segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Sra. Poe

"Um escritor e seus demônios, uma mulher e seus desejos, uma esposa e sua vingança 1845: O Corvo, de Edgar Allan Poe, alcança os padrões de perfeição literária e está no auge da moda – sucesso com o qual uma poetisa esforçada como Frances Osgood só pode sonhar. Apesar de não ser grande fã dos escritos de Poe, ela vê com entusiasmo a chance de conhecê-lo e, em um sarau literário, fica atraída por sua magnética presença – e pela surpreendente revelação de que ele admira o seu trabalho. Flerte e sedução culminam em um romance proibido. Mas quando a frágil mulher de Edgar insiste em se tornar amiga de Frances, o relacionamento se torna tão ambíguo e tortuoso quanto um dos contos de Poe. Inspirado na vida e na escrita de Poe e Osgood, e baseado em autênticos detalhes históricos, Sra. Poe é uma história de tragédia e perda envolta em uma aura de paixão e vitalidade."

Título: Sra. Poe
Autor (a): Lynn Cullen
Editora: Bertrand Brasil
Número de páginas: 400


Aqui conhecemos Frances Osgood, que escreve alguns poemas, mas não possui tanto sucesso. O ano é 1845 e seu marido (por quem ela era apaixonada, casou e teve duas filhas) a abandonou com suas filhas e, como se não bastasse, ainda a deixou com muitas dívidas. Ele é um pintor que se deitava com todas as mulheres que pintava até se casar com ela. Ao menos era isso que ela achava. Frances é uma mulher muito inteligente, porém os seus poemas sobre flores e infantis não estão mais agradando tanto. E agora, como precisa sustentar as filhas e a si mesma, já que estão vivendo na casa de amigos, ela precisará sair da sua zona de conforto.
E é justamente quando começa a participar de reuniões literárias que ela conhece o misterioso Sr. Poe. Ele acabou se tornando uma sensação no mundo literário, graças as suas composições sombrias e misteriosas, principalmente O Corvo. Frances não entendia muito por que estas histórias faziam tanto sucesso, mas isso não foi o suficiente para afastá-la de Poe. Todos comentavam muito sobre ele, principalmente por ter casado com sua prima quando esta tinha apenas 13 anos e ele 23. Mas algo em Poe chamava a atenção da Frances e, pelo visto, no caso dele também
Ela acabou se aproximando da esposa e da tia dele, e esta aproximação acabou rendendo algumas situações estranhas. Enquanto os novos poemas da Frances começavam a fazer sucesso, e ela passava mais tempo com o Sr. Poe, a esposa dele, mesmo se mostrando bastante solícita no começo, acaba mostrando para ela que percebe que algo está rolando entre os dois. A Sra. Poe tem a saúde bem frágil e está sempre tossindo. E em uma dessas ocasiões, Frances percebe até um pouco de sangue no lenço. As situações estranhas que citei são pequenos atentados que começam a acontecer com a Frances. Pequenas coisas inicialmente, mas que já fazem ela ficar com o pé atrás.
Frances e o Sr. Poe, ambos casados, mesmo sentindo uma atração bem forte entre eles, não podem ter um relacionamento, pois se nesta época o adultério não é bem visto, imagina naquela. Mesmo sendo abandonada pelo marido, que a estas alturas já está com outra mulher, se fosse descoberta uma traição dela, ele poderia levar suas filhas e ela nunca mais as veria. E no caso do Poe, seria uma crueldade abandonar a sua jovem esposa doente e frágil.
O relacionamento dele com a esposa é uma incógnita. Confesso que não consegui entender o que fez os dois se casarem, principalmente por ela ser tão nova e não perceber nenhuma demonstração romântica entre eles. A ligação deles parecia mais de irmãos do que de um casal.
Além dos já citados, a narrativa conta com vários personagens que são essenciais para a trama. O que mais me chamou a atenção, depois dos protagonistas, da Sra. Poe e da mãe dela, foi o casal dono da casa onde Frances está hospedada e o Reverendo Griswold, que odiava o Sr. Poe e começa a demonstrar sentimentos por Frances. 
Acredito que a Lynn Cullen conseguiu construir uma trama envolvente, com personagens que realmente existiram e conseguiu reunir isto a diversos outros assuntos como a traição, aparentemente a tuberculose, dependência emocional, doença mental, fofocas e o preconceito da sociedade. Ela ainda fez com que o relacionamento entre os dois não parecesse errado para quem está lendo e, principalmente, não nos permitiu odiar ninguém mesmo que tivesse vontade. O mistério por trás dos atentados contra Frances é muito bem construído, apesar que uma situação ainda no meio da narrativa me fez perceber quem era a pessoa envolvida nisso. E sinceramente, que final de tirar o fôlego, considerando a época que o livro narra. 
Eu demorei bastante para começar esta resenha porque, honestamente, não sabia como expressar o que li em pouquíssimas palavras. Sra. Poe não foi o meu livro favorito, mas chegou muito perto disto, eu não esperava gostar tanto dele e me surpreendi.


8 comentários:

  1. Frances parece ser uma personagem de personalidade forte pelo o que você citou e fiquei curiosa pra saber se rola algum envolvimento entre ela e o Poe. Também quero saber mais a respeito do relacionamento de Poe com a prima com quem ele tomou por esposa. Confesso que já tinha visto esse livro mas que tinha passado despercebi, embora eu goste muito das obras de Poe. A sua resenha me fez querer ler essa estória o mais rápido possível.
    um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Priscila ^^
    Desconhecia completamente essa obra então pode imaginar minha total surpresa ao ler a sua resenha.
    Pouco sei sobre o Poe, só sei que é conhecido pelos seus cenários dark. Não sabia que ele foi casado, muito menos que sua esposa tinha somente a idade de 13 anos no dia do casamento. Logo, fiquei ainda mais surpreso em saber que ele teve um relacionamento por fora.
    Nossa sociedade julga demais o adultério, afinal nos dias atuais é tão fácil sair de um relacionamento para começar outro, mas no passado havia a complicação de perder os filhos, como você bem citou, Priscila.
    Frances deve ter sofrido bastante para ter esse romance proibido. Não a julgo de forma alguma, quando o coração bate por outra pessoa e ela é correspondida é muito difícil você se separar da pessoa com quem está. Mas quero deixar claro que sou contra a traição, se o romance quer acontecer têm que se separar das "partes restantes". Nada de traições.
    Fiquei bem curioso para ter essa leitura, Frances deve ter sido uma personalidade e tanta.
    Parabéns pela resenha, Priscila. Te entendo perfeitamente. Existem livros que você não consegue mesmo fazer uma resenha, as palavras não saem de forma coerente ou suficiente para expressar o amor sentido.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Já li outra resenha desse livro, mas não sabia que Frances era sobrinha da senhora Poe. Livros bons são justamente esses que, quando vamos resenhar, não temos ideia de como começar.

    ResponderExcluir
  4. Ola, Priscila.
    Eu gosti bastante do enredo. Percebi que é um livro que mostra uma crítica da sociedade e mostra o quanto existia machismo. Mesmo o homem tendo traído a esposa e já estar abertamente em outro relacionamento, a mulher não podia fazer o mesmo por correr o risco de perder as filhas. Muito injusto isso.
    Fiquei curiosa para saber como se dará o envolvimento da Frances com o sr. Poe.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia essa obra ainda, mas achei os temas retratados bastante importantes. Deve ser uma daquelas leituras que impacta o leitor, além de ser envolvente. Confesso que assim que li acabei não gostando muito, mas depois percebi que é uma leitura que eu preciso fazer.
    Vou ficar muito indignada com essa coisa de traição, mas vou superar, rsrs.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  6. Oiii!!

    Eu não li esse livro ainda na verdade eu recebi mas passei para minha tia... Me arrependi um pouco, é a segunda resenha positiva que li para o livro! Fiquei feliz com vc ter adorado a obra!

    Ótima resenhaN

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Sabe quando você vê um livro, acha interessante mas ele não parece nem um pouco o seu tipo?
    Foi assim que comecei a ler essa resenha. ao final, fiquei até com uma certa vontade de conhecer melhor a obra. É tão bom quando a gente não espera gostar tanto e ele fica quase perto de ser um favorito não é?
    Não é meu estilo, mas se aparecesse a chance, tentaria por causa dos seus comentários :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  8. Helloo, tudo numa nice?!
    Eu já tinha visto esse livro antes, mas não sabia do que se tratava apesar do nome sugestivo. De qualquer forma, quando li a resenha já achei o relacionamento de Frances e Poe errado então não é uma obra que eu leria. As vezes as pessoas simplesmente leem estórias desse tipo, torce pelo causa dos que que sente uma atração e blá blá blá, mas esquece de todos os outros envolvidos. Enfim... esse não é um livro para mim.

    ResponderExcluir