segunda-feira, 19 de junho de 2017

Dois a Dois

Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos.
Em questão de meses, Russ perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.
Lançando-se nesse universo desconhecido, Russ embarca com London numa jornada ao mesmo tempo assustadora e gratificante, que testará suas habilidades e seu equilíbrio emocional além do que ele poderia ter imaginado.Em Dois a dois, Nicholas Sparks conta a história de um homem que precisa se redescobrir e buscar qualidades que nem desconfiava possuir para lutar pelo que é mais importante na vida: aqueles que amamos.
Título: Dois a Dois
Autor (a): Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 512


Se tem um autor que eu amo demais é o Nicholas Sparks. Já sorri, chorei e passei raiva lendo seus livros. Já gritei: "Eu nunca mais leio nada desse homem", mas basta surgir uma oportunidade que estou com um livro dele embaixo do nariz, lendo avidamente. Quando Dois a Dois chegou me senti intimidada, afinal temos aqui um tijolinho de 500 páginas. Mas bastou começar a ler para me render à história e me apaixonar perdidamente.
Russ é o tipo de homem que podemos classificar como bem sucedido. Casou-se com uma bela mulher, a quem ama incondicionalmente, tem uma bela casa, é talentoso no que faz e tem um bom emprego. Sua vida é totalmente estruturada, portanto quando sua esposa engravida e decide parar de trabalhar para poder cuidar da criança, ele concorda já que com seu salário poderia manter tudo em ordem. Contudo, as coisas começam a desandar.
Primeiro é no trabalho. Ele, que sempre foi uma espécie de menino de ouro, começa a cair no conceito do chefe por motivo algum. Russ sente que a demissão é só questão de tempo e quando ela finalmente acontece, ele precisa frear um pouco os gastos até fazer sua empresa deslanchar. seria algo simples se ele tivesse uma esposa mais compreensiva e centrada, coisa que Vivian não é. E aí começa a segunda parte: a crise no casamento.
Na verdade, o casamento ali já não era algo que vinha funcionando muito bem, mas ele é aquele tipo de homem que parece não ver o que está embaixo do seu nariz.Vivian é uma mulher acostumada a ter tudo que quiser nas mãos. Quando Russ propõe que eles pisem o pé no freio e passem a gastar menos ela se ofende, como se ele estivesse pedindo a coisa mais absurda possível. Começam então as desavenças, as mudanças de humor e acusações, que fazem com que esse casamento, que já nasceu fadado pra dar errado, comece aos poucos a ruir. 
Em meio a falta de trabalho e, fatalmente, de dinheiro, Vivian decide voltar a trabalhar e Russ, que sempre teve pouco contato com a filhinha, London, se vê agora fazendo todas as atividades que nunca pensara em exercer. Ele cuida da casa, leva London para todas as suas atividades e com isso acabam ficando bem mais próximos, criando assim um laço de amor e amizade ainda mais sólido. E quando o mundo desaba em suas costas, é nesse amor que ele se apoia para seguir em frente e se reerguer.

Eu já sabia que iria encontrar uma história emocionante, afinal de contas estamos falando de Nicholas Sparks, mas logo quando comecei a ler só um sentimento tomava conta de mim: raiva! Eu queria dar na cara do Russel, essa é a verdade! Cego por essa paixão louca que tinha pela Vivian, ele não conseguia enxergar a víbora que tinha em casa, fazia vista grossa para as birras dela e sempre acabava cedendo. Ela fazia e acontecia com ele, colocava todas as suas frustrações em cima dele, o culpava de tudo e, pra piorar, fazia joguinhos usando a própria filha. 
O caso é que Russ era emocionalmente frágil e sempre quis agradar os outros. Mesmo percebendo as pisadas de bola da esposa ou sendo acusado de fazer algo que não fez, ele internalizava tudo para não entrar em conflito e acabar chateando-a. E nesse ponto eu preciso dizer: não gostei do Russ de imediato. E como é que eu iria gostar de alguém que, aparentemente, não tinha iniciativa para nada? Não conseguia ver nele nenhum tipo de simpatia, carisma ou força de vontade. Tudo que enxergava era um homem apático e submisso, disposto a ser capacho de tudo e todos só para ver a esposa feliz. E não pensem vocês que ele, cansado de ser trouxa, ergueu a cabeça e saiu por aí cantando "um belo dia resolvi mudar" e tudo se transformou. Na-na-ni-na-não! Ele continuou a ser o mesmo homem que foi, só que mais amadurecido, ciente do que queria para si e emocionalmente mais estável. Ele me ganhou por não ter mudado sua essência apesar de ter amadurecido. Em muitos dos livros que leio o mocinho (ou a mocinha) cresce, amadurece, cansa de apanhar da vida e muda, as vezes de uma forma que a gente nem mesmo entende. Já ele mudou, mas continuou a buscar meios de agradar quem amava, só que sem deixar de lado o seu bem estar e seu querer.
Muitas vezes eu me peguei pensando nos muitos relacionamentos entre os Russel e Vivian da vida. E uma das grandes sacadas do autor foi trazer uma trama real, que pode acontecer com qualquer pessoa. Não existem vilões e bonzinhos. Até mesmo Vivian, com todo seu jeito megera de ser, acabou mostrando um outro lado seu, algo mais humano e caloroso. Ela encontrou sua felicidade, seguiu o caminho que lhe convinha e foi atrás de tudo que achava merecer. Errou, tropeçou (até demais pro meu gosto), mas enxergou as besteiras que fez e conseguiu se redimir, pelo menos em partes. Não foi uma personagem que eu tenha gostado, mas com certeza ela me fez refletir muito com suas atitudes.
No decorrer da leitura somos apresentados a outros personagens que acabam tendo sua importância na história. Apesar de termos aqui um foco na vida do casal, existe uma trama paralela que vai se desenvolvendo aos poucos e que acaba por ser responsável pelas cenas mais tocantes de todo livro. Não falei nada a respeito para não estragar a surpresa, mas peço para que prepare o coração porque as emoções são bem fortes.
Dois a Dois acabou se tornando, junto com Diário de uma Paião, meu livro preferido do autor. Foram 512 páginas que me proporcionaram sensações indescritíveis. A leitura é muito rápida e a história é extremamente envolvente. Achava que iria demorar muito tempo, mas me surpreendi com a agilidade, as páginas praticamente voavam e a cada novo avançar da trama eu queria mais e mais. Terminei a leitura arrasada, no chão, chorando e gritando "Nunca mais eu leio nada desse homem porque ele acaba comigo!". Promessa falsa, que faço todas as vezes que leio um de seus livros maravilhosos.
Se você, assim como eu, é fã do Nicholas Sparks, não pode deixar de ler esse livro. Uma história marcante, que toca no fundo do coração e aquece a alma. Uma das histórias mais lindas que o autor já escreveu! ❤



2 comentários:

  1. a história é linda a relação entre pai e filha me emocionou e cativou
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Menina, assim você me quebra.
    Eu também tenho uma relação de amor e ódio com o Sparks. E sempre fico um pouco frustrada com as leituras, apesar de elas sempre aquecerem meu coração de alguma forma.
    A Camis leu esse romance, talvez eu peça emprestado! hahaha
    Muito obrigada pela resenha e pela sinceridade. Já senti que vou odiar a esposa e ficar com vontade de dar uns tapas na cabeça do Russel.
    Estou ansiosa para ver a relação pai e filha, ainda mais em agosto, com o dia dos pais chegando.

    Abraços, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir