quarta-feira, 1 de junho de 2016

Paixão Libertadora



Segundo livro da trilogia Desejo Proibido - que teve mais de 4,5 milhões de visualizações on-line - , Paixão Libertadora é uma história sensual e apaixonante sobre segundas chances.
Max OHare já passou por muitos momentos difíceis na vida. Depois de perder um grande amor e ter que se internar numa clínica para se livrar das drogas, ele decide que é hora de trocar Nova York por uma cidade do interior, na tentativa de se reerguer ao lado da família.
É lá que ele conhece a deslumbrante Grace Brooks. Amante da arte e da fotografia, ela parece a mulher perfeita. Mas o que Max não sabe é que ela guarda a sete chaves a verdade sobre o próprio passado.
Atraídos um pelo outro, mas com medo das consequências que um relacionamento sério pode trazer a suas vidas já complicadas, eles fazem um pacto para que a relação seja apenas sexual, sem sentimentos envolvidos. Até que as coisas começam a mudar entre os dois...
Presos a grandes medos e a segredos profundos, Max e Grace precisam aprender a confiar de novo e se entregar um ao outro não apenas de corpo, mas também de alma.
Título: Paixão Libertadora
Autor (a): Sophie Jackson
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 352


Presos a grandes medos e a segredos profundos, Max e Grace precisam aprender a confiar de novo e se entregar um ao outro não apenas de corpo, mas também de alma.
Li o primeiro livro desta série, Desejo Proibido, em janeiro deste ano e logo de cara percebi que seria uma série que acompanharia até o final. Em Desejo Proibido conhecemos Kat e Carter e eu me apaixonei por eles, principalmente pelo Carter. Assumir um crime que o amigo cometeu para que ele pudesse estar ao lado da esposa grávida só mostrou o quanto seu coração era bom. E é justamente este amigo, Max, que nós conheceremos mais a fundo em Paixão Libertadora.
Max O'Hare, após ser encontrado pelo seu melhor amigo desmaiado no banheiro (no fim de Desejo Proibido) e ser internado em uma clínica de reabilitação, precisa dia após dia afastar-se das drogas, o que não é nada fácil. Para começar a falar sobre Lizzie, que era o motivo principal dos seus problemas, com o terapeuta Elliot demorou bastante. Mas enfim ele conseguiu se abrir e colocar  pra fora algumas coisas que precisavam ser ditas. Além disso, ele contou com a pintura que começou a fazer como atividade dos internos. O instrutor dele de pintura Tate Moore, foi uma das figuras que mais curti conhecer, sempre muito atencioso, com conselhos completamente eficazes e, além disso, é irmão do Riley Moore (que será personagem do próximo livro). E finalmente, depois de alguns meses, Max consegue sair da reabilitação e voltar a encarar os seus medos do lado de fora.
Grace Brooks é uma fotógrafa que passou por um trauma bem recente e, para recomeçar e respirar novos ares, decide se mudar para o condado de Preston onde comprou uma casa bem velha, que precisa passar por uma boa reforma. Seu irmão não é muito favorável a esta mudança, porém quando percebe o tamanho do sorriso da irmã, a apoia. E é lá, que os caminhos dela e de Max se encontram. 
Após perceber que não seria saudável permanecer na casa de praia de Carter e Kat, e se sentindo ainda incapaz de voltar ao seu apartamento, Max vai ao Condado morar com seu tio Vince e o ajuda em sua construtora. E é assim que ele conhece Grace, já que além de estar ajudando na reforma da casa dela, eles ainda estavam morando na mesma pensão. Mesmo com todos os traumas pelos quais passou, Grace estava sempre alegre e motivada a viver. E ela vê em Max, o único homem da cidade que não a observa com malícia nos olhos e decide tentar ser sua amiga.
A amizade deles dois é algo construído aos poucos, com conversas, corridas matinais e apoio quando um precisa do outro, afinal são duas pessoas com problemas que precisam ser superados. E por conta destes recentes problemas, eles decidem que seu envolvimento não será romântico, será apenas sexual. Ela que, depois de tanta violência sofrida pelo homem que deveria amá-la e protegê-la, se desesperava ao pensar em outro homem tocando-a, não sente esta dificuldade com o Max e aos poucos vai se apaixonando por ele. Claro que o medo de uma relação mais séria pairaria sobre ambos. Max fora abandonado pela mulher que amava, sem qualquer explicação, após perder um filho. Grace foi estuprada e espancada violentamente pelo marido extremamente ciumento e possessivo. Para ficar juntos, ele precisariam afastar estes medos e lidar com seus maiores pesadelos.
Paixão Libertadora foi para mim ainda melhor que Desejo Proibido, amei conhecer a fundo o Max problemático, e entender quais circunstâncias o levaram a fazer tanta coisa errada, e se envolver com drogas. Mesmo antes de ser abandonado pela mulher, já sabíamos que ele e o Carter, tinham aprontado as suas, porém ver o quanto isto significou para o emocional dele, foi interessante. Uma das outras coisas muito boas na trama, é que não houve nada daquilo de amor a primeira vista, ou simpatia imediata. É claro que aconteceu a atração física, em relação a ambos, o que é extremamente normal, entretanto, a paixão, o encantamento, e todos os outros sentimentos foram nascendo e crescendo aos poucos. Os personagens secundários são excelentes e encantadores, e os que mais me envolveram foram o irmão do Riley e a prima do Max. Mesmo sabendo que é uma trilogia apenas, e que provavelmente o próximo livro será do Riley, queria muito conhecer mais um pouco eles dois. 
A capa do livro 2, não é aveludada como o primeiro, porém permanece linda e a diagramação, assim como a do outro livro, está muito bem-feita. O livro é narrado pelo Max e pela Grace, de forma intercalada o que eu adorei, já que é a minha forma favorita de ler um romance. Gosto de saber a intensidade do sentimento de todos os lados possíveis e conhecer a história por meio de dois pontos de vista diferentes. 
E claro, não tem como deixar de falar da Sophie e sua escrita viciante. Definitivamente, ela se superou neste livro trazendo à tona temas fortes, como a dependência química e a violência, de uma forma que é instrutiva e ainda assim "leve" para o leitor. A maneira como ela apresentou o vício do protagonista foi incrível. Sua recuperação não foi da noite para o dia e, ainda no meio dela, ele fez suas burradas e tomou decisões não tão acertadas. Mesmo assim, provou que queria se recuperar e se empenhou para isso. E Grace, caramba, que mulher forte! Mesmo depois de tanta decepção, não se permitiu esmorecer, confiou novamente em um homem, e quando ele faz besteira, ela toca o barco e segue em frente.
Super recomendo a leitura, e estou ansiosa para conhecer o Riley.

Priscila Gonçalves

Um comentário:

  1. oi linda flor, eu solicitei e to ansiosa pra que chegue, mas ja tenho uma ótima impressão da trama e da autora, então creio que será uma boa leitura
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir