segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Nossa Música

Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte.
Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam.
Com a delicadeza tão presente em seus livros, Dani Atkins mais uma vez nos traz uma história de emoções à flor da pele, um drama familiar comovente que não deixará nenhum leitor indiferente.
Título: Nossa Música
Autor (a): Dani Atkins
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 368



Essa vai ser a resenha mais controversa de todas que você já leu na história desse blog. Gente do céu, eu nem sei bem como que vou começar a dizer a vocês tudo que eu achei a respeito dele, mas já vou avisando: eu amei, dei cinco estrelas, mas ao mesmo tempo odiei! Tá confuso? Tá! Mas não desiste de mim, senta aí, põe uma água do lado e vamos ao que interessa.
Quando Ally recebe a notícia de que seu marido foi levado às pressas ao hospital por ter se afogado, o desespero toma conta de seu ser. Ele, homem generoso e altruísta, acabou acidentando-se ao salvar uma criança e um cachorro de afogar-se num lago congelado e agora luta para vencer a hipotermia. Quase que no mesmo instante, Charlotte recebe a notícia de que seu marido, David, sofreu um enfarto e foi levado ao hospital em estado gravíssimo. Ao chegarem no hospital, mais precisamente na sala de espera, as duas mulheres se encontram e a tensão toma conta da história já que ambas são velhas conhecidas e as lembranças vão acabar povoando a mente de ambas.
Quando jovens, David e Ally namoravam e eles eram aquele tipo de pessoa que você jamais imaginaria que formariam um casal algum dia. Os dois se conheceram em um baile onde ela estava tocando trombone, substituindo um amigo na banda, e desde esse dia acabaram criando um laço que não se desfaria com tanta facilidade. Donos de hábitos de vida e personalidades diferentes, muitas vezes acabavam discutindo por besteiras. Apesar das brigas, os dois sempre foram bastante apaixonados e cientes de seus sentimentos um pelo outro. O relacionamento tinha seus altos e baixos, é verdade, mas eles conseguiam superar as adversidades e até mesmo faziam planos. Até que Charlotte entrou na vida deles.
Entre David e Charlotte havia uma conexão e logo fica claro, tanto para o leitor como para Ally, que essa moça quer ter muito mais que a amizade que David pode lhe ofertar. "Mas Neyla, se ele queria apenas a amizade dela e amava tanto a Ally, como foi que os dois acabaram separados?". Isso, minha amiga leitora, você vai ter que descobrir lendo porque se eu contar vai perder totalmente a graça.
"Muito bem, Neyla Paula, botou uma pressão daquelas e no final me entrega um resuminho meia boca desse? Tem vergonha na cara, não?" Calma binha, não dá pra contar tudo, né gente? Se eu falasse mais iria acabar entregando alguns detalhes que vocês precisam descobrir lendo. Essa é uma história muito complexa e que qualquer coisinha a mais pode se transformar em um spoiler. Portanto, vamos focar no que realmente interessa que são as minhas impressões a respeito do livro.
Pra início de conversa eu preciso dizer a vocês que tenho verdadeira paixão pelos livros da Dani Atkins e que ela sempre consegue me acertar em cheio com suas tramas. Eu estava preparada para gostar da história, só não imaginava que fosse acabar a leitura completamente devastada! Dani escreve com sentimento e sua narrativa sempre toca meu coração de diversas formas. E dessa vez ela abalou minhas estruturas, me fez amá-la e odiá-la de uma forma que não conseguiria explicar.
Um dos pontos que mais me agradam em seus livros são os personagens tão reais, que tomam atitudes que muitas vezes nos desagradam, que erram muito, mas que me representam muito mais do que os mocinhos perfeitos de muitos romances que estou acostumada a ler. Não vou dizer a vocês que todos são do meu agrado, sempre vai ter aquele personagem que você vai amar e outros que vai odiar/desprezar ou, simplesmente, não gostar tanto. É como a vida: nem todas as pessoas irão te gradar, não é mesmo?
E onde é que eu quero chegar com essa volta toda? Bem, quero chegar no ponto em que preciso desabafar sobre os personagens. E vou ser direta e reta: eu amei Joe e ele foi meu personagem preferido do livro! Eu entreguei meu coração para esse homem sem medo de ser feliz e, conforme as lembranças de Ally foram se aprofundando, eu o amei ainda mais. Joe é um homem justo, franco e muito generoso, que esteve ao lado da esposa em todos os momentos e que a ensinou o verdadeiro sentido da palavra amor. O relacionamento entre eles podia não ser perfeito (nenhum é, essa é a verdade), mas eles eram o encaixe perfeito um do outro e isso foi ficando evidente a cada novo avanço das páginas. Ally, por sua vez, não me cativou tanto quanto o marido, mas gostei demais dela. Inicialmente tive as minhas birras, achava que em alguns momentos ela tinha umas atitudes imaturas, principalmente quando se relacionava com David. Mas quem nunca teve uma atitude infantil quando era jovem que atire seu hardcover! E o que vemos na Ally do presente é uma mulher centrada e que sabe o que quer pra sua vida.
Já David e Charlotte... bem, eu tenho algumas ressalvas a esse casal. Vamos começar por ele, que foi a pessoa que eu menos gostei nesse livro. Eu estava preparada pra odiar Charlotte, mas o meu ranço veio todo nesse homem! Inicialmente eu até que simpatizei com ele, mas com o desenrolar da história fui percebendo que a simpatia deu lugar a uma antipatia enorme e que nada que ele fizesse ou falasse iria mudar isso. Pra mim, David não passava de um covarde, uma criatura boçal e por vezes bem prepotente, que tinha atitudes tolas, não pensava no que fazia e magoava a pessoa que dizia amar com coisas que somente ele achava normal. Eu queria entrar no livro e dar uma porrada nele, pronto, desabafei! Óbvio que ele não é uma pessoa ruim, mas não é o tipo de homem que deveria ficar com Ally, ela merecia coisa melhor (e que bom que achou).
Charlotte eu já comecei odiando. Para mim ela era a "fura-olho,mal caráter, olho-junto" e tudo que ela fazia merecia um revirar de olhos meus. Eu a achava egoísta, mimada, insensível, imatura! E ela é, realmente, um pouco de cada. Mas eu acabei entendo seus sentimentos e, por consequência, suas atitudes. Ela respeitou o relacionamento entre Ally e David, não tramou pra separar os dois e, muito embora ela tenha sido a grande pivô do término do namoro, era questão de tempo para aquele relacionamento acabar já que ele estava fadado ao fim bem antes de começar.
A história é dividida entre presente e passado e é por meio das lembranças de ambas as mulheres que vamos conhecendo um pouco sobre seus relacionamentos no passado e o que aconteceu com cada um após esse longo tempo que ficaram sem se ver. A trama é sensível, delicada e muito emocionante, portanto se você é chorona que nem eu, prepara o lencinho. Chorei muito em diversas passagens e conforme fui avançando na leitura mais me sentia dentro da história, o que serviu pra me emocionar ainda mais.
A leitura foi rápida, comecei e terminei no mesmo dia, e como sempre achei a trama ágil e bem fluida. O final acabou comigo e eu chorei feito criança! Foi uma das cenas mais lindas e só em lembrar me arrepio toda e as lágrimas já começam a querer brotar. A sutileza nos diálogos finais, a delicadeza com que a autora colocou aquilo...meu coração quase não aguentou! Jurei que nunca mais iria ler nada da Dani na vida, promessa essa que será quebrada assim que anunciarem seu próximo livro, claro!
Se você gosta de livros com emoções fortes, com certeza precisa ler Nossa Música! É uma história linda, mas ao mesmo tempo triste, que nos faz refletir sobre o amor, o perdão e nos faz pensar no que realmente importa em nossas vida. Leiam e depois me contem o que acharam!





Um comentário:

  1. Olá Neyla,

    Essa é a segunda resenha que leio desse livro, realmente a história parece incrível e emocionante, espero ter a oportunidade de ler um dia....bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir