quinta-feira, 3 de setembro de 2015

X-Men: Espelho Negro



O Estranho refletido no espelho pode se revelar o tipo mais terrível de prisão.
Temidos e rejeitados por muitas das pessoas que juraram proteger, os X-Men são uma equipe de heróis mutantes dedicada a defender os seres humanos daqueles que poderiam usar o gene X para o mal e a destruição. Abençoados, alguns diriam amaldiçoados, com habilidades impressionantes, os X-Men são a última defesa da Terra contra vilões e insanos... e a única esperança para o futuro.
Jean Grey acorda em um quarto desconhecido. Sentindo-se fraca e desorientada, está sem seus poderes telepáticos e telecinéticos, e aprisionada no corpo de outra pessoa. Seus companheiros de equipe Ciclope, Wolverine, Vampira e Noturno também são cativos, suas mentes estão presas dentro de corpos estranhos. Quem os teria trazido àquele lugar, e com que finalidade? As respostas levam a um plano terrível que ameaça não só os X-Men, mas todos os mutantes.
Título: X-Men - Espelho Negro
Título Original: X-Men - Dark Mirror
Série: Coleção Marvel
Autor (a): Marjorie M. Liu
Editora: Novo Século
Número de Páginas: 305


Não importa o quão sejam odiados em seu mundo, ou o quanto outras equipes sejam mais amadas no mundo real, meu coração é, e sempre será, mutante! Quem acompanha o blog a mais tempo já sabe o amor que tenho por quadrinhos e seus derivados, mas talvez não se saiba que os X-Men são a minha equipe favorita entre todos heróis (inclusive o destemido líder Ciclope o meu personagem favorito da Marvel). Foi difícil segurar a expectativa durante a leitura de X-Men - Espelho Negro, mas consegui focar para trazer tudo da melhor maneira possível.
O que você faria se acordasse em outro corpo? E se esse corpo estranho fosse de um sexo diferente? Você ainda seria você? Se aceitaria ou entraria na sofrência? Presos nos corpos de pacientes de uma manicômio, Noturno, Vampira, Ciclope, Wolverine e Jean Grey, precisam lidar com essa angustiante situação - sem a ajuda de seus poderes - antes de poderem voltar a ser os heróis que o mundo conhece. Fugir não será fácil, muito menos conseguir ajuda, mas se há algo em que os X-Men são bons é em insistir e sobreviver...
A história não irá focar na ação, muito menos em atos heroicos, mas sim em personagens. Durante todo o livro, com momentos de drama, a autora nos guia pelos conflitos internos dos personagens, valorização dos seus poderes, questões de gênero, e discussões sobre o papel social e luta por minorias. Se espera algo diferente disso, acho bom decidir se irá continuar na leitura, mas aviso que irá perder uma trama bem agradável de ler, e com o clássico jeito X-Men de fazer pensar sobre questões sociais. Mas não se deixe enganar, mesmo com o clima sombrio há muito espaço para o humor, principalmente com o Noturno e o implicante Wolverine, e também para o romance com Ciclope e Jean. 
Apesar de manter um ritmo um pouco lento em sua narrativa, Marjorie M. Liu, aprofunda os dramas dos personagens, mantendo-os fieis aos quadrinhos, dando espaço a todos eles através de capítulos dedicados ao ponto de vista de um ou outro herói. A ação existe, mas em dosagens pequenas, com menor impacto sobre a trama. Outros personagens também se fazem presente - Gambit, Jubileu, e Tempestade - porém a sua participação é menor e só acontece após quase metade do livro.
Apenas como uma curiosidade, por mais que o livro pressuponha um pouco de conhecimento do leitor sobre os X-Men, mas possa ser lido com tranquilidade, a trama parece se encaixar durante a fase que o grupo vivia nos anos 90, antes do primeiro filme. Isso pode ser notado pela formação da equipe, descrição das relações e uniformes. Vale citar também lembrar que não é a primeira vez que o título é publicado no Brasil. A Panini lançou alguns poucos títulos por aqui, porém não deram a atenção e o acabamento exclusivo que a Novo Século tem despendido. 
O livro tem alguns pontos fracos e parcos problemas perceptíveis apenas aos fãs. Porém os maiores deles estão na tradução e revisão, com alguns erros grosseiros de adaptação como o termo "bolinho" que no contexto em que aparece parece se referir à gíria "Piece off cake" que, em inglês, significa “moleza”, “bico”, “muito fácil” ou, na boa frase da vovó, “mamão com açúcar”. Espero que o problema já tenha sido resolvido após a primeira impressão, ou que seja resolvido nas feitas posteriormente, pois o trabalho da editora com essa série tem sido espetacular.
Espelho Negro é uma história com potencial para fazer muita gente repensar sobre diversos assuntos, e até sobre a própria equipe mutante. Um livro simples, bem humorado e reflexivo, capaz de agradar até mesmo os que tem um pé atrás com o universos dos quadrinhos. Certamente terminei a leitura satisfeito com tudo aquilo que encontrei.


8 comentários:

  1. Eu gosto bastante dos livros da Marvel, inclusive pela ação que há nos livros, esse, como foca mais nos conflitos internos dos personagens, já vai pra uma vertente diferente, deve ser bem interessante, pude ver um pouco desse foco nos conflitos, no Vingadores A Era de Ultron, que mesmo com bastante ação, o foco maior é no conflito dos personagens, pelo menos foi o que eu percebi.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ace,

    Um dia meu amigo e vou ter uma boa quantidade de livros da Marvel, agora só fico apreciando por aqui, mas um dia chego lá....kkk..ótima dica...abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ace!
    A diversidade da Marvel é totalmente fascinante.
    Mesmo a autora mantendo uma cadência mais lenta, acredito que deva ser cheio de aventuras, o que estimula a leitura.
    “Torna-te aquilo que és.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  4. Confesso que esse não é o meu tipo favorito de leitura. Meus filhos com toda certeza são mais fãs que eu.
    E para todos que curtem,essa ê sem dúvida uma ótima "pedida".

    ResponderExcluir
  5. Olá, Ace!
    Vou te dizer que eu sempre tive muita curiosidade a respeito do mundo dos quadrinhos, porém nunca me aventurei. Como já tinha dito em uma resenha anterior, eu poderia me divertir agora com a versão em livros. Porém sei que não será a mesma coisa.

    Gostei da versão mais aprofundada que a autora deu nas personagens. Eu sou muito Aristotélica, então me importo com a ação, o desenvolvimento do enredo, mas admiro e me encanto com narrativas mais profundas, voltadas para o desenvolvimento da personagem. Quero ser escritora e juntas essas duas vertentes (e fico feliz, tbm, por ter encontrado autoras que façam isso já). Voltando ao livro, sempre quis saber como o romance entre Jean e Scott poderia ser fora do mundo do desenho e dos filmes.

    Talvez eu me aventure. Sei que vou me divertir bastante!

    Beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Amo a Marvel, amo heróis e vilões, esse estilo literário me agrada muito, desde pequena eu leio história em quadrinhos e acho que é uma leitura que não tem gênero e nem idade. Amei o livro!!!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ace. "[...]meu coração é, e sempre será, mutante!" ♥. Bem, eu sou bem fã dos heróis, anti-heróis, vilões e afins apresentados em "nosso mundo". porém, ão acompanho tanto os quadrinhos como desejo. Então, com os lançamentos dos livros de heróis em parceria com a Novo Século, fiquei bem feliz. X-Men e o Espelho Negro é um livro que me agradou muito após sua resenha, acredito que alguns livros tem seu ponto fraco para após surgir o impacto. Outro que quero muito é O Toque da Vampira.

    ResponderExcluir
  8. Como não gosto de filmes nem livros relacionados a super heróis não me interessei pelo livro, mas vou indicar para meus amigos que curtem.
    Sua resenha está muito boa.

    ResponderExcluir