quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Pecados no Inverno


Do quarteto de amigas, Evangeline Jenner é certamente a mais tímida. E se tornará a mais rica quando receber a herança de seu pai, acamado com tuberculose. Mas Evie não se importa com o dinheiro. Tudo o que deseja é estar ao lado do pai em seus últimos dias.
Porém isso só será possível se ela puder escapar da casa dos tios que a criaram. E, para isso, sua única alternativa é casar-se – e rápido. Assim, ela foge no meio da noite para a casa do devasso lorde St. Vincent e lhe propõe casamento em troca de poder cuidar do pai.
Para um aristocrata que precisa de dinheiro, essa é uma excelente proposta. Afinal, é difícil conquistar uma moça rica e solteira quando se tem a reputação de Sebastian – trinta segundos a sós com ele arruinariam o bom nome de qualquer donzela.Mas há uma condição na proposta de Evie: uma vez consumado o casamento, eles nunca mais dormirão juntos. Ela não será mais uma mulher descartada por ele com o coração partido. Se Sebastian realmente a deseja em sua cama, terá que se esforçar mais em sua sedução... ou entregar seu coração pela primeira vez na vida.Neste terceiro livro da série As Quatro Estações do Amor, Lisa Kleypas nos apresenta o relacionamento de duas pessoas muito diferentes, mas igualmente obstinadas. E dessa relação tão peculiar pode nascer um desejo impossível de conter e um sentimento forte demais para esconder. Quem disse que os cafajestes não podem amar?
Título: Pecados no Inverno
Série: As Quatro Estações do Amor
Autor (a): Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 256


Vou contar uma coisa pra vocês que já venho gritando aos quatro ventos desde que li Era Uma Vez no Outono: eu estava com medo do que iria encontrar em Pecados no Inverno. No livro anterior eu havia pegado raiva de um dos personagens, achei suas atitudes bem desprezíveis em algumas situações e, quando soube que ele seria o protagonista desse próximo livro, surtei! Honestamente, eu não entendia como é que a Lisa Kleypas iria dar um jeito de desfazer aquele ranço que eu tinha com a criatura lá. E, mesmo tendo ouvido mil pessoas confiáveis me falando que esse era o melhor da série, eu duvidava. Me preparei para o pior e, vejam bem, acabei adorando a história!
Evie é uma das quatro garotas intituladas por elas mesmas de flores secas, aquelas que ninguém nunca chamava para dançar e que sequer tinha aspirações de casar-se um dia. Ela sempre foi a que mais me despertava interesse já que parecia levar uma vida bem difícil ao lado dos severos tios. Além de ser extremamente tímida, ela ainda apresenta uma gagueira que se manifesta sempre que fica nervosa. Ou seja: sempre! Neste terceiro livro vamos conhecê-la um pouco mais a fundo. Sua vida não é fácil e seus tios são um verdadeiro pesadelo. Sua mãe é falecida e o pai, dono de um famoso clube de jogos, encontra-se à beira da morte. Os tios não a deixam visitá-lo e tudo o que eles querem é casarem Evie com um primo para poder, finalmente, colocar as mãos na herança dela. Disposta a se ver livre das garras deles e totalmente desesperada, ela vai atrás de Sebastian St. Vicent para propor uma ousada proposta: um casamento por conveniência onde ambos lucrariam. Ela teria a tão sonhada liberdade e ele, dinheiro.
Sebastian é um famoso libertino, que apesar de pertencer a uma família tradicional, não tem um centavo no bolso. No livro anterior ele já mostrou que é capaz de fazer qualquer coisa por dinheiro e casar-se por interesse não seria algo tão difícil assim. Embora Evie não seja o tipo de mulher com quem ele costuma se envolver, não dá para negar que ela é atraente. E, assim como ela, ele também está desesperado. Assim sendo, ele aceita a proposta e ambos acreditam que conseguirão manter esse casamento sem nenhum tipo de contato físico e emocional, afinal nenhum deles está procurando amor.
Mas com o menino destino não se brinca e durante a longa viagem de fuga para a Escócia (onde eles se casarão) o leitor já tem uma prévia da química que há entre eles. E, mesmo que a intenção de ambos seja apenas consumar o casamento e nunca mais se tocarem, tudo muda quando isso finalmente acontece. O que eles farão depois, aí minhas amigas, vocês terão que ler para descobrir.
Que livro bom, gente! A leitura foi tão bacana que nem sentia o tempo passar. E tenho que concordar com o pessoal: esse é, sem sombra de dúvidas, o melhor da série. Lisa deu um show na criação dos personagens e da trama, que foi muito além do romance, já que Evie tinha seu drama pessoal com o pai e os outros parentes para resolver. A autora soube explorar muito bem os problemas da protagonista e encaixar o romance como algo adicional à trama. Se tem algo que venho batendo ultimamente é no foco excessivo no romance entre os personagens e nenhuma trama secundária para sustentar a leitura. Amor é bom, romance é maravilhoso, mas só isso não basta para criar uma trama envolvente. E esse livro foi incrível já que ele trouxe ação, subtramas bem interessantes e drama, além do amor, romance e pegação típico dos romances de época. Tiro o meu chapéu para Lisa, ela conseguiu me surpreender.
Evie é uma personagem que me intrigava desde os primeiros livros da série. A gagueira, o visível desconforto dela perante as pessoas, a forma grosseira como era tratada pelos tios... tudo isso fez dela uma das mocinhas que eu mais ansiava conhecer melhor. Foi muito bom conhecê-la melhor e perceber o quanto é forte e obstinada. Já Sebastian conseguiu tirar a má impressão que tive dele no livro anterior. Apesar das canalhices, ele tem um bom coração e mostrou um outro lado até então desconhecido. É um ótimo personagem, cheio de carisma e determinação. Não me apaixonei por ele, mas não posso negar que ele tem seu charme. E, por tudo que fez por Evie, ele ganhou minha admiração.
Gostaria de mencionar que estou caidinha de amores por um certo cigano chamado Cam Rohan, que as leitoras da série Os Hathaways já conhecem bem, mas que eu ainda não conhecia (pois é, minha gente, ainda não li essa série). O que é esse homem? Em todas as vezes que apareceu roubou a cena e ainda protagonizou uma cena pura sedução com uma personagem (que eu não vou dizer quem é, claro). Ainda bem que tenho o livro dele aqui em casa (Desejo à Meia Noite) e já vou poder me jogar na leitura.
Nem preciso dizer que recomendo a leitura, né? Ma-ra-vi-lho-so! Quem não leu, leia! Com certeza vai gostar, e muito, dessa trama envolvente e encantadora.

2 comentários:

  1. meu preferido até agora... adorei o jeito doce de Evie e descobrir o lado não canalha de Sebastian
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho a sensação de que a autora fez a maior mágica com esse livro. Afinal, não é fácil colocar um personagem que 9 entre 10 não curtiram no livro anterior como protagonista e fazer com que todas que leem digam a mesma coisa... Que o cara é, no mínimo admirável.
    Adorei sua resenha e fiquei empolgada para ler o livro. Mas, como tenho muitos na fila e é uma das colunistas que está resenhando para o blog não sei quando vou conseguir encaixar essa série na fila... Mas quero muito...
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir