terça-feira, 7 de julho de 2015

Guerra Civil: Uma História do Universo Marvel




A épica história que provoca a separação do Universo Marvel! Homem de Ferro e Capitão América: dois membros essenciais para os Vingadores, a maior equipe de super-heróis do mundo. Quando uma trágica batalha deixa um buraco na cidade de Stamford, matando centenas de pessoas, o governo americano exige que todos os super-heróis revelem sua identidade e registrem seus poderes. Para Tony Stark o Homem de Ferro é um passo lamentável, porém necessário, o que o leva a apoiar a lei. Para o Capitão América, é uma intolerável agressão à liberdade cívica. Assim começa a Guerra Civil. 

Título: Guerra Civil
Série: Coleção Marvel
Autor (a): Stuart Moore
Adaptado dos Quadrinhos de Mark Millar e Steve McNiven
Editora: Novo Século
Número de Páginas: 398


Se tiver a curiosidade de perguntar a um fã de quadrinhos qual saga da Marvel Comics indicaria para qualquer pessoa, boa parte deles responderia sem dúvidas: Guerra Civil. Quando preparou a saga em 2006 a editora certamente esperava algo grandioso, afinal aqueles acontecimentos envolviam todos os seus personagens e as consequências planejadas para o desfecho eram enormes. Porém Guerra Civil se tornou um clássico instantâneo, algo maior que o esperado, e não podia ficar limitado à aquele espaço. Por isso em breve teremos uma adaptação nos cinemas - que deve ser bem diferente da saga de modo geral - e tivemos a adaptação literária sobre a qual falaremos agora.
A trama do livro se inicia com Os Guerreiros, um grupo de heróis que em busca de popularidade criaram um reality show para se exibirem enquanto prendiam bandidos. Porém o grupo acaba enfrentando um grupo de super vilões com mais poder que eles podiam lidar e com isso causam uma catástrofe: Nitro, um dos vilões, causa uma explosão em frente a uma escola em Stamford, Connecticut, dizimando mais de seiscentas pessoas, incluindo seus companheiros e Os Guerreiros. 
A Tragédia de Stanford se torna a gota d'água para que o governo acelere a votação do projeto da Lei de Registro de Super-humanos, onde todo super herói ou super vilão terá que se cadastrar, revelando sua identidade secreta, poderes e fraquezas, para continuar em atividade. Porém a ideia não é bem recebida por toda a comunidade que, mesmo com a possibilidade de emprego no governo com salários e benefícios, enxerga na LRS uma afronta aos direitos de liberdade e um risco para os familiares. Assim começa a divisão: Liderados pelo Homem de Ferro, Quarteto Fantástico e até o Homem Aranha, entre outros heróis aderem à nova lei e formam A Iniciativa, mas outros, como Falcão, Demolidor, Os Novos Vingadores, liderados pelo Capitão América, não aceitam a nova lei e formam A Resistência. Os heróis estarão diante do maior desafio que qualquer um já enfrentou, e talvez, o mais difícil, afinal lutarão uns contra os outros. Amigo contra amigo, cada um defendendo seus interesses e dispostos a quebrar regras para provar que está correto. 
Um livro não é uma história em quadrinhos: Moore estava correto em fazer essa afirmação em seus agradecimentos. Adaptar a trama de um Quadrinho para prosa é com certeza uma tarefa árdua, já que o reforço visual é elemento essencial para o funcionamento da narrativa. Porém, evidentemente, um livro possui mais espaço para o descritivo e o psicológico, e é apostando nisso que Stuart Moore cria uma nova visão para a obra de Mark Millar e Steve McNiven, contudo mantendo-se fiel ao original. A disputa entre Iniciativa e Resistência está lá, os questionamentos sobre o certo e o errado, a guerra de interesses, a ruptura do padrão maniqueísta, heróis contra heróis, heróis se juntando a vilões, erros e consequências. Tudo que fez dessa história o clássico que é, se mantém presente. 
Com uma narrativa simples e ágil Moore aproveitou o espaço das páginas aprofundar os personagens que conduzem os pontos mais importantes da trama como o Homem de Ferro, Capitão América, Homem-Aranha e a Mulher Invisível. Outros personagens fazem parte da trama, é claro, mas não recebem tanta projeção ou o foco da trama se perderia, mas a essência de todos eles é respeitada e suas participações fazem diferença. E embora falhe um pouco na descrição visual dos personagens  - certos uniformes são quase impossíveis de descrever, tal qual uma alegoria carnavalesca - o autor consegue trabalhar bem os ambientes e cenas de ação, que são partes tão importantes quanto o psicológico para a imersão na trama.
É claro que para chegar ao formato de livro a saga passou por algumas mudanças, mas elas são perceptíveis apenas para aqueles que leram os quadrinhos. Então fará pouca diferença saber que personagem A ou B está ou não está na trama original, ou personagem C ganhou mais espaço no livro, ou mesmo que a formação de tal equipe era X na época. A maioria das mudanças contribuiu para a simplificação da trama, e para evitar maior confusão com um grande número de personagens (a maioria deles muita gente nem conhece, imagina se aparecessem todos?). Só senti falta mesmo do impactante epílogo envolvendo o Capitão América (a notícia envolvendo o personagem saiu até no Jornal Nacional).
A parte gráfica do livro ficou muito bacana, capa e interior muito bonito, e quase não a problemas no miolo. Digo quase por haver alguns pequenos problemas na diagramação e confusão em alguns parágrafos. Porém nada que atrapalhe o andamento da leitura.
Guerra Civil, de Stuart Moore, é com certeza uma obra que sintetiza a essência da saga e trás o melhor do evento que mudou o mundo dos Super-Heróis da Marvel. Um livro recomendado a todo fã de quadrinho - que tenha acompanhado a saga original ou não - e também para todo entusiasta que passou a gostar mais desse universo a partir dos filmes, amantes de boas tramas e leituras de entretenimento. Se tiver curiosidade, disposição e tempo recomendo também que leia os quadrinhos - serie principal e as partes individuas de cada personagem - pois vale muito a pena conhecer a história a fundo e entender melhor o posicionamento de equipes como os X-Men nessa trama. Agora, escolha o seu lado e boa leitura! #TeamCap X #TeamIron




6 comentários:

  1. Não sou muito fan de quadrinhos, mas gosto desses de super-heróis que existe nessa história. E como muitos também gostam, nada melhor do que levá-los para o cinema kkk Seu eu tiver a disponibilidade de ler, com toda certeza, vou gostar. Abçs!!

    ResponderExcluir
  2. Ace!
    O universo Marvel dá margem à várias formas de um mesmo episódio, aqui é um exemplo.
    Gosto dos quadrinhos, dos filmes e tenho certeza que gostarei do livro, principalmente porque aqui, aborda o aspecto psicológico mais abrangente. Bom demais!
    “Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra.”(Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  3. Olaaaa
    Antes eu nao era fa e so conhecia o basico sobre o universo dos quadrinhos, mas conheci uma amiga que me apresentou e me viciou nesse mundo incrivel!! Adorei a sinopse, fiquei mega curiosa para conhecer mais disso tudo! ja quero
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Não sei se gosto, mas com certeza acho que vou ficar confusa se eu ler, a Marvel mistura tantos personagens e histórias que sempre acho tudo meio maluco.
    Não fiquei curiosa, mas um dia quem sabe!

    ResponderExcluir
  5. Eu amo quadrinhos, meu marido me viciou, kkkk
    Depois desta febre nos cinemas, ouve-se mais sobre o universo Marvel, e eu achei interessante a sinopse do livro, acho que seria uma leitura muito boa.

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca li quadrinhos, sinto que é uma falha de caráter em algum nível hahaha - no entanto, não quero começar com novas drogas, por isso, só fico com os livros mesmo. Saber que existe agora um livro (inspirado em quadrinhos) é uma informação muito empolgante, porém perigosa (vai que eu gosto e quero começar a leitura dos quadrinhos??)

    Enfim, o universo da Marvel sempre me interessou e eu sempre pergunto, quando posso, aos meus amigos que têm a paciência de me explicar a história, como tudo funciona. Porque eu sei que somente os filmes não são o suficiente para entender tudo.

    Leiga como sou, de pronto, seria #TeamCap - mas quero ler e me informar pra ter certeza da minha escolha.

    Beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir