terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Solfieri e o Espectro do Casarão Sombrio

Em setembro de 1877, o investigador do sobrenatural e satanista imortal Solfieri de Azevedo é contratado por uma viúva para exorcizar um medonho fantasma que está atacando sua casa e assustando suas filhas. Mas ao chegar no casarão amaldiçoado, Solfieri percebe que velhos e sórdidos segredos familiares virão à tona no transcurso daquela noite ritualística! Poderá o malfadado herói vencer um espírito que tem o poder de atacar seres humanos, lançar objetos e revelar segredos malditos? Reinvenção do herói de Álvares de Azevedo, este conto revela um pouco do passado de um principais personagens da série Brasiliana Steampunk, série ganhadora do prêmio Fantasy! (Casa da Palavra/LeYa, 2014) com o livro A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison.
Brasiliana Steampunk Contos é uma coleção de seis contos interdependentes que trazem por protagonistas os heróis do universo criado por Enéias Tavares. Indicado para leitores corajosos e damas desbravadoras, este conto de taverna colocará você diante de Solfieri, entre uma taça de vinho ou copo de cerveja, enquanto ele lhe conta um causo de horror, pavor e sordidez! Esta edição conta com apresentação do escritor Eric Novello - autor do romance "Exorcismos, Amores e uma Dose de Blues" -, posfácio do autor, edição de Fabio Brust e Inari Jardani Fraton, capa de Poliane Gicele e ilustrações de Karl Felippe.
Título: Solfieri e o Espectro do Casarão Sombrio
Autor (a): Enéias Tavares
Editora: EPIC Group - Kindle Unlimited
Número de páginas: 49



Em postagem anterior onde falava sobre Bento Alves & O Ataque ao Templo Positivista fiz questão de iniciar o texto esclarecendo o fato de que apesar de funcionar como uma história independente, o conto carregava em suas entrelinhas um pouco de um universo maior. Permitam-me então tomar tal esclarecimento também para Solfieri e o Espectro do Casarão Sombrio. Novamente volto a introduzir o texto dessa forma para que fique ciente que há mais para se ler do que apenas um conto caso esteja disposto a isso; porém também quero que fique ciente de que a obra NÃO te obriga a ler mais do que ela para compreender o conteúdo e aproveitá-la. Uma típica situação de dupla vitória: caso leia apenas o conto encontrará uma obra completa. mas caso queira ler mais irá encontrar outros títulos a sua disposição que se entrelaçam neste o universo.
Por falar nisso, caso nunca tenha ouvido falar - ou não tenha lido a sinopse fugindo de algum possível spoiler não-intencional - permita-me apresentar Brasiliana Steampunk: um universo que reinterpreta grandes personagens da literatura brasileira do século dezenove, tal qual uma Liga Extraordinária, a partir de uma roupagem Steampunk. Nas palavras retiradas do site oficial: Nele, as criações fantásticas de Álvares de Azevedo, Inglês de Souza, Raul Pompéia, Aluízio de Azevedo, Machado de Assis e Lima Barreto, entre outros, são realocadas num universo onde a linha divisória entre o real e o ficcional é borrada pelo vapor futurista, Zeppelins cortam o céu esfumaçado de uma decadente Porto Alegre art nouveau. 
E neste conto vamos até uma taverna, em certa noite, nos encontrar com o soturno Solfieri de Azevedo, notório por seus hábitos boêmios, seu provocativo e declarado credo satanista e suas atividades como exorcista e detetive sobrenatural. A bem da verdade, Solfieri é quem vem a nosso encontro, ávido por uma companhia que pague algumas rodadas de bebida, e em troca nos narra uma de suas aventuras sobrenaturais.
No causo narrado, uma viúva desesperada contrata os serviços do investigador sobrenatural para livrar-se de um espírito que ronda a sua casa e assombra a sua família. Um caso que esconde mais do que aparenta...
Através da prosa de bar e do causo narrado, Enéias nos aclimata na história e nos aproxima da narrativa do conto garantindo a nós não só um papel de leitor, mas como "ouvinte". Essa sutil, porém eficaz,  garante uma leitura ágil e agradável, te mantem preso na leitura de início ao fim. Bem como a informalidade permite que a narrativa mantenha a agilidade, mas mantenha o psicológico do personagem narrador sempre próximo e em destaque. Características também muito presentes no conto anterior, com o diferencial de que enquanto o formato de carta garantia uma viagem mais intimista em relação ao narrador, a prosa de bar entrega apenas aquilo que o narrador quer, mantendo o clima misterioso sempre rondando o personagem.
Por falar nisso, o clima da trama muito se difere do conto anterior onde víamos um herói altruísta em uma aventura repleta de ação. A versatilidade de Enéias é mostrada não apenas na forma do texto, mas também no trato tanto da ambientação quanto dos personagens. O claro e aventuresco da lugar ao soturno e sobrenatural, a ação abre espaço para a investigação, o mocinho abre espaço para o dúbio.      
O conto Solfieri e o Espectro do Casarão Sombrio nos apresenta um outro lado  (ou uma primeira faceta já que a ordem de leitura não é obrigatória) do universo Brasiliana Steampunk e também do trabalho do Enéias Tavares. Bem como aconteceu no contato anterior, o conto instiga àqueles como eu, traumatizados pelos mais variados motivos, a conhecer um pouco mais sobre a literatura brasileira do século 19; E também a acompanhar os trabalhos do autor para conferir até onde os elogios sobre a sua escrita e versatilidade são verdadeiros, e talvez, quem sabe um dia, unir-se a esse coro. Algo que está cada vez mais perto de acontecer...

Um comentário:

  1. Olá Ace,

    Esses contos do Enéias estão na minha lista de desejados, toda vez que leio suas resenhas minha curiosidade só aumenta, principalmente por serem positivas...abraço.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir