quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Como se Casar com um Marquês

Considerada “a rainha dos romances de época” pela Goodreads, os livros de Julia Quinn atingiram a marca de 10 milhões de exemplares vendidos no mundo.
"Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea.” – Jill Barnett
Elizabeth Hotchkiss precisa se casar com um homem rico, e bem rápido. Com três irmãos mais novos para sustentar, ela sabe que não lhe resta outra alternativa.
Então, quando encontra o livro Como se casar com um marquês na biblioteca de lady Danbury, para quem trabalha como dama de companhia, ela não pensa duas vezes: coloca o exemplar na bolsa e leva para casa.
Incentivada por uma das irmãs, Elizabeth decide encontrar um homem qualquer para praticar as técnicas ensinadas no pequeno manual.
É quando surge James Siddons, marquês de Riverdale e sobrinho de lady Danbury, que o convocou para salvá-la de um chantagista. Para realizar a investigação, ele finge ser outra pessoa. E o primeiro nome na sua lista de suspeitos é justamente... Elizabeth Hotchkiss.
Intrigado pela atraente jovem com o curioso livrinho de regras, James galantemente se oferece para ajudá-la a conseguir um marido, deixando-a praticar as técnicas com ele. Afinal, quanto mais tempo passar na companhia de Elizabeth, mais perto estará de descobrir se ela é culpada.
Mas quando o treinamento se torna perfeito demais, James decide que só há uma regra que vale a pena seguir: que Elizabeth se case com seu marquês.
Título: Como se Casar com um Marquês
Série: Agentes da Coroa #2
Autor (a): Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 320


Vai teer romance de época nesse blog sim! E de novo temos a rainha-diva das galáxias Julia Quinn, marcando presença com seus livros que me encantam sempre! dessa vez vamos falar sobre o segundo livro da série Agentes da Coroa (o primeiro livro já foi resenhado e você pode conferir clicando AQUI) e que eu estava mega curiosa pra ler, afinal James já havia aparecido no livro anterior e me deixou toda derretidinha (confesso, sou piriguete literária). Além do mais, todo mundo me dizia que esse livro era maravilhoso, como não ficar ansiosa assim?
A jovem Elizabeth Hotchkiss é um claro exemplo de uma moça batalhadora e que conheceu o significado da palavra responsabilidade cedo demais. Órfã e com três irmãos mais novos para cuidar, ela precisou desde cedo trabalhar para poder colocar comida comida na mesa, pagar o aluguel e arcar com demais despesas que iam aparecendo com o tempo. Em alguns meses ela mal sabia de onde tirar o dinheiro para tudo isso. E é em um desses momentos desesperadores que uma ideia surgiu em sua mente: ela precisava casar, de preferência com alguém que tenha dinheiro suficiente para sustentar a ela e os irmãos, e ainda poder enviar o caçula da família par Ethon.
Muito embora seja uma bela jovem e venha de família aristocrática (sem dinheiro, mas mesmo assim de tradição), não existem muitos pretendentes disponíveis. Ela não tem um dote, não frequenta os bailes e não tem como ir para Londres já que mora em uma propriedade rural (e também não tem como se manter por lá). O trabalho na casa de lady Danbury não lhe permite conhecer pessoas novas e seus planos de se casar pareciam uma barca furada. Até que um dia ela encontrou um livrinho que parecia ser a solução dos seus problemas. Ou quase isso.
O livro em questão é o Como se casar com um marquês e a autora relata nele alguns decretos que uma moça deve seguir para casar-se com um nobre. O título chamaria atenção de qualquer pessoa e com Elizabeth não foi diferente. Ela o retira discretamente da biblioteca de lady Danbury para ler quando chegar em casa, mesmo achando a ideia absurda (afinal como essa autora, que nem mesmo casou-se com um marquês, pode ajudá-la?). Ao sair em direção ao pequeno chalé que divide com os irmãos acaba esbarrando no homem que irá mudar para sempre sua vida: James Sidwell, o marquês de Riverdalle.
James é sobrinho de lady Danbury e foi chamado as pressas à presença da tia para investigar uma suposta chantagem pela qual a mesma vem sendo vítima. Contudo, para não levantar suspeitas ele ficará na casa trabalhando como o novo administrador e assumirá a identidade de James Siddons. Sua primeira suspeita é Elizabeth, óbvio, já quela está sempre próxima de lady Danbury e tem livre acesso a casa. Decidido a levar sua investigação a frente, ele acaba se aproximando de Elizabeth e essa proximidade vai acabar despertando em ambos sentimentos que jamais poderiam imaginar que um dia fossem fazer parte de suas vidas.
Eu tô apaixonada sim ou com certeza? Que história mais fofa, que delicinha de romance, que leitura maravilhosa! Já comecei a ler cheia de expectativas e quando percebi que todas seriam atendidas fiquei já com os olhinhos brilhando. Julia mais uma vez não me decepcionou e criou uma trama que foi romântica, divertida e totalmente apaixonante.
Pra início de conversa preciso dizer que, ao ver que lady Danbury estaria presente e ativa na trama, vibrei de felicidade. Se você, assim como eu, leu Os Bridgertons, sabe muito bem quem é ela e, com toda certeza, deve temer suas famosas bengaladas e seu humor ácido. Foi maravilhoso revê-la e finalmente poder ter um contato mais direto com uma das personagens que achei mais intrigante da série anterior. E, minha gente, se eu já achava que ela era uma verdadeira mente genial, nesse livro eu tive a certeza absoluta disso. Se ela já tinha o meu respeito antes, agora dobrou! Apesar do mau humor aparente e da acidez que faz questão de demonstrar em cada frase, ela é dona de um coração gentil e move montanhas para ver quem ama feliz, mesmo que para isso precise usar de seus próprios meios. E as vezes eles são bem...fora do comum!
O casal protagonista é muito fofo e eu não vou mentir pra vocês: shippei muito! Já conhecia James do livro anterior da série, como contei lá em cima, mas saber mais sobre sua vida foi algo que fez com que gostasse ainda mais dele. É engraçado isso, porque quando a gente não conhece a fundo um personagem vai imaginando mil coisas a seu respeito e acha que todo aquele nosso achismo é real. Mas bastou ele virar protagonista e termos acesso há alguns pontos chaves do seu passado pra fazer tudo aquilo cair por terra. Eu realmente tinha uma imagem de James que não condizia muito com o que ele é de verdade e com toda carga emocional que carrega consigo. Me emocionei com algumas passagens, me diverti em diversas outras e fui fisgada pelo seu charme. Mas isso aí eu nem preciso falar porque né, é de praxe.
Já Elizabeth eu vivi uma relação de amor e ódio. Eu comecei amando-a intensamente, personagens que não se vitimizam, que passaram por poucas e boas na vida e nem por isso se deixaram esmorecer sempre terão meu respeito e admiração. A generosidade, o cuidado com os irmãos, o jeito com que lida com lady Danbury diariamente, foram me cativando. Ela é aquele tipo de mocinha que sempre vai tocar meu coração e se tornar queridinha. <3 Mas aí, minhas amigas, aconteceu o pior: ela virou tudo aquilo que eu não gosto. Não vou dar spoillers, mas vou contar de uma forma resumida o que aconteceu. Quase no final do livro algo é revelado e Elizabeth simplesmente encarna aquelas mocinhas chatas e mimizentas, e começa a se vitimizar. A cena é um clichezão dos romances de época, eu até imaginava que fosse acontecer,  mas não esperava uma reação tão exacerbada da parte dela. Eu queria sacudir essa menina, olhar nos olhos dela e dizer "Minha filha, melhore que você é mais que isso!". Eu perdi as estribeiras, meu povo! Mas para minha sorte, depois de algumas páginas de sofrimento (meu e dela, que fique bem claro), tudo voltou ao normal e eu voltei a amá-la novamente.
No geral, achei que a história foi ótima, manteve um ritmo constante e agradável o tempo todo e foi uma leitura deliciosa! Julia não decepciona, né? Ela consegue escrever histórias que enternecem o coração, que nos levam dos sorrisos às lágrimas e que nos arrancam suspiros apaixonados. E até mesmo quando ela erra a mão em um personagem, eu não consigo me sentir tão mal porque a história acaba me prendendo com tanta força que acabo adorando a trama e guardando meu ranço apenas para o dito cujo (Daniel Smythe-Smith, essa é pra você seu mala).
As fãs dos romances de época e da rainha Julia Quinn com toda certeza irão se apaixonar por mais uma trama envolvente e encantadora. ❤ 

12 comentários:

  1. ahhh que bom que vc gostou, esse é um dos meus favoritos dela. James meu crush otp de JQ <3 shippo mto ele e e Elziabeth, mas shippo ainda mais eu e ele <3

    ResponderExcluir
  2. Oi Neyla,
    os livros da Julia Quinn tem essa marca de serem leves e bonitinhos né? Acho que isso deixa os romances de época dela tão gostoso de ler.
    Eu ainda não completei a série Os Bridgertons, hehehehehe.
    A série Agentes da Coroa é interessante, Lady Danbury é uma personagem bem escrita ♥ E claro Elizabeth uma nata roubadora de livros hehehehe não poderia deixar passar.


    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  3. Oiii Neyla tudo bem?
    Realmente esse é um livro bom para quem curte esse tipo de gênero, em minha opinião não sei me atreveria a ler, não gosto muito da escrita da Julia Quinn, mas fico feliz que tu tenhas gostado.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi Neyla, concordo com gênero, número e grau do que você falou sobre a Julia Quinn. Não tive o prazer de ler este livro ainda, (mas vou) e entendo o que você quis dizer, sobre a personagem e sobre o fato da Julia nos emocionar com seus enredos.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  5. Olha eu confesso que passei bem por cima da sua resenha, isso é porque o meu exemplar está para chegar então eu estou fugindo de resenhas sobre ele, mas vi que gostou da leitura e isso me deixa muito feliz, meus parabéns. Mal vejo a hora do meu chegar, eu adorei o primeiro.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Quem não tem crush literários em..Eu estou super ansiosa para ler os livros dessa mulher maravilhosa Julia Quinn. Já li resenhas dos livros delas e são amorzinho e também já li esse, a trama é bem envolvente, com romance de época muito fofo, os personagens são muito fofos e aquele clichê que envolve os dois e maravilhoso.

    Meu Blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  7. Olá, Neyla!
    Preciso muito conhecer um dos livros dessa autora e esse parece ser um bom candidato. Além da capa lindíssima. A trama me fez lembrar o livro clássico Diário de uma Sogra em que a mãe da noivadita as regras para o casamento da filha.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler esse livro, gosto muito da escrita da Julia Quinn, seus romances são maravilhosos.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  9. Oi Neyla, eu morro de vergonha por nunca ter lido nada da autora e sempre ouço maravilhas da escrita dela. Ainda pretendo me aventurar nos romances de época, mas acho que começaria pela série mais conhecida dela, pois esse não consegui me prender pela premissa. Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oie
    parabéns pela resenha, não sei se leria o livro por agora mas ainda assim bela dica e tem um enredo bem complexo e intenso então é algo que vale a pena até cogitar um dia ler apesar de não fazer meu gênero

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olha! Que resenha hein? Fiquei mega empolgada de ler.
    Eu amo romance de época e acho que com esse não seria diferente!
    Dica mais que anotada!!!

    Beijinhos!!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  12. Oi tudo bem?
    Sou louca pela Julia e essa série é uma das que eu quero muito ler, assim que eu tiver oportunidade. Adorei a sua resenha está incrivel.
    Beijos

    ResponderExcluir