sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Vacas

"Um pedaço de carne; feito para reproduzir; além da sua data de vencimento; parte do rebanho.
Mulheres não têm que se encaixar em estereótipos.
Tara, Cam e Stella são estranhas vivendo suas próprias vidas da melhor forma que podem, apesar de poder ser difícil gostar do que você vê no espelho quando a sociedade grita que você devia viver de um jeito específico.
Quando um evento extraordinário cria laços invisíveis de amizade entre elas, a catástrofe de uma mulher vira a inspiração de outra, e uma lição para todas.
Às vezes não tem problema não seguir o rebanho.
Vacas é um livro poderoso sobre três mulheres julgando uma à outra, mas também a si mesmas. Entre todo o barulho da vida moderna, elas precisam encontrar suas próprias vozes."

Título: Vacas
Autor (a): Dawn O'Porter
Editora: Harper Collins
Número de páginas: 336



Não vou mentir: a primeira coisa que me chamou atenção nesse livro foi o nome. Achei diferente, fiquei curiosa e fui ler a sinopse. Daí não teve jeito, já quis logo ler. E assim que ele chegou "meti as caras" e iniciei a leitura certa de que seria surpreendida. E realmente fui.
Vacas conta a história de três mulheres: Tara, Stella e Cam. Tara é jornalista e trabalha em um ambiente totalmente machista e opressor, onde ela ouve constantemente piadinhas infame por seu mulher. Como se não bastasse, ainda precisa lidar com a hostilidade dos chefes por conta de ser mãe solteira e, por isso, sair do trabalho mais cedo para poder cuidar da menina. E levem em conta que ela começa seu expediente antes de todos. Ela é uma mulher competente, que produz documentários com assuntos polêmicos e que, de uma hora pra outra irá ver sua vida desmoronar por conta de um vídeo seu que acaba viralizando na internet.
Stella é uma mulher que vive assombrada por uma possível doença. Sua mãe e sua irmã gêmea faleceram por conta de um câncer e as chances de que venha a desenvolver a doença é muito grande. Ela vive com o namorado, trabalha com secretária de um fotógrafo e escritor, e seu maior sonho é ser mãe. Pra piorar ainda mais as coisas, ela é aquele tipo de pessoa solitária, que está sempre pra baixo, que sempre se vitimiza e que, acreditem, se sente bem nessa pele. O relacionamento com o namorado não é promissor e podemos ver que ela só o que ao seu lado para conseguir aquilo que tanto deseja e que não há sentimento unindo-os. O caso, minhas amigas, é que ela é capaz de tudo pra engravidar e vai deixar isso bem claro durante as páginas desse livro.
Já Cam é uma blogueira super famosa de 36 anos que vai totalmente de encontro a tudo que se espera de uma mulher de sua idade. Ela não quer casar e nem ter filhos, o que a faz ser conhecida como "o rosto das mulheres sem filho". Seus textos sempre fazem o maior sucesso na internet e muitas mulheres se inspiram no seu estilo de vida. Contudo, nem todo mundo a apoia, inclusive sua mãe se sente até mesmo envergonhada com as coisas que ela escreve. Não é fácil ser uma mulher independente e ciente do que deseja. Tudo que Cam deseja é ser livre para fazer suas escolhas e viver de acordo com aquilo que lhe faz bem.
Donas de personalidades e estilos de vida diferentes, é quase impossível acreditar que em um dado momento da trama a história dessas três mulheres irão se cruzar. Mas quando isso acontece, é quase impossível largar o livro.
Não vai ser fácil falar desse livro, já vou adiantando a vocês. Comecei a ler sem saber bem o que esperar dele, mas acabei me vendo grudada nas páginas pra saber o que iria acontecer. Vacas é aquele tipo de livro que fala de assuntos atuais, polêmicos e que, na maioria das vezes, é visto como tabu pela sociedade.
Eu confesso a vocês: a leitura mexeu demais comigo e me fez refletir sobre muitos dos comportamentos que tenho e que vejo nas pessoas, sejam elas do meu círculo de amizade ou não. Vivemos em uma época onde tudo viraliza, onde vídeos e fotos de pessoas são utilizados de forma aleatória, sem que ninguém pense em como o outro se sente e quais as consequências daquilo para a sua vida. Além disso, pré julgamos muito facilmente as pessoas, sempre levando em conta o nosso ponto de vista, que é sempre o correto da situação, e esquecendo que cada pessoa vive de acordo com aquilo que acha melhor para si. O livro é um verdadeiro tapa na cara pois mexe com assuntos que, por si só, já são polêmicos e, acaba nos levando a reflexões. Pelo menos foi isso que aconteceu comigo.
Gostei muito da construção da história e cada personagem mexeu comigo de uma forma diferente. Pra começar vamos falar de Tara, que logo de imediato não me cativou. Achei-a meio arrogante e bem prepotente. Mas quando fui conhecendo-a mais a fundo percebi que era apenas uma espécie de armadura que ela usava pra se defender de todas as piadinhas que ouvia de seus chefes. Me solidarizei por tudo que ela passou e, muito embora não tenha sido minha personagem preferida, com certeza foi uma das que mais se destacou.
Com Stella as coisas foram confusas. Ela não é bem o que chamamos de cativante e em todo tempo me vi perdida, sem saber bem o que sentir a seu respeito. Até agora, semanas depois de ter feito a leitura, eu ainda não sei bem o que acho dela. Senti muita pena, desprezei suas atitudes mesquinhas e impensadas, e senti raiva, muita raiva, por cada uma das situações que ela provocava, tentando compensar suas frustrações usando as outras pessoas. Outro ponto que me incomodou foi o constante vitimismo, o jeito como sempre se colocava como uma pobre coitada que viveu à sombra da irmã e que ninguém gostava, sendo que jamais se esforçou pra ser alguém diferente. Não foi fácil lidar com meus sentimentos em relação a ela, nem mesmo no final.
Já Cam, ah minha gente, essa eu morri de amores do início ao fim. Ela é tudo que um dia eu já quis ser e me ganhou por ser espontânea, segura de si e um ser humano de alma livre e coração gigantesco. Seus textos bateram forte e tinham tudo a ver comigo. Eu me vi em cada linha dos textos de seu blog e até cogitei a hipótese de que tudo aquilo havia sido escrito para mim. Foi de longe a personagem que eu mais gostei e a que mais me emocionou. Como eu queria que ela saísse das páginas e se materializasse na minha vida, certamente eu iria querer abraçá-la e agradecer por ser uma inspiração.
Vacas foi uma leitura muito interessante, que começou de forma lenta, mas que ganhou terreno e ritmo no decorrer das páginas. A narrativa ágil, a história atual, direta e sem floreios fez com que eu me mantivesse atenta o tempo todo. E, como já falei ali em cima, me levou a muitas reflexões. Tiveram alguns pontos que não gostei? Sim, duas coisas me incomodaram e ambas são em relação ao final das personagens (de duas para ser mais clara). Achei que uma das situações foi desnecessária e não acrescentou muito à trama. E a outra... bom, eu não esperava por ela e creio que tenha sido por isso que fiquei relutante.
Em termos gerais, Vacas foi uma ótima leitura e me permitiu enxergar muitas coisas sob uma perspectiva diferente. Leiam, tenho certeza de que irão gostar.


Um comentário:

  1. Olá Neyla, tudo bem?


    O que me chamou atenção também foi o nome do livro e depois a capa, só que ainda não tinha lido a sinopse e achei interessante, gostei, pela sua resenha, de saber um pouco mais da história e talvez eu leria o livro, de qualquer maneira dia anotada....bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir