quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

ANIMA



Um príncipe dos ladrões amaldiçoado após cometer um erro terrível. Uma cortesã que ainda sonha com romances e contos de fadas.
Uma reinterpretação de uma das fábulas mais amadas de todos os tempos, ANIMA lembra-nos dos monstros que existem dentro de cada um de nós, e de como nossas ações podem libertá-los e torná-los reais…


Título: Anima
Autor: Anna Giovannini & Fran Briggs
Editora: JAMBÔ
Número de Páginas: 240


SKOOB - COMPARE & COMPRE - LOJA RECOMENDADA

Uma reinterpretação de um conto clássico, amado, e enraizado em nossas mentes através da adaptação da Disney. Pela capa e sinopse provavelmente você já entendeu de qual fábula estamos falando, mas se ainda não: está para estrear uma adaptação live-action com certa bela e certa fera. Mas não se engane, ANIMA tem tudo para rivalizar em seu coração o espaço conquistado pela interpretação mais conhecida.
Era uma vez um príncipe chamado Damaran... Bom, talvez não exatamente um convencional, mas ainda sim um príncipe entre os seus graças a tudo que conquistou na vida através de muito esforço. Talvez seus métodos sejam questionáveis - afinal nenhum bandido enriquece de forma lícita - mas ele não se importava: era forte, determinado e indomável. Uma característica que fez aflorar seu lado mais primitivo e bestial, e afastar até mesmo quem amava. Damaran tornou-se uma fera de coração duro, que esqueceu o que era amar e ser amado, e se isolou em uma mansão nas montanhas...
Enquanto isso conhecemos a jovem Amadeus, uma jovem sonhadora e romântica, mas descriminada pelas pessoas da vila onde vive por conta da forma que se mantém e com quem anda: Amadeus é uma cortesã e divide os custos e a habitação com Cléo, uma trans cortesã. Poucos são os que mantém algum contato normal com a moça, como o Doutor e Alexis.
Os caminhos de Damaran e Amadeus se cruzam por acaso, ou melhor, por conta de Cléo. A amiga, endividada com agiotas, decide ir até a mansão teoricamente abandonada nas montanhas para roubar algo que a ajude a quitar seu déficit e acaba presa pelo dono da casa. Preocupada, Amadeus busca sua amiga e encontra seu cativeiro, porém não é bem recebida pelo "anfitrião" que não está nada satisfeito com as invasoras. Inesperadamente, Amadeus se oferece para ficar como refém para que Cléo seja solta, garantir que mais ninguém fique sabendo sobre a casa e a fera proprietária, e de alguma forma "pagar" pela invasão. A partir daí essa estranha relação irá se desenvolver, a bela e a fera irão conhecer um ao outro, mas até lá muita coisa vai acontecer...

A trama como é de se supor, segue a linha guia do conto d'A Bela e A Fera, mas com liberdade total para se re-trabalhar os conceitos por trás de cada personagem. Anna Giovannini e Fran Briggs reimaginam algumas questões básicas e acrescentam questões importantes a trama, como o fato de que todos terem dentro de si um monstro real, que pode ser exposto não apenas por conta de atitudes impensadas e grosseria como no caso de Damaran, mas também na descriminação e preconceito sofridos por Amadeus e Cléo. Além disso a história discorre com muito humor, e é claro, romance.
Os protagonistas, apesar de remodelados, apresentam muito de sua essência mais conhecida. Damaran é um homem endurecido que reaprende que ainda pode amar e ser amado. Amadeus é uma romântica sonhadora que aprende tanto quanto seu "carcereiro" sobre ser amado independente sua condição. Os personagens coadjuvantes (a trans trambiqueira Cléo, os "funcionários" de Damaran - Fjodor, Katerina e Andrea) complementam e dão cor a narrativa com suas personalidades e carisma.
A arte feita pela Anna para o quadrinho é muito boa e a estética mangá dá destaque a expressividade e sentimentos dos personagens, seja nos momentos ternos, de ira ou nos cômicos. O cuidado no design dos personagens e nos detalhes não apenas os torna únicos, como também demonstra certo carinho com cada um deles.
Há muito pouco a se criticar na edição de ANIMA, lançada pela Editora Jambô. A qualidade do produto é inegável, bem como a atenção demandada na produção, contudo escaparam na revisão um trio ou quarteto de palavras ausentes nos balões de diálogo durante as 240 páginas da edição. Bem como a montagem e colagem acabam dificultando, em alguns momentos, a leitura das falas mais ao canto, próximo ao centro. Contudo nada que verdadeiramente atrapalhe o andamento da apreciação e a imersão da obra.
Anna e Fran nos entregam uma cativante e divertida versão de A Bela e A Fera, sem esquecerem de adicionar lições necessárias a toda boa fábula. ANIMA é com certeza uma excelente dica para quem gosta de mangás, quadrinhos com estética oriental, contos de fadas, e pra quem nunca deixa de sonhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário