhece Augustus Waters (Ansel Elgort), um rapaz que também sofre com câncer. Os dois possuem visões muito diferentes de suas doenças: Hazel preocupa-se apenas com a dor que poderá causar aos outros, já Augustus sonha em deixar a sua própria marca no mundo. Apesar das diferenças, eles se apaixonam. Juntos, atravessam os principais conflitos da adolescência e do primeiro amor, enquanto lutam para se manter otimistas e fortes um para o outro.
A Culpa é das Estrelas: Doentes de Amor 
Título Original: The Fault in Our Stars
Lançamento/Duração: 2014 - 126 minutos - Gênero: Drama/Romance
Direção: Josh Boone
Roteiro: Scott Neustadter, Michael H. Weber - Baseado na Obra de Jhon Green
Elenco: Shailene Woodley, Ansel Elgort, Nat Wolff, Laura Dern, Sam Trammell, Willem Dafoe

IMDB - COMPARE & COMPRE: DVD - COMPARE & COMPRE: BLU RAY

Existem pessoas que surgem nas nossas vidas apenas para torná-las melhor. Seja um bom amigo ou uma paixão, a sua presença e companheirismo nos ajuda a superar as dificuldades, aproveitar o que a de bom e nos faz ir além do que achávamos que podíamos. Independente da duração do período que essa pessoa fique em nossas vidas ela se tornará inesquecível. Certas coisas são para sempre, algumas outras são... Okay

A Culpa das Estrelas foi um filme que preferi não ver nos cinemas. Até iria pela Neyla, mas se dependesse de mim... ah não, eu não iria! Talvez essa afirmação te surpreenda, mas ao ler todo o texto entenderá. Por tanto, não desista dele ainda.
Quase todos os leitores hoje em dia conhecem bem a trama de A Culpa é das Estrelas, seja ele homem ou mulher. Até quem não leu o livro, como eu, conhece um pouco sobre o caso de amor entre Hazel Grace Lancaster e Augustus Waters. Para falar a verdade, graças a internet eu conhecia até o final, mas nada que me incomodasse saber. O segredo está em como a história é contada e não nos detalhes. E o filme soube retratar muito bem essa história e supera o preconceito gerado em muitos por conta da febre que o livro se tornou.
De forma gradual conhecemos os nossos protagonistas, vemos a amizade crescer entre eles e mais tarde temos a aceitação do amor. Sim, aceitação. Não há outra forma de falar já que ela apenas aceita o que já sentia. Temos a luta para levar a vida em frente após, também durante, uma grave doença e armas usadas para superar o clima negro que as doenças trazem. O bom humor e a autocrítica ficam em destaque. Vemos Hazel e Gus mostrarem ser dois personagens fortes, maduros para a idade, e repletos de perguntas profundas sobre a morte, a vida e o legado que deixarão para seus próximos. Tudo isso abordado com leveza, sem se deixar cair em um clima depressivo, nem mesmo nas piores situações. E isso é louvável.
Tecnicamente o filme é praticamente impecável. Possui boa trilha que casa com o clima do filme, a fotografia clara auxilia a dar leveza a trama, mesmo com o drama e carga emocional que possui. A direção também acertou a mão e conduziu muito bem a história de forma fluida, com uma edição simplista e discreta, sem atropelar informações.
O elenco conta com rostos conhecidos e desconhecidos do público, mas todos funcionam como engrenagens de um relógio. Todas as peças se encaixam perfeitamente e mantem o relógio funcionando sem sinal de atraso. Embora, provavelmente, esteja fora da disputa do Oscar o filme merece alguns prêmios pelo conjunto da obra e especialmente pelas atuações que, em conjunto com o roteiro, conseguem emocionar o público. Mesmo que não leve lágrimas a todos.
Para aqueles que reclamam de dublagem A Culpa  é das Estrelas chega para mostrar que não se pode generalizar nada nessa vida, há sempre trabalhos bons e ruins como em todo lugar. Achei que a escolha do casting de dublagem casou muito bem com os personagens e em momento algum tive vontade de assisti-lo em sua língua original (e continuo sem ter). Achei o trabalho da Delart muito bom e todos créditos devem ser dados ao diretor Manolo Rey e sua equipe.
Agora, a escolha do subtítulo em Português é indefensável... Quem faz essas escolhas, meu Deus? QUEM???
É inegável e inevitável dizer que A Culpa é das Estrelas cumpre muito bem seu papel como filme  e também como adaptação e tem total capacidade de agradar ao público leitor e o não leitor. Não li o livro até hoje, e nem pretendo. Contudo o filme me ganhou: enquanto a Neyla dava seu veredito de que o filme tinha sido mais emocionante que o livro, para ela, confesso... chorei feito uma criança.
Ainda bem que não estava em público.

14 comentários:

  1. Oie! Ainn este livro, este filme é lindo, na realidade não se trata de uma historia trágica não é mesmo?! é um tributo a vida, é mostrar para nós que a vida escorre por nossas mãos e devemos aproveita-la e principalmente devemos amar, e nunca se privar disso! ACEDE seguira comigo para a vida toda!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Sempre vejo todo mundo falando que esse filme é emoção pura, então com certeza vou ver :)
    Parabéns pelo post, ficou ótimo
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  3. Oi Ace!!
    Pois eu vi em público e desidratei amigo, no cinema inteiro era uma choradeira só, teve uma hora que a coisa até ficou cômica, tamanho era o som de narizes sendo assoprados e soluços desesperados. Também não li o livro, mas concordo com tudo o que você disse e dessa vez eu também não reclamei da dublagem, ainda bem!!
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ace! Oi, Neyla!

    Confesso que eu tinha muito receio de ler A culpa é das estrelas, pois as pessoas não paravam de comentar sobre e eu achei que era apenas mais do mesmo... Até que eu assisti ao trailer do filme. Meu Deus, terminei de assistir ao vídeo chorando e, em seguida, comprei o livro e anotei no calendário a data de estreia do filme, haha.
    Li o livro e amei, assisti ao filme duas vezes no cinema e fiquei igualmente apaixonada - ou até mais, pois gostei bem mais do final do filme, achei que no livro houve muita enrolação... Meio desnecessário.
    O fato é que A culpa é das estrelas cativa e encanta. É super apaixonante e ver que também podemos ser felizes com coisas mínimas e simples é lindo.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Chorei demais com esse filme haha Mas nem tenho vergonha de chorar em público não. Desidratei MEEEEEESMO! Gostei demais da versão cinematográfica - e olha que nem curto a Shailene Woodley e quase desisti de ver o filme por causa dela.
    Beijos
    Iris
    literalmentefalando.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Neyla,
    finalmente voltei rsrsr
    ainda não vi o filme, mas vou vê-lo em breve :D
    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  7. Adorei seu texto e concordo com tudo. Desde a escolha do casting até a produção, tudo foi realizado com perfeição. Acho que foi uma das melhores adaptações que vi.
    Aliás, os atores foram realmente bons. Deram vida aos nossos personagens queridinhos e nos emocionaram.
    Acho que um ponto positivo foi o acompanhamento de tudo pelo John Green.
    obs: Não chorei nem no livro, nem no filme. rs
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Eu não quis assistir esse filme. Mas no meu caso foi por ter me decepcionado com o livro. Era tanto falatório em cima que achei que fosse o super livro e ficou bem aquém das minhas expectativas. Nem consegui me emocionar como me emociono com os livros do Nicholas por exemplo.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Eu não li o livro, só vi o filme e foi menos triste do que eu pensei, achei até engraçado! eu gostei e veria outra vez

    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Ace.
    O maior motivo de não ter assistido esse filme ainda é que sei que vou chorar horrores,e quando eu começo não consigo parar rsrsrs, meu coração já aperta só de imaginar algumas cenas.
    Ao contrário de você eu fiz a leitura, e teve algumas partes tocantes, mas as adaptações tornam tudo mais emotivo.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  11. Ai meldels, esse filme é muito lindo, assim como o livro. Chorei tanto no cinema... :/
    Quero rever!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. Você chorou??!!! Que legal!!
    Eu chorei no livro, no filme, no trailler, no comercial... quase chorei lendo de novo aqui,rsrs. Tenho problema.
    Preciso te contar uma coisa, eu já fui na Delart, já estive lá dentro... gostei muito do que aprendi lá.
    Depois te conto esses podres da minha vida, rsrsrs.

    Enfim, adorei tudo que você disse!!!

    Bjksssssss


    Lelê

    ResponderExcluir
  13. Oi,
    Li o livro e assisti ao filme então acho que posso opiniar bem nos dois, enquanto o livro tem uma atmosfera mais realística dos acontecimentos, o filme tem todas sua dose hollywoodiana, para mim isso não interfere, pois sempre sei que ao ver um filme adaptado as coisas vão ser diferentes, então gostei bastante. Recomendo os dois.
    Beijos
    Raquel machado
    Escritora Vingança Mortal
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/2014/11/sessao-de-autografos-do-vinganca-mortal.html

    ResponderExcluir
  14. Não vi o filme ainda, mas todos que conheço e que leram o livro dizem que ficou mesmo impecável, o que na minha opinião é muito bom, pois o livro ganhou sua fama justamente pela beleza do enredo, que pelo visto foi passado com maestria para as telonas.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir