quarta-feira, 23 de maio de 2018

O Fundo é Apenas o Começo

Uma poderosa jornada da mente humana, um mergulho profundo nas águas da doença mental.
CADEN BOSCH está a bordo de um navio que ruma ao ponto mais remoto da Terra: Challenger Deep, uma depressão marinha situada a sudoeste da Fossa das Marianas.
CADEN BOSCH é um aluno brilhante do ensino médio, cujos amigos estão começando a notar seu comportamento estranho.
CADEN BOSCH é designado o artista de plantão do navio, para documentar a viagem com desenhos.
CADEN BOSCH finge entrar para a equipe de corrida da escola, mas na verdade passa os dias caminhando quilômetros, absorto em pensamentos.
CADEN BOSCH está dividido entre sua lealdade ao capitão e a tentação de se amotinar.
CADEN BOSCH está dilacerado.
Cativante e poderoso, O Fundo é Apenas o Começo é um romance que permanece muito além da última página, um pungente tour de force de um dos mais admirados autores contemporâneos da ficção jovem adulta.
Título: O Fundo é Apenas o Começo
Autor (a): Neal Shusterman
Editora: Valentina
Número de páginas: 272

Hoje é dia de falar de um livro que mexeu demais com o meu emocional e, já aviso de antemão, que essa é uma daquelas resenhas difíceis de escrever portanto já vão me desculpando aí. Tenho muito pra falar e hoje, excepcionalmente, não ficarei aqui na introdução "enchendo linguiça" e contando historinhas. Vamos ao que interessa.
Caden Bosh tem 15 anos e sempre foi um garoto tranquilo, de poucos amigos e não muito popular. Seus dois melhores amigos compartilhavam os mesmos interesses e ele sempre se sentiu seguro ao lado deles. Juntos, estavam desenvolvendo um jogo de RPG e a parte das ilustrações era feita por ele, que sempre teve muito jeito com desenhos. A relação com os pais e a irmã caçula também é boa e sempre houve diálogo entre eles, apesar das diferenças.
Aparentemente, Caden levava uma vida normal, até que começou a apresentar comportamentos diferentes do habitual. Primeiro foi um suposto garoto que queria matá-lo, depois a necessidade de estar sempre andando para que nada de ruim acontecesse com ele, sua família ou qualquer outra pessoa. Depois as coisas foram aumentando e a situação acabou fugindo do controle.
Vamos acompanhando, a partir de então, os relatos de Caden de uma forma bem peculiar. Lutando contra o pânico, ele vai nos levando cada vez mais fundo em sua mente confusa. Mesclando o real com o imaginário, vamos conhecendo mais a respeito de suas paranoias e medos, e, principalmente acompanhando sua luta diária para manter-se bem, mesmo sem saber como fazer isso.
Não vou mentir a vocês: quando comecei a ler me senti perdida. A leitura não fluía, eu me via perdida em meio aquelas duas histórias tão distintas e não sabia o que estava acontecendo. Por mais que eu soubesse que tudo aquilo era fruto do imaginário de Caden, não conseguia fazer ligações, me sentia em meio a um emaranhado de linhas, sem conseguir me livrar de tudo aquilo que me prendia. O fato é que eu queria me sentir segura lendo essa história, queria poder ter as respostas pra tudo aquilo, mas quanto mais eu me aprofundava, mais confuso tudo ficava. Se eu cogitei abandonar a leitura? É claro que sim! Mas continuei firme e, gente, foi a melhor coisa que fiz porque quando a trama deslanchou eu simplesmente não parei mais.
O fato é que a leitura é confusa por estarmos dentro da cabeça de um garoto sofrendo com a esquizofrenia e, por mais que ele tenha momentos de lucidez, são raras as vezes em que isso acontece. O que mais vemos são seus relatos em um barco, onde personagens reais ganham vida de uma forma diferente, onde ele associa funções a cada uma das pessoas que estão com ele nesse local e, é somente quando os momentos lúcidos vêm a tona que encontramos um sentido naquele emaranhado de histórias.
O Fundo é Apenas o Começo é aquele tipo de livro que mexe com as emoções, que é intenso do início ao fim e que me fez sair do lugar comum. Foi angustiante acompanhar a dor de Caden e perceber que ele afundava cada vez mais. Chorei, fiquei com raiva, era uma luta diária com a esperança que ía e voltava a cada novo capítulo. É engraçado como nós, leitores, nos envolvemos com determinadas histórias, sofremos, choramos, sorrimos e esperamos, com todo o coração, que tudo fique bem no final. É praticamente impossível não se deixar envolver por todo o drama de Caden. Ao passo que mergulhamos cada vez mais fundo em sua mente vamos criando laços e desejando que aquilo tudo passe e que ele consiga, enfim, encontrar o caminho de volta.
Terminei a leitura com um misto de sensações e até agora, ao me recordar da leitura enquanto escrevo essa resenha, não consigo expressar tudo que ele representou pra mim. É uma história sensível e tocante, que foi um baita tapa na minha cara e que me tirou totalmente do lugar comum. Sem sombra de dúvidas, foi a leitura mais intensa de 2018. Gostei demais da trama e da forma como o autor fez com que compreendêssemos o que se passava na cabeça de Caden, nos levando a mergulhar junto com o personagem nos seus pensamentos mais confusos e sombrios. 
Mais um livro que, com toda certeza, levarei no coração. <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário