quarta-feira, 13 de julho de 2016

O Caderninho de Desafios de Dash e Lily


O novo livro de David Levithan e Rachel Cohn que juntos escreveram Nick e Nora Uma noite de amor e música acompanha a dupla Lily e Dash. Ela está doida pra se apaixonar e, pra encontrar o par perfeito, decide criar um caderninho cheio de tarefas e deixá-lo na livraria mais caótica de Manhattan. Quem encontra o moleskine é Dash, e os dois começam a se corresponder e trocar sonhos, desafios e desejos no caderninho, que vai se perdendo nos mais diversos lugares de Nova York.



Título: O Caderninho de Desafios de Dash e Lily
Autor (a): David Levithan e Rachel Cohn
Editora: Galera Record
Número de páginas: 256



Sabe quando você pega um livro sem esperar muita coisa dele e acaba se vendo completamente inserida na história, sem vontade de parar de ler? Foi o que aconteceu comigo e com esse livro. Desde o Mochilão da Record, quando foi apresentado esse livro, fiquei curiosa a respeito da trama. E, quando recebi de cortesia, não quis esperar. Me joguei na leitura e foi uma experiência super legal!
Dash e Lily são dois adolescentes comuns, bem diferentes e que nunca iriam sequer reparar um no outro se não fosse o destino. Ou seria culpa de um certo moleskine vermelho? Ela é uma garota mais introvertida, que não faz amizades com facilidade e que sempre foi tratada com tamanho zelo pela família. Como consequência, temos uma garota que não sabe muito bem lidar com os percalços da vida, que é solitária e, por vezes, muito infantil. Já Dash é autossuficiente, centrado e maduro para a idade, muitas vezes parecendo ser um garoto hostil. Não é o rei da popularidade, mas tem amigos com quem pode sempre contar.
É época do Natal e Dash, que não queria viajar com a mãe e nem ir para a casa do pai, mente para ambos e decide que passará essa data sozinho. Já Lily, que sempre foi apaixonada por essa época do ano, está extremamente chateada pois os pais irão viajar, o avô irá para a casa da namorada e ela ficará sozinha. Seu Natal só não será um verdadeiro fracasso por conta do moleskine vermelho. E o que é esse moleskine que você tanto fala, Neyla? Vou explicar.
Vejam bem, Lily nunca teve um namorado e, o seu de ser não permite com que outras pessoas se aproximem. Portanto, seguindo uma ideia de seu irmão, ela decide colocar em uma livraria um caderninho (o moleskine vermelho) com um desafio para a pessoa que irá encontrá-lo. Nele ela faz algumas perguntas e um joguinho de pistas para ver até onde vai o interesse de quem está com o caderninho. E quem é que vai achá-lo? Dash, claro! Ele segue todas pistas, mas na hora H decide fazer algo diferente: em vez de entregar o caderno à pessoa indicada, ele faz seu próprio joguinho de pistas com ela. E é assim que a nossa história começa a deslanchar.
Através do caderninho eles vão conhecendo mais a respeito um do outro, falando sobre si, sobre os anseios, tristezas e alegrias de suas vidas. Protegidos pelo anonimato, eles se sentem seguros pra falar de algo que estão sentindo no momento e vão expondo, de forma sincera, pequenos relatos de fatos que aconteceram com eles. E daí nasce uma amizade incomum, afinal eles sabem tanto e tão pouco um do outro, mas nunca se viram. Tudo que sabem um do outro é o que os relatos no caderno contam e o que dizem as pessoas que estiveram com um deles. A curiosidade é grande, mas será que pessoalmente eles teriam a mesma química que aparentam ter através da escrita?
O Caderninho de Desafios de Dash e Lily é um livro leve e divertido, com personagens adolescentes e todos aqueles clichês que já estamos habituados a ver em livros infanto juvenis. Falo isso porque é importante estar ciente do que vai encontrar no livro para evitar decepções. Já ouviu aquela frase "não vá com muita sede ao pote"? Pois bem, fica aqui o meu conselho. Não estou dizendo que o livro ruim, afinal ele não é. Mas se está indo cheia de expectativas, é melhor se despir delas para poder aproveitar melhor a leitura.
Gostei demais do livro. Comecei a ler justamente por ter uma propostas mais leve e divertida, e me vi devorando as páginas, torcendo para que eles se encontrassem logo. Dash é puro amor, gostei dele logo de imediato. Ele é maduro pra idade e é o tipo de pessoa com quem eu gostaria de sentar e bater um papo. Já com Lily o processo foi mais lento. Ela sempre foi uma garota protegida pela família e isso fez com que ela se tornasse mimada e infantil, mas não daquela forma pedante que estamos acostumados a ver em livros e séries. A forma de falar, o jeito de se portar diante de algo que saia do controle e até mesmo a maneira como se veste, mostram que ela é extremamente imatura. Não foi fácil lidar com seus questionamentos iniciais, nem com suas atitudes. Foi muito interessante poder observar a mudança de comportamento que acontece com ela ao longo da história. Toda a história com o caderno, o fato de não saber com quem está conversando e poder expor as coisas que tanto a incomodavam, fez com que ela crescesse. Não foi uma mudança drástica, imposta de qualquer forma pelos autores. É gradual e acontece de forma lenta, concisa e natural. Claro que ela ainda mantém suas características principais, mas muitas das coisas que me chatearam (e que também a chateavam como pessoa) foi deixada para trás.
A história flui super bem, é engraçada (gargalhei várias vezes e acredito que meus vizinhos devem ter escutado) e em muitas passagens me vi ali no lugar deles. O livro é narrado em primeira pessoa, com capítulos alternados entre os dois personagens. Quem lê minhas resenhas sabe o quanto esse formato me agrada pois me sinto muito mais próxima dos personagens e por proporcionar entender os dois lados da moeda.
Ele chegou em ótima hora, quando estava precisando de algo mais leve para poder relaxar. Nunca tinha lido nada de nenhum dos autores, mas já estava esperando algo bacana pois sempre ouço muitos elogios a respeito de ambos. Eles conseguiram criar uma trama agradável, com um romance fofo e muito humor. Vale a pena ler e se deliciar com essa história!



2 comentários:

  1. Primeiro vou reclamar pq sou assim, rsrs. Vocês receberam livros lindinhos no Mochilão, aqui em SP não ganhamos nada no dia, os kits estão começando a chegar agora, o meu não, mas das amigas já, e olha... nenhum que se aproveite. Mas enfim, vou comprar esse aí porque sou apaixonada pelos autores.
    Meu primeiro contato com ambos foi lendo UMA NOITE DE AMOR E MÚSICA que eu amei!!! E justamente por isso sei que vou curtir esse também.

    Adorei a resenha. Não esperava nada além disso. Um livro leve, uma resenha leve. Tudo a ver!!!

    Bjkssssssss

    Lelê

    ResponderExcluir
  2. Olá Neyla, tudo bem sumida?

    Esse livro eu vi por ai mas nunca me interessei muito em saber mais sobre ele, essa é a primeira resenha que leio dele e gostei e vou adicionar na minha lista, gosto de leituras leves também......bjs.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir