terça-feira, 24 de novembro de 2015

O Último dos Guardiões - Insurreição



Um Reino em paz...
A sociedade é governada por um conselho igualitário...
As guerras há muito tempo terminaram...
Mas quando a cobiça pelo poder fala mais alto... Eclode uma batalha sangrenta, como nenhuma outra antes.
Uma guerra que durara vinte anos fora vencida por um feitiço arcano, libertando um mal hediondo na terra. Milhares de vidas foram sacrificadas para que a ânsia de poder de alguns fosse saciada. Uma cidadela fora erigida para treinar novos guerreiros e fazer frente à ameaça.
Após anos de batalha um guardião veterano acredita que poderá enfim deixar a frente de batalha, mas um acordo doentio destrói suas esperanças.
Conseguirá este guardião se reerguer, combater o poder instituído e ainda ajudar seu povo a erradicar os exércitos infernais?
Título: O Último dos Guardiões: Insurreição
Autor (a): João Paulo Silveira
Editora: Novo Século - Selo: Novos Talentos da Literatura Brasileira
Número de páginas: 368



O Brasil de pouco em pouco vai dando espaço para o surgimento de novas obras no mercado de fantasia. Mas se engana que apenas os nomes mais populares sabem produzir tramas interessantes e universos fantásticos: é preciso olhar ao redor para perceber novas oportunidades. Como bom amante da fantasia, não preciso nem dizer que estou sempre atento ao nicho - tal qual uma águia a espreita da lebre correndo no campo - e assim descobri a obra sobre qual falaremos nessa postagem.
O Reino de Kor viveu anos de anos de paz sob o comando do conselho formado pelos representantes das principais castas que dividem a sociedade. Os Avantes são especialistas e combate, os Mentales conhecedores da magia, os Biontes mestres da cura e os Guardiões especialistas na arte da defesa. Toda a estrutura funcionava bem até que a cobiça de alguns falou mais alto que o bem estar de muitos. Assim a guerra teve início, mas dentro em pouco o inimigo mudaria...
Cegos pelo desejo de vencer de uma vez por todas a batalha contra os Guardiões, Avantes e Mentales concordam com um preço caro demais: um pacto com o demônio Balkatar, que como preço cobra uma alma para cada Guardião morto. Eles aceitam. Só não sabiam que Balkatar usaria as almas para criar espectros demoníacos e destruí-los. 
Décadas se passaram sem que a guerra contra os infernais fosse vencida. A sociedade está reorganizada - os Guardiões quase não existem - e a guerra está exaurindo a força de todos, até que um dia, quando o Sol nasce vermelho, Balkatar propõe um acordo: cinco pessoas de cada uma das cinco cidades deveriam ser entregues aos espectros, como um sacrifício para que os ataques acabem. Galaniel, o decadente último Guardião - um homem infeliz e ressentido por acontecimentos do passado - é a única pessoa disposta a acabar com tudo de errado que vem acontecendo...
O Último dos Guardiões é narrado na terceira pessoa do presente de forma com que o leitor tenha a sensação de acompanhar tudo de forma imediata, tal qual um observador. O autor trabalha nos capítulos do livro de forma paralela o presente e passado de nosso protagonista, esclarecendo como tudo começou, como o último Guardião se tornou a figura decadente do início do livro, a história do pai e avó, e outros detalhes importantes para a compreensão do contexto geral da história e de seus personagens. 
A escrita é boa, mas com a fluidez prejudicada por certo excesso de detalhamento. Isso não seria algo que me incomodaria (adoro detalhes), mas somada a narração feita no presente e a estrutura pouco ortodoxa dos diálogos (de forma corrida, em parágrafos quase únicos), fez com que demorasse a engrenar no clima. O cenário criado pelo autor é intrigante, com sua estrutura fantástica que faz lembrar um jogo de RPG.
Apesar de tratar principalmente da clássica "batalha do bem contra o mal" o autor não se prende a fazer personagens arraigados no maniqueísmo, permitindo que eles tenham falhas morais e fraquezas, não só os vilões. Além disso toda a dinâmica social em relação às castas permitem leves reflexões sobre o dia a dia.
Se você é daqueles que gosta de uma historia repleta de magia, demônios, guerreiros, bem contra o mal, esta é uma dica que vale a pena anotar para conferir e tirar suas conclusões. O Último dos Guardiões é uma história agradável e perfeita para uma leitura descompromissada, que provavelmente irá garantir a você uma boa viagem por um  universo fantástico coeso e bastante interessante.



Um comentário:

  1. Olá, Ace-ave guardiã da fantasia (nacional)
    Recentemente eu estive pensando em como a produção nacional está se voltando cada vez mais para a escrita da fantasia. são constantes os lançamentos desse gênero, assim como os romances (acredito, preferência da Neyla).
    Adoro fantasia também, então, dica anotada, com as devidas ressalvas. Caso decida ir para frente, lembrarei do seu conselho: uma leitura descompromissada. Acho que a Camis já te avisou: em dezembro faremos um especial de Fantasia, o mês inteiro só com resenhas do gênero. Melhor Natal ever, na minha opinião. Espero você por lá! Adoraria conhecer sua opinião a respeito dos livros que traremos!

    Até mais, beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir