quarta-feira, 8 de abril de 2015

Exodus


Uma Escolha Capaz de Mudar o Futuro. É 2100 e o mundo como conhecemos não existe mais. As cidades estão debaixo d’água e a civilização foi revertida a um estado primitivo. Em uma ilha isolada do norte, Mara, de apenas quinze anos, tem vontade de liderar seu povo em busca de um recomeço. Esta história comovente e poderosa leva à reflexão sobre a crise climática que enfrentamos hoje e as relações humanas levadas ao extremo.



Título: Exodus
Autora: Julie Bertagna
Editora: Farol Literário
Páginas: 343

- O que você tanto olha? O que está procurando, Mara?
- Milagres - responde ela.
Exodus é uma distopia. Mas uma distopia bem próxima do que poderia ser o nosso futuro. Ele vai nos contar a história de Mara Bell, uma menina de 15 anos que vive na Terra em um período onde ela está quase toda coberta pela água, situação provocada pelo aquecimento global e o consequente derretimento das calotas polares, em 2099. Será que já ouvimos alguma previsão a respeito?
O combustível já acabou e eles se utilizam das poucas árvores que ainda restam, os animais e a comida são escassos, eles vivem isolados do mundo, de maneira primitiva, sem conhecimento da existência de outros sobreviventes.
"Todas as previsões estavam erradas, e todos os acordos políticos que impediriam o aquecimento global fracassaram, não deram em nada. Os governos do mundo inteiro não conseguiam entrar em um acordo para nada - ou cumprir qualquer tratado que já estivesse em andamento. De repente, ficou tarde demais..."
Os níveis da água não param de subir e Mara Bell não vai aceitar o fim de braços cruzados. Ela passa a procurar informações de lugares que podem salvá-los na antiga rede de computadores, a Weave. Mara então conhece uma ciber-raposa através do seu ciberwizz que lhe conta sobre uma cidade celeste chamada Munno. Acreditando ser essa a única possibilidade de sobrevivência, Mara e Tain, ancião conselheiro de Wing, convence o seu povo a partir com ela em busca dessa esperança.
"A história da hora de dormir é o refúgio que ele constrói para si mesmo toda noite antes de pegar no sono. Parece ter se tornado mais infantil, mesmo com seis anos, com uma confusão interior, tendo que se esconder do grito do lobo mau, representado pela tempestade e sua gigante força. Mara, do contrário, sente que subitamente tornou-se adulta."
A odisseia do povo de Wing guarda terríveis surpresas. O primeiro obstáculo a enfrentar é a decisão de quem vai à viagem. Por possuírem poucos barcos eles precisam escolher quem será deixado para trás, e os anciãos abrem mão da oportunidade por acreditarem não resistir. A falta de água e comida é o obstáculo seguinte. Apesar dos percalços, eles conseguem chegar ao seu destino, mas descobrem que outras pessoas tiveram a mesma ideia e se deparam com uma infinidade de barcos que não tiveram permissão para entrar na cidade. Mara Bell se culpa por ter colocado o seu povo em tamanha dificuldade e resolve procurar ajuda, que virá de onde ela menos espera. Afinal, Marra não é uma mocinha do tipo que senta e chora, é uma adolescente de personalidade forte e cheia de ideais que conseguiram encontrar solução para os problemas do seu povo.
Destaque para o povo Treenester, habitante das árvores dentro de Munno, que vivem uma relação de amor e respeito com a natureza, dando exemplo de como a relação entre homens e natureza pode ser harmônica sem ser predatória. Mara vai encontrar amigos e aprender muito com eles.
Exodus é uma trilogia, seguido por Zenith e Aurora, todos lançados pela Farol. Exodus é classificado como um livro infanto-juvenil, mas acredito que deveria ser lido por todos. Não estou sendo catastrófica, apenas acredito que devemos parar para refletir sobre a relação que temos hoje com o nosso planeta e analisarmos as semelhanças com os povos do mundo recriado em Exodus. Será que estamos indo nesse mesmo caminho? Será que em breve teremos que partir em busca da nossa Munno? Se assim for, tomara que tenhamos várias Mara Bell para salvar o dia.



12 comentários:

  1. Adriana!
    Fato é que em 2099 infelizmente (ou felizmente) não estaremos mais aqui, porém nossos herdeiros estarão e espero com toda sinceridade que os fatos não se tornem reais, embora tudo caminhe para tal.
    Amo as distopias e quando ligadas a uma realidade bem provável, dão mais veracidade.
    Gostaria de ler a série.
    “Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. É a primeira vez que eu vejo falar sobre essa distopia, gostei do tema envolver um problema que pode existir em nosso futuro. Fiquei curiosa para ler e irei procurar mais para saber da história, mesmo que não esteja mais aqui...
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Essa distopia parece impactante e forte. Nunca li nenhuma obra que tivesse a época central de 2099 e parece envolvente.
    E o livro é até que pequeno, para comportar um tipo de história tão complexa. Vou querer conferir, sem dúvidas, Adri.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 3 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir
  4. Olá Adriana,

    A sinopse é muito boa, mas a capa me faz passar bem longe do livro, mas sua resenha me deixou curioso, gosto demais de distopias....boa dica.....bjs.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie,
    nossa li este livro faz algum tempo, gostei bastante, mas confesso que a continuação não me agradou muito.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  6. Me dá uma certa agonia ler livros que fazem meio que uma previsão do que pode acontecer na história mas apesar de ficar agoniada me interessei pela distopia pelo fato de ter vários povos.

    ResponderExcluir
  7. Oii,
    Eu amo distopias e essa parece ser bom ainda mais tratando desse tema que não é tão diferente de como estamos agora. Não conhecia o livro mas gostei da resenha e pretendo saber mais. E essa capa é linda!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Gosto bastante de distopia e essa é bem diferente, adorei a sua resenha achei bem detalhada e deu para ter uma noção boa do que se trata o livro, fiquei bastante interessada e a capa é muito linda, quero muito ler!!
    Abraços
    www.estantedepapel.com

    ResponderExcluir
  9. Sempre que leio distopias penso o quanto o livro se aproxima de um futuro real da humanidade.
    Eu concordo que este livro é, vamos dizer, muito palpável, muito mais provável que qualquer outro do gênero.
    Eu fiquei com muita vontade de ler, mesmo sabendo que é trilogia... eu estou em busca de livros únicos, hehe... mas acho que a trama se justifica!
    Só acho que ao invés de alagamento teremos escassez de água (Deus queira que não)...
    Bem, eu adorei a resenha e acho que mesmo livros sendo infanto-juvenis devem ser lidos por todos... eu leio livros para todas as faixas etárias ;)

    ResponderExcluir
  10. A primeira distopia que mais se aproxima da realidade, e olha, fiquei bem impressionada com a premissa. Parece ser uma história forte, assim como a protagonista que eu mal conheço e já gosto :)
    A arte do livro esta linda, a Farol caprichou!

    ResponderExcluir
  11. Fiquei super curioso para ler essa trilogia desde o lançamento desse livro. Gostei da premissa, pois, infelizmente, é bem real e atual. Apesar de ser uma ficção, gosto desses livros que nos trazem reflexões interessantes sobre nossas atitudes. Enfim, quero muito ler, pois além da trama me atrair, a protagonista me parece ser uma das boas.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  12. Legal, muito bem. Gostei do seu layout! Seu estilo e tudo do seu post e tudo. Espero que esteje tudo bem e desejo o melhor para você! :)

    ResponderExcluir