terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Vermelho Como o Sangue



No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue.
Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos.
Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios.
Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.
Título: Vermelho Como o Sangue
Série: Trilogia da Branca de Neve
Autor(a): Salla Simukka
Editora: Novo Conceito
Páginas: 240


Acho que a causa maior de todas as decepções literárias pelas quais eu passei foi a expectativa depositada em uma história. As vezes é meio difícil não ficar aguardando ansiosamente por um livro, aguardando avidamente seu lançamento. Eu procuro evitar ao máximo, mas as vezes me encho de expectativas e acabo com a cara no chão. E, infelizmente foi o que se sucedeu com Vermelho Como o Sangue.
Lumikki Anderson é uma estudante solitária e introspectiva, que estuda Artes e mora sozinha, apesar de ter apenas 17 anos. Desde muito cedo ela aprendeu a contar somente consigo mesma, o que a tornou muito independente. Não é uma garota de fazer amizades, prefere observar e se manter sempre distante. Apesar de solitária, ela sente-se bem assim, afinal não tem problemas em conviver apenas consigo mesma.
Sua vida é bem pacata, até que um dia acaba encontrando cédulas molhadas e manchadas de sangue no laboratório de fotografia da escola. Sem saber o que fazer,ela decide deixá-las ali. Mais tarde quando ela retorna ao laboratório, para sua surpresa, as cédulas desapareceram. Tudo indica que quem as deixou ali anteriormente estuda naquela escola. Aguçada pela curiosidade, Lumikki decide começar a investigar. Mal sabia ela que estaria se envolvendo em uma história muito mais complexa do que poderia imaginar, que envolve corrupção, espionagem e sangue.
Em meio a um cenário frio (tanto de temperatura, como de emoções), Salla Simukka nos apresenta uma história que é pouco original, mas que prende o leitor. No decorrer das páginas vamos tendo a inserção de novos personagens e fatos que vão nos ajudar a entender os acontecimentos passados. Da minha parte não houve muitas surpresas, confesso. Achei que tudo foi muito fácil de se deduzir e senti falta de colocar as células cinzentas para funcionar. 
Minha primeira decepção aconteceu com a personagem principal. Lumikki é apática, aquela típica garota que intitulamos de "sem sal e sem pimenta", que não consegue cativar nem mesmo os outros personagens e que passa o livro inteiro sendo fria com todos ao seu redor.  Para uma personagem principal, ela deveria ter um pouco mais de carisma e isso não aconteceu. O que notei o tempo todo foi seu ar de desprezo por todos e isso me deixou bem desconfortável, afinal ela nem é grandes coisas. Ao menos ela é inteligente e pensa rápido, só assim para compensar um pouco os demais aspectos não muito agradáveis de sua personalidade. Tenho esperanças de que, ao longo dos próximos volumes, ela possa mostrar a que veio.
Não consegui me envolver com a história, achei bem mediana e esperava muito mais. Existem picos de adrenalina, um mistério que ronda a personagem principal, mas achei que faltou algo mais. Por sorte a narrativa da autora é excelente, ágil e fluida, sem se prender a muitos detalhes. Os capítulos curtos permitem uma leitura mais rápida, algo que muito me agradou. O livro termina com um grande pronto de interrogação e, embora tenha achado esse primeiro volume fraco, pretendo continuar a leitura dos demais livros e descobrir todos os mistérios que ainda ficaram no ar.

3 comentários:

  1. Olá Neyla!!!!!!!!!!!
    Você não curte mais o meu blog!!!!!!!! :((((((
    Mas enfim, essa é a primeira resenha que leio desse livro e estou com muita expectativa, mas sua opinião me deixou com uma pulga atrás da orelha, vamos ver....abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oie Neyla
    uau, eu tinha muita expectativa com essa leitura, mas só de saber que o enredo não é tão original, e a protagonista sem sal (até rimou) me desanimou :(
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Neyla, tudo bem???
    Que saudades de vir aqui!!!!!!!
    Que pena que a leitura não correspondeu às expectativas. Ainda bem que conseguiu ir até o fim do livro, pela dinâmica da narrativa. E como tem suspense, acho que deve ter compensado um pouco. Estou em dúvida agora se leio ou não.
    Um Feliz Natal para você e sua família!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir