segunda-feira, 8 de junho de 2015

O Príncipe dos Canalhas



Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...
Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.
Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.
Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.
Título: O Príncipe dos Canalhas
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 288



Vamos falar de amor? Vamos falar de romance histórico? Vamos falar de O Príncipe dos Canalhas, um do livros que eu aguardei ansiosamente a chegada. Confesso que estava esperando algo diferente e, logo de início, achei que não fosse curtir muito a leitura. Mas as coisas se mostraram o contrário e acabei gostando demais da história, que é divertida e tem personagens marcantes.
Sebastian Ballister é um homem que, com certeza, você não gostaria de conhecer. O homem é dono de uma personalidade difícil e seu apelido já diz muito sobre si: Lorde Belzebu. Nunca em minha vida de leitora achei que um apelido caísse tão bem num personagem como esse. Dain, como é conhecido entre os amigos, é o tipo de homem que impõe medo e respeito nas pessoas. Seu jeito arrogante, sua carranca assustadora e a forma esnobe e grosseira com que se dirige às pessoas fizeram com que sua fama se alastrasse. Como se não bastasse, Dain é um devasso, que prefere pagar para ter aquilo que deseja do que estabelecer um laço mais forte com qualquer mulher. Mas isso muda depois que ele conhece Jess.
Pensem numa mulher "arretada" e bem a frente do seu tempo? Essa é Jess, uma mulher de fibra e considerada pela sociedade como uma solteirona. E, ao contrário de muitas, ela não está nem aí para a fama de Dain e nem se deixa intimidar por ele e sua fama de mau. Pelo contrário, ela decide enfrentá-lo, afinal é por causa dele que seu irmão está se afundando em dívidas e levando a família para o buraco. O que ela não esperava era se sentir fortemente atraída por aquele homem enorme e de fama assustadora.
A atração inicial entre eles é forte e inegável, mas nenhum dos dois está pronto para admitir isso e é aí que as coisas começam a ficar interessantes. Vejam bem, vocês acham realmente que duas pessoas orgulhosas vão se dar ao luxo de demonstrar aquilo que estão sentindo um pelo outro? Ambos tem uma reputação a zelar, afinal ela é uma dama respeitável e ele é Lorde Belzebu, né gente? O que acompanhamos é um verdadeiro jogo de gato e rato que nos levará a cenas engraçadíssimas, quentes e apaixonantes.
Lorde Dain foi um personagem que me cativou de imediato já que no prólogo conhecemos sua infância e conseguimos entender o motivo dele ser tão arrogante e frio em relação as questões amorosas. Rejeitado pelo pai desde que era criança, era o amor da mãe que o segurava. Mas quando ela fugiu e o deixou, seu mundo despedaçou. Não foram poucos os percalços pelo qual ele passou e isso faz com que o leitor consiga simpatizar com ele e até se solidarizar. Jess também é incrível e o fato dela ser uma mocinha muito bem resolvida me fez adorá-la. Já falei e repeti mil vezes, mas não gosto de mocinhas cheias de mimimi e sem iniciativa. Ela tem língua afiada, atitude e não se deixa intimidar por Dain e nem por ninguém. Por outro lado, tem uma sensibilidade enorme e só pelo fato de conseguir ver além da aparência de Dain e entendê-lo ganhou meu amor e meu respeito. Por mais mocinhas como Jess nos livros.
A história é bem clichê, mas é deliciosa. A trama é divertida e em algumas cenas cheguei a gargalhar. Estava esperando uma história diferente, mas acabei me surpreendendo. Não foi nada do que eu imaginava e, apesar de ter ficado com um pouco de receio no início, acabei mergulhando fundo no livro e gostei demais do que encontrei. Achei que a "ação" demorou a acontecer e que a trama ficou um pouco restrita somente ao jogo de gato e rato do casal protagonista. Claro que é uma delícia acompanhar as idas e vindas do casal, mas queria que outros fatos fossem inseridos na história para deixá-la mais interessante. Isso realmente acontece, só achei que poderia ter sido um pouco antes, para poder ficar aquele clima de mistério no ar.
Esse foi o meu primeiro contato com a escrita da autora e achei bem dinâmica. Ela é descritiva na medida certa, algo que eu adorei (não gosto de histórias cheias de descrições porque acabo perdendo o ritmo da leitura, deixando-a arrastada). Outro ponto positivo é o bom humor inserido na história. Não é por ser um romance que não podemos ter cenas divertidas. Nem só de juras de amor e lágrimas se faz um bom romance. É preciso saber dosar e Loretta conseguiu isso com maestria.
Se você, assim como eu, é fã dos romances de época, precisa conhecer esse canalha. Com certeza ele vai tirar seu fôlego e te fazer passar bons momentos em excelente companhia.

17 comentários:

  1. eu amo de paixão romances de época e ja estou louca para ler esse! só esperando meu exemplar chegar, aguardo ansiosa para curtir tanto quanto você!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Sou apaixonada por romances de época, Neyla, e desde o lançamento desse livro eu queria lê-lo. Gosto dessa premissa de mocinhos sofridos que parecem ser maus, mas que na verdade não são. Mas o que mais me chamou atenção no livro foi o fato de você dizer que a mocinha é forte, não é cheia de mimimi. Mocinhas sem atitude, que não sabem o que querem me irritam.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Minha Vida, como disse a você antes: gosto muito de ver essa empolgação que passa nas resenhas. Mesmo eu que não leio romances fico com vontade de ler e ver se consigo sentir a mesma coisa.
    Mocinhos e mocinhas apáticos me irritam também, ser protagonista e não ter o mínimo de personalidade é terrível.

    Saudações,
    Ace Barros
    Capitão do drakkar Interlúdio, navegando pelo Multiverso X
    multiversox.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Neyla,
    menina este livro esta na minha lista de desejados já.
    Achei muito legal a história. Doida para conseguir ler.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Flor! To doidinha para ler essa obra, amo os livros de época da Arqueiro e acho que vou investir nesse também, só leio elogios e to cada vez mais curiosa! Bela resenha! Beijos
    Paula Juliana - Overdose
    http://overdoselite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. amo romances de época, li o livro esses dias e gostei muito, é do jeito meio romantico mais nem tanto, adorei o Dain, logos no inicio ja percebi que ele era mais do que aparentava ser, gostei da resenha e a capa é um amor.

    ResponderExcluir
  7. Neyla!
    Amo os romances de época também e quando tem uma protagonista forte, além de seu tempo como a Jess, é ainda mais maravilhoso!
    Belzebu? Vixe! Mas se cai bem em Dan, o cara deve ser bem amedrontador mesmo.
    Ansiosa pela leitura.
    Interessada em Jackaby, O beijo de chocolate e Meu refúgio favorito, na onda dos livrinhos de pintar.
    “Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses.”(Sócrates)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Neyla, amei este livro, e o casal é ótimo, sem frescura ou mimimi. Mediverti com os diálogos e concordo, um romance para ser bom não precisa ser meloso.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Oii Neyla!!

    Desde que eu vi esse lançamento, eu curti a capa e odiei esse titulo, ele que quase me fez desistir da leitura, mas depois fui vendo as resenhas e percebi que estava perdendo algo muito bom.

    Gostei muuuito da sua resenha e mesmo o livro sendo um clichêzinho eu quero muuuito ler :D


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  10. Esse livro realmente me parece um ótimo Romance Histórico, mas infelizmente ele não vai ser o primeiro livro do gênero que irei ler, porque escolhi MUITO MAIS QUE UMA PRINCESA da autora Laura Lee. Fiquei bastante interessada sabe? Mas eu comprei o Principe dos Canalhas e estao dizendo que é muito parecido com A BELA E A FERA. Quero muito ler. Se eu gostar desse que irei ler eu com certeza colocarei ele em seguida, porque pela sua resenha percebi que vocÊ realmente gostou da história. Amo romance e acho que com certeza irei me dar bem, principalmente por conta da narrativa ser fluida =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/06/resenha-fingindo.html

    ResponderExcluir
  11. Oi Neyla
    Eu estou com muita vontade de ler este livro, mas tenho visto que as pessoas não tem gostado tanto assim. Que bom que você viu todos os pontos positivos do livro e gostou da historia. Nem todo livro é perfeito né!?
    Ótima resenha!

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Neylaaa Linda hahahaha
    estou para ler sua resenha desde o dia que você postou, mas estava esperando escrever e postar a minha hahahaha
    tb gostei muuuito do livro!
    Realmente Dain e Jess são personagens cativantes!!!
    Adorei a resenha... parabéns!!!
    Beijossss

    Mara....não tinha visto ainda esse post!!! Adorei!

    Ficou muito bom mesmo!!!

    Das mães que você citou e eu conheço (a maioria) - concordo plenamente com as suas classificações hahahahah

    Beijoss

    http://ilusoesnoturnas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu ri alto com o apelido "Lorde Belzebu"? Minha nossa hahahahha. Normalmente eu nem sou chegada em romances históricos mas gostei de saber que a história tem seu "que" de humor. Acho difícil eu ler mas se for, vai ser ao menos pela parte do divertimento :)

    ResponderExcluir
  14. Se eu soubesse que o livro do clube de leitura desse mês fosse romance de época, eu teria escolhido este, mas como o resultado saiu ontem, acabei escolhendo outro livro.

    Enfim, adorei a resenha. Adoro esses clichês. Não sou muito fã de romance de época, mas este me pareceu tão bem humorado que me ganhou de cara.

    Own! E agora? O que farei?? Comprarei pra ler depois.

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  15. Olá =)

    As meninas do clube da leitura em massa escolheram esse livro, não é a toa que a Lelê queria trocar o dela caso soubesse qual tema do mês iria ser romance de época, rs. Tenho uns estacionados na estante, mas esse já está na minha lista de desejados. Adorei a sua resenha!!! Quero muito!!!

    Beijos,
    http://www.estantedarob.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Neyla,

    Concordo com você... Por mais Jess nos livros!
    Mocinhas sem mimimi e sem medo de ser feliz, sem traumas e amarguras...
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  17. Só por esse apelido que o cara tem, já devo imaginar o quão divertido é esse livro. Pelo que deu a entender, o casal protagonista é o ponto alto da trama. São personalidades fortes, mas que tem uma química quando estão juntos, mesmo nos momentos de brigas. E outra coisa que me agrada é uma protagonista que não seja mimizenta. Resumindo, quero ler muito em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir