quarta-feira, 15 de julho de 2015

Ex-Comunhão


Desde que hordas de mortos-vivos varreram o mundo, St. George e seus companheiros heróis não apenas mantiveram os últimos humanos de Los Angeles vivos, como também criaram uma comunidade real, uma cidade ativa, que se espalha para além de seus muros e cresce com novos refugiados. Mas, agora, um dos heróis – talvez o mais poderoso entre eles – parece estar perdendo a cabeça. O implacável inimigo conhecido como Legião encontrou terríveis novas formas de usar zumbis como peões em seus ataques. E do lado de fora do Monte, algo antigo e monstruoso tem sede de vingança... Nessa incrível sequência de Ex-patriotas, St. George, Stealth, capitão Freedom e todos os outros heróis descobrem que, mesmo em uma cidade invadida por milhões de ex-humanos, há mais de uma maneira de voltar dos mortos.
Título: Ex-Patriotas 
Série: Ex-Heróis 
Editora: Novo Século 
Autor (a): Peter Clines
Número de Páginas: 344 


 SKOOB - COMPARE & COMPRE - LOJA RECOMENDADA

Dando seguimento aos acontecimentos narrados em Ex-Hérois e Ex-Patriotas, Peter Clines nos traz mais um eletrizante capítulo para a saga de desventuras enfrentadas por nossos sobreviventes do Zumbocalipse. Se você não leu os livros anteriores pode ficar tranquilo, essa postagem só abordará o necessário para que você entenda o que acontece nesse volume e não vai estragar as suas surpresas.
Após a grande batalha contra Rodney Casares - mais conhecido como Legião - e a adesão dos militares do Projeto Krypton ao grupo de sobreviventes de Los Angeles nossos heróis começam a sentir os efeitos positivos e negativos do crescimento populacional no Monte. Se por um lado a esperança começa a crescer a medida que o grupo prospera, fica cada dia mais difícil manter o controle sobre a sociedade que se forma. É preciso ir cada vez mais longe e se arriscar cada vez mais em meio às hordas de zumbis para encontrar mantimentos, combustível e outros recursos. Apesar da autoridade representada pelos heróis, os crimes começam a crescer. Como se não bastasse um estranho culto começa a confabular sobre a "real" situação do Apocalipse Zumbi e o aparecimento de uma jovem zumbi consciente e o retorno de um antigo aliado direto dos mortos traz mais mistério e problemas para Stealth, St. George, Zzzap e Cerberus. Nossos heróis precisam lidar com diferentes níveis de problema e se preparar para algo ainda pior que o avanço de Legião. Um mal místico vindo diretamente do inferno.
Os heróis seguem no caminho da humanização, com questionamentos e aflições, com desejos e paixões, mas não tão aprofundados quanto no volume anterior. A ação e preparação para o que está por vir passa ser o foco da narrativa, tornando-o bem mais dinâmico. Apesar de se distanciar do clima psicológico mais pessoal abordado no segundo livro, novos elementos ganham força - embora alguns pudessem ser melhor trabalhados. O misticismo citado no primeiro volume retorna e se fortalece, a religião e a fé se tornam pontos de discussão e o mistério por trás de uma peça importante no combate às crescentes ameaças e uma esperança para um novo futuro são fundamentais para a trama. Clines mantém a história sendo contada em dois tempos: o antes para aprofundar mais nos novos personagens e trabalhar o mistério ao redor deles e o agora para trabalhar as dificuldades vivenciadas pós-zumbocalipse. 
Ex-Comunhão com certeza não é o melhor ou mais profundo livro da série, mas está longe de ser ruim ou massante. Muito longe disso. Porém diversas questões são deixadas em aberto, tal qual a razão da origem dos super-seres deixada em aberto desde o primeiro volume e isso pode incomodar alguns leitores mais objetivos. Faço de questão frisar que o livro deve ser encarado como um entretenimento e repetir o que disse anteriormente: é impossível ler a saga sem imaginar a história nas folhas de uma HQ, nas telas de cinema ou mesmo em uma série de TV.
Assim como os volumes anteriores, o livro é altamente recomendado para quem é fã de super-heróis, para o cinema, para os de zumbis, para os de ação, pancadaria e principalmente para quem procura diversão descompromissada, pois é exatamente o que encontrará. Um verdadeiro blockbuster em forma de romance. Se ficar de preconceito e não entrar de cabeça vai deixar uma boa dose de diversão de lado.


5 comentários:

  1. Não conhecia esta série, li pela primeira vez sobre ela agora. Como não é um gênero literário muito parecido comigo, provavelmente não leia mesmo, mas me pareceu muito interessante, mesmo eu não curtindo muito os zumbis.

    ResponderExcluir
  2. Não sei se curto essa pancadaria e zumbis em livros.Nunca li livros assim, e acredito que não irei gostar, pois prefiro isso em filmes. Mas quem sabe um dia não dou uma chance? Por enquanto, vou deixar passar. ;P
    Abçs!!

    ResponderExcluir
  3. Ace!
    Zumbis são sempre bons e se tem pancadaria, ainda melhor, dá mais dinamicidade aos trechos do livro.
    E para divertimento é um bom livro como falou.
    Gostaria de ler a série.
    “Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.”(Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  4. Não conheço a serie, e os poucos livros que li do mesmo gênero não me agradaram tanto, prefiro na TV como TWD.. mas quem sabe um dia!

    ResponderExcluir
  5. Ola
    Nao conhecia essa serie, realmente nunca tinha visto nem escutado nada sobre ela. Confesso que por essa resenha nao me prendeu tanto, mas voce falou que os outros livros sao ainda melhores, entao vou pesquisar mais sobre o primeiro da saga.
    Beijos

    ResponderExcluir