sexta-feira, 24 de novembro de 2017

O Casamento






Para os noivos é o dia mais importante de suas vidas. Meses atrás, os amigos diriam que o namoro de Plínio e Diana tinha prazo de validade. Eles se conheceram de um jeito bizarro, pensam completamente diferente e nenhuma das famílias aprova o relacionamento. Mas eles resistiram a tudo. E agora vão se casar. Para o detetive é a melhor chance de pegar um criminoso. O mais íntegro dos convidados esconde um segredo devastador. Mas alguém sabe e está disposto a espremê-lo com chantagens. É então que o detetive Conrado Bardelli se hospeda no hotel-fazenda onde ocorrerá o casamento. Ele precisa descobrir o lobo entre as ovelhas. E rápido. Pois, a cada nova ameaça, o chantagista eleva o tom e falta pouco para a bomba explodir. O casal está pronto para o sim. A noiva se prepara para caminhar pelo tapete vermelho. Até que alguém diz: não saia do carro! Enquanto a plateia espera ansiosa em frente ao altar, algo brutal acontece na antessala. Só quando veem as paredes lavadas com sangue é que os convidados se rendem ao desespero. Começa uma confusão para interromper a marcha nupcial e chamar a polícia. Ninguém sabe o que fazer. E Bardelli, que lidava com um caso de extorsão, descobre que se meteu em algo muito pior. Agora, ele é o único capaz de encontrar respostas. O problema é que as mortes não param de acontecer...
Título: O Casamento
Autor (a): Victor Bonini
Editora: Faro Editorial
Número de páginas: 368



Eis um livro que eu estava em cólicas de ansiedade para fazer a leitura. Desde que fiz a leitura de Colega de Quarto, do mesmo autor, fiquei apaixonada pela narrativa direta e pelo mistério incrível criado pelo Victor Bonini. Antes mesmo de começar a ler O Casamento já sabia que iria gostar dele. Só não imaginava que ele se tornaria um dos melhores livros do ano e que seria ainda melhor que Colega de Quarto.
O namoro entre Diana e Plínio aconteceu de uma forma bastante inusitada. Ela, que sempre foi aquela garota não tão popular, estava em uma festa quando ele apareceu e tentou beijá-la. Como se não fosse suficiente, ao ouvir a recusa da moça, continuou a insistir, tentando agarrá-la de qualquer jeito. Diana, óbvio, não cedeu às investidas nada a ver do rapaz, e acabou fugindo. Mas o que aconteceu pra esses dois se aproximarem? Veja bem, Diana acabou passando mal e vomitou no primeiro local que encontrou: um vaso com uma planta chamada babosa. Ele, vendo a moça passando mal, vai ajudá-la e acaba lhe oferecendo o apoio e atenção da qual ela necessitava naquele momento.
O papo rolou, a companhia acabou se mostrando mais agradável do que Diana imaginava e o impossível aconteceu: os dois ficaram. E continuaram ficando, namoraram e agora estão prestes a se casar. Foram meses planejando o casamento, os noivos tinham tudo organizadinho, todos os convidados se hospedaram no hotel fazenda onde aconteceria a cerimônia e, apesar de alguns imprevistos, tudo parecia correr muito bem. Até que uma morte acontece e muda a vida desse casal, e de todos que ali estavam, por completo.
Entre os convidados se encontra Conrado Bardelli, ou Lyra como é mais conhecido, detetive particular e velho conhecido de quem leu Colega de Quarto. Além de ser amigo da família da moça, ele está no local a serviço de um outro convidado, investigando um caso de chantagem, que pode ter sido um dos motivos que levou ao assassinato. Contudo, ele não tem certeza de nada e decide, em paralelo ao seu serviço, investigar o que pode ter verdadeiramente ter acontecido. E, enquanto ele continua cavando para chegar mais fundo ao "xis" da questão, fatos inusitados vão sendo somados à trama. E, quando uma uma pseudo testemunha ameaça trazer luz ao caso, ela acaba sendo assassinada.
Apesar de não ser policial e não poder participar das investigações oficiais, Bardelli irá usar de toda sua sagacidade e poder de persuasão para conseguir encontrar a solução de mais um caso. E não vai ser fácil, já que ele vai se deparar com situações cada vez mais perigosas e que irão exigir dele todo cuidado possível.

Que livro foi esse, minha gente! Vontade zero de parar de ler, todo tempinho vago estava eu com o livro embaixo do nariz, devorando-o avidamente. A trama, que começa morna, vai esquentando a cada novo capítulo e em um determinado momento a coisa fica tão elétrica que não dá para parar de ler, qualquer pausa na leitura se torna um tormento. Eu me vi presa a cada palavra, vidrada na história, investigando junto com Bardelli e surpreendida com a resolução de todo o mistério.
Uma coisa que eu amo na escrita do Victor é que enxergo muita influência de Agatha Christie, autora que eu amo e que sempre consegue me surpreender, e que é uma das autoras preferidas dele. A narrativa é leve e sempre direta ao ponto, algo que me agrada muito, principalmente porque estamos falando de um livro policial que precisa manter um bom ritmo e que, na minha opinião, não cabe uma escrita mais floreada.
Os personagens foram, sem sombra de dúvidas, uma atração a parte. É bom deixar claro que apesar da trama girar em torno do casamento de Diana e Plínio, eles não são o foco do livro. Temos diversos personagens, cada qual com sua personalidade, peculiaridades e problemas. Confesso a vocês que, de imediato, fiquei um pouco perdida com tantos nomes. Livros com muitos personagens sempre me deixam um pouco perdida, por isso faço as minhas anotações pra poder me situar melhor na história. Contudo, depois que a leitura engatou e que cada um foi devidamente apresentado ao leitor, não senti mais nenhuma dificuldade. E, claro, comecei a suspeitar de cada um deles.
Bardelli, mais uma vez, rouba a cena e não tem como não colocá-lo como o preferido do livro. Homem inteligente, dono de uma sagacidade enorme e de um carisma sem igual, ele dá show ao juntar as peças desse intrincado quebra-cabeça. Com os noivos eu não consegui me conectar. Já comecei achando Plínio bem babaca. É, eu não consegui perdoar aquela atitude inicial dele quando tenta beijar Diana à força na festa. Eu jamais daria uma chance para um cara desse, sairia correndo caso ele cruzasse meu caminho com medo do que poderia acontecer novamente. Na minha opinião, era um relacionamento que já começou fadado a terminar. Diana também não me cativou e suas atitudes egoístas e o jeito mimado só fez com que eu pegasse um ranço da moça.
Em termos gerais, O Casamento foi uma leitura que me agradou por completo. Achei que o autor conseguiu criar uma trama rica em detalhes, que se mostrou ágil, fluida e bem dinâmica, e amarrou todas as inúmeras pontas soltas que foi deixando durante a leitura. Gostei da forma como ele foi inserindo novas situações, fazendo com que fossemos levados a conhecer mais sobre a estrutura familiar e psicológica de cada personagem. E, talvez por isso, eu não tenha conseguido resolver o mistério já que a cada nova linha a minha lista de suspeitos dobrava de tamanho.
Essa foi uma das minhas melhores leituras de 2017, valeu a pena esperar tão avidamente por esse livro, já que ele foi além do esperado e trouxe uma trama concisa, com segredos e mistérios que envolvem o leitor de maneira absurda. A edição da Faro está impecável! É um livro que você sente prazer em ter nas mãos. Uma leitura mais do que recomendada!


Um comentário:

  1. Logo eu que adoro um thriller haha <3 Já estou bem louca pra ler parece muuuuuito bom, vou adicionar a minha lista de desejados urgente !!!!

    ResponderExcluir