segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Escândalo de Cetim



Irmã do meio entre as três proprietárias de um refinado ateliê de Londres, Sophia Noirot tem um talento inato para desenhar chapéus luxuosos e um dom notável para planos infalíveis. A loura de olhos azuis e jeito inocente é na verdade uma raposa, capaz de vender areia a beduínos. Assim, quando a ingênua lady Clara Fairfax, a cliente mais importante da Maison Noirot, é seduzida por um lorde mal-intencionado diante de toda a alta sociedade londrina, Sophia é a pessoa mais indicada para reverter a situação.
Nessa tarefa, ela terá o auxílio do irmão cabeça-dura de lady Clara, o conde de Longmore. Alto, musculoso e sem um pingo de sutileza, Longmore não poderia ser mais diferente de Sophia. Se a jovem modista ilude as damas para conseguir vesti-las, ele as seduz com o intuito de despi-las. Unidos para salvar lady Clara da desonra, esses charmosos trapaceiros podem dar início a uma escandalosa história de amor... se sobreviverem um ao outro.
Em Escândalo de Cetim, segundo livro da série As Modistas, Loretta Chase nos presenteia com um dos casais mais deliciosos já descritos. Além de terem uma inegável química, Sophia e Longmore são divertidos como o rodopiar de uma valsa e sensuais como um corpete bem desenhado.
Título: Escândalo de Cetim
Série: As Modistas - Vol. 2
Autor: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 272




Quem leu minha resenha de Sedução da Seda, sabe que eu gostei muito do livro e que estava bem curiosa para ler o segundo livro por conta dos vislumbres do que encontraríamos nele. Sem contar que, diferente do livro anterior, ele prometia uma subtrama diferente, com o foco não exclusivamente no romance e isso é algo que me agrada demais. Comecei a ler com expectativas altas e o que achei dele você confere logo abaixo.
Sophia é a beldade loira do trio de modistas da Maison Noirot. E é também aquela que tem sempre os melhores planos já que sagacidade é, praticamente, seu sobrenome. Além do trabalho na loja, ela ainda escreve, periodicamente, algumas matérias para uma espécie de jornal (sob pseudônimo, claro). E para poder ouvir todos os mexericos e ver em primeira mão os escândalos da cidade, ela consegue alguns bicos como criada nos melhores bailes da temporada. E é justamente em um desses bailes que ela vê Laidy Clara Fairfax sendo levada de encontro a uma verdadeira ruína. 
Preocupada não apenas com a reputação da moça, mas também com seus negócios (Clara é a melhor cliente da Maison Noirot), ela decide que irá ajudar a moça a sair dessa com a reputação intacta. Contudo, ela não contava com a fuga de casa de Lady Clara, o que a leva a unir forças com o irmão da moça, o conde de Longmore. Juntos, eles irão começar uma busca intensa à moça, mas o que acontecerá enquanto ambos estiverem no encalço dela é algo que eles nem sequer imaginavam.
Apesar da evidente atração que existe, nenhum dos dois imaginava que um dia fossem se envolver. Ela sempre o achou um homem não muito inteligente e nada esperto. Já ele a achava intrometida e muito segura de si, de um jeito que chegava a lhe incomodar. Contudo, o que parecia ser um divisor de águas entre os dois, acabou por se mostrar o principal ponto de união entre os dois. Os dois se completavam justamente por serem diferentes e, com o passar dos dias e a convivência sendo cada dia maior, eles foram percebendo que nem tudo que imaginavam um do outro era verdade.
Esse foi um livro que me deixou bastante dividida e vou explicar o motivo. Uma das coisas que mais me agradou foi justamente aquilo que falei lá no início, o fato da história não focar apenas no romance entre os personagens e trazer algo mais. E foi justamente isso que Loretta fez, com uma maestria digna de aplausos, neste livro. Ela trouxe uma história secundária que, em certos momentos, se sobrepôs ao romance dos protagonistas, deixou a história mais atraente e serviu para deixar a aproximação dos protagonistas mais natural. E nesse ponto gostaria de ressaltar que gostei muito da forma como a autora conduziu o romance entre os personagens, aproveitando a atração inicial entre os dois e transformando o sentimento aos poucos, sem forçar nada.
Outro ponto positivo da trama é a mescla entre o drama e o humor que encontramos em praticamente cada capítulo. Gostei muito das tiradas divertidas da Sophia com o Longmore, renderam boas risadas. As partes mais dramáticas foram leves e em nenhum momento a autora tentou forçar uma emoção desnecessária e isso contou muito a seu favor.
Contudo, achei o início da história um pouco arrastada. Apesar de termos logo a ação acontecendo, achei a narrativa pouco fluída, com algumas cenas que acabaram por deixar a agilidade dos capítulos bem comprometida. Outro ponto que me incomodou, e que foi comentado na resenha de Sedução da Seda, foi o não aproveitamento  da "rixa" entre as modistas e a dona da "Trapos", maior rival delas. Houve a inserção dela na história, mas foi tão vaga e sem propósito que fiquei sem entender muito bem o motivo dela ter existido. Continuo batendo na tecla de que Loretta poderia sim aproveitar bem melhor essa história, colocando a rivalidade entre elas mais em evidência. Guardo minhas expectativas para o próximo livro e espero, com muita força, que ela consiga finalmente dar uma direção a essa rivalidade.
No geral, Escândalo de Cetim é um livro bom, com uma história que prende o leitor e com personagens que são ótimos! Gostei demais da Sophia e, apesar de não ter achado que inicialmente ela e Longmore tinham algo a ver um com o outro, fui surpreendida com a química que foram apresentando durante a trama. 
Romance leve e divertido, feito sob medida para os amantes dos romances de época.


8 comentários:

  1. eu estou encantada! eu adoro os livros da Loretta e esse em especial com as trocas de farpas me encantou do começo ao fim
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie

    Estou com muita vontade de ler essa série! Quero ver se esse ano eu consigo.
    O que mais chamou minha atenção foi pelas personagens serem modistas e como eu sou, achei isso o máximo.
    Fico com um pouco de receio do começo ser arrastado, já abandonei livros por causa disso. Mas mesmo assim vou arriscar.
    A capa é linda demais.

    bjs
    Fernanda
    Pacote Literário

    ResponderExcluir
  3. Oi Neyla!
    Romance contemporâneo eu já leio pouco, de época então... Já tentei ler um clássico desse gênero e não deu certo. Depois disso, perdi totalmente a vontade de ler outros livros desse estilo, mesmo sendo escritos atualmente.
    Dessa vez passo a dica.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá tudo bem?
    Essa série me chamou muita atenção, eu acho que li sim a sua resenha do primeiro livro e como eu já sou fã de carteirinha de romances de época, acho que vou gostar dessa série também. O que mais me chamou atenção é o fato de elas não serem dependentes dos homens e possuírem o próprio atelie, coisa que naquela época era um avanço para a sociedade não é mesmo?
    Obrigada por me deixar mais curiosa pelos livros kkk

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  5. Neyla, se tem uma coisa que eu amo de paixão, são os romances de época! Adorei sua resenha, a forma como você me contou um pouquinho da história e a clareza de suas opiniões. Eu ainda não consegui ler o primeiro livro da série, apesar de já tê-lo na estante, mas espero em breve fazer a leitura, assim como desse livro. Gostei bastante do que vou encontrar em Escândalos de Cetim, uma pena que o início seja pouco fluido, mas torço para que a história me conquiste. Gosto muito da Loretta e já estou com muitas expectativas em torno desta série.

    Beijos,
    Dai ? Virando a Página

    ResponderExcluir
  6. Achei bem legal o foco desse livro não ser exclusivo no romance, mas ainda não entendi porque a lady Clara participa tão ativamente de todos os volumes dessa série, porque já me disseram que ela é protagonista do último. Acho que a autora deve guardar algum mistério bem louco a respeito dela. De qualquer maneira, não me interessei pela leitura, não sou muito fã de romances de época.

    ResponderExcluir
  7. Oi Neyla,
    Nunca li nada da autora e te um tempo que não leio romances de época, mas tenho consciência da contribuição significativa da autora para o gênero e provavelmente irei dar uma chance a leitura. Mesmo com os poréns que te deixaram dividida em relação a obra percebo que ainda assim o saldo foi positivo e leitura proveitosa. Eu também fico encucada com um autor insere na trama um personagem que não influencia em nada, mas acredito que na sequência ela irá explorar mais da "rixa" entre as concorrentes.
    Espero ter a oportunidade de ler algo da autora em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Neyla!
    Acabei de conferir uma outra resenha desse livro ainda mais empolgada que a sua e, apesar das ressalvas que você fez, bom saber tratar-se de uma leitura gostosa e com bons personagens. Muito legal a inserção de uma subtrama no enredo, quando bem feito, chama mesmo a atenção do leitor e faz da leitura algo ainda mais bem desenvolvido. Não é uma série de época que me chame a atenção para a leitura em específico, mas caso venha a mudar de ideia depois, bom saber que é uma boa leitura. Espero que você goste ainda mais dos próximos volumes!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br/ ♥

    ResponderExcluir