terça-feira, 15 de setembro de 2015

A Nave Espacial Traveller





Sugada para o interior do pesadelo do Vazio Seltsiano, a nave espacial Traveller emerge do outro lado do buraco negro em um universo desconhecido. VOCÊ é o Capitão da Traveller, de quem o destino da nave depende! Você será capaz de descobrir o caminho de volta para a Terra em meio aos povos e planetas alienígenas que encontrará, ou a nave estará condenada a vagar pelo espaço desconhecido para sempre?



Título:  A Nave Espacial Traveller
Autor (a): Steve Jackon
Editora: Jambô
Número de páginas: 192


Escrever uma resenha não é uma tarefa muito simples, ainda mais quando queremos dar detalhes sobre uma obra sem entregar pontos cruciais que prejudiquem a leitura (se bem que tem gente que não se preocupa em dar spoilers). Mas dificil mesmo é escrever uma resenha sobre um livro com algum nível de interatividade, tal qual livros anti-stress, livros com ações, e livros onde a sua decisão leva a pontos diferentes da trama, tal qual os livros-jogos! 
Não sabe o que são livros-jogos? Bom! Sugiro que, caso se interesse em conhecer mais a fundo, após ler essa postagem visite a postagem que fiz lá no Multiverso X chamada: Livros-Jogos - Para Conhecer Vá para a Página 46. Porém, contudo, todavia, podemos dizer rapidamente que os chamados Livros-Jogos são romances interativos onde você - o leitor - é quem, literalmente, vai guiar os rumos da trama. Opções serão dadas através do uso de referências numeradas, mas a escolha de qual caminho seguir é toda sua. No fim de cada referência há uma lista de opções e são suas escolhas que o levarão a etapa seguinte e assim por diante podendo chegar ao final de forma variada, ou morrer tentando. Quem disse que a vida de um herói é fácil?
Em A Nave Espacial Traveller embarcamos em uma aventura de ficção científica no papel de um comandante cuja nave e tripulação foram acidentalmente sugados por um buraco negro e lançados para um universo desconhecido. Lá, nosso destemido capitão - o leitor - terá que descobrir, junto com a sua tripulação, informações que o levarão a retornar para sua terra natal, tomando cuidado para não utilizar as coordenadas erradas que poderão levá-los para uma localidade ainda mais longínqua ou mesmo levá-los à destruição. Viajando pelos confins do espaço a tripulação da Traveller irá se deparar com planetas desconhecidos e outros sistemas galácticos desertos ou povoados; de habitantes hostis ou amigáveis; de povos com inteligência infinitamente superior a da humana ou completamente inferior e bárbara, além de alienígenas, robôs e outros perigos. Uma verdadeira aventura de ficção cientifica à la Star Trek!
Difícil é falar muito sobre o roteiro, mas posso dizer com certeza que em pouco mais de 300 pequenas referências, Steve Jackson nos arrasta por dentro de uma história bem bacana com conflitos de diversos tipos. Diversos situações e elementos clichês de uma boa aventura espacial permeiam a trama e fazem total diferença para o clima da leitura: alienígenas, batalhas entre naves espaciais, planetas a serem investigados, máquinas de teletransporte, armas de raios lasers, povos intergalácticos de altíssima inteligência e povos selvagens e bárbaros. São tantas questões que eu duvido que em uma única leitura você seja capaz de explorar todas as possibilidades. Sim! O livro pode ser lido mais de uma vez e os acontecimentos poderão ser totalmente diferentes, ou ao menos acontecer em outra ordem onde as informações terão um novo sentido!
O leitor-jogador não é obrigado a criar histórias profundas para seu capitão e tripulantes, mas eu escolhi fazer dessa forma: encarnando o Capitão Ace e sua tripulação - com ilustração e tudo - e tentando manter minha tripulação viva até o fim. Bem! Digamos que isso intensificou ainda mais a experiência, mas você pode seguir sem isso facilmente. Guiei a tripulação por planetas estranhos, tive alucinações em planetas com a atmosfera comprometida por gases de uma guerra antiga, fui infectado por doenças alienígenas, salvei planetas da destruição, fui gladiador em lutas contra robôs e mantive a esperança entre a tripulação. Pois é, não pense que é fácil ser um capitão perdido no espaço, seus homens podem duvidar de suas capacidades de liderança!
Foi uma jornada cheia de dificuldades, mas cheguei ao fim sem perder nenhum de meus leais companheiros. Ler um Livro-Jogo e participar ativamente da história é uma experiência que todo leitor deveria provar. Com uma trilha sonora adequada para aumentar a imersão então? Só alergia. Como disse acima, A Nave Espacial Traveller é apenas um dos vários livros do tipo que existem por aí, vale a pena olhar aquela postagem que recomendei e conhecer mais esse universo que une literatura e jogo. Essa é a minha dica para quem quer escolher um título para começar: por tanto prepare toda a sua equipe e prepare para viajar pelo infinito e além!





PS. Vou dar uma colher de chá para você que por acaso ficou curioso(a): tá rolando uma promoção valendo dois Livros-Jogos lá no Multiverso X. Passa lá que ainda dá tempo de participar!

7 comentários:

  1. OI Ace,
    não conhecia o livro e confesso que pela capa não chegaria nem perto dele, mas curti a resenha, mesmo não sendo meu estilo de leitura.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. O livro não me encantou, não é meu estilo literário, mas obrigada pela sugestão!

    ResponderExcluir
  3. Ace!
    Bem bacana esse livro-jogo.
    Já estou lá no seu blog participando do sorteio, bem curiosa para ver como tudo funciona.
    “Se queres prever o futuro, estuda o passado.”(Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  4. Ace, fiquei bem curioso com a proposta de um livro-jogo, ainda não conhecia o termo, mas já gostei do nível de interatividade. A Nave Espacial Traveller me encantou desde a sinopse até o fim de sua resenha. Vou correndo conhecer mais sobre esse universo.

    ResponderExcluir
  5. Achei interessante pelo fato de ser um livro-jogo, justamente por não conhecer este tipo de livros ainda. Por ser um livro curto, com poucas páginas, me parece que o livro não é cansativo, não sei se leria, mas quero ver ele por dentro, ver como é.

    ResponderExcluir
  6. Achei bem diferente esse tipo de livro,onde nós os leitores damos o rumo de toda a história. Pelo menos foi isso que entendi...
    Não sei se faria muito o meu gênero. Mas quem sabe?
    Só lendo mesmo para ter certeza.

    ResponderExcluir
  7. Bom como esses tipos de livros não são meu estilo de leituras e não me chamam a atenção, não pretendo ler A Nave Espacial Traveller, mas sua resenha está muito boa, e apesar de eu não curtir o estilo do livro a história parece ser muito boa.

    ResponderExcluir