segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Mistério em Chalk Hill

Em 1890, depois de um escândalo que afetou sua reputação, Charlotte Pauly deixa Berlim e vai lecionar para a pequena Emily, em Chalk Hill, uma mansão vitoriana nos arredores de Londres. Charlotte logo percebe uma estranha atmosfera na antiga casa. A menina de 8 anos é sempre atormentada por pesadelos e visões fantasmagóricas da mãe, que se afogou no rio da propriedade em circunstâncias misteriosas. Quando Charlotte tenta saber a respeito da morte de Lady Ellen, o pai de Emily, Sir Andrew, reage com hostilidade. Com tudo envolto em um grande mistério, somente com a ajuda de Tom Ashdown, um jornalista londrino designado para investigar o caso, é que Charlotte poderá verificar o que há por trás dos fenômenos sobrenaturais que assolam a mansão e descobrir uma trágica verdade escondida nas paredes de Chalk Hill...
Título: Mistério em Chalk Hill
Autor (a): Susanne Goga
Editora: Jangada
Número de páginas: 424



Quando vi esse livro entre os lançamentos do Grupo Editorial Pensamento fiquei super curiosa. A capa sombria e a sinopse instigante fizeram aquele efeito de "preciso desse livro" e solicitei para leitura, certa de que ele iria me surpreender. E, acreditem, ele foi muito além do que eu imaginava e me deixou vidrada na história do início ao fim.
Charlotte Pauly é uma jovem alemã que chegou à Inglaterra para trabalhar como professora de uma garotinha de 8 anos que acabou de perder a mãe. Ela não sabe bem o que esperar já que a carta recebida pelo novo patrão é um tanto quanto reservada e foi explicado apenas que a pequena garota é adorável, muito dedicada aos estudos e que, há um tempo atrás, sofria com alguns problemas de saúde. Tudo aparentemente normal se tratando de crianças.
Ao chegar em Chalk Hill ela percebe que há algo de errado. Embora Emilly seja uma criança realmente muito amável, a atmosfera da casa se mostra hostil e nem um pouco saudável. As causas da morte da mãe da menina não foram reveladas e tocar no assunto é terminantemente proibido. Como se não bastasse, Emilly frequentemente tem pesadelos com a mãe e relata que a mesma está vindo buscá-la. Em um desses dias, quando vai ao quarto da menina saber o que aconteceu, ela encontra ao lado da cama uma poça de água e fica intrigada já que não choveu e nada foi derramado.
Sem saber como agir, ela busca então saber um pouco mais sobre a morte da jovem mãe, sempre buscando não levantar suspeitas. Em suas investigações ela descobre que Lady Ellen morreu afogada num rio que passa próximo à casa. As causas não são totalmente reveladas, mas tudo indica que ela escorregou, devido ao terreno molhado, e foi levada pela forte correnteza. O mistério que envolve sua morte é muito grande e Charlotte fica cada vez mais ciente de que algo muito estranho está acontecendo.
Quando as coisas começam a ficar piores e os pesadelos acabam ganhando mais força e sendo substituídos por visões, Sir Andrew, o dono da casa, decide a contragosto buscar ajuda. E ela vem em forma de um jornalista chamado Tom Ashdown, homem agnóstico, que trabalha juntamente com uma associação que estuda casos mediúnicos para saber se eles são ou não reais. Com a ajuda de Charlotte, ele irá ao fundo da questão e descobrirão, juntos, segredos que mudarão a vida de todos naquela casa.
Vocês vejam bem... quando meu olho bateu nessa capa sombria eu tive certeza de que esse livro iria ser babado! A atmosfera sombria já começa a partir dela e devo começar dizendo que tem tudo a ver com a história. Chark Hill não é um lugar aconchegante e receptivo, como aquelas casas imperiais que a gente cansa de ver descrições em livros históricos. Não, ela já tem aquele constante ar de mistério, como se a sombra da morte estivesse sempre ali, à espreita. Definitivamente, não é um local que eu gostaria de conhecer.
Essa atmosfera sombria está presente em todo o livro e, junto com o mistério que ronda à trama, deixa o clima ainda mais envolvente. Eu praticamente devorei as páginas e concluí a leitura muito mais rápido do que imaginava. É difícil não ficar curiosa pra saber o que vai acontecer e qual é o grande mistério que circunda toda a trama. E nesse ponto eu preciso dizer a vocês que a autora realmente criou uma história com muito mistério e surpresas, daquelas que você se sente um investigador assim como os personagens.
E já que estamos falando deles, vamos lá fazer aquela nossa análise de sempre a respeito dos protagonistas. Começando por Charlotte, a professora, ou preceptora, que de início achei muito enxerida, mas que com o tempo acabei me acostumando. Acredito que, em seu lugar, eu teria agido de forma semelhante, principalmente quando as coisas começam a ficar mais tensas. Além disso, ela é extremamente perspicaz e é uma daquelas mocinhas que nos ganham por conta de sua forma rápida de pensar e da agilidade com que lida com as adversidades que vão atravessando seu caminho. Charlotte é forte e determinada e nem mesmo seu frio e arredio patrão é capaz de detê-la quando está obstinada a descobrir o que lhe interessa.
Tom me deixou curiosa desde a primeira aparição. E nesse ponto gostaria de informar que a narrativa da história é dividida entre o ponto de vista dele e de Charlotte, portanto é natural se sentir mais próxima de ambos por conta disso. Mas sim, voltando ao nosso galante jornalista, não há muito o que falar a seu respeito. Assim como nossa mocinha, ele também é obstinado e tem um belo faro para descobrir novas situações (não é a toa que é jornalista). É um personagem marcante e, apesar de ter me apegado a ambos, foi dele de quem eu mais gostei.
Achei que a autora foi muito feliz em cruzar as duas histórias: a de Chalk Hill e a de Tom Ashdown. Inicialmente não conseguia entender qual o papel que ele desempenharia na trama, mas quando isso aconteceu deu para perceber que o encaixe dele ali era mais do que preciso. A história ficou ainda mais ágil e pausar a leitura era algo que só fazia quando não tinha mais jeito.
Mistério em Chalk Hill foi a minha melhor leitura do mês e está entre as melhores do ano. A história me prendeu, cativou, instigou e surpreendeu. Estava preparada para ser fisgada, só não esperava que fosse ser de tal forma. Fiquei muito feliz por ter tido a oportunidade de ler e, principalmente, por ter me deixado levar por uma primeira impressão e me jogado na leitura. Um dos meus maiores acertos e, sem sombra de dúvidas, recomendo demais a leitura!



8 comentários:

  1. Olá, eu adoro livros assim. As capa já me atraem e fico com muita vontade de ler. Gostei da sua resenha, me deixou bem curiosa e vou anotar essa dica. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Neyla,
    Tudo bom?
    Nossa que capa linda, realmente só por ela já temos um ar de mistério, lembrei muito de alguns filmes que assisti como aquele "Os outros" com a Nicole Kidman lendo sua resenha. Então, sobre a história me prendeu atenção sim, todo esse mistério em torno da casa e do que pode acontecer atiçou minha curiosidade, e devo confessar que acho que nunca li um livro assim com essa temática, só assisti aos filmes como o que citei acima, lembrei de outro que tem mistério envolvido assim também "A Chave mestra" muito bom super indico, você já viu?
    Então, adorei sua dica. A foto que você tirou do livro também ficou mega fofa. Com certeza vou procurar mais sobre essa história e se puder quero adquirir o livro.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Nunca tinha ouvido falar sobre a obra, mas a capa sombria e a premissa me chamaram bastante a atenção.
    Parece aquele tipo de história que nos deixa tensos e ansiosos pelo desenrolar.
    Gostei dos pontos que você ressaltou e confesso que fiquei ainda mais curiosa para conhecer a trama.
    Espero ler em breve.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Neyla, não tinha visto este livro ainda, e com certeza esta capa nos chama atenção. Que bom que o enredo te conquistou mesmo. Vou anotar sua dica.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  5. Admito que eu não dava muita coisa por este livro não. Ao contrário de você, eu me senti desmotivada com esta capa, mas AINDA BEM que li a sua resenha e pude ver como eu estava enganada.
    AMO histórias com suspense envolvente, com uma atmosfera aterrorizante e tudo mais que eu acredito que encontrei nestas páginas.

    já vou adicioná-lo à minha listinha de desejados e tentar organizar as leituras aqui para poder lê-lo o quanto antes.

    ResponderExcluir
  6. Oie
    que legal a resenha e tudo mais, ja adorei por ser misterio e pela capa tão simples e inteligente, espero conseguir ler em breve e adorar

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Neyla!
    Menina que livro babado rs' estou aqui mega curiosa com essa história, adoro suspenses e mistérios. Eu no lugar da Charlotte também seria "entrona" ainda mais com coisas super estranhas acontecendo rs'
    Gostei da premissa e quero muito conferir, sua resenha me empolgou!

    beijos!
    https://blogdatahis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Faz muito tempo que não leio um livro nesse estilo, e boa parte da culpa disso é que sou bem medrosa para histórias de terror e afins. Gostei bastante de tudo que você comentou sobre a obra, o que me deixou bem curiosa para conferi-la também.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir