quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Suzy e as Águas-Vivas

Às vezes, quando nos sentimos mais solitários, o mundo decide se abrir de formas mágicas.
Suzy Swanson está quase certa do real motivo da morte de Franny Jackson. Todos dizem que não há como ter certeza, que algumas coisas simplesmente acontecem. Mas Suzy sabe que deve haver uma explicação — uma explicação científica — para que Franny tenha se afogado.
Assombrada pela perda de sua ex-melhor amiga — e pelo momento final e terrível entre elas —, Suzy se refugia no mundo silencioso de sua imaginação. Convencida de que a morte de Franny foi causada pela ferroada de uma água-viva, ela cria um plano para provar a verdade, mesmo que isso signifique viajar ao outro lado do mundo... sozinha. Enquanto se prepara, Suzy descobre coisas surpreendentes sobre o universo — e encontra amor e esperança bem mais perto do que ela imaginava. Este romance dolorosamente sensível explora o momento crucial na vida de cada um de nós, quando percebemos pela primeira vez que nem todas as histórias têm final feliz... mas que novas aventuras estão esperando para florescer, às vezes bem à nossa frente.
Título: Suzy e as Águas-Vivas
Autor (a): Ali Benjamin
Editora: Verus Editora
Número de páginas: 223


O que falar desse livro que comecei a ler sem nenhum tipo de expectativa, esperando uma história fofinha e só, mas que acabou se mostrando muito mais que isso? Esse livro foi uma verdadeira surpresa e estou aqui procurando as palavras pra falar a respeito dele pra vocês.
Suzy é uma garota de 12 anos que, ao contrário de muitas meninas de sua idade, ainda conserva aquele jeitinho maroto de criança. Ela sempre foi muito solitária, até conhecer Franny e se tornarem melhores amigas. Contudo, com a chegada da pré-adolescência, o inevitável acontece: Franny muda e, ao contrário de Suzy, vai perdendo aquele jeito de criança e se transformando numa mocinha. As brincadeiras de antes não mais a atraem e o comportamento da amiga envergonhando-a perante as novas amigas. Franny começa a se afastar de forma gradativa de Suzy, de modo que as duas passam de melhores amigas à mera conhecidas. 
Claro que Suzy fica abalada, mas o maior baque que ela recebe é o da morte da amiga. Franny, que sempre foi uma excelente nadadora, morreu afogada e Suzy não aceita isso. E, numa visita escolar ao aquário da cidade, ela lê sobre as águas vivas, em especial sobre uma que a picada é fatal, e conclui assim que sua amiga foi alvo dessa água-viva. Resta agora a ela provar isso e, com a aproximação da apresentação do projeto de Ciências, ela vê a oportunidade perfeita para expôr à classe sua teoria.
De uma maneira bem delicada, a autora vai nos levando a conhecer mais sobre Suzy, seus anseios, os problemas familiares e seus esforços de pesquisa a respeito das águas vivas. E é através de suas lembranças, que percebemos o quanto a amizade com Franny era tudo para ela e o quanto o afastamento de ambas fez com que ela se sentisse mais solitária.
Suzy e as Águas-Vivas é um livro lindo, cheio de reflexões e uma valiosa lição de amizade. Gostei muito da forma suave e delicada como a autora vai nos expondo os fatos. Suzy é uma personagem adorável e inocente, o tipo de garota que sofre constante bullying por ser autêntica e não se moldar como as demais. Sua lealdade para com Franny sempre foi enorme e, mesmo com todas as dores sofridas pelo fim da amizade e por pequenos atos de humilhação vindos da mesma, ela nunca deixou de gostar da amiga. Em muitas passagens fiquei com os olhos cheios de lágrimas e em outros queria dar um sacode nela (e na Franny também) pra deixar de ser tão ingênua.
Falar sobre morte sempre é algo complicado, principalmente quando vemos tudo pelos olhos de uma criança. Não é uma situação fácil para Suzy e é justamente por não aceitar a morte da amiga, e por se culpar por não ter conseguido salvá-la do que veio a se tornar, que ela busca nas águas vivas o consolo de que precisa. Junte a isso a separação dos pais, os problemas na escola, a falta de amigos e temos uma trama emocionante.
Não esperava gostar tanto do livro. Esperava encontrar uma história bonitinha, de leitura fácil e ágil, que seria apenas "mais uma na multidão". Mas me surpreendi e me vi totalmente encantada pela narrativa e pelo rumo que a história tomou. A leitura é sim bem ágil, a escrita da autora é puro dinamismo e a trama vai muito além do clichê infanto juvenil que estamos acostumados. É um livro tocante, que me enterneceu meu coração e tenho certeza que irá encantar diversos leitores.


Nenhum comentário:

Postar um comentário