quinta-feira, 25 de junho de 2015

Qual Seu Número?


Delilah Darling tem quase 30 anos e já se relacionou com 19 rapazes. Sua vida sentimental não tem sido exatamente brilhante, pois todo cara que conhece parece fugir do relacionamento. Quando lê uma matéria no jornal em que a média de homens para uma mulher de 30 anos é de 10,5, fica desesperada e assustada por estar muito acima dela. Além de tudo, o artigo no jornal terminava falando que, se a mulher tivesse o número acima dessa média, seria impossível achar a pessoa certa. Na tentativa de não aumentar seu número e perder de vez a chance de se casar, Delilah sai à procura de seus antigos namorados e tenta reconquistá-los. Será que um deles estará disposto a esquecer o passado e começar uma linda história de amor? Qual Seu Número? revela os segredos de cada mulher e prova que, quando se trata de assuntos do coração, números são apenas uma fração de tempo.
Título: Qual Seu Número?
Autor (a): Karin Bosnak 
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 424

Sempre tive vontade de ler Qual Seu Número? por conta dos elogios que lia a respeito da história. Lembro que ganhei ele em um sorteio há alguns anos e fiquei feliz da vida por que, finalmente, iria conseguir ler. Pura ilusão! Por mais que a vontade de ler fosse enorme, foram aparecendo mil e um livros para ler, livros de parceria para dar conta... e eis que, quase 3 anos após ganhá-lo eu, finalmente, consegui lê-lo. E gente, que livro sen-sa-cio-nal!
Delilah Darling é uma mulher solteira de quase 30 anos e que já dormiu com 19 homens, fato que nunca antes a havia afetado. Contudo, após ler uma matéria que diz que a média de relacionamentos de uma mulher na vida é de 10,5 homens, ela entra em um leve desespero. E a coisa tende a piorar quando ela, sem querer, dorme com o 20º homem. Sem saber o que fazer, achando-se uma mulher fácil (ok, ela é fácil), Delilah toma uma decisão: não dormirá mais com nenhum homem. Sensato? Claro que não! Mas o pior ainda está por vir: ela irá atrás de todos os homens com quem já dormiu para tentar descobrir em que errou e tentar, quem sabe, descobrir em um deles o homem de sua vida.
A ideia é ruim? Não, é péssima! Some-se a isso o fato que ela foi demitida e que irá usar o dinheiro do seu seguro para pagar a investigação (afinal ela precisa saber onde estão cada um de seus ex's, se são solteiros e heterossexuais) e os gastos com as despesas. Mas estamos falando de Delilah e ser sensata não é uma de suas qualidades. Portanto, com a ajuda de seu vizinho gato Colin (responsável pelas investigações), ela cai na estrada em busca do provável amor da sua vida. 
O que acontece a partir daí é uma sucessão de situações constrangedoras e extremamente engraçadas, que me fizeram ir da vergonha alheia às gargalhadas em questão de segundos. Todos os encontros são verdadeiros desastres e se fosse eu no lugar dela, desistiria logo de nos primeiros (ok, se fosse eu nem embarcaria nessa). Mas Delilah, apesar de não ser brasileira, não desiste nunca e ela vai ter disposição de ir até o fim em busca daquilo que acredita.
Qual Seu Número? foi um dos livros mais divertidos que já li até hoje. A história é leve, a narrativa é ágil e tem cenas engraçadíssimas. Eu estava preparada para um livro que me fizesse rir, afinal tenho lido coisas boas sobre ele faz muito tempo. Mas não esperava que fosse me envolver tanto com a história ao ponto de querer entrar no livro e dar uns puxões de orelha na personagem principal.
Vejam bem, por mais que eu tenha amado Delilah, ela é uma completa sem noção. E não falo isso apenas pelo motivo dela sair nessa viagem louca, mas sim pelas atitudes que ela toma no decorrer da história. Por mais desesperada que ela estivesse, por mais pressão que estivesse sofrendo (a mãe que acha que ela deve arrumar um namorado, as pessoas em volta que pensam que ela está deprimida por que a irmã está casando primeiro e ela nem ao menos tem um homem pra chamar de seu) tem coisas que eu jamais imaginava que ela fosse fazer (e não vou contar porque seria um spoiller). Não foram poucas as vezes que gritei, em meio a gargalhadas: "Que mulher louca, cadê o juízo dessa criatura?". As situações em que ela se mete são hilárias e eu nunca rezei tanto por um final feliz como neste livro. 
Apesar do livro ser bem grosso, a leitura flui muito fácil e em boa parte isso se deve pelos personagens serem bem carismáticos e pela história ser aquele tipo que te prende até a última página. Não tem como não querer saber onde tudo isso vai terminar ou se Delilah vai ter, finalmente, seu final feliz ao lado do tão almejado homem de sua vida. Não é um livro que vai mudar a sua vida, mas com certeza te fará dar boas risadas e passar momentos divertidíssimos.

14 comentários:

  1. Não li esse livro mas vi o filme e com certeza concordo contigo quando disse que é muito engraçado, deu muitas risadas.

    ResponderExcluir
  2. Neh, achei o livro bem bacana! uma premissa super divertida! essa Delilah e seus amores hahahaha
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Tava pensando em ver o filmes esses dias, acho que vou começar pelo livro, adoro livros com narrativas leves e engraçadas!


    Beijocas, Michele

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Neyla!
    Li esse livro faz tanto tempo que nem me lembrava direito da história.
    Após ler sua resenha, me lembrei das risadas que dei e de todo enredo. Realmente ela é bem sem noção...
    “A amizade não se busca, não se sonha, não se deseja; ela exerce-se (é uma virtude).”(Simone Weil)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  5. Oi Neyla, tudo bem?

    então, mulher! como a maioria do pessoal aqui nos comentários, eu só assisti ao filme. Não sabia que tinha um livro original! infelizmente estou numa época de não comprar livros, então não posso dar uma chance para esse; além do mais, não é tão meu estilo de leitura. Não que eu não goste de dar umas boas risadas, mas fico com vergonha alheia muito fácil (fico com vergonha alheia até das interações de Willian Bonner com MaJu no Jornal Nacional, só pra você ter uma ideia hahahaha).

    Mas quem sabe, num futuro próximo, eu não dê uma chance para o livro?

    Beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá Neyla tudo bem? Sumida, ou eu estava sumido?

    Enfim, tenho uma certa curiosidade em relação a esse livro, gosto de ler as vezes livros que nos fazem rir, acho necessário, boa dica...abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. OI Neyla..
    Eu não li o livro, mas já tinha visto o filme, e quando vi nem imaginava que tinha livro.
    Mas como você citou que o livro é bem engraçado, o filme também é..ri muito. Nossa, e faz um tempão que eu assisti.
    Bela resenha, ótima dica.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    menina eu amei tanto o livro quanto o filme.
    Adorei sua resenha, achei o livro muito divertido

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho que confessar que eu simplesmente amei a sua resenha, porque eu também tenho visto muitos comentários ótimos sobre esse livro e também tenho que confessar que até comprei o filme para assistir após minha leitura, mas eu ainda não vi o DVD e nem li o livro e acho que vou começar a programar ele para ler logo, porque deve ser um livro realmente bastante engraçado. Eu sou daquelas que ri na caruda mesmo hahahaha...Eu simplesmente adorei a maneira como você desenvolveu a sua resenha. SIMPLES e DIRETA. Parabéns

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/06/resenha-apenas-um-ano.html

    ResponderExcluir
  10. gostei da resenha, já tinha assistido o filme mas nao sabia que era um livro,
    fiquei interessada em ler e saber se é como o filme.

    ResponderExcluir
  11. Olá, Neyla.
    Gostei muito da resenha. Esse foi o primeiro livro do gênero que eu li. Achei muito divertido. A parte que ela se interna para conseguir falar com o cara é hilária hehe. Gostei tanto que depois fui comprando um monte de livros do gênero hehe. Pena que o filme não é tão bom quanto o livro.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  12. Que legal, Neyla! Estava procurando algo assim pra me fazer dar boas risadas.
    Amei a resenha! E essa Delilah muito louca deve fazer rir muito mesmo, haha.
    Bjo grande!
    Carol.

    ResponderExcluir
  13. Tenho bastante vontade de ler esse livro, porque gosto bastante de chick lit. E, se tem uma coisa que me agrada, são personagens completamente malucas e sem-noção como essas. Não sei o que ela fez, mas por essa resenha, já dá pra imaginar que os micos e situações devem ser bizarros. kkkkkkk

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  14. Eu assisti o filme baseado no livro faz um tempo e dei altas risadas com ele. Já me falaram que o livro é melhor. Ainda não li, mas como adoro chick-lits, com certeza ele será uma leitura futura.

    ResponderExcluir