sexta-feira, 1 de abril de 2016

Ela Está em Todo Lugar










May e Libby criaram a PRINCESS X no dia em que se conheceram, e desde então tornaram-se inseparáveis. Através da personagem, as garotas mataram todos os dragões e escalaram todas as montanhas que foram capazes de imaginar. Até Libby e sua mãe morrerem em um acidente de carro. Três anos depois, May começa a ver imagens da PRINCESS X em adesivos e pôsteres por toda a cidade. Isso só pode significar uma coisa: Libby está viva. E May não vai parar enquanto não encontrá-la.


Título: Ela Está em Todo Lugar
Autor (a): Cherie Priest
Editora: Gutenberg
Número de páginas: 272


A primeira vez que vi esse livro, em uma reunião do Clube do Livro da editora Gutenberg aqui em Salvador, fiquei apaixonada. O fato dele ser todo impresso com tinta roxa (minha cor preferida ever) e ter ilustrações lindas foi o pivô de tudo, mas depois que Lis - Mediadora do Clube - explicou a história, tive certeza de que iria me apaixonar pela história. E não é que eu estava certa?
A amizade entre May e Libby começou na escola, após ambas serem dispensadas da aula de ginásticas. Aparentemente as duas meninas não tinham nada a ver uma com a outra, mas por conta de um desenho ambas se aproximam. Libby é uma excelente desenhista e, pra distrair, ela começa a fazer uns rascunhos no chão, chamando assim a atenção das crianças menores. E é assim que nasce a Princess X, uma espécie de princesa guerreira de cabelos azuis. As duas meninas acabam por se tornar inseparáveis e a maior parte do tempo elas passavam criando novas aventuras para a personagem tão querida. Até que um dia uma tragédia põe fim a tudo isso.
Libby e sua mãe sofrem um grave acidente de carro e as duas acabam por falecer. May, ainda muito jovem, não se conforma e lá no fundo guarda esperança de que tudo isso não passe de um pesadelo. Para ela, a amiga ainda está viva e essa esperança viveu em seu peito por muito tempo, mesmo sabendo que seria quase impossível que isso pudesse acontecer. 
O tempo passa e, 3 anos depois de tudo, May se depara com algo, definitivamente, estranho. Preso em uma vitrine, ela vê um adesivo com um desenho inconfundível: a Princess X. Com o passar dos dias, ela acaba encontrando vários adesivos espalhados pela cidade e a curiosidade acaba levando-a até um website onde se encontram as histórias da princesa. Cada vez mais certa de que a amiga está viva, May entra em contato com Patrick, um hacker que mora no mesmo prédio que seu pai, e juntos eles irão tentar descobrir quem está por trás das histórias. O que eles não esperavam era que essas investigações, aliadas às pistas deixadas na história postada no site, iriam levá-los por um caminho perigoso.
Faz muito tempo que não me empolgava tanto com um livro. Comecei a ler ele sem grandes pretensões, mas fui fisgada logo nos primeiros capítulos e acabei fazendo a leitura em um único dia. A história, muito embora tenha sido escrita para um público infanto juvenil, é envolvente, repleta de mistérios e algumas reviravoltas. O livro é uma espécie de romance policial, só que com uma trama mais rápida e de fácil dedução (pensada, justamente, no público alvo do livro). 
A autora fugiu dos estereótipos dos livros infanto juvenis e, ao contrário do que muitos esperavam, não houve um envolvimento amoroso entre os personagens. O foco está no mistério em torno da história da Princess X, das pistas deixadas no site e, claro, na possibilidade de Libby estar viva. Apesar de ser fã dos romances, achei que essa decisão da autora foi super condizente com a proposta do livro e não caberia um momento mais "amorzinho" no meio da história.
A leitura fluiu super bem, a narrativa da autora é super dinâmica e ela vai direto ao ponto, sem muitos rodeios. Os quadrinhos que foram inseridos no meio da trama deixam tudo ainda mais ágil e são peças fundamentais para o entendimento do que aconteceu com Libby. Eu devorei avidamente cada página e esperava ansiosa pelos quadrinhos, afinal a curiosidade estava me dominando. Fazia muito tempo que não me sentia tão empolgada com um livro a ponto de ler ele em tempo recorde. E, nossa, que leitura incrível!
Achei os personagens muito bem construídos, cada um com seu drama pessoal, e com personalidades bem diferentes. De imediato não gostei muito de May. Tenho meus problemas com personagens que são mais na dele, que mostram pouco de si e que são mais introspectivos. E ela é desse jeito, tanto que sua única amiga era Libby e ela mal interagia com as pessoas ao seu redor. Com o tempo, e o passar das páginas, fui percebendo e entendendo seu jeito de ser, mas mesmo assim não chegou a ser uma personagem que eu tenha me afeiçoado. Já Patrick me ganhou logo de imediato por conta da sagacidade e com o decorrer da leitura o sentimento só se intensificou. Apesar de não ser um personagem cômico, ele me fez rir muito em determinadas passagens e mesmo com todas as diferenças, ele e May formaram uma boa dupla.
Apesar de ter certeza de que iria gostar do livro, não imaginava que fosse me envolver tanto com a história. Gostei demais do que encontrei e fiquei surpresa por ele ter seguido um caminho bem diferente do que eu imaginava. Recomendo demais a leitura do livro, independente da idade. Uma leitura cheia de mistérios e aventuras que vai te encantar.

2 comentários:

  1. Oi, Paulinha!
    Tudo bem, amore!
    Esse clube deu o que falar, hein?! A discussão foi massa! Mas, acho que nem preciso dizer novamente meu histórico com esse livro, né?
    De qualquer forma tenho que concordar que essa edição é ótima e que eu adoro a cor lilás e que inserir os quadrinhos foi um método inovador e satisfatório.
    E PAtrick <3 mil corações pra esse fofo, foi meu personagem preferido. E a minha antipatia toda está para May.

    Bjux, lindona.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Neyla! Ameeeei a dica do livro! Muito obrigada!
    Vou adicionar à lista de desejados! (Sei que sempre posso confiar nas suas resenhas, visto o caso de Meu Romeu hahaha
    Adorei a proposta desse livro e estou ansiosa para saber o que irei encontrar entre as páginas desse livro roxo (também é a minha cor favorita! *o*)
    Histórias com intrigas e amizades podem muito bem serem mais interessantes do que romance!

    Beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir