segunda-feira, 6 de março de 2017

A Garota no Gelo

Seus olhos estão arregalados… Seus lábios estão entreabertos… Seu corpo está congelado… Mas ela não é a única.
Quando um jovem rapaz encontra o corpo de uma mulher debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres, a detetive Erika Foster é chamada para liderar a investigação de assassinato.
A vítima, uma jovem e bela socialite, parecia ter a vida perfeita. Mas quando Erika começa a cavar mais fundo, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas, todas encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, em águas geladas nos arredores de Londres.
Que segredos obscuros a garota no gelo esconde? Quanto mais Erika está perto de descobrir a verdade, mais o assassino se aproxima dela.
Com a carreira pendurada por um fio depois da morte de seu marido em sua última investigação, Erika deve agora confrontar seus próprios demônios, bem como um assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes.
Título: A Garota no Gelo
Série: Detetive Erika Foster #1
Autor (a) Robert Bryndza
Editora: Gutenberg
Número de páginas: 320

Quem me conhece, ou acompanha o blog com uma certa frequência, sabe que os thrillers estão sempre presentes nas minhas leituras (nem só de romances vive essa mocinha aqui). Gosto da sensação do desafio, de tentar bancar a detetive, fazer suposições (mesmo que, no final, elas se mostrem infundadas) e, principalmente, de me sentir presa àquele livro, de forma que não queira parar de ler. Quando comecei a ler A Garota no Gelo estava com as expectativas altíssimas, esperando uma história que me arrebatasse. E ele não me decepcionou!
Quando um corpo é encontrado em uma lagoa, em meio ao gelo, a detetive Erika Foster entra em ação. Ela, que foi afastada do cargo por um tempo por conta de um terrível acidente, se vê as voltas com um dos casos mais complicados da sua carreira. A jovem morta é a bela Andrea Douglas Brown, que pertencia a uma das mais ricas e poderosas famílias da região. Ela sempre teve uma vida regada a luxo e seu assassinato é uma verdadeira incógnita para a polícia, que busca de todas as formas solucionar o caso.
Contudo, nada é muito fácil. Primeiro Erika tem que lidar com as escassas provas e com a burocracia que gira em torno do caso. Por conta do poder  e influência da família Douglas Brown, muitos dos detalhes que envolvem o assassinato de Andrea não pode vim a tona, o que atrapalha muito as investigações. Porém, temos aqui uma detetive determinada, que não vai abrir mão das suas certezas para satisfazer quem quer que seja.
Não vou falar mais do que isso, afinal qualquer detalhe pode ser tido como spoiller e não quero fazer com que vocês percam a vontade de ler porque falei demais. A Garota no Gelo foi um daqueles livros que me ganhou logo nas primeiras páginas e que me manteve vidrada o tempo todo. Logo no início temos um prólogo, que me aguçou a curiosidade já que temos acesso aos últimos momentos de vida de Andrea e o encontro com seu assassino. Esse foi um dos pontos chaves do livro já que fica explícito para o leitor qual a linha de investigação que ele deve seguir, afinal também somos detetives quando lemos (vocês eu não sei, mas eu sou).
O livro tem capítulos curtos, o que achei ótimo por dar mais dinamismo a leitura. As descrições do autor são precisas, o que é um outro ponto a favor da história. Apesar dos detalhes existentes na investigação, não há excessos na narrativas e a agilidade é o ponto principal da trama. Alguns elementos utilizados pelo autor são bem clichês, contudo foram bem trabalhados, principalmente o elemento surpresa do "quem é o assassino". Particularmente, gosto demais desse estilo de história já que me prende e faz com que minha curiosidade, que nem é pouca, fique ainda mais aguçada. Achei que ele soube dosar muito bem drama e tensão, o que deixou a leitura ainda mais interessante.
A personagem principal não é bem o que eu chamaria de carismática e isso foi o que mais me incomodou durante a leitura. Ela possui uma história de vida difícil, é uma pessoa engenhosa, persistente e muito inteligente, contudo não desenvolvi nenhum tipo de empatia e isso me incomodou porque gosto de me sentir próxima do protagonista. Acho que a forma fria e distante de agir e se relacionar com as pessoas ao seu redor contou bastante para que isso acontecesse.
O final foi surpreendente já que em nenhum momento eu suspeitava da pessoa e de suas motivações. Eu sabia quem não era culpado, já havia percebido que algumas deixas dadas pelo autor serviam apenas para confundir o leitor, mas quando a revelação foi feita meu queixo caiu. Gosto de ser surpreendida e nesse ponto o livro foi incrível!
O livro apresenta alguns problemas de revisão e isso é algo que a editora precisa rever o quanto antes já que existem palavras com letras trocadas, frases desconexas e até troca de nomes de personagens. Isso foi algo que me surpreendeu já que sou leitora ávida dos livros da editora e nunca havia encontrado algo assim em suas publicações. Foi só por conta da revisão que não levou nota máxima.
No geral, foi uma boa leitura e espero que os próximos livros (esse é o primeiro de uma trilogia) sejam tão bons quanto esses. Ele cumpriu bem o seu papel, me deixou vidrada e manteve o ritmo constante durante toda a leitura. sem dúvida uma das histórias mais intrigantes que li esse ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário