segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Eu Sem Você

Há um ano, conheci o amor da minha vida. Para duas pessoas que não acreditavam em amor à primeira vista, até que Lilah e eu chegamos bem perto de dizer que isso aconteceu conosco.
Eu tinha um bom emprego em uma agência de publicidade e não fazia outra coisa além de trabalhar. Era incapaz de tomar decisões sobre meu futuro e minha casa inacabada e não sabia aproveitar a vida. Até conhecer Lilah.
Lilah MacDonald era uma advogada ambientalista linda e decidida – e, para minha surpresa, detestava usar sapatos. Era uma pessoa tão maravilhosa que é até difícil descrevê-la.
Nosso relacionamento não poderia ser mais improvável, mas me transformou profundamente. Comecei a enxergar as coisas de outra forma e a redescobrir antigas paixões. Lilah me ensinou a viver outra vez e a aproveitar ao máximo tudo o que a vida tem a oferecer.
Ela me proporcionou momentos incríveis, mas também manteve em segredo algo que partiu meu coração. Ainda assim, se há uma coisa que aprendi com Lilah é que o amor pode curar qualquer ferida.
Meu nome é Callum Roberts e esta é a nossa história.
Título: Eu Sem Você
Autor (a): Kelly Rimmer
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 304


Quando vi a capa deste livro e a citação que há nela não tive dúvidas, esta seria a minha escolha do mês. É uma indicação para leitores do Nicholas Sparks e da Jojo Moyes e já tinha certeza, eu iria sofrer. 
Callum Roberts trabalha com publicidade e leva uma vida normal, até encontrar uma mulher descalça numa balsa que lhe despertou curiosidade. Lilah MacDonald era advogada, e no momento trabalhava com a área ambiental. E durante esta viagem na balsa, eles acabam saindo depois e esticando a noite. Até a Lilah sumir na manhã seguinte, sem deixar recado. O Callum vai trabalhar pensando nesta mulher que o encantou, e anseia encontrá-la na balsa pela manhã. Mas mesmo não encontrando-a no horário que acreditava, seus caminhos se cruzaram na rua, por acaso. E a partir daí ele insiste para que eles se encontrem novamente para jantar, e ela mesmo afirmando que não quer nada sério, e não deseja entrar em um relacionamento, assente. 
A partir deste encontro, mesmo tentando alertá-lo que não é nada sério, e eles não podem se ater ao felizes para sempre, ela não consegue se distanciar do Callum. Tudo que sabemos dela, é o que ela escreve no seu diário, os capítulos em que a Lilah é a narradora, somente expressa aquilo que ela escreve para si mesma, o que é bem legal, pois é exatamente aquilo que ela sente. Mas mesmo com toda este fica/não-fica deles, o livro não me prendeu no começo, fui empurrando até chegar no ápice da história e finalmente entender o que acontecia na vida da advogada. 
O relacionamento deles mesmo sem um título estava ficando cada vez mais sério, eles já não se desgrudavam mais, e dormiam juntos todas as noites, somente alternando as casas. E a cada vez que a Lilah notava que estava sim se tornando algo mais sério, e que o sentimento entre eles só crescia, mais ela queria se distanciar, e não conseguia. E ela começava a perceber que algo estava diferente nela, algumas coisas que ela notava acontecer com seu corpo, eram sinais de que a doença há anos em remissão estava retornando, e ela precisava de qualquer maneira terminar qualquer coisa que ela tivesse com o Callum. 
O Callum por sua vez, mesmo sem entender nada do que estava acontecendo, ainda assim permitia o espaço que ela desejava. Quando ela decidia que eles não iriam dormir juntos, ele acatava a decisão dela. Tudo isso para que ela estivesse ciente que ele não pressionaria a decisão dela. E ainda há nele uma falta de vontade nos compromissos sérios, como o casamento por sinal. Ele tinha medo de não chegar perto da perfeição sentimental que havia entre os seus pais já falecidos e por isso com quase 40 anos ainda não tinha construído uma família, ou chegado perto disso. Mas depois que conheceu a Lilah, e percebeu nela todo aquele espírito livre, que não tinha medo de andar descalça e que lutava pela vida de uma árvore centenária, aquela pequena vontade de construir algo aos poucos estava surgindo. 
Quando finalmente consegui compreender mais do livro e mais do que realmente passava na cabeça da Lilah, é que fui entender realmente seus motivos para não se apegar. Entender e não aceitar, porque só cabia ao Callum decidir se ele queria ou não continuar daquela forma. Ela deveria ter ouvido dele e aí enfim, viver o que tinham pra viver. 
A sinopse do livro e as citações de autores que causam dor e sofrimento, meio que entregam o que vai realmente acontecer durante a narrativa. Ainda não tenho certeza se gostei disso. Porque quando a gente não tem ideia do que vai acontecer, há um sentimento de crer até o fim que dará certo. Mas quando tudo já entrega, você só senta e espera. É só o fato de esperar a hora chegar. Mas, como nem tudo é previsível, o final me surpreendeu um pouco, mas foi bem pouco mesmo. 
Enfim, acredito que o livro não superou minhas expectativas, que nem eram tão altas assim, porque não conhecia a escrita do autor. Me decepcionei um pouco pela forma como a história foi se desenhando e algumas coisas pareceram muito forçadas. O relacionamento dos protagonistas mesmo sendo algo como o amor à primeira vista, não foi bem assim. Claro que aconteceu o encantamento de ambas as partes, mas o sentimento em si foi ocorrendo de acordo com a convivência. De toda forma, foi uma boa experiência que me permitiu conhecer algo diferente e saber o que acontece mais ou menos com alguém com a doença.

10 comentários:

  1. Oiee ^^
    Eu também acho que a Lilah deveria ter deixado o Callum escolher, mas, eu, no lugar dela, teria feito a mesma coisa. Às vezes a gente só consegue pensar no que é melhor para o outro, né?
    Eu me apaixonei completamente por esse livro, adorei a forma como a Lilah vivia, tomando conta do meio-ambiente e vivendo de forma diferente dos demais, apesar de tudo o que estava acontecendo em sua vida. O livro partiu o meu coração kkkk'
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  2. Oiii Priscila, como vai?
    Menina confesso que estou louquinha para realizar a leitura dessa livro, parece ser uma obra realmente interessante e sua resenha está incrível.
    Bejinhos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Priscila. Tudo bem?
    Quando a autora foi comparada ao Nicholas Sparks já me ganhou e pelo que que ando lendo sobre a Jojo também.
    Parece mesmo um enredo do Sparks e em certo ponto a história me lembrou o livro À Primeira Vista dele e o próprio arrastar da leitura de início me lembrou o tempo que demorei para lê-lo.
    É uma pena que não tenha te conquistado, ainda assim acho que vou arriscar lê-lo um dia, parece ser tipo de livro que me faz chorar, AHAHAHHAH.
    Aaah, achei interessante essa questão de o ponto de vista dela ser a partir do que anota no diário, deve deixar o leitor ainda mais curioso diante do mistério.

    Um beijo!
    Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Eu conheço esse livro, até queria solicitar na época, mas ainda não li. Uma pena que ele te decepcionou um pouco, é tão chato quando a gente coloca expectativa e ela não é suprida. Mas ainda bem que conseguiu tirar proveito da leitura.
    Já dar para imaginar algumas coisas da trama, principalmente com a comparação entre Jojo e Nick. Ótima resenha!

    Beijos,
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Eu já tinha lido outras resenhas a respeito desse livro e a maioria mencionou que o livro não atendia as expectativas, por isso acabei deixando a leitura de lado, mesmo com a recomendação da Jojo Moyes e do Nicholas Sparks. Fico feliz que mesmo não atendendo suas expectativas você conseguiu extrair coisas boas durante a leitura.
    Apesar dos personagens possuírem personalidades opostas, Lilah e Callum não me envolveram o suficiente para realizar a leitura, pelo menos não nesse momento.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Pelo que capitei ela tem alguma doença e por isso não leva relacionamento a sério, é isso?
    Bom, a história parece ser meio clichê mas ainda assim despertou minha curiosidade sim. Acho que quero saber mais o final mesmo, apesar de já não esperar mais por uma coisa feliz pelo menos.
    Uma pena que o livro não foi tudo isso pra você!

    ResponderExcluir
  7. Oiii!!

    Eu não consegui me sentir atraída pela obra. Acho que pelo fato de eu não estar no clima de Histórias do gênero, não me conquistou. E me senti chateada por você não ter se conectado com o enredo de uma forma tão profunda... Mas gostei da sua sinceridade ao resenhar k livro.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Olá, essa capa nunca me chamou a atenção, porém quando vi a sinopse quis correndo comprar. Até agora não consegui compra-lo porém ainda espero esse ano lê-lo. Pena que te decepcionou :(
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá tudo bem??
    Que pena que o livro te decepcionou, é sempre ruim quando esperamos mais do livro e ele não funciona, gostei da capa desse livro, mas a premissa não me chamou a atenção, adorei a resenha!!
    Beijus
    www.bibliotecaempoeirada.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, Priscila!
    Mesmo simples, esse livro tem uma capa bem bonita, mas essa sinopse e citações realmente me deixaram insegura quanto a fazer ou não sua leitura, e agora sabendo que eles representam um pouco do livro em si, do que esperar da história, já fico um pouco desanimada. Leio alguns dramas sim, mas é claro que procuro por histórias que carreguem um teor de superação, não necessariamente um final feliz, mas ao menos um desfecho tranquilo e leve. É o caso desse? Não sei... Mas, de qualquer forma, valeu a dica!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir