quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Máquina de Armas

Após um tiroteio custar a vida de seu parceiro, o detetive John Tallow acaba descobrindo um apartamento repleto de armas. Cada uma delas conduz a um diferente caso de assassinato não resolvido pela polícia. Por vinte anos ou mais, alguém esteve matando pessoas e juntando as armas por um propósito inexplicável. Confrontado com a inesperada emergência de centenas de homicídios não resolvidos, Tallow logo descobre que está sendo irremediavelmente conduzido a um verdadeiro acordo com o diabo. Agora, o detetive deve procurar por um caçador que considera seus atos assassinos como um sacrifício para os velhos deuses de Manhattan e que pode, simplesmente, ser o mais prolífico serial killer da história da cidade de Nova York. 
Título: Máquina de Armas
Editora: Novo Século
Autor (a): Warren Ellis
Número de Páginas:312


Um péssima experiência pode mudar a vida de uma pessoa para sempre. Quando John Tallow entrou naquele prédio onde um maluco gritava pelos corredor nú, apenas com uma espingarda em mão não esperava  ver a cabeça de seu parceiro explodir na sua frente ou ter que matar o maluco. O pacato detetive não esperava nem mesmo encontrar todas as paredes de um apartamento recobertas por dezenas de armas de todos os tipos. Em algum lugar alguém ainda achava pouco o que tinha acontecido e trouxe mais uma bomba: todas as armas achadas naquele lugar estavam ligadas a assassinatos realizados em Nova York nos últimos vinte anos.
Cabe ao Detetive Tallow cuidar de cada um deles. Sozinho.
É nesse clima em que Máquina de Armas narra, em terceira pessoa, o enorme desafio que o policial tem pela frente. John Tallow nunca foi o melhor dos detetives. Até aquele momento o detetive não tinha grandes preocupações: não tinha família, bichos para criar, cuidava de casos menos importantes, sempre levando como podia até encontrar a solução em algum momento. Para falar a verdade, John não cuida muito nem de si, seus pertences ou aparência. A única coisa que parecia ligar verdadeiramente era para a leitura, estar sempre com revistas, livros e seu tablet.
Os inimigos somam-se no decorrer do livro. Toda a polícia e o pessoal da perícia o odeia por ter desenterrado tantos casos sem solução. Porém dois membros da perícia são designados, a contragosto, para auxiliá-lo na investigação.
Todo o conjunto de situações faz despertar em Tallow um lado que parecia estar adormecido. Decidido a ir até o fim, doa a quem doer, John irá atrás do mistério ao redor da Máquina de Armas.
Warren ELlis nos conduz por essa trama dentro de uma Nova York suja e violenta, corrupta e cruel. Somos apresentados a uma realidade onde as pessoas são capazes dos maiores absurdos por nada e por coisas ainda maiores quando poder está em jogo, nada muito diferente da verdade. Esse clima tenso é dosado com a sagacidade, humor ácido e ironia de Tallow, Bat e Scarly, e também com a loucura frenética do Caçador, o vilão da trama.
Há muito informação histórica contida durante toda a narrativa. Alguns fatos envolvem a história da cidade, outros os assassinatos, e outros sobre a cultura nativo americana. Essa última, tem forte ligação com o Caçador. A narrativa da história é fluida, e a trama bem desenvolvida embora o mistério se resolva rapidamente, transformando-se em uma caçada e uma busca por provas concretas que incriminem os suspeitos. Algo que torna a leitura ainda mais magnética.
É claro, existe também informações desnecessárias durante partes que mostram que os personagens são humanos. Mas nada que atrapalhe o desenrolar da história, apenas não acrescenta em nada saber certas intimidas como o que o personagem fez no banheiro.
Ellis me provou que consegue desenvolver uma boa história mesmo sem o auxilio visual habitual de seus trabalhos com quadrinhos. O livro com certeza é mais que recomendado. Quem gosta de bons livros policiais e com personagens inteligentes tem uma ótima opção em Máquina de Armas.


4 comentários:

  1. Oi Ace,
    a histporia parece legal, mas neste caso tb iria preferir os quadrinhos rsrsr

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Como eu adoro esse estilo!!! Não conhecia o livro, mas parece intrigante. Não me importo tanto com esses detalhes a mais, desde que não atrapalhem muito a fluidez da trama (e parece que não foi o caso aqui).
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Óh!!! Ainda bem que eu tenho esse livro!!!
    Adorei essa coisa de livros policiais com personagens inteligente!!! Adoro isso!!

    E adorei a resenha. Tô aqui imaginando um cara maluco pelado correndo num corredor com uma espingarda. Correeeeee!!!

    Vou ler logo!! Com esse aval fica difícil resistir!!

    Bjkssssss

    Lelê

    ResponderExcluir
  4. Oi Ace! Eu li este livro e gostei bastante da trama, o detetive e seus parceiros formaram um trio incomum que deu certo, gostaria muito que o autor escrevesse outros livros para eles, policiais são um gênero que aprecio e não encontro tantos bons autores quanto gostaria.

    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir