quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

O Punhal


Seus olhos verdes sempre cruzavam com aqueles olhos gélidos durante a noite. Ao vê-los, junto com aquela pele esbranquiçada, o coração disparava, os pelos do corpo arrepiavam e a boca secava. Eram essas as sensações que Diogo sentia ao ver a figura daquele homem que o seguia desde criança. Sentia medo, lógico, mas por outro lado tinha a sensação de que algo em sua alma os ligava. Mal sabia que Augusto, um vampiro com mais de 100 anos, tinha planos para ele, planos esses que envolviam sua ida para a vida noturna. Após a noite em que o sangue de Augusto tocar seus lábios sua adolescência nunca mais será a mesma, se tornará sombria, tenebrosa, intrigante e ao mesmo tempo fascinante. Mas conseguirá ocultar lembranças e sentimentos humanos? Esquecerá o amor por Júlia? As mudanças sofridas no início de sua existência noturna serão baseadas em Henrique, um vampiro que possuía os mesmos olhos verdes de Diogo e de sua família, tão verdes quanto às esmeraldas contidas no punhal. 
Título: O Punhal 
Editora: Dracaena
Autor (a): Jéssica Anitelli
Páginas: 322


Livro de estreia da escritora nacional Jéssica Anitelli, a história é um misto de ficção, mistério e fantasia, o que mais se pode esperar de alguém que foi inspirada por Harry Potter a começar a ler? 
O livro, de início, chama atenção pela capa. É impossível não ser atraído pelos lindos olhos verdes do personagem, fiquei logo desconfiada que aqueles olhos verdes guardariam um grande mistério. 
A história se passa na cidade do Leme, SP, e esse é um dos pontos altos do livro. A cidade é descrita de forma minuciosa, tenho certeza que, se para mim que não conheço a cidade foi fácil, você que conhece a cidade real, vai visualizar todas as cenas em cada praça, rua ou porta de bar. Jéssica usa uma linguagem fácil, jovial para nos contar a história de Diogo e sua nova vida. 
Desde os 4 anos, Diogo vê, toda noite, um homem vestido e preto que o observa, o qual seus pais ignoram.  Aos 17 anos, bonito, popular e apaixonado por Júlia, sua namorada e ‘pimentinha’, o garoto de incríveis olhos verdes, os mesmos olhos passados de geração em geração e que escondem segredos muito antigos, vai ver sua vida mudar. Em uma noite, quando retornavam para casa, Júlia e Diogo são surpreendidos por dois homens. Em uma tentativa desesperada de salvar a vida da sua namorada, Diogo recebe 2 tiros. À beira da morte, ganha uma nova vida, dada por Augusto, o homem que sempre esteve em alerta, à espera do momento oportuno. 

‘Riu de si mesmo, que besteira, vampiros não existiam...’ p.36

Augusto transforma Diogo em vampiro, e é aí que começa toda a ação da história. Somos apresentados a um grupo de vampiros, liderados por Augusto, que é o vampiro responsável pela cidade (!?) e aos seus ‘protegidos’. E as surpresas não param à medida que você vai descobrindo as características desses vampiros fascinantes. Nada de poder andar à luz do sol, sem sangue de animais, matam humanos e seu medo e dor são força para eles, mas são sensíveis e choram lágrimas de sangue. Alho e prata são suas fraquezas, mas igreja, crucifixo e água benta são lendas.
Com os elementos necessários para cativar, paixão, amor, ódio, guerra, amizade, laços de sangue e a dose certa de erotismo, a história criada por Jéssica Anitelli leva o seu leitor, do início ao fim, a uma linda história de amor, a amizades fortes e inabaláveis e a seres imortais, poderosos e sensuais.
Me apaixonei pelo livro, o que não é difícil devido à minha paixão anterior pelos vampiros, mas a Jéssica conseguiu criar um grupo de vampiros fascinantes. A história nos faz lembrar vários vampiros conhecidos, desde Drácula e suas fraquezas e habilidades, passando pelos vampiros da Irmandade da Adaga Negra e sua sensualidade à flor da pele, até Edward e sua história de amor com Bella. Eu disse que nos faz lembrar, mas eles são muitos mais que uma mera comparação, eles tem vida própria e você vai poder desfrutar de todos eles lendo O Punhal.

2 comentários:

  1. Oi Adriana, eu li este livro por conta de um BT, mas ele não me agradou como eu esperava. A capa é linda.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  2. Oi, Adriana!

    Que capa linda ♥ Gostei da sinopse, mas não sei se vale a pena investir. Acho que vou dar uma chance só por se tratar de autor nacional, mas não me chamou tanto a atenção.
    Já estou seguindo o blog. Espero sua visitinha no Me Livrando!

    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    Ps: amei os bonequinhos como mascotes! Genial!

    ResponderExcluir