segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

A Dama de Papel









Localizado na zona periférica de Londres em meados do século XIX, o bordel de Molly está sempre repleto de fregueses: ricos e pobres, magnatas e operários. O que nenhum deles sabe - nem mesmo as outras trabalhadoras do estabelecimento - é que a dona do prostíbulo optara por ser "mulher da vida fácil" após fugir de um casamento forçado, abrigando-se nas entranhas de um cortiço na busca indelével por liberdade.
Certa vez, no entanto, Molly é inebriada pelas propostas de um cliente: Charles O'Connor, o herdeiro de um império têxtil, deseja que ela seja somente sua. Molly, arrebatada pelas sensações provocadas pelo novo amante, se vê obrigada a questionar o modo de vida que conduzira com orgulho até então, além de testar os limites da liberdade obtida a duras penas.
Entregues à avassaladora paixão e à incrível química sexual que os unem, Molly e Charles precisarão enfrentar as represálias que os unem, Molly e Charles precisarão enfrentar as represálias sociais e a moral conservadora da época para dar continuidade a este amor proibido. Mas terão de pagar um preço alto por suas decisões.
Título: A Dama de Papel
Autor (a): Catarina Muniz
Editora: Universo dos Livros
Número de páginas: 256


Eu sei que tenho me tornado extremamente repetitiva quando falo de livros nacionais que foram incríveis ou de romances de época que me ganharam o coração em uma só flechada. Mas que culpa eu tenho se, com a graça divina, tenho encontrado livros maravilhosos por aí? E dessa vez, além de um nacional de qualidade, temos um romance de época simplesmente encantador.
Em A Dama de Papel vamos conhecer Melinda, uma jovem de boa família, que foi criada para se tornar uma verdadeira dama e ter um bom casamento. Porém, esse não é o desejo que ela tem em seu coração e sabe que um casamento arranjado, como era costume da época, nunca a fará feliz. Melinda presa a liberdade e é por conta disso que resolve fugir quando seu noivado com um homem muito mais velho é anunciado. Sem ter para onde ir, ela acaba indo parar em um bairro pobre de Londres, onde é acolhida pela dona de um bordel.
É neste bordel onde ela recomeça sua vida com um novo nome. Melinda é algo que ficou enterrado para sempre e ela passa a atender pelo nome de Molly, uma mulher excêntrica, de beleza extraordinária e dotada de talentos que levam os homens à loucura. E é justamente por conta de seus muitos dotes que Charles O'Connor irá conhecê-la.
Charles é um bom homem, empresário da indústria têxtil, que sempre foi fiel à esposa e que jamais imaginou-se sendo tentado por uma outra mulher. Mas tudo isso muda quando ele conhece Molly. O que era uma simples curiosidade acaba se tornando algo muito mais forte. Uma atração forte, que logo se transforma em uma louca paixão. 
Os encontros entre os dois passam a ser mais frequentes e Charles fica, a cada dia, mais e mais envolvido por aquela mulher misteriosa. Extremamente encantado, ele começa a escrever poemas pensando na bela mulher. Esses poemas são intensos e um tanto lascivos para a época, dotados de sentimentos e desejos. Quando eles vêm a público, por conta de um incidente, deixa a população londrina em polvorosa, afinal todos querem saber quem é a mulher descrita naqueles textos e o autor dos tais poemas.
Em paralelo ao grande burburinho por conta desses textos e seu autor misterioso, vemos que o interesse dos homens por Molly está cada dia maior, o que deixa Charles enfurecido ao ponto de querer tirá-la dessa vida e transformá-la em sua mulher. Porém, como bem sabemos, não é um casamento que ela deseja. O que ela não esperava era que nesta nova vida seu passado pudesse vir à tona, que velhos fantasmas voltassem a lhe assombrar e deixar os seus dias nebulosos. 
Juro a vocês que não imaginaria, por um momento sequer, que fosse ser arrebatada por esse livro. Logo de cara achei a premissa interessante, mas estava preparada para uma história nitidamente erótica e rasa. Me surpreendi com a qualidade da trama, com toda a história envolvida e com as cenas sendo muito mais sensuais do que sexuais. Catarina escreve com descrição precisa, mas não enfadonha, sobre os costumes da época e cria um cenário que é muito diferente dos que estou acostumada a ler. Diferente do que acontece em outros livros, somos levados à parte mais pobre da cidade e conhecemos a realidade dura das mulheres que estão inseridas na prostituição. Eu, que nunca tinha lido algo parecido antes, gostei bastante do que encontrei.
Achei os personagens muito bem construídos e desde o início gostei de Molly. Ela se mostrou uma mulher forte, determinada e decidida, qualidades que aprecio bastante nas mocinhas dos romances. Tudo pelo que ela ansiava era por ser livre, não depender de homem algum e viver a sua vida de forma que fosse feliz. Charles, por sua vez, não me agradou de imediato. Para ser sincera, ele não me agradou em momento algum. Apesar de ser apaixonado por Molly, ele não entendia suas motivações e não aceitava suas escolhas. Eu até tentei entender o lado dele, mas apesar de suas atitudes muitas vezes apaixonantes, não é o tipo de personagem por quem eu caio de amores. 
O enredo é ótimo e o fim não poderia ter sido melhor. Torci por Molly e para que ela fizesse, no final, a melhor escolha. Apesar de ter ido totalmente de encontro ao que eu imaginava, gostei muito do que encontrei e achei o final totalmente condizente com toda a história. Não foi uma trama que me emocionou, mas fiquei encantada com a intensidade dos sentimentos e do romance entre os personagens. Com toda certeza, irei querer ler outros livros da autora, afinal ela mostrou que tem talento de sobra.
Se você, assim como eu, gosta dos romances de época com toda certeza precisa ler A Dama de Papel. Um romance lindo, que me encantou e que vai encantar você também.


18 comentários:

  1. Olá linda,

    Estava curiosa com esse livro e sua resenha só aumentou minha vontade de lê-lo.

    Romances de época são minha paixão e mocinhas fortes e decididas que chamam para ser conhecidas.

    Liberdade acima de tudo!
    Beijos!
    poesiaqueencantavida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Neyla!!
    Eu estou super ansiosa para conhecer essa trama, a capa é muito linda!!
    Ando lendo resenhas super positivas sobre ele, e gosto do fato de ser um romance de época que tem como cenário algo mais polemico como um bordel e uma personagem que gosta da vida que leva e da liberdade que ela proporciona!!
    Amei a resenha!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. Oi. Eu já vi falar da obra e apesar de não gostar de romances de época, quero muito conhecer a obra. Gostei de você ter elucidado que retrata uma parte da sociedade não alitizada, realmente destoando dos romances do estilo.

    ResponderExcluir
  4. A capa é linda, mas não gosto de romances ambientados e a premissa desse não chamou minha atenção.
    Achei bem legal ser de autoria Nacional,um dos meus projetos 2016 é ler mais Autores nacionais. Só que voltado para a fantasia.
    abraço
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  5. Oi Neyla,
    Comprei esse livro na BF e estou doida pra ler :)
    Fiquei feliz em saber, por meio da sua resenha, que o livro é mais sensual do que sexual, e que tem um trama bem desenvolvida.
    Ainda mais ansiosa para conhecer esse nacional :D

    Abraço e Bons Livros,
    Biblioteca do Coração❤

    ResponderExcluir
  6. Esse livro segue a linha dos hots de época? Eu tenho um total bloqueio com esses livros, não consigo ler de jeito nenhum. Até porque eu já sou muito fã de livros hots. Mas do jeito que você está empolgada com esse livro, talvez eu devesse dar uma chance para ele no futuro, até porque é nacional e eu amo livros nacionais.

    Bjs.

    http://ciadoleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Neyla, amo romances de época ou históricos.
    Adorei tudo nesse livro, a capa é linda e a história muito boa.
    Sua resenha fez minha curiosidade e vontade de ler o livro triplicar.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Oie,

    Ahhhh como eu sou apaixonada por romances de época, são os meus favoritos e essa capa linda, me deixou mais apaixonada ainda por ela. E saber que é um livro nacional me encheu os olhos. Preciso conhecer esse livro imediatamente.


    Bjs
    Mayla

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Eu amo romances de época, mas estou dando um tempo porque acho que a maioria das estória gira em torno de um mesmo ponto ou de um mesmo final. Mas mesmo assim, a premissa desse livro me atraiu demais, a capa é linda além de ser nacional. Já anotei na minha listinha, assim que der, lerei!

    Beijos,
    Andy!

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Amooo romances de época e com certeza A Dama de Papel, estará na minha lista de 2016. Sendo Nacional , é melhor ainda, pois devemos valorizar os talentos do Brasil.
    ótima sia resenha e estou ansiosa de conhecer a Molly.
    Bjin
    http://reinoliterariobr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Neyla, eu nunca li nenhum romance de época, acredita? mas está na minha meta para o ano que vem, eu não conhecia esse livro ainda, mas pelo que você falou parece ser muito bom e a trama já chamou minha atenção.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  12. eu comprei esse livro e logo depois disso li uma resenha bem negativa então estava meio receosa em iniciar a leitura...
    agora estou mais tranquila ao ler sua resenha e acredito que irei curtir a leitura. O livro está na lista e espero que logo consiga finalizar a leitura - e que curta tanto quanto você :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  13. Oi Neyla!
    Eu amo essa capa e já ouvi falar muito do livro, a maioria das resenhas positivas. É tão dificil resenhar livros nacionais neh?!
    Esse livro parece muito gostoso de ler, que fofo a parte de CHarles escrever poemas pra Molly *-*
    Eu amo romances de época e esse está entre os meus desejados há algum tempo, não vejo a hora de poder ler! Resenha linda a sua <3
    Beijos

    LuMartinho | Face | Sorteio de Natal

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Não sabia que era um nacional, a capa está maravilhosa e assim como vocês estou maravilhada com esses romances de época. Sua resenha está ótima e fiquei muito curiosa para conhecer e me envolver com essa história. Espero ler no próximo ano!

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?

    Eu nunca li nenhum romance de época, além disso, eu não me arrisco, tenho medo de não gostar. Devido ao meu medo e um possível preconceito, eu não leria esse livro, mas quem sabe futuramente? kkkk

    http://desencaixados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. oi, Neyla. Gostei muito de sua resenha. Não sei se leria o livro por 2 motivos: não gosto de romance erótico e nem de época. E os dois juntos um livro só... fica bem complicado. Mas o que me motiva a ler é que o romance não se encaixa somente em erotismo, pois parece que tem história.

    HTTP//PORREDELIVROS.BLOGSPOT.COM

    ResponderExcluir
  17. Ei Neyla!!
    Eu amo romances de época!! São meu porto seguro, quando tenho ressaca literária me volto pra eles. Ainda não tinha visto A dama de papel, essa capa, aliás, ta chamativa pra caramba! Amei!
    Vou seguir sua dica!
    bjsss
    feliz ano novooo
    http://umavidaliteraria1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Olá
    Não conhecia o livro ainda, mas amei a capa e a resenha!!! Fiquei bem curiosa

    Beijokas

    ResponderExcluir