quinta-feira, 26 de abril de 2018

Coragem


ROSE McGOWAN nasceu em um culto e o trocou por outro, mais visível: Hollywood.Rose McGowan se tornou uma das atrizes mais desejadas de Hollywood da noite para o dia quando foi "descoberta" nas ruas de Los Angeles. O estrelato logo se tornou um pesadelo de exposição constante e sexualização. Todos os detalhes de sua vida pessoal se tornaram públicos, e as realidades de uma indústria inerentemente machista emergiam a cada roteiro, papel, aparição pública e capa de revista.Hollywood esperava que Rose ficasse quieta e cooperasse. Em vez disso, ela se rebelou e impôs sua verdadeira identidade e voz.
Ela reemergiu sem roteiros nem desculpas, corajosa, controversa e sempre verdadeira. Liderando o movimento de denúncias de assédio sexual na indústria de entretenimento ao expor os crimes de Harvey Weinstein, Rose é hoje um dos rostos do movimento feminista e não hesita ao disparar verdades inconvenientes e exigir mudanças.CORAGEM é seu livro de memórias em forma de manifesto - um relato sem censura nem piedade da ascensão de um ícone millennial, uma ativista sem medo e uma força de mudança imparável determinada a expor a verdade sobre a indústria do entretenimento, trazer à luz uma indústria multibilionária construída sobre a misoginia sistêmica e empoderar pessoas ao redor do mundo a acordarem e terem CORAGEM.
Título: Coragem
Autor (a): Rose McGowan
Editora: Harper Collins
Número de páginas: 288


A resenha de hoje é de um livro que me tirou, literalmente, da minha zona de conforto. Eu não sou leitora de autobiografias e não vou mentir: estava temerosa em relação a esse livro. Quando estamos muito acostumados a determinados tipos de histórias, sempre ficamos receosos quando algo novo surge à nossa frente. Comecei a leitura sem saber bem o que esperar e com um medo fortíssimo de não conseguir me conectar ao livro. Mas ele acabou se mostrando bem diferente de tudo que eu imaginava.
Não sei bem como começar a escrever, portanto acredito que o que escreverei hoje seja mais um bate papo do que uma resenha propriamente dita. E digo isso porque, por mais que me esforce pra narrar o que existe nesse livro, eu jamais conseguiria fazer isso de uma forma mais sucinta, como faço na maioria dos meus textos.
Rose conheceu os abusos desde muito cedo. quando foi introduzida em uma seita chamada Meninos de Deus. Apesar do nome, o que acontecia ali não era, nem de longe, algo que pudéssemos ver como divina. Além dos constantes abusos psicológicos, ela também apanhava e, muitas vezes, acabou passando fome. E isso tudo quando ainda era criança. Só há um basta quando seu pai, percebendo que o que acontecia naquela lugar só tendia a piorar, decide fugir e deixar para trás não só a seita como também a Itália.
Porém, em novas terras, Rose conhece uma nova seita chamada Hollywood, a indústria da fama. E nós sabemos bem que nem só de glamour vive Hollywood, já que as notícias que recebemos quase que diariamente estão aí para provar isso. Em seus relatos, vamos descobrindo sobre os muitos abusos sofridos, entre eles o sexual cometido por um conhecido produtor (a quem ela denomina de o monstro) e a violência física e psicológica que lidava constantemente. E sabe o que é pior? Sem que ninguém a sua volta fizesse nada a respeito.
Coragem foi um daqueles livros que me pegou de jeito logo em seus primeiros capítulos. O medo inicial da decepção logo foi substituído por uma necessidade de conhecer mais sobre essa mulher forte e corajosa, que passou por diversas situações difíceis e que nem por isso deixou sua voz se calar. Ela foi uma das primeiras a relatar os abusos que sofreu e faz denúncias graves a respeito do que acontece nos bastidores.
Não foi uma leitura fácil. Em diversas passagens precisei fechar o livro, respirar fundo, tomar uma água e recomeçar. Ler os relatos de Rose, sobre seu sofrimento e todos os traumas que aquilo lhe trouxe foi sofrível demais. A sua dor acabou se transformando em minha e não foram poucas as vezes em que as lágrimas vieram à tona. É uma história forte, que nos faz refletir sobre a violência, cada vez mais frequente, contra a mulher e como é necessário que cada vez mais as pessoas denunciem a todo e qualquer tipo de abuso.
A história de Rose choca, principalmente por saber que há muitas outras mulheres como ela que sofreram/estão sofrendo por situações semelhantes, que sentem-se oprimidas em seus empregos por serem mulheres, que passam por situações de assédios, violência doméstica, abusos sexuais e psicológicos quase que diariamente.
Apesar de ser um livro de tema forte e retratar muitas situações que são, de certa forma, depressivas, a leitura acabou sendo muito rápida. A sensação que tive foi a de que ela estava aqui, sentada ao meu lado, contando de forma simples e direta sobre cada um dos fatos acontecidos. Foi incômodo ler algumas coisas? Sim. Mas isso é algo que considero primordial, principalmente se tratando de um tema tão atual. Tem que incomodar mesmo, tem que fazer com que o leitor saia de seu papel de observador e seja uma voz ativa na sociedade.
Nem preciso dizer que a leitura é mais do que recomendada, não é mesmo? Creio que todas as pessoas deveriam conhecer essa história, que é reflexiva, impactante e inesquecível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário