segunda-feira, 13 de julho de 2015

A Promessa da Rosa


Século XIX: status, vestidos pomposos, carruagens, bailes… Kathelyn Stanwell, a irresistível filha de um conde, seria a debutante perfeita, exceto pelo fato de que ela detesta a nobreza; é corajosa, idealista e geniosa. Nutre o sonho de ser livre para escolher o próprio destino, dentre eles inclui o de não casar-se cedo. No entanto, em um baile de máscaras, um homem intrigante entra em cena… Arthur Harold é bonito, rico e obstinado.
Supondo, por sua aparência, que ele não pertence ao seu mundo, à impulsiva Kathelyn o convida a entrar no jardim – passeio proibido para jovens damas. Nunca mais se veriam, ela estava segura disso. Entretanto, ele é: o nono duque de Belmont, alguém bem diferente do homem que idealizava, só que, de um instante a outro, o que parecia a aventura de uma noite, se transforma em uma paixão sem limites.
Porém, a traição causada pela inveja e uma sucessão de mal-entendidos dão origem ao ciúme e muitas reviravoltas. Kathelyn será desafiada, não mais pelas regras sociais ou pelo direito de trilhar o próprio caminho, e sim, pela a única coisa capaz de vencer até mesmo a sua força de vontade e enorme teimosia: o seu coração.
Título: A Promessa da Rosa
Autor (a): Babi A. Sette
Editora: Novo Século
Número de páginas: 432


Falar dos livros de Babi A. Sette é sempre um prazer enorme para mim. Ano passado tive o enorme prazer de ler Entre o Amor e o Silêncio, que foi um dos melhores nacionais que li. A história, alinhada à escrita da autora que é fabulosa, me fizeram cair de amores pelo livro e lê-lo em um tempo recorde. Assim que soube do lançamento de A Promessa da Rosa fiquei ansiosa, em especial por ser um romance histórico (quem acompanha o blog sabe que sou apaixonada por eles). Me lancei na leitura sem medo de ser feliz e, mais uma vez,  me vi encantada com a história.
Neste livros conhecemos Kathelyn Stanwell, uma mocinha que foge um pouco dos padrões normais da sociedade do século XIX. Os bailes, as promessas de bons casamentos, as jóias e vestidos pomposos não são coisas que façam seus olhos brilharem. Kathe é uma moça a frente do seu tempo, que deseja muito mais do que um casamento arranjado, algo comum naquela época. Se um dia se casar, será por amor e não algum acerto feito entre seu pai e o futuro noivo, afinal ela não é mercadoria e não deixará que a tratem como qual.
Após ter ficado um mês de castigo em casa, ela consegue com que o pai a libere para ir a um baile de máscaras. Não pense você, caro leitor, que ela desejava divertir-se dançando e conhecendo novas pessoas. Seu único intuito era poder ver algumas peças gregas e valiosas que pertencem ao anfitrião do baile. Mal sabia ela que lá encontraria um homem misterioso, a quem ela denominou de falcão, que iria mudar sua vida (eu sei que isso soa clichê, mas vocês sabem que eu não resisto a essas frases feitas, né? - hahaha).
O falcão é ninguém menos que Arthur Harold, o duque de Belmont, um dos melhores partidos da temporada. Bonito, sexy, sedutor e rico (que currículo!), ele é aquele tipo de homem que causa alvoroço em todo e qualquer tipo de mulheres. O tipo de homem que as mães adorariam casar suas filhas. Mas vocês acham que Kathe sabe disso? Bom, ela sabe sobre o duque, mas como nunca antes havia visto não sabe que está frente a ele.
A atração entre ambos é grande. O duque, que nunca foi um apreciador de mulheres fúteis, se vê encantado não somente pela beleza da jovem a sua frente mas por todo o conhecimento que ela demonstra ter sobre as artes gregas, assunto esse que muito o interessa. Juntos, eles se entregam a uma paixão avassaladora, que irá despertar a inveja de pessoas que farão de tudo para os separarem.
Essa foi uma leitura intensa, cheia de reviravoltas e que me tirou o fôlego por "enes" motivos. Não pensem que vão encontrar uma trama como as que estamos habituados, onde os mocinhos brigam, depois casam e vivem felizes para sempre. A história de Kathelyn e Arthur é permeada por altos e baixos, encontros e desencontros, ciúmes, inveja e desentendimentos.
Não há espaço para personagens fracos e sem graça. Kathe é a típica mocinha que me agrada por ser decidida, teimosa e obstinada. Suas respostas são afiadas, suas atitudes as vezes são desmedidas e ela é o tipo de moça que pouco se importa com o que a sociedade irá falar, afinal eles não importam nada para ela. Arthur também é um homem forte e decidido, mas confesso a vocês que em vários momentos eu quis dar-lhe umas boas bofetadas. O fato dele muitas vezes se deixar levar por boatos ou ser impulsivo e não buscar ir a fundo para descobrir os fatos me fizeram pegar uma birra dele. Em determinadas partes eu até pensava comigo: "Tem mais é que sofrer, excelência". Mas também me rendi a seu charme. E, como o amor que ele sente por Kathelyn é algo que não tem como duvidar, ele conseguiu seu perdão comigo após algumas páginas.
A escrita de Babi é maravilhosa. Ela consegue prender o leitor e mexer com nossos sentimentos. Eu fui do sorriso às lágrimas, amei e odiei, fiquei frustrada, tensa (muito tensa), aliviada e depois tensa novamente (hahaha). Para mim, ela já havia sido perfeita em Entre o Amor e o Silêncio, mas conseguiu se superar em A Promessa da Rosa. Por mais elogios que eu possa tecer sobre ela, nada que eu venha a falar vai fazer jus ao que encontrei neste livro. Narrativa ágil, dinamismo nos capítulos, uma história que não nos deixa ponta soltas e um romance de tirar o fôlego. A delicadeza com que Babi descreve cada cena, até mesmo as mais quentes, é admirável e só fez com que crescesse mais e mais meu apreço e respeito por essa autora que tem tudo para brilhar ainda mais.
E já que estamos falando de delicadeza, não posso deixar de comentar a respeito da arte do livro. A Editora Novo Século está de parabéns por cada detalhe apresentado, a edição está linda e fico feliz em perceber o carinho e atenção deles com a obra. Encantadora!
Se você, assim como eu, é apaixonada por romances cheios de reviravoltas, com certeza não pode deixar de ler A Promessa da Rosa. Tenho certeza que irão amar!


12 comentários:

  1. Oi Neyla!!!
    Também amei o livro e esse foi o meu primeiro contato com a autora. Não conseguia largar a leitura, avancei madrugada adentro, foi uma loucura! Assim como você, tive vontade de estapear o Arthur, e fiquei pensando na falta que faz uma boa conversa nos momentos de crise conjugal.
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  2. eu amo de paixão romances de época e ja estou louca para ler esse! aguardo ansiosa para curtir tanto quanto você!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olha só... Não sou chegada em romance, nem curto livros de época, maaaasss EU AMO OS LIVROS DA BABI!!!! Como pode uma mulher escrever tão bem assim a ponto de fazer a gente mudar de opinião em relação a um gênero todo??

    A explicação está justamente no que você disse. Não tem mimimi, não espaço para os fracos, e ainda tem reviravoltas. Isso é bom demais!!!

    Você sabe que estou na maratona né, mas o livro da Babi será o próximo logo depois do término da maratona.
    Livro dela não deve ser lido correndo, quero aproveitar cada página!

    Amei a resenha!!!!

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  4. Olha essa capa? Compraria só para deixar em cima da minha mesa, enfeitando kkk Mas com essa história, impossível gostar só da capa, principalmente por ser de época, que simplesmente amo <3 Farei o possível para ler. Abçs!!

    ResponderExcluir
  5. Estou louca pra ler esse livro,
    parece ser muito bom,
    e a capa é perfeita

    Mil beijocas
    ⋙ ♥ Blog Livros com café

    ResponderExcluir
  6. Oi, Neyla!

    Não conheço a escrita da Babi, mas estou louca para ler "A promessa da Rosa". Gostei de saber que a protagonista é forte e determinada e que a história é tão boa quanto eu esperava.
    Ótima resenha.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Neyla!
    Os romances ambientados no século XIX são ricos em vários aspectos e são os meus favoritos.
    Não li ainda nenhum dos livros da Babi, mas tenho muito desejo.
    Na expectativa de em algum momento adquirir os livros dela.
    “É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Eu recebi esse livro de parceria, mas ainda não tive oportunidade de fazer, entretanto vou precisar ler o mais rápido possível. Já li o outro livro da autora, então acho que, assim como você, vou gostar desse.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Amei muito , obrigada por essa resenha tão especial e por dividir a sua impressão com tanto carinho, bjs

    ResponderExcluir
  10. Me tornei uma verdadeira apaixonada por romances de época e pela impressão que você passou deste livro, parece ser um livro excelente, fiquei super curiosa para conhecer de perto e com meus próprios olhos esta estória. Amei.

    ResponderExcluir
  11. Amo romances, e acho ainda mais fofo os de época, tantos vestidos e bailes. Capa realmente linda!!

    ResponderExcluir
  12. Olha sooo, eu nao sabia que esse livro era nacional :o Acho que nossos autores estao a cada dia fazendo e recebendo o sucesso que merecem! E as capas dos nacionais estao arrasando completamente... linda e simples!
    Amo romances historicos e adorarei poder ler um nacional historico...espero que eu goste!

    ResponderExcluir